Há casos de crianças desaparecidas em Portugal por resolver há mais de três décadas

Julho 8, 2020 às 8:00 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Reportagem da SIC Notícias de 23 de junho de 2020.

Hélder Cavaco desapareceu há 30 anos. Como ele, há outros quatro casos de crianças desaparecidas por resolver em Portugal.

Todos os anos a Polícia Judiciária recebe mais de mil participações de crianças desaparecidas. Nos últimos 13 anos todos os casos têm sido resolvidos. As crianças regressaram ou foram encontradas.

Ainda assim, há casos por resolver há mais de três décadas. O último caso de uma criança que nunca apareceu é o de Madeleine McCann, desaparecida na Praia da Luz, no Algarve, em 2007.

Para além da menina inglesa, constam outras quatro na página oficial de pessoas desaparecidas. Uma delas é Hélder Cavaco. Tinha 16 anos quando desapareceu de casa em Vila Nova de Santo André, em janeiro de 1990.

Os pais de Hélder nunca desistiram de encontrar o filho e percorreram o país na tentativa de o encontrar.

Vídeo da reportagem no link:

https://sicnoticias.pt/programas/casos-de-policia/2020-06-23-Ha-casos-de-criancas-desaparecidas-em-Portugal-por-resolver-ha-mais-de-tres-decadas

Prolongada até 15 de julho a validade das pulseiras da edição Estou Aqui! Crianças de 2019

Junho 25, 2020 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Notícia do Diário Campanário de 24 de junho de 2020.

Devido à crise pandémica, foi prolongada até 15 de julho a validade das pulseiras da edição Estou Aqui! Crianças de 2019.

A partir de amanhã, dia 25 de junho, os pais, tutores ou responsáveis pelas crianças, entre os 02 e os 10 anos de idade, já poderão inscrevê-las na edição 2020 deste programa por intermédio do sítio https://estou.aqui.mai.gov.pt .

Após a inscrição, o requerente terá de deslocar-se a uma das Esquadras da PSP aderente ao programa para levantar a pulseira, previamente ativada pela Polícia.

Cada pulseira distribuída dispõe de um código alfanumérico único que permite que a pessoa que encontre uma criança perdida a sinalize via 112. Essa chamada é encaminhada para a PSP que dispõe dos dados associados à pulseira e, de forma célere, contacta os pais, educadores ou tutores da criança que se encontre perdida, promovendo o reencontro.

O Estou Aqui! Crianças abrangeu em 2019 mais de 77.000 crianças, registando-se 8 ativações, i.e., 8 situações de acionamento da pulseira para garantir a reunião de uma criança perdida com a família.

O programa Estou Aqui! Crianças (EA) é uma iniciativa da Polícia de Segurança Pública, criada em 2012.

Em parceria com a Altice Portugal, através do MEO e da Fundação Altice, Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, Rádio Comercial, Missing Children Europe e Instituto de Apoio à Criança, já foram distribuídas e ativadas mais de 375 000 pulseiras nestes 8 anos de programa.

 

Linhas europeias para crianças desaparecidas com mais de 55 mil chamadas

Maio 26, 2020 às 7:16 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , , , ,

Notícia da Rádio Renascença de 25 de maio de 2020.

Lusa

As fugas representam 55% dos novos casos, os raptos parentais pouco menos de um quarto (23%) e que uma pequena parte dos casos reportados (3%) dizem respeito a crianças migrantes.

As linhas europeias para crianças desaparecidas responderam a mais de 55.000 chamadas no ano passado, abrangendo mais de 7.500 casos, segundo relatório da organização Missing Children Europe (MCE), que mostra que a maioria dos novos casos são fugas.

Os dados divulgados indicam que as fugas representam 55% dos novos casos, os raptos parentais pouco menos de um quarto (23%) e que uma pequena parte dos casos reportados (3%) dizem respeito a crianças migrantes, alertando que a atual crise da Covid-19 “aumenta os riscos para as três categorias”.

Em comunicado, a MCE, que é a Federação Europeia para Crianças Desaparecidas e Exploradas Sexualmente, sublinha que as medidas restritivas para limitar a propagação da pandemia aumentam os riscos para as crianças que vivem em circunstâncias difíceis e que “os isolamentos não as impedem de desaparecer”.

A organização incentiva ainda as instituições da UE, os Estados-membros e as organizações não governamentais a ajudarem as linhas de apoio à infância e juventude “durante estes tempos difíceis”.

As medidas de quarentena levaram a um aumento da violência doméstica, que é o principal fator de risco para as fugas“, afirma a MCE, recordando que as linhas telefónicas europeias “testemunham que as crianças fogem apesar das medidas de isolamento” e que os números deverão aumentar “à medida que as medidas são levantadas”.

“O encerramento das fronteiras provocou novos casos de rapto internacional de crianças e levou a atrasos na investigação dos casos em curso e em novos casos”, sublinha a MCE, que lembra que as medidas de distanciamento social “limitam ainda mais o acesso das crianças migrantes aos serviços de assistência e apoio, podendo separá-las de pais doentes ou cuidadores e tornando-as mais vulneráveis aos traficantes”.

“As linhas de apoio às crianças desaparecidas 116000 desempenham um papel crucial para garantir que todos os casos sejam seguidos e que todas as crianças, e os seus pais, tenham acesso a um apoio rápido, gratuito e eficaz”, sublinha o movimento.

“As linhas têm de investir em tecnologia para oferecer os seus serviços remotamente e desenvolver opções de chat e outras respostas para garantir que todos tenham acesso igual e seguro a este apoio. Isto coloca uma pressão adicional nos recursos já por si limitados”, alerta a organização.

Lembra também que 60% das linhas 116000 que receberam financiamento das autarquias locais e nacionais em 2019 informaram que este financiamento não foi suficiente para garantir a prestação das normas de serviço exigidas.

“À medida que os governos se debatem com as implicações financeiras da crise Covid-19, a Federação Europeia das Crianças Desaparecidas e Exploradas Sexualmente (MCE) receia não conseguir cumprir esta obrigação.

A MCE apela aos Estados-Membros e à UE para que assumam a responsabilidade e protejam o direito das crianças a acederem aos serviços de apoio social, que são fundamentais para a sociedade. É necessário apoiar o trabalho das linhas 116000, garantindo um financiamento estável e rigoroso, que seja demonstrativo de um compromisso ativo com os direitos de todas as crianças

Numa nota a propósito do Dia das Crianças Desaparecidas, que se assinala esta segunda-feira, o Instituto de Apoio à Criança (IAC) alerta que o flagelo das crianças desaparecidas está muitas vezes escondido, pois “grande parte dos jovens pertencem a grupos de risco em que a família não desempenha o seu papel protetor, como sucede, por exemplo, no caso das crianças acolhidas em lares ou outras estruturas residenciais”.

Linha SOS Criança Desaparecida 116000

Liga-te pelo chat através do http://soscrianca.ajudaonline.com.pt/

ou por email soscrianca@iacrianca.pt

ou WhatsApp 913069404

Linha SOS Criança registou este ano 10 casos de crianças desaparecidas

Maio 26, 2020 às 3:40 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Notícia da Sábado de 26 de maio de 2020.

por Lusa

Metade dos casos são relativos a fugas de casa ou de instituições, segundo o Instituto de Apoio à Criança.

A linha de apoio SOS Criança recebeu este ano 10 apelos relacionados com crianças desaparecidas, metade dos quais relativos a fugas de casa ou de instituições, disse fonte do Instituto de Apoio à Criança (IAC).

Em declarações à Lusa, a responsável pela área das crianças desaparecidas da linha SOS Criança, Maria João Cosme, explicou que dos 10 apelos recebidos, cinco configuravam casos de fuga (três de casa e duas de instituições), três eram relativos a raptos parentais, um relativo a uma situação transfronteiriça ainda não foi tipificada e um outro, o caso da criança encontrada morta em Peniche.

“O caso da criança Valentina, por não apresentar características especificas de nenhuma das outras tipologias em que os casos são caracterizados, acabou por ficar nos ‘Perdidos, Feridos e Outros Desaparecimentos’”, explicou a responsável.

Quando se assinala o Dia das Crianças Desaparecidas, a responsável disse que a situação da quarentena não trouxe riscos novos para estas crianças, mas potenciou os já existentes.

“Por exemplo, nos casos de raptos parentais, por uma questão de segurança, o pai ou a mãe pode reter o filho mais tempo do que o que está acordado”, explicou.

Por admitir desde o início que o confinamento potenciava alguns riscos, a SOS Criança passou a funcionar em horário alargado (09:00/21:00) em dias úteis. Já a linha específica das crianças desaparecidas (116000) funcionava 24 horas por dia pois, a partir das 19:00, a linha é encaminhada para a Polícia Judiciária.

“Desta forma, podemos garantir que a linha 116000 dá uma resposta 24h/dia, sete dias por semana”, afirmou.

Maria João Cosme disse que houve um “aumentou do número de apelos”, sublinhando que “com o isolamento aumenta o instinto de fuga. Há jovens que já têm instinto de fuga, mas quando são obrigados [a ficar confinados a um espaço] há mais tendência para este comportamento”, disse.

O IAC reconhece que as crianças e jovens, confinados em casa, ficaram mais pressionados e aconselhou que a retoma da normalidade possível seja feita “de forma serena e equilibrada”.

“Encarem esta nova etapa da forma mais serena possível, com todas as precauções (…). É essencial existir contacto social para que emocionalmente comecemos todos a ter alguma estabilidade”, sublinhou.

O IAC está “disponível para todo o tipo de apelo de crianças, jovens e adultos. Mas, principalmente, para dar voz a crianças e jovens, mais ansiosos agora com a telescola e alguns com muito trabalho e algum stress. Podem sempre ligar. Fazemos apoio psicológico via ‘whatsapp’, ‘online’ e via telefone”.

Os últimos dados divulgados na semana passada pelo IAC já indicavam um “aumento muito significativo” de apelos no período de confinamento, com cerca de 700 contactos desde janeiro, dos quais quase 300 em abril.

WhatsApp 913069404

Crianças e menores desaparecidos: Alguns procedimentos a adotar – Polícia Judiciária

Maio 25, 2020 às 9:04 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

Alerta ao cidadão – Crianças e menores desaparecidos: Alguns procedimentos a adotar

A Polícia Judiciária sublinha alguns procedimentos, cujo cumprimento é fundamental, para assegurar o início rápido e eficaz de uma investigação de desaparecimento:
1. As pessoas mais próximas devem estar atentas a alterações de comportamento e quebra de rotinas;
2. A comunicação do desaparecimento às autoridades deve ser feito imediatamente após se terem frustrado as tentativas de localização baseadas nas rotinas pessoais, quer de locais frequentados quer de horários habituais;
3. Entregar, quando da comunicação do desaparecimento, uma fotografia do desaparecido, tão actualizada quanto possível e destacar na participação todo e qualquer sinal particular o mais detalhadamente possível, nomeadamente
a) Amigos próximos;
b) Prováveis causas do desaparecimento;
c) Locais de repouso ou distracção favoritos;
d) Passatempos preferidos;
e) Interesses pessoais;
f) Eventual surgimento anterior de algumas das alterações elencadas no item 1;
g) Roupa que provavelmente vestia e outra que tenha também desaparecido;
h) Meios de transporte preferencialmente utilizados.
4. No decurso da investigação deve ser comunicado de imediato à Polícia toda e qualquer informação superveniente que chegue ao conhecimento do participante, independentemente do grau de relevância que este lhe atribua.
Convirá, ainda, ter em conta que:
– Um “desaparecimento” não constitui um crime, pelo que, sempre que exista uma fundada suspeita de que tal situação seja consequência da prática de um acto criminoso, o caso concreto é classificado de acordo com o crime presumivelmente cometido e em tal âmbito investigado;
– Não sendo o desaparecimento um crime, não se encontra obviamente sujeito aos prazos de prescrição de procedimento criminal, pelo que até que seja resolvida definitivamente, qualquer investigação de desaparecimento pode ser trabalhada, independentemente do tempo decorrido desde o evento, sendo correcta a afirmação de que “um desaparecimento nunca se arquiva”.
Finalmente:
Apela-se a todos os comunicantes de casos de desaparecimento que, sendo o desaparecido encontrado por instituição ou pessoa diversa desta Polícia Judiciária, tal acontecimento nos seja comunicado no mais curto espaço de tempo permitindo-se, desse modo, alocar sem delongas, meios humanos e materiais até aí empenhados na resolução desse caso, a outros ainda por concluir.

25 de maio – Dia Internacional das Crianças Desaparecidas – As Linhas de Apoio à Criança são essenciais

Maio 25, 2020 às 4:00 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Press Release – 25 de Maio – Dia das Crianças Desaparecidas

Maio 25, 2020 às 10:09 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

 

 

 

25 de maio

Dia das Crianças Desaparecidas

 

O Instituto de Apoio à Criança vem assinalando desde 2001 o  Dia das Crianças Desaparecidas, por ser muito importante alertar a comunidade para este fenómeno tão devastador que geralmente conduz a uma maior vulnerabilidade  das crianças e dos jovens.

Muito associado à Exploração Sexual e ao Tráfico de Crianças, é muitas vezes um flagelo escondido, pois grande parte  dos jovens pertencem a grupos de risco em que a família não desempenha o seu papel protetor, como sucede, por exemplo no caso das crianças acolhidas em lares ou outras estruturas residenciais.

Como membro fundador da Missing Children Europe – Federação Europeia das Crianças Desaparecidas e Exploradas Sexualmente, o IAC tem aderido a um conjunto de iniciativas no âmbito do combate à exploração sexual, nomeadamente aquando da redação das Diretivas Europeias sobre a matéria ou até da aprovação da Convenção de Lanzarote ou das recomendações sobre as coligações financeiras para a prevenção e a luta contra os crimes sexuais através do ciberespaço.

E como é já habitual, decidiu aderir ao tema proposto pela MCE que este ano é mais uma vez dedicado aos jovens em fuga.

O IAC, através do setor “Projeto Rua” tem dedicado a sua atenção a este fenómeno das fugas, podendo dar um contributo relevante, designadamente no que respeita às fugas institucionais, que assumem, como nos demais Países europeus  um número preocupante.

Na impossibilidade de reunir em Conferência presencial, como vem sendo hábito, o IAC decidiu levar a efeito um Webinar que decorrerá entre as 16 e as 18 horas de hoje com vista a partilharmos preocupações e inquietações decorrentes designadamente de casos recentes que requerem um olhar atento e uma reflexão séria que conduza a propostas que possam tornar mais eficaz a proteção devida a estas crianças e jovens.

Desde 2007, foi atribuído ao SOS Criança do Instituto da Criança o nº único Europeu 116 000, vocacionado para esta matéria específica.

O SOS Criança dispõe de uma equipa especializada que escuta a criança ou o jovem, encaminha os seus apelos e presta apoio psicológico em algumas situações, em que é necessário cumprir o direito da criança à sua recuperação psicológica.

A esperança é fundamental para um desenvolvimento saudável, mas a confiança é indispensável para prosseguir nesse sentido, o que só é possível, por vezes com apoio psico-terapêutico.

Todos não somos demais para ajudar!

A Direção

 

Em anexo o Press Release da Missing Children Europe, que o IAC integra desde a sua fundação

©MCE & IAC 2020

Dados e esclarecimentos adicionais disponíveis:

IAC / SOS-Criança

Contacto preferencial – Coordenador, Dr. Manuel Coutinho/Drª Maria João Cosme

21 798 7410/15

PRESS RELEASE MCE 2020

Webinar “Quando a fuga parece ser a única solução…” 25 de maio, 16.00h – 18.00h – Dia Internacional das Crianças Desaparecidas

Maio 21, 2020 às 10:01 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , ,

No Dia Internacional das Crianças Desaparecidas, o IAC irá promover o Webinar “Quando a fuga parece ser a única solução…”. A análise multidisciplinar de um caso real.

Webinar gratuito com inscrição prévia através do link https://forms.gle/tQfVkTdHpaGHKNNDA

O problema está na cooperação deficiente – Dulce Rocha Presidente do IAC ao Correio da Manhã

Dezembro 11, 2019 às 12:00 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do Correio da Manhã de 5 de dezembro de 2019.

Em média 1.400 crianças são dadas como desaparecidas todos os anos em Portugal – notícia com declarações de Dulce Rocha Presidente do IAC

Dezembro 5, 2019 às 2:15 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia da SIC Notícias de 4 de dezembro de 2019.

visualizar o vídeo da reportagem no link:

https://sicnoticias.pt/pais/2019-12-04-Em-media-1.400-criancas-sao-dadas-como-desaparecidas-todos-os-anos-em-Portugal?fbclid=IwAR1N18pb1rOT50dIMgPJDEipO2fTU-MiGN8kzQmEza4I7x3ISppeN2BK-xo

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.