Entrevista de Manuel Coutinho do IAC na RTP1 Portugal em Direto

Junho 5, 2020 às 10:30 am | Publicado em O IAC na comunicação social, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Entrevista ao Dr. Manuel Coutinho, Secretário-Geral do IAC e coordenador do SOS-Criança no Programa Portugal em Direto, no dia 4 de junho de 2020.

O programa na íntegra poderá ser visto em https://www.rtp.pt/play/p6557/e476468…

Entrevista de Manuel Coutinho do IAC à Rádio Miúdos no Dia Mundial da Criança

Junho 3, 2020 às 3:00 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Ouvir a entrevista entrevista do Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança) no link:

https://www.radiomiudos.pt/index.php?id=2145

Audiência na Assembleia da República do IAC, Grupo de Trabalho – Residência Alternada

Junho 1, 2020 às 4:30 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

COMISSÃO DE ASSUNTOS CONSTITUCIONAIS, DIREITOS, LIBERDADES E GARANTIAS Audiência na Assembleia da República do Instituto de Apoio à Criança (IAC) Grupo de Trabalho – Residência Alternada no dia 29 de maio de 2020. (Dulce Rocha, Presidente; Manuel Coutinho, Secretário-geral; Conselheira Clara Sottomayor).

Em baixo o documento que o IAC enviou à Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias  da Assembleia da República no dia 5 de fevereiro de 2020 a solicitar uma audiência e no qual explica a sua posição sobre a Residência Alternada.

Pedido de Audiência Comissão Parlamentar sobre residencia alternada

Crianças espelham os medos dos pais – Entrevista de Manuel Coutinho do IAC ao JN

Maio 29, 2020 às 2:50 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Notícia do Jornal de Notícias de 29 de maio de 2020 e entrevista do Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança).

Linha SOS Criança: “Pais não conseguiram conter ansiedade dos filhos em relação à Covid-19” Entrevista de Manuel Coutinho do IAC à Rádio Observador

Maio 19, 2020 às 12:00 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Entrevista do Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança) à Rádio Observador de 19 de maio de 2020.

Coordenador do serviço alerta para exposição de crianças a excesso de informação: “Começaram a ter morte muito presente”, alerta Manuel Coutinho. Para o psicólogo importa “tranquilizar os mais novos”.

Ouvir a entrevista no link:

https://observador.pt/programas/resposta-pronta/linha-sos-crianca-pais-nao-conseguiram-conter-ansiedade-dos-filhos-em-relacao-a-covid-19/

Confinamento leva ao aumento de contactos para a Linha SOS Criança

Maio 19, 2020 às 11:15 am | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia do i de 19 de maio de 2020, com declarações do Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança).

Linha Telefónica SOS-Criança 116111 e WhatsApp 913069404

Crianças em confinamento pedem mais auxílio – notícia do JN com declarações de Manuel Coutinho do IAC

Maio 19, 2020 às 10:45 am | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Notícia do Jornal de Notícias de 19 de maio de 2020, com declarações do Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança).

Confinamento fez disparar chamadas para o SOS-Criança e desconfinamento pode fazer o mesmo: “Muitas pessoas estão com fobia da normalidade”

Maio 18, 2020 às 5:57 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia com declarações do Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança).

Notícia do Expresso de 14 de maio de 2020.

A “angústia principal” das crianças é ver os seus avós morrerem e depois os pais, numa “coisa assim um bocadinho sem fim”, e a dos jovens tem que ver com o confinamento, que os “privou dos namoros e dos amigos e das saídas”, explica em entrevista ao Expresso Manuel Coutinho, coordenador do serviço SOS-Criança e secretário-geral do Instituto de Apoio à Criança

Helena Bento

As chamadas para a linha SOS-Criança mais do que duplicaram em março a comparar com o ano passado e em abril esse aumento também foi significativo. Foram partilhadas “angústias”, como a “angústia da morte”, o medo de que os avós, “por já serem velhinhos”, morram infetados com o vírus, e depois os pais e depois os amigos. Já no caso dos jovens, os problemas estavam relacionados com o confinamento, que os privou dos “namoros e dos amigos e das saídas”. Foi o confinamento, aliás, que fez disparar o número de chamadas para a linha criada em 1988, mas não seria ajuizado pensar que vão diminuir entretanto, assim sugere ao Expresso Manuel Coutinho, coordenador do serviço.

“Esta linha é considerada pela maioria das pessoas um serviço de primeira necessidade” diz, desde logo, em entrevista ao Expresso, manifestando depois a sua “preocupação” em relação ao desconfinamento. “Há muitas pessoas que durante as últimas semanas desenvolveram algum tipo de fobia, como a nosofobia [medo patológico de contrair uma doença] e têm dificuldades em integrar-se por causa deste receio e deste pânico de contrair o vírus.” Ter os filhos na creche ou na escola “também vai criar ansiedade aos pais” e o mesmo acontecerá “com os netos quando virem os seus avós, de 60, 70 anos, a saírem à rua sem as cautelas que julguem necessárias”. “Acredito que se irá gerar uma situação de ansiedade generalizada que fará com que as pessoas telefonem para a linha a pedir apoio e alguma orientação”, antecipa o também secretário-geral do Instituto de Apoio à Criança (IAC), a que pertence a linha.

Segundo os dados disponibilizados ao Expresso, a linha SOS-Criança recebeu 291 apelos em abril deste ano, mais 85 que no mesmo mês de 2019 (206). Destes, 217 foram realizados por telefone, 10 por e-mail, um por chat e 63 pelo Whatsapp, plataforma que passou a estar disponível desde março, quando foi reforçado o serviço em resposta à pandemia de covid-19 (aumentou o número de psicólogos, de oito para 11, e foi também alargado o horário de funcionamento).

Por que razão telefonam as pessoas? Nas estatísticas mensais da linha, as chamadas são agrupadas em “problemáticas” e a covid-19 aparece agora nessa lista. Representa 6,5% do número total de apelos (os restantes dizem respeito a “crianças em risco”, ou “saúde”, ou “crime de pornografia de menores” ou serviram para “desabafar” ou obter “informações sobre serviços e instituições”). Manuel Coutinho ajuda a contextualizar, referindo que, desde o início da pandemia, verifica-se de facto “mais tensão dentro das famílias, mais ansiedade e também mais intolerância”. “As pessoas sentem-se confinadas, estão-no aliás, e estão também um bocadinho mais rebeldes umas com as outras”.

“A ANSIEDADE DAS CRIANÇAS É A DOS PAIS, QUE NÃO A SABEM FILTRAR”

Foram sobretudo adultos que entraram em contacto com a linha em abril (203 apelos), mas também houve várias crianças e jovens a fazê-lo. “A angústia principal das crianças é a angústia da morte. Há uma generalização dos medos e é como se estivessem a ser afetadas pelo conhecido síndrome do mundo mau”. Isto é, “de repente acham que vão perder os amigos e que os avós, por já serem velhinhos, também vão morrer e a seguir são os pais”, explica o coordenador e psicólogo. “É assim uma coisa um bocadinho sem fim.”

Deixam de poder ver familiares e amigos e percebem que algo não está bem, “veem toda a gente à sua volta de máscara e ficam preocupadas”. “A partir dos oito, nove anos, já têm consciência de que aqueles que lhes são mais próximos podem ser afetados pelos vírus e morrer.” Em todo o caso, o importante é “dar segurança, transmitir segurança”, até porque muitas vezes a sua ansiedade é a ansiedade dos pais, que não a conseguiram filtrar e acabam por passá-la aos filhos”, diz Manuel Coutinho. “Tentamos explicar que já houve outras pandemias antes desta, apesar de esta situação ser obviamente nova, e que há de passar se cada um fizer o que está ao seu alcance, como lavar as mãos e outra regras. O importante é não mentir.”

No caso dos jovens, as preocupações são outras, diz o coordenador da linha, e estão mais ligadas ao confinamento. “Ficaram privados dos seus namoros, dos seus amigos, das suas práticas desportivas e sentem-se mais isolados, tristes, angustiados”. Há também casos de “relações conflituosas com os pais” porque “na verdade as pessoas não estão habituadas a viver em família” ou “quando estão muito próximas tendem a entrar em conflitos”. “A família não é um mundo perfeito.”

Situações de violência ou de crianças ou jovens retirados aos pais (a SOS-Criança está atenta a esses casos, que encaminha para as autoridades se for necessário) não entraram nas estatísticas da linha em abril mas não é porque não tenham acontecido. “Temos conseguido intervir antes de a situação se extremar, evitando assim muitas situações de perigo”, diz o coordenador, que aproveita para deixar um apelo: “Infelizmente, é dentro das famílias que as crianças correm mais perigo, são mais abatidas, mais humilhadas, mais abusadas sexualmente. E é melhor denunciar e depois não ser nada do que ficar em silêncio e perceber mais tarde que aconteceu uma tragédia”.

Guarda partilhada pode não ser a opção ideal para algumas crianças – Entrevista de Manuel Coutinho à RTP

Maio 11, 2020 às 2:00 pm | Publicado em O IAC na comunicação social, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

Entrevista do Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança) à RTP no dia 11 de maio de 2020.

O secretário-geral do Instituto de Apoio à Criança realça a importância de denunciar os maus tratos a menores e todas as situações de risco.

Manuel Coutinho lembra o perigo que muitas crianças correm no interior das famílias e entende que nem sempre a guarda partilhada de um filho é a melhor opção.

Visualizar a entrevista no link:
https://www.rtp.pt/noticias/pais/guarda-partilhada-pode-nao-ser-a-opcao-ideal-para-algumas-criancas_v1227771

Tensão nas famílias aumenta pedidos de ajuda ao SOS Criança

Abril 24, 2020 às 12:11 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Notícia do Jornal de Notícias de 24 de abril de 2020.

Notícia com declarações do Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança).

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.