Metade das vítimas de extorsão sexual na net são rapazes até aos 16 anos – Notícia do DN com declarações de Cláudia Manata do Outeiro do IAC

Fevereiro 15, 2018 às 12:00 pm | Publicado em Livros, O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Notícia do Diário de Notícias de 24 de janeiro de 2018.

A notícia contém declarações da Dra. Cláudia Manata do Outeiro do IAC-CEDI (Centro de Documentação e Informação sobre a Criança).

Anúncios

O Lápis Mágico de Malala chega a Portugal

Dezembro 19, 2017 às 12:00 pm | Publicado em Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia do https://www.publico.pt/ de 15 de novembro de 2017.

Livro da activista paquistanesa Malala Yousafzai é editado pela Presença.

O livro ilustrado para a infância O Lápis Mágico de Malala, da jovem activista paquistanesa Malala Yousafzai, Nobel da Paz em 2014, é editado este mês em Portugal.

Trata-se de um conto autobiográfico no qual a jovem tenta transmitir uma das maiores batalhas pela qual é conhecida: a defesa do direito das raparigas irem à escola e terem acesso à educação. Na história, Malala diz que sonhava ter uma lápis mágico para poder desenhar vestidos bonitos para a mãe ou para desenhar “meninas e meninos, todos eles com direitos iguais”.

Neste primeiro livro para a infância, Malala revela que, com o poder da escrita, conseguiu chamar a atenção internacional: “Escrevia sozinha no meu quarto, mas pessoas em todo o mundo liam a minha história. (…) Finalmente encontrei a magia que procurava, nas minhas palavras e no meu trabalho”.

Sobre o ataque que sofreu em 2012, quando foi atingida a tiro na cabeça por elementos do Movimento dos Talibãs do Paquistão, o livro é omisso, com Malala a escrever sob um fundo negro: “A minha voz tornou-se tão poderosa que os homens perigosos tentaram silenciar-me. Mas falharam.”

A jovem paquistanesa, que desde 2009 criticava a violência dos talibãs e defendia a educação das raparigas no Paquistão, sobreviveu ao atentado e recebeu vasto apoio da comunidade internacional.

Em 2014, com 17 anos, tornou-se na mais jovem personalidade a receber o Prémio Nobel da Paz, partilhado com o activista indiano Kailash Satyarthi, de 60 anos. Na cerimónia em Oslo, Malala prometeu lutar até que a última criança seja escolarizada.

A jovem vive actualmente no Reino Unido, onde neste ano lectivo entrou para a universidade.

O Lápis Mágico de Malala, que sai este mês pela Presença, tem ilustrações de Sébastien Cosset e Marie Pommepuy, que assinam em conjunto como Kerascoet. Em Portugal está ainda editado o livro Eu, Malala (2013), no qual a activista conta a história de vida, dirigida a um público

mais informações sobre o livro no link:

https://www.penguin.co.uk/ladybird/books/306664/malala-s-magic-pencil/

Alunos de dez anos com conto editado em livro

Dezembro 12, 2017 às 6:00 am | Publicado em Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Notícia do http://tag.jn.pt/

Aos dez anos de idade, 27 alunos da escola básica José Manuel Durão Barroso, Armamar, podem dizer que já escreverem um livro.

O conto “Uma limpeza necessária”, da autoria da turma A do 4º ano, vencedor do concurso literário Correntes d`Escrita, organizado pela Câmara Municipal de Póvoa de Varzim e a Porto Editora, já está editado em livro.

“Há muitas crianças que vão ler este conto e este é o mundo fantástico de quem escreve histórias”, realçou Paulo Gonçalves, da Porto Editora, aquando da distribuição do livro.

Tal como revela Sofia Castro Cruz, uma das autoras, o conto fala de uma menina, filha de um cientista, que um dia diminui de tamanho e entra no cérebro de um comandante de tropa mau. A missão da criança é limpar o cérebro do militar para o transformar num homem bom.

“Gosto mais de ler do que escrever”, conta Sofia, na linha dos colegas Maria João Teixeira e Miguel Santos Silva.

Para a professora que orientou o conto, Maria Delfina, mais importante do que ganhar é incutir o desejo da escrita e da leitura nas crianças. “Fica o bichinho”, realça.

Uma outra turma (B) da mesma escola também arrecadou o segundo prémio do Correntes d`Escrita com o conto “A história que o Miki contou”.

mais informações:

http://tag.jn.pt/alunos-dez-anos-conto-editado-livro/

https://www.portoeditora.pt/produtos/ficha/correntes-d-escritas-2017/19278276

https://www.portoeditora.pt/noticias/criancas-desafiadas-para-conto-infantil-ilustrado-correntes-d-escritas-porto-editora/128544

Como falar de deficiência às crianças?

Dezembro 11, 2017 às 12:00 pm | Publicado em Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Texto do site https://www.educare.pt/ de 24 de novembro de 2017.

Há cinco anos, Teresa Coutinho escreveu um livro sobre Maria, a sua filha com paralisia cerebral, para explicar ao filho Lourenço porque é que a irmã era diferente, era especial. O livro está no Plano Nacional de Leitura, há excertos da obra em testes de Português do 1.º ciclo, foi lançado em Espanha há um ano. Maria entretanto cresceu, tem agora nove anos, e é uma menina feliz.

Sara R. Oliveira

Um dia Teresa Coutinho, assessora de imprensa do Parlamento Europeu, ex-jornalista, decidiu satisfazer por escrito a natural curiosidade do filho Lourenço, então com 4 anos, que queria saber porque é que a irmã Maria, com paralisia cerebral, era uma bebé diferente e porque teve de ficar na incubadora do hospital – “a caixa” como lhe chamava – durante algum tempo. Lourenço queria saber porque é que a irmã tão pequenina já fazia ginástica, porque é que não segurava a cabeça, porque é que mal gatinhava aos dois anos. Teresa procurou livros, associações, panfletos. E a tarefa foi difícil. “Havia uma lacuna no mercado de livros em Portugal”, lembra. E assim nasceu o livro “Maria, A Alegria na Diferença” escrito pelo seu punho e ilustrado por Pedro Sousa Pereira, repórter e ilustrador.

Um livro que se assume desde a primeira página como “um exemplo para explicar às crianças que nem todos nascem iguais”. E também “uma lição de vida para ensinar os adultos a lidar com a diferença”. Com textos curtos e desenhos coloridos página a página, Teresa Coutinho apresentou o livro em várias escolas públicas e privadas, nas dos filhos também. Valeu a pena, pelas reações, pela forma como os mais pequenos respondiam às questões, como partilhavam os seus pensamentos sem qualquer receio. “As crianças encaram o outro como igual, que a deficiência é uma diferença especial”, conta ao EDUCARE.PT. “As crianças estão habituadas à diferença”, acrescenta.

Fácil explicar às crianças, mais difícil explicar aos adultos, aos que têm o poder de decidir se uma criança vai ou não passar a vida numa cadeira de rodas, se o acesso às terapêuticas e materiais é ou não gratuito, se há ou não rampas nos passeios e transportes públicos, se há ou não acessibilidades para todos. “Ainda há um grande combate de mentalidades a fazer, faltam elevadores, rampas, ainda há quem estacione nos lugares reservados aos deficientes. Ainda há uma mentalidade a mudar, ainda há adultos que olham para trás ou para o lado quando veem alguém diferente, que não sabem lidar com uma criança com deficiência”, sublinha.

Há um ano, o livro foi editado em Espanha com uma grande projeção na comunicação social espanhola – em Portugal não foi bem assim. O livro está no Plano Nacional de Leitura do nosso país, há excertos em testes de Português do 1.º ciclo do Ensino Básico, está em várias bibliotecas escolares. E, no final do livro, está uma mensagem importante. “Aos que, sendo pais, não percebem que uma criança deficiente junto às suas é uma lição de vida: que os seus filhos crescerão a encarar como normal uma diferença que os próprios têm dificuldade em aceitar e os faz olhar para o lado.”

“Com este livro, tento ajudar a explicar às crianças porque existe esta diferença. E os adultos que precisam de explicar a um filho, a um familiar, a uma turma da escola o que é ser deficiente. Ou simplesmente habituar as crianças ao facto de que a diferença existe, mesmo que não partilhe com elas a mesma família, a mesma turma ou a mesma rua. Apenas existe”, escreve.

Maria cresceu entretanto. Tem agora 9 anos, anda num colégio privado, numa turma regular. “E é uma menina superfeliz porque lhe é dada a oportunidade de ser igual”. Maria tem mais dois irmãos, Lourenço, de 12 anos, e Constança, de 5. Começou a andar aos quatro anos, caminha com ajuda de um andarilho. “Continua o seu caminho e a tentar ser o mais autónoma possível”. E os professores são essenciais neste trajeto por estarem ao lado de crianças que têm um papel muito importante em casa e que amanhã serão adultos. Maria continua a crescer e Teresa Coutinho pensa se não valerá a pena dar continuidade a essa história real com mais um livro e com uma mensagem que já navega na sua cabeça. “As pessoas diferentes conseguem vencer as adversidades e conseguem realizar os seus sonhos”. Como a Maria.

Maria, menina com pressa
A mãe Teresa partilha a história da sua Maria num livro, cujas receitas revertem a favor de associações que trabalham com pessoas com paralisia cerebral, uma em Portugal, o Sorriso da Rita, e outra associação de pais em Espanha. Não é ficção, é realidade. Maria teve pressa de conhecer o mundo, não sossegava quieta na barriga da mãe, e nasceu. Não foi bem como se estava à espera, teve de ir para uma incubadora e os mimos chegavam de todos os lados, através de um vidro, dos pais, do irmão, dos avós. Até que chegou o dia de conhecer o mundo. E sorriu pela primeira vez. “Mas, mais uma vez, não era fácil. A Maria não conseguia fazer as mesmas coisas que os outros bebés e precisava de ajuda para aprender”, escreve a mãe Teresa.

Maria teve de fazer algumas coisas. “Começou então uma ginástica – com o nome esquisito de fisioterapia – que a ensinava a abrir os braços, a segurar o pescoço, a sentar-se, a pôr-se de pé, a tentar andar… Coisas que a Maria não conseguia fazer sozinha”, escreve. Ao lado da frase, desenhos com a ginástica da Maria. “Na escola, brincava com os outros meninos. Como não andava, eles vinham ter com ela, traziam-lhe os brinquedos, ajudavam-na a pintar com os lápis.”

Maria era feliz, nadava na piscina, montava a cavalo, fazia fisioterapia. “Ela ensinava os meninos a limparem os seus óculos e mostrava-lhes o andarilho onde tentava dar os primeiros passos. Todos queriam experimentar.” E, certo dia, Lourenço, o irmão, perguntou o que é ser deficiente. E a mãe respondeu-lhe num livro colorido. “Há meninos que não conseguem ver, outros ouvir, outros ainda não andam, como a Maria. Alguns ficam sempre pequeninos. E isso torna-os especiais. E ser deficiente é isso mesmo, é ser especial.”

“Não podemos ter a pretensão de que as crianças entendam nomes como paralisia cerebral. Mas temos de lhes explicar que ser diferente – afinal, a diferença da Maria – é uma realidade e que há muitos meninos assim. Mas não deixam de ser felizes, de ser meninos como eles. Brincam, riem, choram, cantam, fazem o que eles fazem. De maneira diferente. Especial”, escreve no final do seu livro numa página dedicada a pais e educadores.

Teresa Coutinho, mãe e escritora, percebeu então que a missão era mais fácil. “Porque as crianças aceitam a diferença sem julgar, rejeitar ou adjetivar. Não precisam de palavras caras nem com cargas negativas – como deficiência. Mas precisam de saber que elas existem, precisamente para que a carga negativa desapareça”. Precisam de respostas para a sua curiosidade. E foi precisamente isso que Teresa fez num livro colorido.

http://www.primebooks.pt/produto/maria-a-alegria-na-diferenca

“Alerta Premika! Risco online detetado” Já pode adquirir o primeiro livro da coleção!

Dezembro 4, 2017 às 3:42 pm | Publicado em Livros, Publicações IAC-CEDI | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

“Alerta Premika! Risco online detetado” Já pode adquirir o primeiro livro da coleção!

O Instituto de Apoio à Criança, em parceria com a editora Teodolito, acaba de lançar o livro-jogo “Ameaça nas redes sociais! E agora, Marta?”, o primeiro volume da coleção “Alerta Premika! Risco online detetado”, uma coleção para crianças do 1.º e 2.º ciclos no âmbito da segurança na Internet.

Para além da história, o livro possui um conjunto de “dicas” para navegar na Internet em segurança, que podem ser lidas e discutidas em família, e um glossário.

Existe também um blogue para seguir as aventuras da Marta, do Tiago, do Manel e da divertida Premika, a andróide do futuro https://alertapremika.blogspot.pt/

O livro está à venda nas livrarias habituais e pode ser, igualmente, adquirido através do IAC, enviando um pedido para o Centro de Estudos, Documentação e Informação sobre a Criança do IAC (CEDI) iac-cedi@iacrianca.pt

Na compra do livro, o IAC oferece um marcador com o calendário para 2018 e uma surpresa para as crianças navegarem na internet em segurança, neste Natal.

Até dia 21 de dezembro de 2017, o livro tem um desconto de 20% custando 9,60€.

AJUDE-NOS A AJUDAR! Sendo a missão do IAC a promoção e a defesa dos Direitos das Crianças, consideramos que devemos contribuir para que as crianças e os jovens conheçam os seus direitos digitais, visto que as Crianças têm o direito de fazer escolhas conscientes e informadas sobre a sua participação (ou não) online, têm o direito à literacia digital e a desenvolver capacidades para usar e lidar criticamente com as tecnologias.

 

 

Era uma vez… 12 novos livros infantis para comprar agora

Dezembro 1, 2017 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

Texto do http://observador.pt/ de 16 de novembro de 2017.

Ana Dias Ferreira

Para o Natal, para dias de chuva ou porque sim. As prateleiras de baixo estão cheias de novidades infantis e há livros com animais selvagens, pais fixes, desenhos e labirintos para explorar.

1. Animais Selvagens do Norte

De Dieter Braun. (Orfeu Negro). 25€

O lobo hipnotizante da capa é só um. Um dos 80 Animais Selvagens do Norte ilustrados por Dieter Braun neste álbum de capa dura que dá início a uma série dedicada ao mundo animal. Da América do Norte à Ásia, passando pela Europa — onde Portugal aparece representado com o “já raro” lince ibérico — são 144 páginas de grande formato que fazem uma viagem a alguns dos pontos mais recônditos do planeta, ao mesmo tempo que deixam um alerta pelo facto de um terço das espécies representadas terem a sua subsistência em risco. E o melhor é que não são só bonecos — metade dos animais representados vem acompanhada de pequenos textos recheados de curiosidades. Exemplos? Na Ásia há um veado que não tem hastes mas sim uns caninos vampirescos; o pica-pau de penacho vermelho “chega a dar 12 mil bicadas por dia sem ficar com dores de cabeça, pois tem um crânio especialmente desenvolvido para esse tipo de esforço extremo”; e os guaxinins ingerem tanta comida para resistirem aos invernos gelados que o seu peso chega a aumentar 50 por cento. BBC Vida Selvagem para os mais pequenos encherem a cabeça e os olhos.

2. O Meu Pai Era Tão Fixe

De Keith Negley (Rastilho de Letras). 14.90€

O que vemos é um pai “normal”, como o classifica o próprio filho. Mas este pai já foi fixe, uma verdadeira estrela rock, e os instrumentos musicais guardados numa sala, assim como as tatuagens nos braços, lá estão para o provar. A questão é que agora a guitarra foi substituída pelo aspirador, a mota por um carro familiar e o stage diving por idas ao parque infantil, como tão bem mostram as ilustrações do autor Keith Negley, numa espécie de correspondência visual entre o mundo passado e o presente. E se a expressão do título é dita pelo próprio filho no pretérito perfeito, será também ele a descobrir que afinal o pai continua a ser fixe por outros motivos, numa história ao mesmo tempo cool e ternurenta que marca a auspiciosa estreia da nova editora Rastilho de Letras.

3. Cem Sementes Que Voaram

De Isabel Minhós Martins e Yara Kono (Planeta Tangerina). 12,50€

Espetado com as suas raízes, um pinheiro está à espera, sem sair do sítio. À espera que tudo corra bem, à espera do dia certo para soltar as sementes. E esse dia lá chega. 100 sementes voam, mas nem todas caem em bom solo: 10 acabam numa estrada, 20 mergulham num rio, e as 70 que sobram vão também obedecendo a uma conta de diminuição — habilmente explorada por Isabel Minhós Martins — e enfrentando destinos inesperados e impróprios para jovens sementes. Ou então… como a própria árvore sabe desde o início e este livro ensina tão bem, “muitas vezes, para tudo correr bem, basta saber esperar”.

4. O Urso e o Piano

De David Litchfield (Booksmile). 13,99€

Tudo começa quando um ursinho encontra um objeto enorme e estranho na floresta. Mais estranho ainda: o objeto faz um som horrível — “PLONC!”. Nós sabemos, pelas belas ilustrações premiadas de David Litchfield, que se trata de um piano. O pequeno ursinho, que entretanto vai crescendo até ficar maior do que o monstro de madeira, vai aprendê-lo também, à medida que se vai apaixonando pelo instrumento e pelos sons que consegue arrancar das suas teclas. Mas serão os concertos na clareira da floresta suficientes? Um enredo a explorar, juntamente com noções como a aventura e a amizade, nesta bela estreia do autor britânico em Portugal, traduzido pela escritora Luísa Costa Gomes.

5. Perdi-me no Museu Porque…

De Davide Cali e Benjamin Chaud (Orfeu Negro). 12€

Voltaram as desculpas e aventuras mirabolantes. Depois dos divertidos Não Fiz os Trabalhos de Casa Porque e Cheguei Atrasado à Escola Porque…, Davide Cali traz de volta o pequeno herói Henrique e mostra o que pode acontecer numa visita de estudo a um museu, sobretudo quando esse museu inclui dinossauros, homens Neanderthais, búfalos, máscaras africanas e catapultas.

6. A escola da Haru

De Flavia Company e Luciano Lozano (Pequena Fragmenta). 14,50€

A escola da Haru é muito diferente das nossas. Para começar fica num dojo, no Japão, só tem quatro alunos e as disciplinas que ensina são coisas como concentração, paciência e compreensão. Ao longo de vários episódios numerados e ilustrados como autênticos quadros onde brilham tanto as personagens (e os seus quimonos) como as paisagens feitas de rios com carpas e cerejeiras em flor, vemos os alunos crescer e evoluir. Com eles, o leitor aprende também os dons da observação, a generosidade ou a competitividade saudável, em mais um lançamento da Pequena Fragmenta que se distingue da restante oferta infantil e que vem acompanhado por um cuidado e interessante guia de leitura no final.

7. Não é Nada Difícil — O Livro dos Labirintos

De Madalena Matoso (Planeta Tangerina). 14,90€

Parece uma grande embrulhada, mas é mais uma ideia original da Planeta Tangerina. Em Não é Nada Difícil o tradicional “era uma vez” dá lugar a uma história que só avança à medida que se atravessam labirintos. Há 14 ilustrados por Madalena Matoso em cores fortes que chegam a ser fluorescentes, e nos 14 exploram-se diferentes graus de dificuldade e encontram-se coisas como lupas, pulgas em elefantes, cavalos, ervilhas no meio de pratos de esparguete e maçãs. Tudo interligado, basta atravessar os 14 passos sempre pelas linhas brancas. E encontrar a agulha no palheiro.

8. Boa Noite!

De Pierre Pratt (Orfeu Negro). 9,90€

Depois de subir 96 andares, o Senhor Silva chega a casa ao final do dia e só pensa numa coisa: dormir. Um a um, vai tirando e dizendo boa noite ao chapéu, ao casaco, à gravata, aos sapatos, aos óculos e — parte engraçada e surreal deste pequeno livrinho, pintado a meia-luz por Pierre Pratt e capaz de transformar a hora de dormir numa gargalhada — aos olhos, às pernas e por aí fora.

9. A Estrela do Mar

De Fernanda Ferreira Velez e Joana Soares (Cultura Editora). 11€

Depois do mercadito que de pequeno só tem o nome, Fernanda Ferreira Velez dá mais um passo na expansão do Blog da Carlota com o lançamento do seu primeiro livro infantil. A Estrela do Mar coloca as duas filhas da empreendedora num cenário que os pais conhecem tão bem — o momento em que pedem para ler outra vez a mesma história antes de dormir ou para ouvir uma inteiramente nova — e apresenta um conto inédito (que dá nome ao livro), juntamente com versões alternativas dos clássicos “O Capuchinho Vermelho” e “A Branca de Neve” onde os miúdos podem ser os heróis. Tudo isto acompanhado pelas bonitas ilustrações em aguarela de Joana Soares, mais conhecida como Violeta Cor de Rosa.

10. Vamos Conhecer os Alimentos!

De Mariana Abecasis e Elsa Martins (Booksmile). 13,29€

Numa altura em que se fala tanto de alimentação saudável, o tema é explorado também neste livro para crianças, com textos da nutricionista Mariana Abecasis ilustrados de forma viva por Elsa Martins. A partir da roda dos alimentos, a obra faz uma viagem pelas frutas, os legumes, o cacau, as sementes, os frutos secos, os cereais, o peixe, os ovos, as especiarias e uma série de outros capítulos que têm em comum poderem acabar à mesa. Com várias caixas e pequenos títulos, Vamos Conhecer os Alimentos! inclui curiosidades, truques (como pôr um pêssego em água a ferver durante 10 segundos e depois em água gelada para tirar a casca mais facilmente), receitas, informações nutricionais escritas e atividades com o título “experimenta”. No final, a “digestão” faz-se com alguns desafios para testar os conhecimentos.

11. Desenho Livre

De Andrés Sandoval (Planeta Tangerina). 13,90€

Parece um simples livro de colorir, mas depressa se revela algo para além disso, quando uma personagem irrequieta — um menino-lápis de contornos pretos — começa a desenhar nas páginas brancas, sem cerimónias. Rapidamente, o leitor é convidado a descobrir cores — amarelo para o milho, laranja para o cobre, violeta para a beringela —, a completar palavras, a unir pontos, a fazer corresponder tons a números, a explorar sombras e até a fazer zoom em coisas habitualmente pequenas como teias de aranha. Ou seja, o melhor mesmo é seguir o convite da personagem (e do artista gráfico Andrés Sandoval, de regresso à Planeta Tangerina depois de Siga a Seta), e ter não um mas muitos lápis à mão.

12. A Minha Mãe

De Stéphane Servant e Emmanuelle Houdart (Orfeu Negro). 15€

Com ilustrações que se assemelham a tatuagens e num álbum de grande formato, A Minha Mãe fala de uma relação que também é para sempre e está marcada na pele: o amor entre mãe e filha, em frases curtas e poéticas que encontram eco na representação de uma mulher misteriosa e fascinante que aos olhos da filha é ao mesmo tempo uma mãe-guerreira, uma mãe-pássaro, uma mãe-loba e uma mãe-árvore.

 

 

Lançamento do livro Alerta Premika em Braga, em 6 de Dezembro

Novembro 28, 2017 às 2:00 pm | Publicado em Livros, Publicações IAC-CEDI | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

 

Premika é meio-robô e meio-humana, e quer ajudar as crianças a ser mais confiantes – Instituto de Apoio à Criança lança colecção de livros e promove acções nas escolas sobre os riscos da Internet

Novembro 21, 2017 às 1:42 pm | Publicado em O IAC na comunicação social, Site ou blogue recomendado | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

A notícia contém declarações da Dra. Cláudia Manata do Outeiro do IAC-CEDI (Centro de Estudos, Documentação e Informação sobre a Criança).

Notícia do https://www.publico.pt/ de 18 de novembro de 2017.

Bárbara Wong

Foi com mais frequência que começaram a chegar à linha SOS Criança (217 931 617, ou pelo número gratuito 116 111) chamadas sobre bullying e de cyberbullying na escola. Foi a partir destes “pedidos de ajuda e de denúncias” que o Instituto de Apoio à Criança (IAC) começou a pensar em “instrumentos que pudessem, de forma lúdica e pedagógica, ajudar os miúdos a pensar sobre estas coisas”, explica Cláudia Manata, professora a trabalhar na associação responsável por esta linha. Foi assim que a docente se associou à autora Raquel Palermo e à investigadora Teresa Sofia Castro e, juntas, criaram o projecto “Alerta Premika! Risco online detectado”. O primeiro livro é apresentado neste sábado, às 16h, na livraria Barata, em Lisboa.

Premika, um ser que é meio-robô e meio-humano, nasceu da vontade das autoras de ajudar os mais novos, os do 1.º e 2.º ciclo, a lidar com os desafios da Internet. A personagem, desenhada pela ilustradora Joana M. Gomes, que só os mais pequenos vêem e que muda de cor conforme o estado de espírito da criança, surge com o propósito de os ajudar, sem nunca falar, mas conseguindo fazer-se compreender. A sua missão é que as crianças saibam lidar com sentimentos como a solidão, o medo, a tristeza ou a frustração. “A ideia é que percebam que há riscos na Internet e como podem evitá-los”, sublinha Cláudia Manata.

Este é o primeiro livro de uma colecção. O segundo já está a ser ultimado. E a intenção é que sejam trabalhados nas escolas ou em casa, por exemplo, numa leitura partilhada entre pais e filhos, antes de deitar. Raquel Palermo explica ao PÚBLICO como funcionam os livros: o leitor, ao longo da história, vai deparando-se com várias escolhas, decide a que quer seguir (o que significa que tem de ir até à página indicada para continuar a ler) e, cada uma dessas opções levam a fins diferentes. O objectivo é que as crianças reflictam sobre os caminhos que podem seguir. Quanto aos pais, o livro tem como propósito alertá-los para a necessidade de acompanharem os filhos – no final há um capítulo com dicas para navegar com segurança na Internet; e um glossário.

“Não faz sentido estar a discutir se o telemóvel deve ou não entrar na sala de aula. Temos é de ajudar e preparar [os mais novos] para saberem usá-lo da melhor maneira, para não serem enganados porque senão não vão saber exercer bem a sua cidadania”, declara Raquel Palermo, co-autora da colecção Caderno de Memórias de Difícil Acesso, sobre as aventuras e desventuras do adolescente Santiago Castelo, onde o bullying também marca presença

Antes da escrita dos livros, Teresa Sofia Castro fez um estudo qualitativo com entrevistas e observação a 22 famílias, que tivessem filhos entre os 3 e os 8 anos, onde observou como eram usadas as novas tecnologias na família. “Fui recebendo pistas interessantes”, diz a investigadora da Universidade do Minho. É a partir dessas que as histórias nascem. “Muitos dos diálogos são reais, mas adaptados e estes dão-nos consciência de como eles lidam com estas coisas”, continua Cláudia Manata, acrescentando que se pretende transmitir que “a Internet é boa, mas que é preciso saber usá-la em segurança”.

Além dos livros, as autoras criaram uma boneca, a Premika, que irá às escolas; um jogo de tapete em que os alunos são os peões e têm de fazer escolas; e existe ainda o blogue Alerta Premika onde as escolas, pais e alunos podem ir para colocar dúvidas ou saber mais coisas sobre redes sociais e não só.

 

 

lançamento do livro “Picos e Avelã à Descoberta da Floresta do Tesouro!” 20 novembro no ISCTE

Novembro 19, 2017 às 4:50 pm | Publicado em Divulgação, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

mais informações:

https://www.facebook.com/events/117408832337906/

Picos e Avelã à Descoberta da Floresta do Tesouro!

Apresentação do livro “A tartaruga celeste e o menino que chorava música” 14 novembro em Lisboa

Novembro 14, 2017 às 9:00 am | Publicado em Divulgação, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Informações sobre o lançamento:

http://www.grupoalmedina.net/?q=node/14&eventos_id=2455

mais informações sobre o livro no link:

https://www.wook.pt/livro/a-tartaruga-celeste-e-o-menino-que-chorava-musica-sofia-fraga/20871852

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.