Ministério da Educação alerta escolas para cuidados na observação de eclipse solar

Março 17, 2015 às 12:30 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia do Diário Digital de 16 de março de 2015.

eclipse

O Ministério da Educação e Ciência alertou hoje as escolas para os cuidados na observação, na sexta-feira, do eclipse total do Sol, que será parcial em Portugal, devido aos riscos de lesões oculares, inclusive cegueira.

Em Portugal, o eclipse começa pelas 08:00 (hora de Lisboa) e termina pelas 10:00, com o seu pico a acontecer pelas 09:00.

Em comunicado, o ministério lembra que a observação do Sol “requer procedimentos de segurança corretos que, a não serem observados, terão como consequência graves riscos para a visão e, no limite, a cegueira”.

Na nota, a tutela adianta que a Direção-Geral de Educação, em colaboração com o Observatório Astronómico de Lisboa e a Direção-Geral da Saúde, enviou hoje às escolas “informação pormenorizada” sobre o eclipse solar e os cuidados a ter durante a observação.

O ministério avisa que o Sol “nunca deve ser observado diretamente sem filtros solares oculares”, mais conhecidos como “óculos de eclipses”, nem através de óculos escuros, vidros negros fumados, películas ou negativos fotográficos e radiografias.

A observação com óculos de proteção especial “nunca deve exceder períodos de 30 segundos”, fazendo-se “sempre intervalos de três minutos de descanso”.

A tutela sugere como método seguro de observação do eclipse a projeção da imagem do Sol num cartão, por meio de um orifício, ou a visualização da imagem projetada na sombra das árvores.

O comunicado do ministério esclarece que os alunos podem assistir, na quarta-feira, a uma vídeo-difusão sobre a temática, a partir das 11:00, em http://live.fccn.pt/mec/dge/eclipse.

O eclipse solar de sexta-feira será total apenas no extremo norte do Oceano Atlântico, nas ilhas Faroé (Dinamarca) e Svalbard (Noruega) e na região Ártica, de acordo com o Observatório Astronómico de Lisboa. No resto do mundo, será visto como parcial.

Um eclipse do Sol sucede quando a Lua, satélite natural da Terra, se interpõe entre o seu planeta e o Sol, ocultando total (eclipse total) ou parcialmente (eclipse parcial) a luz solar.

Diário Digital com Lusa

 

 

Internet abre educação e ciência a todo o Mundo e quase sem custos

Janeiro 23, 2015 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Artigo do Euronews de 9 de janeiro de 2015.

euro

vídeo da reportagem aqui

As novas tecnologias têm vindo a invadir de forma progressiva as salas de aula nas últimas décadas. Já são muitos, aliás, os cursos que se podem tirar à distância, por exemplo, via vídeo-conferência. O ensino tradicional é ainda, contudo, a prioridade e, em tempos de crise, as despesas com livros e material são uma das maiores dores de cabeça para pais e estudantes. Mas… e se toda a informação necessária para o ensino fosse disponibilizada gratuitamente, sem restrições de tempo ou espaço, apenas dependente de uma ligação à internet?

Esta semana, no Learning World (“Mundo a Aprender”), passamos por Reino Unido, Grécia, Estados Unidos e Egito. Apresentamos três reportagens que nos mostram ser possível aprender, ensinar ou aprofundar os conhecimentos científicos sem ser necessário pagar pelos tradicionais livros didáticos ou monografias especializadas. Basta uma ligação à internet. Abrimos esta edição em Cambridge, um dos “templos” do reconhecido ensino britânico.

Desde 2008 – curiosamente no início da crise global que mergulhou boa parte do Mundo desenvolvido na austeridade – um grupo de académicos dedicou-se a uma nova plataforma de estudo gratuito pela internet. Chamaram-lhe “Open Book Publishers” (em tradução livre: “Editores Livro Aberto”). Já tem mais de 40 títulos publicados e alguns de autores bem conhecidos, como é o caso de Noam Chomsky (ver “twit” em baixo). É usada em salas de aula de mais de 120 países, muitos deles subdesenvolvidos. Na Grécia, um dos países mais pressionados pela crise global, a “Open Book” é um sucesso. Mostramos-lhe porquê.

obpsymbol_normal

Open Book Publishers @OpenBookPublish

Seguir

The Delhi Lectures by Noam Chomsky, intro by Jean Dreze, now #OpenAcess & free to read http://www.openbookpublishers.com/product/300  @daily_chomsky @ChomskyDotInfo

11: 55 – 22 dez 2014

Uma enciclopédia “online” gratuita

A Wikipédia é um dos mais primeiros passos, para muitas pessoas, quando se procura informação sobre um determinado evento, uma entidade ou uma personalidade. É “um projeto de enciclopédia coletiva universal e multilíngue estabelecido na internet sob o princípio ‘wiki’ (expressão que significa “rápido, ligeiro ou veloz”)” , como a própria se apresenta na respetiva página de internet. O objetivo, ainda segundo o “site”, é “fornecer um conteúdo reutilizável livre, objetivo e verificável, que todos possam editar e melhorar”. É, em suma, uma enciclopédia feita por todos e para todos, nos quais se incluem 1,4 milhões de contas de utilizador abertas na versão lusófona da Wikipédia.

Em nosso site, (http://pt.wikipedia.org ), vocês poderão observar e descobrir tudo que se têm vontade de saber!

Esta enciclopédia gratuita “online” e gerida por uma fundação denominada Wikimedia, entidade sem fins lucrativos e dependente de donativos. Um dos projetos da “Wikimedia Foundation” é o Programa Educativo da Wikipédia ou Academia Wikipédia (clique aqui para saber mais), uma formação criada na Alemanha em 2006, com uma duração de 10 a 12 semanas e aberta a todas as pessoas, em especial, a professores e estudantes. Todos eventuais contribuidores voluntários de informação para a enciclopédia. De acordo com a própria fundação, Manuel de Sousa, presidente da Wikimedia Portugal, lidera este programa em Portugal, desde 2010, em colaboração com a Faculdade de Engenharia da universidade do Porto (FEUP).

Na segunda reportagem desta edição do Learning World, deslocamo-nos ao Egito para conhecer a Academia Wikipédia em desenvolvimento no Cairo. Conversámos com um dos embaixadores egípcio da fundação, que se dedica a ensinar professores e estudantes locais sobre a edição e utilização básica desta enciclopédia “online”. Uma das formadoras neste Programa Educativo da Wikipédia, May Hashem, está a tentar reduzir a predominância masculina entre os editores de língua árabe. Explicamos-lhe porquê.

Um jogo “online” para judar a ciência

Acaba de cumprir dois anos de existência e é, tudo indica, um dos mais dinâmicos projetos de voluntariado científico do planeta. Na terceira reportagem desta edição de Learning World deslocamo-nos aos Estados Unidos para conhecermos melhor o== “EyeWire”, um jogo “online” que permite aos jogadores competir em tempo real e, ao mesmo tempo, ajudar uma equipa de cientistas== a mapear em três dimensões (3D) os neurónios da retina de um olho – daí o nome do jogo. O objetivo do projeto é mais abrangente e será mapear ao pormenor o cérebro humano.

São precisas cerca de 50 horas para que uma pessoa consiga mapear somente um neurónio. No cérebro humano existem, porém, 85 mil milhões de neurónios. Seria preciso um exército de cientistas e uma eternidade. Mas, afinal, como se trata apenas de ligar milhões e milhões de pequenos pontos, transformou-se o processo na criação de um “puzzle” a três dimensões e adaptou-se o mesmo a um jogo. Com dezenas de milhares de pessoas a jogar “online”, o tempo necessário para cumprir a tarefa é reduzido substancialmente e, por fim, bastam alguns administradores para compilar a informação. Quanto mais pessoas jogarem, mas rápido teremos um mapa dos neurónios. Ajudamo-lo a descubrir como pode ajudar a ciência, enquanto se diverte e, quem sabe, a dar o nome a um novo tipo de neurónio que possa vir a ajudar a descobrir.

eyewire

EyeWire

Community · 9,686 Likes

“The mysterious world of brain-development You can see a fruit fly brain and developing eye disks. This image was created by marking the structural proteins of the cells.” via Neurons want food

https://www.facebook.com/NeuronsWantFood

 

 

 


Entries e comentários feeds.