Pato Lógico Edições Serviço Educativo 2012 / 2013

Setembro 30, 2012 às 3:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Mais informações:

http://www.facebook.com/pato.logico.edicoes

http://bloguedopato.blogs.sapo.pt

www.pato-logico.com

Anúncios

Avaliação Psicológica de Crianças com Dificuldades de Aprendizagem

Setembro 30, 2012 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Objectivos

Desenvolver competências relacionadas com identificação e avaliação das dificuldades de aprendizagem mais comuns em criança, nas perspectivas educacional e clínica

Competências

Identificar diferentes tipologias das dificuldades de aprendizagem
Realizar avaliação psicológica de crianças com dificuldades de aprendizagem

Programa

ENQUADRAMENTO (2h) – Conceito de dificuldades de aprendizagem. Factores envolvidos na aprendizagem: análise contextual. Visão integrada da aprendizagem

TIPOLOGIA DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM (10h) – Dificuldades na leitura (dislexia). Dificuldades na escrita (disgrafia e disortografia). Dificuldades na matemática (discalculia). Dificuldades na atenção. Défices cognitivos. Problemas de actividade motora e psicomotora (hiperactividade e DAMP). Problemas emocionais e socio-emocionais

AVALIAÇÃO DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM (10h) – Instrumentos de avaliação psicológica mais adequados para a intervenção precoce nas de dificuldades de aprendizagem (idade pré-escolar). Avaliação nos 1º, 2º e 3º ciclos do ensino básico

ARTICULAÇÃO COM OS AGENTES EDUCATIVOS (2h) – As necessidades educativas especiais (enquadramento legal: Decreto-Lei 3/2008). O papel dos pais, da escola e do psicólogo.
Metodologias

Exposições teórico-práticas. Discussão de casos
Duração

24 horas

Calendarização

Sábado, Outubro 13, 2012 – 09:30 – 16:30

Sábado, Outubro 20, 2012 – 09:30 – 16:30

Sábado, Outubro 27, 2012 – 09:30 – 16:30

Sábado, Novembro 3, 2012 – 09:30 – 16:30

Mais informações Aqui

Projeto de Mediação Intercultural em Serviços Públicos (MISP)

Setembro 29, 2012 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia da Segurança Social de 10 de Setembro de 2012.

O Projeto de Mediação Intercultural em Serviços Públicos (MISP) é promovido pelo Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI), em parceria com Câmaras Municipais e Associações de Imigrantes, co-financiado pelo Fundo Europeu para a Integração de Nacionais de Países Terceiros (FEINPT).

O MISP é um projeto inovador, que assenta num modelo de mediação intercultural, com enfoque comunitário, promotor da interculturalidade e da construção de um sentido de pertença à comunidade, impulsionado por uma equipa de agentes de mediação intercultural sedeadas e coordenadas localmente pelos municípios participantes no projeto.

Para mais informações, consulte o Documento.

VI Conferência Internacional do Plano Nacional de Leitura

Setembro 28, 2012 às 7:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Mais informações Aqui

Formação – DISLEXIA: Neuropsicologia das Perturbações da Escrita e da Leitura no IPNP

Setembro 28, 2012 às 2:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Mais informações Aqui

No âmbito do Dia Internacional dos Educadores Sociais (2 de outubro) e no Dia Mundial dos Professores (5 de outubro), o IPNP vem assinalar estes dias oferecendo um desconto especial a todos os educadores sociais e professores de 15% nas formações abaixo indicadas.

Para os educadores sociais, esta iniciativa aplica-se às inscrições efetuadas no dia 2 de outubro de 2012. Para os professores, esta iniciativa aplica-se às inscrições efetuadas no dia 5 de outubro de 2012.

Para efetuar a inscrição, deverá enviar-nos um e-mail para formacao@ipnp.pt, indicando esta modalidade de desconto, e preenchendo a ficha de inscrição disponível aqui (link), anexando o comprovativo de pagamento e uma cópia do certificado de habilitações.

Apresentação do livro “Mar” de André Letria

Setembro 28, 2012 às 1:57 pm | Publicado em Divulgação, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

 

Multas para punir pais de ‘baldas’

Setembro 28, 2012 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do Correio da Manhã de 6 de Setembro de 2012.

Por Bernardo Esteves

O novo Estatuto do Aluno, publicado ontem em Diário da República e que entra em vigor no ano lectivo que se inicia para a semana, responsabiliza os pais pelo comportamento dos filhos, prevendo a aplicação de multas que podem ir de 13 a 79 euros.

As multas são aplicadas em caso de incumprimento de um conjunto de deveres por parte dos pais. Os deveres em causa são a matrícula, frequência, assiduidade e pontualidade dos alunos, a comparência na escola quando os filhos atinjam metade do limite de faltas injustificadas ou em caso de audição obrigatória devido a procedimento disciplinar, ou ainda devido à realização de medidas de recuperação.

Manuel Pereira, da Associação Nacional de Dirigentes Escolares, afirma que “muito dificilmente” as escolas irão aplicar multas. Já Albino Almeida, da Confederação Nacional de Associações de Pais, defende que o Estatuto “é um emblema para combate partidário, ineficaz para as escolas, que cairá quando cair esta legislatura”. “É muito difícil provar a responsabilidade objectiva dos pais pelo comportamento dos filhos.”

A escola é obrigada, em caso de incumprimento, a informar a Comissão de Menores ou o Ministério Público. E, caso a família receba apoios sociais (como o rendimento social de inserção), a escola tem de informar a Segurança Social, “para reavaliação” dos benefícios sociais.

PROFESSORES POR COLOCAR

As aulas começam na próxima semana, mas há centenas de professores por colocar nos concursos de oferta de escola. O problema afecta muitas escolas TEIP (Territórios Educativos de Intervenção Prioritária). “A lei obriga a identificar os cinco primeiros candidatos da graduação profissional, mas a plataforma informática não está a prever a hipótese de os primeiros cinco não serem escolhidos e de termos de avançar”, diz Manuel Pereira, da ANDE. Já Anabela Delgado, da Fenprof, diz que os directores tentam contornar o critério da graduação profissional. “Chamam os professores aos molhos, até chegar àquele que querem contratar.” O CM tentou, sem sucesso, um esclarecimento do Ministério da Educação e Ciência.

Palestra – O Mediador Familiar: qual a sua função com famílias em conflito

Setembro 28, 2012 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

IMAP – Instituto de Mediação e Arbitragem de

Portugal

Avenida Sidónio Pais, n.º 20 – R/C Esq.º

1050-215 Lisboa

TEL.: 214 062 097 FAX: 214 072 638

TLM.: 91 058 37 53

E-mail: info@imap.pt

site : http://imap.pt/

Guia para o atendimento e intervenção em rede

Setembro 27, 2012 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Descarregar o documento Aqui

A Violência Doméstica, actualmente crime público em Portugal, constitui uma preocupação e uma prioridade ao nível do atendimento e da intervenção na comunidade, fazendo-se sentir, cada vez mais, a necessidade de respostas integradas e articuladas.

É nesse sentido que surge a RIVS, assumindo-se como uma Rede de Intervenção na área da Violência, em Sintra. O Guia de Atendimento que agora se apresenta surge como uma estratégia de consolidação desta rede articulada especializada que tem vindo a ser construída desde 2010.

O trabalho em rede, na área da violência, deve focalizar-se no interesse e no bem-estar da vítima. Deste modo, é fundamental a existência de um conjunto de procedimentos que deverão constituir o referencial de intervenção e apoio a vítimas de violência de género e violência doméstica de forma a garantir a sua integridade.

Este Guia pode ser usado como instrumento de trabalho por qualquer profissional que atenda ou possa vir a atender vítimas de violência doméstica. No entanto, está especialmente centrado nas mulheres vítimas, uma vez que estas continuam a representar estatisticamente uma faixa maioritária, entre as vítimas de violência doméstica. Oportunamente serão editados novos Guias, particularmente vocacionados para o atendimento a outros públicos específicos (pessoas idosas, por ex.). É um Guia breve e pragmático, que não pretende substituir outros já editados pelas mais diferentes entidades, nem aprofundar as temáticas teóricas subjacentes, focalizando-se nos conhecimentos e estratégias de acção mais directamente necessários para a acção do/a profissional. Ou seja, assumese, essencialmente, como um convite a saber mais e a procurar atender melhor, articulando os recursos locais.

Acima de tudo, não dispensa uma adequada formação dos/as profissionais, inicial e contínua. Não dispensa, também, uma atenção particular aos novos estudos que vão sendo produzidos. É nesse sentido, também, que integra um conjunto de conceitos menos comuns.

Mortalidade infantil no mundo está em queda

Setembro 27, 2012 às 2:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Estudos sobre a Criança, Relatório | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia do Público de 13 de Setembro de 2012.

Por Marisa Soares

No ano passado morreram, por dia, 19 mil crianças em todo o mundo antes de celebrarem o quinto aniversário. Ainda assim, morre-se cada vez menos: em 1990, morreram 12 milhões de crianças, um número que caiu para 6,9 milhões em 2011. Portugal foi um dos países que contribuíram para este progresso.

Em 1990, 15 em cada 1000 crianças portuguesas morriam antes de completar cinco anos. Em duas décadas, o país reduziu a taxa de mortalidade infantil em 77% e tornou-se um dos dez países do mundo onde morrem menos crianças, segundo um relatório da Unicef divulgado nesta quinta-feira.

“Há muito para celebrar. Mais crianças sobrevivem agora ao quinto aniversário”, diz o director executivo da Unicef, Anthony Laque, na introdução do relatório “Committing to child survival: a promise renewed” (“Compromisso com a sobrevivência infantil: uma promessa renovada”). O responsável acrescenta que “todas as regiões registaram reduções nas últimas duas décadas”.

Entre 1990 (ano base para os Objectivos do Desenvolvimento do Milénio) e 2011, nove países pobres – Bangladesh, Camboja, Etiópia, Libéria, Madagáscar, Malaui, Nepal, Níger e Ruanda – reduziram a sua taxa de mortalidade infantil em 60%. Nesse período, 19 países de rendimento médio – entre eles, Brasil, China, México e Turquia – e dez países ricos – incluindo Portugal – reduziram as mortes de crianças com menos de cinco anos em dois terços ou mais.

Segundo o relatório, as maiores quedas nas taxas de mortalidade infantil registam-se em países alvo de assistência internacional. “Se olharmos para os países que atingiram melhores resultados – República Democrática Popular do Laos, Timor Leste e Libéria, são os três melhores – penso que em todos a ajuda externa foi um contributo importante”, disse o director da Unicef no Reino Unido, David Bull, citado pela BBC.

Em Portugal, a taxa de mortalidade infantil diminuiu de 15 para 3,4 mortes por cada mil nascimentos naquele período. O bom desempenho do país deve-se, em parte, à baixa taxa de mortalidade neonatal: em 20 anos, desceu de 7 para 2 o número de mortes por cada mil recém-nascidos.

Um dos factores que explicam os resultados atingidos é o facto de o país destinar uma “fatia substancial” do Produto Interno Bruto ao sector da saúde, nota o relatório. Portugal surge assim como um dos “exemplos notáveis” dos avanços alcançados a nível mundial, sublinha o responsável da Unicef.

Na lista dos dez países com menos mortes, Portugal surge em nono lugar, em ex aequo com o Japão e à frente da Dinamarca (com 3,7 mortes por cada mil nascimentos). No topo do ranking, que inclui apenas países com mais de 500 mil habitantes, está Singapura com uma taxa de 2,6 mortes. Segue-se a Eslovénia, Suécia, Finlândia, Chipre, Noruega e Luxemburgo.

Apesar dos bons resultados, ainda há milhões de crianças a morrer todos os anos, muitas delas por doenças que podem ser prevenidas. “Com as vacinas necessárias, nutrição e cuidados médicos e maternos adequados, a maioria destas vidas poderia ser salva”, escreve Anthony Laque.

Segundo o documento, 35% das mortes ocorrem nos primeiros meses de vida. As doenças infecciosas são as principais causas de morte das crianças que sobrevivem aos primeiros meses – particularmente a pneumonia, a diarreia e a malária. A maioria das mortes ocorreu nos países da África sub-sahariana e do Sul da Ásia.

 

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.