Agenda das Ludobibliotecas abertas à comunidade para o mês de abril – Concelho de Cascais

Março 31, 2015 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

ludi

 

Participação da Drª Dulce Rocha, Vice-Presidente do Instituto de Apoio à Criança, no programa Política Mesmo na TVI 24, hoje a partir das 22.00

Março 31, 2015 às 3:00 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Participação da Drª Dulce Rocha, Vice-Presidente do Instituto de Apoio à Criança, no programa Política Mesmo na TVI 24, hoje a partir das 22.00. Tema – Registo Nacional de condenados por Abuso Sexual de Criança.

mesmo

Música pra Ti Concertos informais dirigidos a famílias “Syrínx: XXII – António Carrilho e Katharine Rawdon” no CCB

Março 31, 2015 às 2:30 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

ccb

4 abril 2015 | 18:00

Sala Eugénio de Andrade

M/6

Um espaço, um músico, um instrumento e uma cadeira. Concertos informais dirigidos a famílias. Uma vez por mês convidamos músicos a tocar durante 20 minutos e, no final, a responder às perguntas do público curioso. Aqui, a música é um “momento” intimista que aposta na proximidade com a performance e em que o conhecimento e a experiência do músico são oferecidos a crianças e a adultos.

António Carrilho e Katharine Rawdon (Flautas)

CONTACTOS FÁBRICA DAS ARTES Maria José Solla | Manuel Moreira | Tânia Guerreiro

Todos os dias úteis das 11:00 às 13:00 e das 15:00 às 18:00

Telefones (+351) 213 612 899 e (+351) 213 612 898

ou do fax (+351) 213 612 859.

fabricadasartes@ccb.pt

 

Violência doméstica e delinquência juvenil aumentam em Portugal

Março 31, 2015 às 12:49 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia do Público de 30 de março de 2015.

Maria João Lopes

Relatório Anual de Segurança Interna, referente a 2014, será divulgado na íntegra nesta terça-feira.

No geral, a criminalidade diminuiu 6,7% em Portugal entre 2013 e 2014. Assim como a violenta e grave que também desceu 5,4%. Há, porém, aumentos no que toca, por exemplo, à violência doméstica e à delinquência juvenil. Os primeiros dados foram apresentados nesta segunda-feira pela secretária-geral do Sistema de Segurança Interna, Helena Fazenda, para quem “a grande evidência é a de que a criminalidade diminuiu”.

Ainda assim, a responsável mostrou-se preocupada com os números relativos à violência doméstica. Questionada sobre qual o dado que mais a preocupa, Helena Fazenda respondeu que “todas as participações” a preocupam, mas admitiu que “ainda” continua a haver muitas participações por violência doméstica, o que “merece um empenhamento muito grande”. A violência doméstica contra cônjuge ou análogo registou, em 2014, mais 31 casos participados do que no ano anterior, ou seja, mais 0,1%.

O furto de oportunidade de objectos não guardados também surge com um aumento de 9,2%, mais 877 participações. Assim como o furto por carteiristas, com mais 3721 participações, o que corresponde a um aumento de 36,3%.

A criminalidade grupal revela uma diminuição de registos para 165, o que equivale a menos 2,5%. No entanto, a delinquência juvenil regista mais 453 participações, ou seja, um aumento de 23,4% em relação a 2013. A responsável sublinhou, no entanto, que este aumento acontece num universo de 2393 casos: “Considero que é um aumento, não me parece que seja um aumento preocupante”, disse.

Nesta segunda-feira, os dados foram previamente seleccionados e apresentados à comunicação social. Os slides com os números e gráficos foram passando rapidamente e, apesar dos protestos dos jornalistas, para poderem ter acesso a pelo menos ao que estava a ser apresentado no ecrã, nenhum documento foi facultado. O relatório, que foi discutido e aprovado na reunião do Conselho Superior de Segurança Interna, estará disponível na íntegra nesta terça-feira no site do Parlamento, onde será entregue para apreciação.

A criminalidade geral desceu 6,7% – 343.768 participações, menos 24.684 do que no ano anterior. Também a criminalidade violenta e grave diminuiu 5,4% – 19.061 participações, menos 1086 do que ano anterior.

Outros dados que foram adiantados dão conta de uma descida de 6,4% no que se refere a participações por furto em veículo motorizado. As participações registadas (20) por roubo a tesouraria ou estação de correio também diminuíram 60,8%.

No que respeita a incêndios florestais – incêndio e fogo posto em floresta, mata, arvoredo ou seara – registou-se uma diminuição de 47,9%, o que equivale a menos 4452 participações. Na área ardida, verifica-se uma diminuição de 85,7%.

Quanto à população prisional, um dos dados destacados diz respeito aos reclusos preventivos/condenados, item em que a diminuição é de 2% (menos 281).

Sobre o controlo de fronteiras, foi também revelado que houve uma diminuição de 9,4% das pessoas controladas em fronteira marítima.

Já no que concerne à segurança rodoviária, há um ligeiro aumento do número total de acidentes, mas menos vítimas mortais – menos 43 do que em 2013, segundo os dados avançados na conferência de imprensa desta segunda-feira.

Já no ano passado se tinha verificado uma descida da criminalidade em Portugal, continuando, no entanto, a verificar-se que a violência doméstica não acompanhava essa tendência. E já no ano passado o secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, Antero Luís, mostrava preocupação perante o acréscimo de mortes resultantes de violência entre cônjuges.

 

 

 

Las diez claves de la educación en Finlandia [Infografía]

Março 31, 2015 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

texto do site http://www.aulaplaneta.com  de 22 de janeiro de 2015.

Aula Planeta

 

El sistema educativo finlandés está considerado uno de los mejores del mundo, especialmente por sus buenos resultados en los Informes Pisa, la evaluación que realiza la OCDE cada tres años. ¿A qué se debe? Te explicamos algunas características esenciales de la educación en el país nórdico que pueden contribuir a explicar su éxito y servirnos para reflexionar sobre nuestro propio sistema de enseñanza.

DIEZ PILARES DEL SISTEMA EDUCATIVO FINLANDÉS

  1. Los docentes son profesionales valorados. La educación es una profesión con prestigio y los profesores tienen gran autoridad en la escuela y en la sociedad. El equivalente a Magisterio en Finlandia es una titulación complicada, exigente y larga, que además incluye entrevistas personales, por lo que los maestros son profesionales muy bien preparados y vocacionales.
  2. La educación es gratuita y, por lo tanto, accesible a todos. El sistema educativo público establece que la educación es obligatoria y gratuita entre los 7 y los 16 años y debe ser impartida por centros públicos. Tampoco se paga por los libros ni por el material escolar, y todos los niños reciben una comida caliente al día en el colegio, también gratuita. En el caso de que el niño viva a más de 5 kilómetros del centro escolar, el municipio debe organizar y pagar el transporte.
  3. El reparto del dinero público se hace de forma equitativa. Los fondos estatales se reparten de forma justa entre los centros. Hay una base de subvención común para todos pero la cifra final varía atendiendo a las necesidades de cada uno, de manera que se compense a aquellos con más carencias para equipararlos al resto. La igualdad de oportunidades es un valor esencial.
  4. El currículo es común pero los centros se organizan. Cada escuela y sus profesores diseñan y organizan el currículo (aunque tiene unas líneas generales y un marco común para todos) y se planifican para conseguir los logros establecidos como mejor consideren.
  5. La educación se personaliza. Desde los primeros cursos se interviene para apoyar a los alumnos con necesidades especiales, con lo que se evita que sus dificultades aumenten con los años y se minimizan los porcentajes de fracaso escolar. Se respeta el ritmo de aprendizaje de cada niño y se huye de las pruebas y actividades estandarizadas. Además, los profesores suelen ocuparse del mismo grupo desde 1.º (7 años) hasta 6.º (12 años), lo que ayuda a que los conozcan mucho mejor.
  6. Los alumnos tienen tiempo para todo. La educación se toma en serio pero también se da importancia al juego y al descanso. Los niños no comienzan el colegio hasta los 7 años, momento en el que se les considera maduros para aprender. Además, las jornadas lectivas son más cortas. Los estudiantes de Primaria tienen solo 3 o 4 clases al día, con descansos de 15 minutos entre cada una de ellas a los que se suma el descanso para comer. Apenas hay deberes, el trabajo se hace en clase, no en casa.
  7. Preparar la clase es parte de la jornada laboral. Los profesores no imparten tantas horas de clase como en otros países, sino que el tiempo que pasan en el aula es más reducido y destinan las horas restantes a preparar sus lecciones, investigar, organizarse o trabajar de forma colaborativa con otros docentes.
  8. Se evita la competencia y las cifras. Los estudiantes no hacen exámenes ni reciben calificaciones hasta 5.º curso (11 años) y los informes que el profesor elabora para los padres son descriptivos, no numéricos.
  9. Se premia la curiosidad y la participación. La imaginación y la capacidad de emprendimiento son muy apreciadas en la sociedad finlandesa, abundan los profesionales de campos artísticos y creativos y también los de tecnología e ingeniería. Esto también se fomenta en la educación, donde se valora la creatividad, la experimentación y la colaboración por encima de la memorización y las lecciones magistrales.
  10. Los padres se implican. La sociedad y las familias consideran que la educación es fundamental y la complementan con actividades culturales. A esto contribuyen las ayudas que reciben los padres para la conciliación de la vida laboral y familiar, para que dispongan de más tiempo con sus hijos.

 

 

Mostra Festinha’15 – mostra dirigida a grupos escolares do 1º e 2º ciclo do ensino básico (6-12 anos)

Março 31, 2015 às 11:45 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

festin

Esta é uma mostra dirigida a grupos escolares do 1º e 2º ciclo do ensino básico (6-12 anos),  que este ano conta com 3 longas-metragens e 8 curtas-metragens que serão exibidos numa seção de 60 minutos.

mais informações no link:

http://festin-festival.com/programacao-2015/mostra-festinha15/

 

Portuguesa de 15 anos vence prémio internacional de fotografia

Março 31, 2015 às 11:36 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia do Jornal de Notícias de 31 de março de 2015.

Cante Alentejano

© Beatriz Rocha, Portugal, 1st Place, Culture, Youth Award, 2015 Sony World Photography Awards

 

Uma imagem de um grupo de cantares alentejanos pouco antes da inscrição do cante na lista do património cultural imaterial da Unesco valeu a uma jovem portuguesa de 15 anos um prémio de fotografia internacional.

Beatriz Rocha venceu a categoria Cultura na secção juvenil (até 19 anos) dos Prémios Mundiais de Fotografia Sony, considerada a maior competição do género a nível internacional.

A jovem portuguesa, que frequenta o 9º ano na na escola Secundária Gabriel Pereira, em Évora, onde reside, admitiu à agência Lusa ter ficado chocada com a vitória.

“Chorei, ri-me e por momentos não acreditei… Creio que ainda não tenho a noção do que ganhei. Os meus pais fizeram uma festa maior que eu, apesar de eu estar igualmente ou mais feliz”, contou.

Beatriz Rocha era uma dos oito finalistas da categoria, onde chegou após uma seleção entre 6600 candidaturas de todo o mundo feita por um júri de profissionais.

Ao todo, foram a concurso 183737 imagens nesta edição do prémio, na qual o português Eduardo Leal (4SEE Photographers) é também finalista na secção para profissionais na categoria Campanhas.

As secções em competição dividem-se em profissionais e juvenis e, por sua vez, em 13 categorias temáticas, que vão desde a paisagem, a arquitetura, a atualidade, conceptual, artes, retratos, viagens, entre outras.

A imagem vencedora de Beatriz Rocha foi captada no ano passado no Teatro Garcia de Resende, onde acompanhou o pai, fotógrafo profissional, numa sessão de fotografia com o grupo “Cantares de Évora”.

A ideia, explicou, era juntar duas dimensões da memória histórica de Évora, cujo centro histórico já era património da Humanidade e cuja parte da cultura pretendia ser classificada Património Imaterial.

A jovem disse ter experimentado várias perspetivas, mas gostou especialmente desta: “Na foto os cantantes estão num ‘à vontade’ que eu achei muito interessante”.

Além do interesse por fotografar, que serve para se expressar e “abstrair do quotidiano”, herdou do pai a máquina que usou, um modelo destinado a fotógrafos experientes.

Recebeu também dos progenitores o incentivo a participar na competição, apesar de o pai não o ter feito: “Ele, não sei bem porquê, não concorre a concursos”.

O prémio vai valer à jovem eborense uma máquina fotográfica de topo e um smartphone da Sony, bem como a entrada para o prémio de Jovem Fotógrafo do Ano.

O vencedor receberá o galardão numa cerimónia em Londres a 23 de abril, quando serão anunciados os galardoados das categorias profissionais.

Independentemente do resultado final, a imagem de Beatriz Rocha já conquistou a presença numa exposição em Londres, entre 24 de abril a 10 de maio, e num livro a publicar com as melhores imagens da edição de 2015 dos Prémios Mundiais de Fotografia Sony.

Apesar do feito, a adolescente prefere olhar para a fotografia como um “hobby” e não como uma aspiração profissional.

“Por enquanto estou a pensar seguir uma carreira no ramo da física, mas sou jovem, portanto terei tempo para pensar e talvez mudar de ideias”, disse.

 

 

 

TPC perdem eficácia após hora e meia

Março 31, 2015 às 10:00 am | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Notícia da Pais & Filhos de 25 de março de 2015.

O estudo citado na notícia é o seguinte:

Adolescents’ Homework Performance in Mathematics and Science: Personal Factors and Teaching Practices

Press Release da APA

Existem poucas crianças que, mais cedo ou mais tarde, não se queixem de que têm trabalhos de casa a mais e que isso não é bom. Agora, uma equipa de cientistas da Universidade de Oviedo, em Espanha, e outra da Universidade de Stanford (EUA) vem dar-lhes razão.

Um estudo realizado na instituição espanhola concluiu que uma hora é o período em que fazer TPC traz mais vantagens de aprendizagem. E se demoram mais de hora e meia, os resultados não só não aparecem como decrescem. Para além disso, os alunos aprendem mais e melhor se tiverem trabalhos de casa moderados e regulares, ou seja, um pouco todos os dias.

Os investigadores da Universidade de Oviedo analisaram os hábitos de 7700 alunos até aos 14 anos e chegaram à conclusão de que as crianças e adolescentes passam, em média, até duas horas diárias a fazerem trabalhos de casa, distribuídos por todas as disciplinas. A equipa submeteu um grupo de estudo a testes sistematizados de Matemática e Ciências e descobriu que os estudantes a quem eram passados TPC moderados e regulares – e que os faziam sozinhos, sem ajuda de pais ou explicadores – tinham melhores resultados.

Para o especialista Javier Suarez-Alvarez “os nossos dados indicam que não é necessário marcar grandes quantidades diárias de trabalhos de casa, mas é importante que este tipo de tarefa seja sistemática e regular, tendo por meta a criação de hábitos de trabalho e a promoção de uma aprendizagem autónoma e auto-regulada”.

Um outro estudo, realizado na Faculdade de Educação da Universidade de Stanford (EUA) garante que passar mais de três horas diárias a fazer trabalhos de casa pode tornar as crianças e jovens doentes.

Para chegar a esta conclusão, foram avaliados mais de 4300 estudantes de escolas públicas e privadas da Califórnia, cujo ponto em comum é a média alta de notas. “Encontrámos uma ligação clara entre o stresse estudantil para atingir resultados e impactos físicos como, por exemplo, enxaquecas, úlceras e outros problemas estomacais, privação de sono, exaustão e perda de peso”, revelou, à CNN, Denise Pope, uma das coautoras do trabalho.

“Os resultados mostram que 60 minutos diários é um período eficaz e razoável” para dedicar aos trabalhos de casa, sendo que as notas a matemática e a ciências começam a declinar quando os professores marcam TPC que demoram mais de 90 minutos por dia.

“Podemos concluir que, no que diz respeito aos trabalhos de casa, a qualidade e a forma como se fazem é mais importante que a quantidade. Quando consideramos o esforço individual e o trabalho autónomo, o tempo que se demora torna-se irrelevante”, advoga a mesma responsável.

 

 

Curso avançado em Perícias Psicológicas em Menores

Março 31, 2015 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

pericias

mais informações aqui

Curso avançado em Perícias Psicológicas em Menores

3ª Edição PORTO | 08 a 16 de Maio de 2015

Docentes: Professora Doutora Ana Isabel Sani // UFP;  Professor Doutor Rui Abrunhosa Gonçalves // UMINHO
DATA LIMITE DE INSCRIÇÃO 17 de Abril de 2015

 

Mês da prevenção dos maus tratos na infância em Beja

Março 30, 2015 às 8:13 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

 

beja

Câmara Municipal de Beja                                  Praça da República

7800 – 427 Beja

Telefone: 284 311 800

Email:geral@cm-beja.pt

 

CPCJ de Beja

Edíficio da Câmara Municipal de Beja – Praça da República

7800- 427 Beja

Telefone: 284361162

Email: bejacpcj@gmail.com

Página seguinte »

site na WordPress.com.
Entries e comentários feeds.