Uma app de apoio às vítimas de violência doméstica

Março 22, 2017 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

 

A APPoio Contra a Violência Doméstica (AppVD) quer tornar mais simples a denúncia e “concentrar toda a informação relativa aos serviços de apoio às vítimas de violência doméstica e de género”

Um telefonema ou uma simples informação podem fazer a diferença na vida de quem é vítima de violência doméstica. Pode ditar se vive ou se morre. Em Portugal, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) recebe em média por dia 49 queixas (dados referentes aos anos entre 2013 e 2015). E se o pedido de ajuda estivesse apenas à distância de um toque no telemóvel? É isso que a nova aplicação para smartphones, disponível a partir desta sexta-feira, pretende fazer: aproximar e tornar a informação mais acessível.

A APPoio Contra a Violência Doméstica (AppVD), que faz parte do Simplex + e é desenvolvida pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género, tem como objetivo principal “facilitar o acesso de qualquer cidadão e cidadã aos contactos das entidades que integram a rede nacional de apoio a vítimas de violência doméstica, mas também o trabalho de profissionais que acompanham e encaminham estes casos”.

A sua utilização é simples. Após descarregar a aplicação é apenas necessário selecionar o distrito e o serviço que procura: Estruturas de Apoio à Vítima, Forças de Segurança, Câmaras Municipais, Intervenção com Agressores, Justiça, Proteção de Crianças e Jovens, Saúde ou Serviços locais de Segurança Social. Depois, é só escolher telefonar ou enviar e-mail. Ambos podem ser feitos através da app.

Na pesquisa, “tendo em conta que os casos de violência doméstica requerem uma intervenção célere e proporcional ao risco identificado”, os resultados obedecem a um critério de proximidade territorial. Ou seja, os contactos que são fornecidos dizem respeito às instituições e serviços do local em que a vítima se encontra.

A app está disponível na App Stores e no Google Play.

Nos primeiros seis meses de 2016, a PSP e a GNR registaram 13.123 ocorrências de violência doméstica. Este são dados apresentados no final do ano passado no relatório anual de monitorização da responsabilidade da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna.

 

Jornal Expresso em 10 de março de 2017

Seminário APAV | 10 Anos Casa de Abrigo ALCIPE | Práticas e Reflexões para o Futuro no Acolhimento de Vítimas de Violência Doméstica – 29 Março em Lisboa

Março 14, 2017 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

sem-nome

mais informações:

http://www.apav.pt/seminarioalcipe/?utm_source=phplist681&utm_medium=email&utm_content=HTML&utm_campaign=Semin%C3%A1rio+APAV+%7C+10+Anos+Casa+de+Abrigo+ALCIPE+%7C+29+Mar%C3%A7o

Ação de Formação TAV – Técnico/a de Apoio à Vítima – 14 de março a 19 de abril em Lisboa

Fevereiro 22, 2017 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

amcv

 

Técnico de Apoio à Vítima

“«Técnico de apoio à vítima» a pessoa devidamente habilitada que, no âmbito das suas funções, presta assistência directa às vítimas;” (Lei 112/09 de 16 de Setembro)

“1 — Constituem requisitos obrigatórios para a habilitação como técnico de apoio à vítima:

  1. a) A habilitação académica de nível superior na área das ciências sociais e humanas ou a posse de habilitação académica de nível superior noutra área, desde que, nesta situa-ção e, cumulativamente, o interessado detenha experiência profissional relevante no domínio da violência doméstica, requisito este cuja observância é verificada pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG);
  2. b) A frequência, com aproveitamento, de 90 horas de formação para técnicos de apoio à vítima.

(…)

4 — As pessoas que, à data da entrada em vigor do presente despacho, sejam detentoras de habilitação de nível secundário e exerçam, comprovadamente, a função de técnico de apoio à vítima ficam dispensadas do cumprimento do requisito da posse de habilitação de nível superior previsto na alínea a) do n.º 1.”

(in Despacho nº 6810-A/2010)

Objetivos:

Qualificar profissionais que atuam no domínio da Violência Doméstica e de Género e ou da prevenção da vitimação ou revitimação desta – Técnicos/as de Apoio à Vítima (artº2º da Lei nº112/2009 de 16 de setembro).

Destinatárias/os:

Profissionais que prestam apoio técnico directo às vítimas/sobreviventes de violência doméstica / violência nas relações de intimidade das seguintes áreas: educação, saúde e saúde mental, psicossocial, desenvolvimento comunitário, jurídica.

Programa/Conteúdos:

Metodologias de Formação:

Apresentação dos conteúdos; Brainstorming; Discussão de grupo; Análise de casos; Role Playing; Focus Group; Questionários e exercícios online.

Datas:

14 de Março a 19 de Abril de 2017

Sessões e-Learning: 14 de Março a 19 de Abril

Requisitos e-Learning: computador, internet, colunas.

Sessões presenciais: 14 de Março (14h – 17h); 21 e 28 Março, 04 de Abril (10h – 17h);

18 e 19 Abril (10h – 18h)

Local: Lisboa (local a confirmar)

Módulo Duração
e-Learning Presencial
I – Perspetiva História da Violência na Família 4h 2h
II – Vitimologia: Conceitos Gerais 6h
III – Violência Doméstica: Conhecer a situação e refletir sobre ela 17h 1h
IV – Violência Doméstica: Orientações para a Intervenção Psicossocial 11h 11h
V – A Lei e o Combate à Violência Doméstica 12h 6h
VI – Práticas Orientadas 6h 14h
Total
 56h  34h

 

 Inscrições:

Valor da Inscrição: 425,00 €*

* Desconto de 50% para associadas/os que tenham as quotas em dia ou se inscrevam até 60 dias antes da data de início da formação.

Pagamento: 50% do valor no momento da inscrição e os restantes 50% até ao dia 13 de Março.

Formas de Pagamento:

 Transferência Bancária (NIB – 0035 0557 00026804230 35)

 Cheque à ordem de AMCV – Associação de Mulheres Contra a Violência

 

(Enviar comprovativo com a inscrição por e-mail ou para a morada: R. João Villaret, 9 – 1000-182 Lisboa)

Data Limite de Inscrição: 08 Março

Inscrições limitadas a 15 participantes

Número Mínimo: 8 participantes

Certificação:

Para obtenção do certificado é necessário:

  1. 90% da frequência das sessões presenciais – 1 manhã ou tarde;
  2. Completar 2 questionários de avaliação com aproveitamento (e-Learning);
  3. Completar pelo menos 4 dos 5 exercícios propostos (e-Learning).

 

Informações Complementares:

mailto:formacao@amcv.org.pt/ 21 380 21 60

 

http://www.amcv.org.pt/pt

 

Chama-se “Violentómetro”, nasceu há três meses e já tem listas de espera

Fevereiro 17, 2017 às 5:39 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

15232069_1304123959627239_5899129643682688742_n

Texto da http://visao.sapo.pt/ de 16 de fevereiro de 2017.

Março vai ser o mês do “Violentómetro”, um projeto nascido no México para combater a violência doméstica que a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) adaptou para Portugal e fará chegar, em breve, a dezenas de escolas no País. Com um formato semelhante a uma régua de papel, o medidor da agressividade nas relações teve um impacto inesperado na população universitária transmontana quando, em finais de novembro, foram distribuídos os primeiros 1300 exemplares. “Houve uma procura muitíssimo superior ao esperado”, confirmou à VISÃO Ricardo Barroso, psicólogo e professor da UTAD. “As pessoas receberam os conteúdos do dispositivo com surpresa. Alguns comportamentos não são considerados agressivos e foi para nós evidente que ainda há muito por fazer na consciencialização relativa a este assunto”, explica aquele docente universitário, um dos mentores da versão portuguesa do projeto.

O “Violentómetro” pode também ser comparado a um marcador de livros, próprio para estar à mão ou guardar na carteira. Identifica trinta comportamentos, menos graves ou muito graves, cuja permissividade e escalada fazem aumentar o risco de maus tratos. Esses podem começar com piadas agressivas, chantagens, mentiras ou desprezo. E por aí acima, até á morte. “Quanto mais cedo estivermos atentos e travarmos a agressão, melhor. Por vezes, a violência começa com sinais muito ténues”, resume Ricardo Barroso.

Pedidos de todo o País

A notícia sobre este projeto correu célere e atulhou os serviços da UTAD com pedidos provenientes de todo o território nacional (de resto, quem o quiser fazer deve escrever para rorebelo@utad.pt).

Neste momento, há 56 escolas de todo o País, incluindo dos arquipélagos dos Açores e Madeira, em lista de espera para receber o “Violentómetro” e distribui-lo pelos alunos, confirmou à VISÃO Ricardo Barroso. Por esta altura, decorrem também conversações com três municípios da Grande Lisboa para que o projeto possa também chegar a outras franjas da população. “Os custos da impressão são integralmente assumidos pela UTAD, faz parte da nossa responsabilidade social enquanto universidade”.

Dentro de algumas semanas, mais um passo será dado.

No âmbito de um projeto-piloto com a autarquia de Alfândega da Fé será distribuído um “kit” de prevenção contra a violência doméstica nas escolas, que inclui, além do “Violentómetro”, um manual de boas práticas que será o instrumento para ações de formação e grupos de trabalho, envolvendo professores, psicólogos e alunos. “Vamos discutir tudo isto com os jovens”, assume Berta Nunes, presidente daquele município do nordeste transmontano, recentemente considerado a mais transparente do País. “Queremos vincar a ideia de que há uma escalada na violência. Temos de pará-la logo no início. Os ciúmes e as tentativas de controlar o outro não são sintomas de uma relação saudável e há um longo caminho a percorrer para estancar o problema”, explica a médica de formação.

mais informações no link:

http://www.utad.pt/vPT/Area2/noticias/Paginas/2016/noticias_novembro/violentometro.aspx

V Seminário “Violência Doméstica: Os Novos Desafios de Combate à Violência Doméstica e de Género” – 10 de março em Lisboa

Fevereiro 12, 2017 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

v-seminario-cartaz

DATA LIMITE DAS INSCRIÇÕES: 2 de Março de 2017

mais informações:

http://www.egasmoniz.com.pt/pt-pt/not%C3%ADcias/semin%C3%A1rio-viol%C3%AAncia-dom%C3%A9stica-os-novos-desafios-de-combate-%C3%A0-viol%C3%AAncia-dom%C3%A9stica-e-de-g%C3%A9nero.aspx

 

Concurso Europeu Wave StepUp – Vote no vídeo da representante portuguesa até 16 de fevereiro

Fevereiro 8, 2017 às 6:00 am | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

c2spodzwgaasadd-jpg-large

Pode votar no vídeo da representante portuguesa, Joana Machado, no link em baixo:

http://wave-stepup.org/activities-tags/wave-step-up-2017/326-voting-for-the-youth-video-award-starts-today-at-12-noon

Texto de Joana Machado

Fui vencedora do concurso nacional promovido pela Associação de Mulheres Contra a Violência (AMCV). Realizei um vídeo que visa combater a violência contra as mulheres, jovens e crianças. Atualmente está a decorrer a fase de votação do público até ao dia 16 de Fevereiro em que o vídeo com maior número de visualizações será o vencedor. Para além desta votação o júri também irá avaliar o vídeo na cerimónia do concurso europeu, em Bruxelas, onde irei estar presente em representação de Portugal no dia 27 de Fevereiro. O meu vídeo está disponível no link https://www.youtube.com/watch?v=aoOzdxuthr0.

Gostaria que esta mensagem chegue a toda a população portuguesa, principalmente às vítimas de violência e a todos aqueles que as possam ajudar (“nós”).

Agradeço desde já toda a vossa ajuda na divulgação desta mensagem. Todos nós estaremos a representar Portugal com “Atitude em Movimento.”.

Alguns dos websites onde poderão encontrar mais informações acerca deste concurso são os seguintes:

http://www.wave-stepup.org/portugal/325-portugal-finds-winner-for-the-youth-video-award

http://cdoc606.wixsite.com/concursovideo/vencedores

http://wave-stepup.org/activities-tags/wave-step-up-2017

 

Violência. Todos os dias há um filho que agride os pais

Janeiro 29, 2017 às 1:00 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia do http://ionline.sapo.pt/ de 19 de janeiro de 2017.

564218-png

Dados revelados pela Associação de Apoio à Vítima.

Em média, todos os dias existe um pai ou uma mãe que é agredido pelo filho. Estes são os dados revelados pela Associação de Apoio à Vítima (APAV), que, entre 2013 e 2015, registou 1777 casos.

Estes números mostram que, em média, houve mais de 592 casos por ano – mais de um caso por dia.

A APAV explicou ainda que mais de 83% das vítimas são mulheres e 49% são pessoas com 65 anos ou mais. Em mais de 65% dos casos, o o autor das agressões é do sexo masculino – destes, a maioria (93%) tem entre os 36 e os 45 anos. 26 % dos agressores são solteiros e 31,5 % estão desempregados.

mais informações na notícia da APAV:

Estatísticas APAV: Violência Doméstica | Violência Filioparental 2013-2015

Pós-Graduação Violência Doméstica – início em 26 de Janeiro de 2017 no ISPA

Dezembro 8, 2016 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

ispa

 

Apresentação do Curso

Nos últimos anos assistimos a um exponenciar da visibilidade social da violência doméstica acompanhada por uma cada vez maior necessidade de prevenção, avaliação e intervenção.

Na sociedade portuguesa as modificações de legislação e de representação social devem ser acompanhadas de formação adequada para a prevenção, avaliação e intervenção nas diferentes situações de violência doméstica.

Perante o incremento do conhecimento das situações, das diferentes formas de violência doméstica e das diferentes necessidades que são colocadas aos diversos grupos profissionais envolvidos, é fundamental que os profissionais que trabalham ou queiram vir a trabalhar nesta área tenham uma formação com elevada qualificação técnica e científica, numa abordagem multidisciplinar.

Esta Pós-Graduação pretende suprir as necessidades de formação enunciadas e, desta forma, ter um contributo activo para a imperiosa necessidade de reduzir as situações de violência doméstica.

Os objectivos, conteúdos e corpo docente tornam esta Pós-Graduação única em Portugal.

Horário do Curso

O Curso tem início em 26 de Janeiro de 2017 e funciona em horário pós laboral, às 5 ªs feiras, das 18h30 às 22h30

A Drª Dulce Rocha, Vice-Presidente do Instituto de Apoio à Criança, fará parte do corpo docente da Pós-Graduação.

mais informações:

http://fa.ispa.pt/cursos/violencia-domestica

 

Jornadas da USF Artemisa “Violência Doméstica: Crime em Família” 25 de novembro em Cascais

Novembro 17, 2016 às 9:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

viololop

mais informações:

https://www.cig.gov.pt/2016/11/jornadas-violencia-domestica-crime-em-familia-25-nov-cascais/

 

 

Apresentação do livro “Violência Parental e Intervenção do Estado” pela Vice-presidente do IAC Dulce Rocha, 10 de novembro, 18 horas no Porto

Novembro 10, 2016 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

capturar

mais informações:

http://www.direito.porto.ucp.pt/pt/central-eventos/apresentacao-livro-violencia-parental-e-intervencao-estado

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.