Escola virtual gratuita de Língua Gestual Portuguesa já está online

Abril 15, 2015 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Notícia da Visão de 6 de abril de 2015.

Alexandre Bordalo

A Associação de Surdos do Porto lançou a primeira escola virtual gratuita de Língua Gestual Portuguesa

VM

O principal objetivo da plataforma é aproximar surdos e ouvintes e, por isso mesmo, o site que dá acesso à escola virtual está aberto a toda a gente. Basta fazer um registo simples na página para ter acesso aos conteúdos do curso de Língua Gestual Portuguesa gratuitamente.

Dactilografia, numerais, saudações ou graus de parentesco são alguns dos módulos em que está divido o curso, que pode ser feito ao ritmo de cada utilizador. Os vídeos das aulas podem ser vistos tantas vezes quanto necessário para ter boas notas nos testes, que também podem ser feitos livremente online.

Armando Baltazar, do departamento de formação da Associação de Surdos do Porto, mentora do projeto, explicou que a ideia surgiu para “eliminar a barreira de comunicação entre os mundos surdo e ouvinte”. A plataforma pretende ser um “espaço comum” entre surdos e ouvintes que “vivendo, trabalhando, frequentando juntas o mesmo espaço estão tão ‘distantes'”.

O site depende de donativos para continuar a crescer e aumentar os conteúdos disponíveis na página

 

 

 

Jovens e Headphones: é melhor prevenir do que não ouvir

Setembro 6, 2014 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

texto do site http://saude.sapo.pt/

saúde sapo

Uma relação assustadora

A perda auditiva é um problema que afeta mais de 500 milhões de pessoas em todo o mundo e as previsões são para, nos próximos anos, se acentue ainda mais devido ao envelhecimento da população e à poluição sonora. Embora a perda de audição surja muitas vezes como uma consequência “natural” associada ao envelhecimento, de acordo com estimativas da Comissão Europeia, bastarão poucos anos para que cerca de 10 milhões de jovens europeus corram sérios riscos de vir a sofrer perda auditiva precoce e irreversível devido à exposição elevada à poluição sonora. Um estudo desenvolvido e publicado recentemente pelo New York City Department of Health é apenas um dos muitos que corroboram estas previsões. Segundo os investigadores envolvidos, um em cada quatro jovens entre os 18 e os 44 anos que usam frequentemente headphones sofre de perda auditiva. Os investigadores defendem ainda que os jovens que usam frequentemente headphones e, que estão expostos durante longos períodos a um nível de ruído intenso e com elevado número de decibéis devem preparar-se para consequências futuras, como zumbido ou redução da qualidade auditiva. A probabilidade de perda auditiva duplica para este grupo em comparação a jovens que não fazem uso recorrente deste tipo de aparelhos.

A alteração do estilo e hábitos de vida contribuem para que a perda auditiva seja um problema cada vez mais comum, principalmente nas camadas mais jovens: sempre de headphones nos ouvidos, arriscam-se a prejudicar a audição e, muitas vezes, sem se aperceberem disso! É verdade que a música sempre teve uma grande importância crucial na vida das pessoas – devido à sua capacidade de alterar a disposição e humor de qualquer um – mas os erros cometidos através de uma má utilização dos headphones podem ser bastante prejudiciais para a saúde: ouvir música num volume mais elevado pode não ser grave se tal se verificar apenas por um período breve; o mais grave é fazê-lo constantemente, algo que se verifica junto das camadas mais jovens. 23% dos participantes envolvidos no estudo anteriormente comentado admitiram ouvir música constantemente num volume muito elevado, ao longo de pelo menos cinco dias por semana e durante quatro horas consecutivas. Os nossos ouvidos aguentam uma intensidade sonora de até 75 dB sem sofrer danos, por isso é muito importante conhecer a potência do aparelho que utilizamos e ter em atenção outros pormenores, como é o caso do download de musicas provenientes da Internet: é normal que estas apresentem volumes diferentes e nestes casos, o mais acertado é ajustar o volume. Alguns aparelhos possuem uma opção para fazer este ajuste automaticamente de forma a não prejudicar os ouvidos dos utilizados. Ouvir música a um nível igual ou superior a 100 db durante 15 minutos é o suficiente para começar a perder audição, portanto quanto maior for a intensidade, menor é o tempo que podemos ficar expostos sem sofrer as consequências mais tarde.

O culto pela música e os avanços tecnológicos fazem com que a potencial surdez entre os jovens seja considerada, atualmente, um problema de dimensões preocupantes e que implica graves consequência num futuro próximo, daí ser muito importante sensibilizar as novas gerações para esta condição. Caso nada seja feito para incutir a prevenção da saúde auditiva, incorremos na possibilidade de, dentro de alguns anos, termos toda uma geração de jovens adultos com graves problemas de audição. O número de pedidos de ajuda especializada tem vindo mesmo a aumentar nos últimos anos pois os níveis de audição dos jovens equivalem, em grande parte dos casos, a um défice auditivo geralmente registado em pessoas com mais de 60 anos de idade. Sintomas como ouvir zumbidos, aumentar o volume da televisão ou pedir para constantemente para que as pessoas repitam as conversas em ambientes pouco ruidosos podem ser indicadores de perda auditiva. Se estes indicadores forem frequentes, é muito importante que o jovem faça um exame à sua saúde auditiva de forma a perceber qual a solução ou tratamento mais adequado ao seu problema, evitando que o seu estado se agrave ou até possa interferir com a sua saúde em geral.

Basta um pequeno gesto para evitar grandes consequências: baixar o volume! Pedro Paiva

Audiologista da MiniSom

 

 

 

 

Curso Prático Avaliação e intervenção na surdez

Agosto 7, 2013 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

surdez

Curso Prático em Avaliação e Intervenção na Surdez

Março 13, 2013 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

criap

Mais informações Aqui

Quase Nada – Espectáculo bilingue (língua gestual portuguesa e língua portuguesa) na Casa da Música

Abril 1, 2012 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Casa da Música

 Terça | 3 Abril 2012
21:00, Sala 2
Quase Nada [Concertos para Todos]

As palavras de Eugénio de Andrade são interpretadas por corpos surdos, mas vibrantes e cheios de som, que enchem o espaço com o movimento, explorando a palavra em coreografias do gesto. Teatro, música, dança e poesia fundem-se em Quase Nada, espectáculo que promove uma intensa troca corporal, e onde vírgulas, tempos verbais, sentimentos e intenções são tocados num orgânico teclado de notas que vibram para além do rosto e se estendem ao corpo todo.
Apresentado pelo Grupo de Teatro de Surdos do Porto, Quase Nada é uma co-produção da PELE – Espaço de Contacto Social e Cultural, da Associação de Surdos do Porto e do Serviço Educativo da Casa da Música. Unidas num projecto com diferentes linguagens artísticas, as três instituições procuram estabelecer o diálogo através do teatro enquanto linguagem universal e, deste modo, contribuir para a inclusão de uma comunidade com pouco acesso à realização artística.

João Pedro Correia direcção artística
António Serginho direcção musical
Grupo de Teatro de Surdos do Porto interpretação

Co-Produção: Serviço Educativo da Casa da Música, Associação PELE e Associação de Surdos do Porto

Público Geral
Terça 3 + Quarta 4 Abr, 21:00

Sala 2

€ 5

Projecto “Som e Silêncio” pela inclusão e contra a discriminação de crianças com deficiência auditiva

Fevereiro 3, 2011 às 9:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Notícia do Site do Governo Civil de Lisboa de 18 de Janeiro de 2011.

António Galamba participou hoje, dia 18 de Janeiro, no Ateneu Artístico Vilafranquense, na apresentação de “Som e Silêncio”, que pretende incutir nas crianças do ensino regular o interesse pela língua gestual. O projecto acústico, da autoria da cantora Paula Teixeira, é uma iniciativa da Associação Nova Frente Juvenil e conta com o apoio do Governo Civil de Lisboa e da UNICEF.

“Som e Silêncio”, que se assume como uma comunhão entre a Música e a Língua Gestual Portuguesa, visa, de acordo com presidente da Associação Nova Frente Juvenil, do Sobralinho, João Pedro Baião “fomentar nas escolas e nos alunos o interesse pela aprendizagem da língua gestual”. Através de um pequeno concerto é ensinado às crianças “o básico da língua gestual”, numa primeira fase, que posteriormente incluirá aulas mais formais e grupos de trabalho.

O projecto é ainda apoiado pelas cãmaras municipais de Vila Franca de Xira, Loures, Odivelas, Azambuja, Mafra e Lisboa, que levarão cerca de 500 crianças, do 1.° ao 9.° ano de escolaridade.

“O Som e Silêncio” está a chegar também a escolas secundárias, muitas vezes por solicitação no âmbito de projectos desenvolvidos pelos alunos em Área de Projecto. O objectivo é chegar aos alunos que não têm necessidades educativas especiais para lhes despertar interesse em aprender a linguagem utilizada por outras crianças, com problemas de surdez. O projecto pode ser desenvolvido em escolas, auditórios, salões, bibliotecas, museus ou locais ao ar livre.

“Encontros de ORL” – Surdez Infantil

Janeiro 19, 2011 às 4:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

“O Serviço de Otorrinolaringologia do hospitalcuf porto vai organizar os “Encontros de ORL”, nos quais serão abordados diferentes temas desta especialidade e que se dirigem a Pediatras, médicos de Medicina Geral e Familiar, Clínicos Gerais e todos os interessados.

Estas reuniões terão uma periodicidade mensal, realizar-se-ão aos sábados de manhã (das 09h30 às 12h00), sendo a primeira no próximo dia 22 de Janeiro sobre o tema – Surdez Infantil.

Para mais informações contacte o 220 039 000.”


Entries e comentários feeds.