«Educar para a sexualidade é fundamental para prevenir o abuso»

Janeiro 8, 2019 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Shutterstock

Entrevista do DN Life a Vânia Beliz no dia 4 de dezembro de 2018.

Entrevista de Ana Pago | Fotografia de Shutterstock

Porque temos tanta dificuldade em conversar abertamente sobre sexo com os mais novos?

Na maior parte das vezes, a dificuldade surge do que as famílias entendem por sexualidade, que ultrapassa em muito o falar de sexo. Numa sociedade marcada pelo conservadorismo e ainda muito religiosa, prazer e satisfação são temas complicados, o que torna difícil ter à-vontade para abordá-los com os mais novos.

Nem é só a questão do falar: é não saber, ao certo, como começar a fazê-lo…

As famílias educam para a sexualidade desde o nascimento, e mesmo antes disso já há uma série de fantasias que vão influenciar a forma como se educa meninos e meninas. A partir do momento em que aprendem a falar, a curiosidade infantil dispara perguntas muitas vezes difíceis, mas a idade para perguntar é também a idade para saber. De forma adequada à maturidade das crianças, as famílias devem responder-lhes e perceber se elas aprenderam o que lhes foi explicado. As perguntas vão-se tornando mais complexas à medida que crescem.

Escreveu o livro Chamar as Coisas pelos Nomes (ed. Arena) porque essa é outra dificuldade dos adultos. Que palavras ainda temos vergonha de usar?

Temos vergonha de falar, por exemplo, dos nossos genitais. De dizer pipi, pilinha, há temas que nos coram e nos deixam acanhados. Ainda existe muito medo, muito constrangimento. E a questão que se coloca é: porque temos vergonha de explicar como nos reproduzimos? De falar de menstruação? De prazer? Como podemos ignorar temas que são da área da saúde e chegam a comprometer a nossa felicidade?

Quando é que a criança está pronta, de facto, para falar de sexualidade?

Quando pergunta sobre isso. Os temas surgem de acordo com a idade e a curiosidade dela e devem ser respondidos de forma objetiva, sem metáforas.

Esta é uma função da escola, educar para a sexualidade? Dos pais? De ambos?

De ambos. A escola deve educar para o respeito do outro, para a proteção e para temas que respeitem os direitos humanos. A educação formal não vai contra os valores das famílias nem incentiva a prática sexual. É um complemento na educação para a saúde das crianças e jovens e deve ser feita também por profissionais habilitados, devidamente formados, com um perfil apropriado às exigências dos mais novos.

O mais importante é ensinar às crianças o que é amor, intimidade, respeito pelo seu corpo e o do outro?

As crianças aprendem muito cedo a expressão dos afetos pelas relações que são estabelecidas consigo e com quem as rodeia, por isso a forma como as famílias vivem a sua intimidade, como se relacionam com o corpo e com a diversidade sexual, transmite-se às crianças e jovens. Por exemplo, uma família que tenha comportamentos homofóbicos pode transmitir isso aos filhos. Aqui, a escola tem a oportunidade de desmontar esta realidade que não respeita a liberdade de quem é diferente.

No fundo, tem tudo que ver com o modo como os pais lidam com a sexualidade deles…

Um pai ou uma mãe que tenha problemas com a sua nudez e autoestima terá dificuldade em transmitir isso aos filhos. Mas depois há muitos temas em relação aos quais estará sempre lá alguém para sugestioná-los caso não tenham sido acordados para eles em casa, veja-se o acesso rápido à pornografia e a erotização precoce. As famílias precisam de compreender a importância que educar para a sexualidade tem em problemas graves da nossa sociedade, como a prevenção do abuso ou a violência sexual e de género. Não é só sexo: é estarmos a educar para a saúde, para o bem-estar e para a felicidade.

Vânia Beliz é mestre em Sexologia e doutorada em Estudo da Criança na especialidade de Saúde Infantil

 

Lançamento do livro de Vânia Beliz “Chamar as coisas pelos nomes : como e quando falar sobre sexualidade” 19 setembro FNAC Chiado 19.00 horas

Setembro 18, 2018 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

CHAMAR AS COISAS PELOS NOMES: Como e quando falar sobre sexualidade.

Editora Arena

Convido-vos a conhecer o meu novo livro dirigido às famílias, aos educadores e às educadoras. “Chamar as coisas pelos nomes” é o meu desafio de oferecer, a quem educa, estratégias simples para que se possam abordar com crianças e com jovens alguns dos temas mais importantes da sexualidade. O prefácio de Jorge Ascensão, Presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais, é o ponto de partida do reconhecimento da importância desta temática na educação para a saúde.

Porque falar de sexualidade ultrapassa, em muito, a temática do sexo, convido-vos a descobrir como podemos promover a saúde e o bem-estar das nossas crianças desde o nascimento. Educamos para a sexualidade desde que nascemos, e a forma como nos comportamos e como educamos meninos e meninas é um ponto de partida importante para o sucesso das nossas relações. A forma como viveremos a nossa intimidade e como construiremos a nossa felicidade depende sempre da forma como integramos a nossa identidade, de como lidamos com o nosso corpo e as suas transformações, e de como vivemos os primeiros relacionamentos… Será que sente ter competências para abordar todos estes temas importantes?

E as questões da identidade: quem sou e como sou? a puberdade e a adolescência? Bem, “Chamar as coisas pelos nomes” poderá ser, assim, uma ferramenta que considero importante para todos e para todas que se preocupam com a felicidade dos seus filhos e das suas filhas, e que querem responder eficazmente a todas as perguntas e desafios que surgirem.

De forma objetiva e sem medo, chamemos as coisas pelos nomes!

O meu obrigada

Vânia Beliz 

 

Workshop para pais| prevenir a violência sexual e de género. Como falar com os filhos sobre sexualidade – 5 novembro em Beja

Outubro 16, 2016 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

work

mais informações:

https://www.facebook.com/events/1784853121726877/

Sexóloga tira dúvidas a adolescentes através do WhatsApp

Outubro 13, 2016 às 12:00 pm | Publicado em Site ou blogue recomendado | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Texto do http://visao.sapo.pt/ de 27 de setembro de 2016.

dr

Jovens podem tirar dúvidas relacionadas com a sexualidade através do WhatsApp. Projeto tem o patrocínio de uma marca de preservativos e a colaboração da sexóloga Vânia Beliz.

Se é pelo WhatsApp que os miúdos andam, então vamos falar com eles por aí. Foi isso que pensaram a sexóloga Vânia Beliz e a marca de preservativos Control. E assim nasceu o projeto ControlTalk, destinado a esclarecer de forma gratuita e anónima às dúvidas dos adolescentes relacionadas com a sexualidade.

A receita é simples: um número de telefone (934 059 910) e uma sexóloga com muita experiência a falar com jovens disponível para lhes responder de forma clara e direta.

“O nosso objetivo é responder às perguntas dos miúdos, de forma rápida, eficaz, segura e anónima”, adianta Vânia Beliz, a mentora do projeto. “Os miúdos tendem a sentir alguma dificuldade em aceder ao médico ou á enfermeira e também não falam com os pais sobre questões relacionadas com a sexualidade. Acabam por se aconselhar com os pares”, conta a especialista.

Já há cartazes a anunciar o serviço espalhados pelas escolas do país e agora espera-se que os adolescentes gravem o número e usem sempre que forem assaltados pelas angústias das primeiras experiências sexuais, das modificações do corpo e da turbulência que as hormonas trazem.

Vânia Beliz já tem uma ideia acerca das principais perguntas que irá receber, uma vez que tem uma vasta experiência de sessões em escolas. “Espero das raparigas questões sobre contraceção, gravidez e também sobre o aspeto físico. Dos rapazes, mais sobre a performance sexual – uma primeira vez que não corra bem pode deixar marcas para o resto da vida – ou ainda sobre o uso do preservativo”, nota.

A especialista também prevê que fazer encaminhamento dos jovens para o centro de saúde, nomeadamente para a consulta de planeamento familiar, que é gratuita e muitos nem sabem que existe.

Não está descartada a hipótese de a linha ser usada também pelos pais, com dúvidas relativamente ao momento e à forma de falar destes temas com os filhos. “A sexualidade não é só a relação sexual. São os afetos, a forma como nos relacionamos com os outros. Não pensamos resolver todos os problemas, mas pelo menos encaminhar e desmistificar.”

As perguntas podem ser enviadas durante todo o dia, mas as respostas serão dadas entre as 18:00 e as 20:00.

Vânia Beliz Sexologia

https://www.facebook.com/V%C3%A2nia-Beliz-Sexologia-516302375086802/

 

 

 

 

Apresentação do livro “A viagem de Peludim” 17 Setembro na Biblioteca Municipal Lídia Jorge (Albufeira)

Setembro 8, 2016 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

14079588_1016635651767450_7554546822179553704_n

Workshop para Pais “Prevenção da Violência Sexual e de Género na Infância” 15 de outubro na Parede

Agosto 22, 2016 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

14039962_1005593259538356_4929364618358714420_n

mais informações no link:

https://www.facebook.com/aviagemdepeludim/

www.peludim.com/

Workshop para Pais “A Viagem de Peludim” Como responder às perguntas mais difíceis? Como proteger o meu filho da violência sexual e de género? 17 junho em Carcavelos

Junho 5, 2016 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

13325655_1167542126631805_6568118876345771752_n

unnamed

mais informações:

https://www.facebook.com/acasinhadasmanas/?fref=ts

https://www.facebook.com/aviagemdepeludim/

 

Palestra Educação Sexual – 8 de abril no ISMAT

Abril 2, 2016 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

12939316_10153748396559219_1894011607_n

http://www.ismat.pt/pt/

A Viagem de Peludim – Lançamento na FNAC do Colombo 16 de janeiro

Janeiro 15, 2016 às 6:00 am | Publicado em Divulgação, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

peludim

A Viagem de Peludim é uma abordagem lúdica de temáticas que os pais, educadores e professores têm muitas vezes dificuldade em explorar: «Quem sou?», «De onde vim?», «Como nasci?», e questões fundamentais nos dias de hoje, como a igualdade de género, o respeito pela diferença e a prevenção da violência sexual. Acompanhado de um guia para adultos, com dicas para exploração da história, este é o livro que faltava para uma adequada educação sexual, desde a primeira infância. O Instituto de Apoio de Apoio à Criança – Setor da Humanização recomenda a sua leitura:

«Trata-se de uma excelente ferramenta para abordar questões da Educação Sexual nas Escolas e até em contexto familiar, não descurando conceitos fundamentais como a identidade e igualdade de género. É uma história que nos fala das diversas temáticas de acordo com o desenvolvimento da criança e consequentemente da sua curiosidade acerca do assunto.»

mais informações:

http://peludim.com/

https://www.facebook.com/aviagemdepeludim/

http://marcador.com.pt/conteudo/286-a-viagem-de-peludim

 

Falar de sexo com a ajuda de Peludim

Janeiro 14, 2016 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Livros, O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

texto do http://lifestyle.publico.pt de 12 de janeiro de 2016.

DR

Por Bárbara Wong

A autora Sara Rodi e a sexóloga Vânia Beliz juntaram-se à ilustradora Célia Fernandes e criaram um projecto de Educação Sexual.

A autora Sara Rodi e a sexóloga Vânia Beliz juntaram-se à ilustradora Célia Fernandes e criaram um projecto de Educação Sexual.

Nem sempre é fácil falar de sexo com os filhos e, talvez por isso, volta e meia surja um livro com o objectivo de desmistificar o tema. A Viagem de Peludim, da autora Sara Rodi, da sexóloga Vânia Beliz e com ilustrações de Célia Fernandes, pretende isso mesmo: ajudar as crianças a compreender melhor o seu corpo e a sua origem.

O livro, para crianças dos 3 aos 8 anos, responde àquelas perguntas que atormentam os mais pequenos como: Quem sou? De onde vim? Como nasci?

Peludim é um ser extraterrestre que conhece os gémeos Salvador e Clara, um menino e uma menina, e quer saber o que os diferencia. A roupa? O corte de cabelo? Os objectos com que brincam? A partir do que parecem evidências, Peludim (mas também os meninos que vão ouvir a sua história) aprende conceitos como a igualdade de géneros, o respeito pela diferença e até a prevenção da violência sexual.

Sara Rodi conta ao Life&Style como tudo começou, há três anos. Por um lado, a sexóloga trabalhava já este tema com crianças. Por outro, Sara enquanto mãe de uma família numerosa começa a confrontar-se com as dúvidas dos filhos e a “manifesta incapacidade dos professores em responder-lhes”.

No entanto, reconhece que as suas capacidades “não eram melhores…” “Percebi nessa altura que havia falta de livros sobre a matéria, sobretudo que ajudassem os pais a ler a história e a saber como responder às questões que fossem surgindo.”

Foi assim que surgiu a ideia de um livro que fosse também um guia para pais e educadores. E, página a página – esta edição com prefácio do pediatra Mário Cordeiro e recomendado pelo Instituto de Apoio à Criança –, vai ajudando o adulto que conta a história a responder às dúvidas das crianças e a introduzir diferentes temas. Por exemplo, quando o Peludim observa o pai dos seus novos amigos a aspirar a casa, é a altura ideal para os adultos explicarem aos mais novos que existem tarefas domésticas e que estas podem ser repartidas por todos os elementos da família.

Além do livro existe ainda um site com propostas de actividades para os educadores fazerem em sala. As autoras estão ainda disponíveis para irem às escolas, falar com as crianças, mas também com os pais.

Título: A Viagem de Peludim

Autor: Sara Rodi e Vânia Beliz

Ilustração: Célia Fernandes

Editora: Marcador

PVP: 15 euros

 

 

 


Entries e comentários feeds.