Questionário online “Na sombra da doença”: um estudo exploratório com irmãos de crianças em cuidados paliativos”

Agosto 16, 2017 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

aceder ao questionário no link:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfA37OqnhX8_ujX1GDM7_VwjDGEgqJyAfg6X2ZAYF31kT9vCw/viewform

Questionário europeu da Child Helpline International sobre as linhas de ajuda para crianças

Junho 30, 2017 às 5:30 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

A Universidade de Suffolk, no Reino Unido, está a realizar um breve estudo em nome da Child Helpline International, com o objetivo de perceber que conhecimento as pessoas em geral, e as crianças em particular, têm sobre as linhas de ajuda para crianças.

Isto é um pequeno questionário e a sua colaboração é voluntária. Ao participar, irá ajudar a Child Helpline International a melhorar estratégias de sensibilização para estas linhas de ajuda e a prestar melhores serviços às crianças na Europa.

aceder ao questionário no link:

http://research.dogaru.net/surveys/index.php/658755

 

ILGA lança projeto para combater ‘bullying’ homofóbico e transfóbico nas escolas

Junho 9, 2017 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia do http://www.noticiasmagazine.pt/ de 6 de junho de 2017.

A Associação ILGA Portugal lançou hoje um projeto para combater o «bullying» homofóbico e transfóbico, dirigido a estudantes de escolas da região norte, uma iniciativa que pretende alargar a todo o país.

Texto de Lusa | Fotografia de Reuters

Aliança Da Diversidade (ADD) é o nome do projeto de «promoção da cidadania ativa de jovens em contexto escolar na região norte do país», que irá também disponibilizar um atendimento e acompanhamento psicossocial semanal a jovens LGBTI, adianta a associação em comunicado.

Segundo dados da Agência para os Direitos Fundamentais da União Europeia, 94% dos jovens LGBT ouvem ou testemunham comentários e comportamentos negativos em contexto escolar em Portugal.

«As vítimas de crimes de ódio e de discriminação em função da orientação sexual e da identidade de género são bastante jovens. A violência é muitas vezes exercida por colegas e por familiares e raramente é denunciada», referem os dados citados pela ILGA Portugal – Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual, Trans e Intersexo.

«Jovens LGBTI reportam mais episódios de bullying e discriminação, correndo maior risco de exclusão. Promover a solidariedade entre pares é a melhor forma de prevenir a violência e a discriminação», Telmo Fernandes.

«Jovens LGBTI reportam mais episódios de bullying e discriminação, correndo maior risco de exclusão. Tal como demonstrado de forma exemplar no episódio recente ocorrido na Escola Secundária de Vagos, em Aveiro, promover a solidariedade entre pares e a visibilidade neste âmbito é a melhor forma de prevenir a violência e a discriminação», afirma o coordenador do projeto, Telmo Fernandes.

O projeto ADD, apoiado pelo programa Portugal 2020, pretende fornecer recursos e ferramentas para que os possam «organizar grupos, idealmente com a colaboração de professores/as ou outros elementos significativos da comunidade escolar», adianta a ILGA. O objetivo é que estes grupos se constituam como «dinamizadores de atividades regulares de visibilidade positiva da diversidade em função da orientação sexual, da identidade e expressão de género em contexto escolar, e como polos ativos de prevenção da discriminação dentro das escolas», acrescenta.

A ILGA lança hoje um «Estudo Nacional sobre o Ambiente Escolar», dirigido a jovens LGBTI com mais de 14 anos e que estejam a frequentar o ensino regular ou profissional.

A diretora executiva da ILGA Portugal, Marta Ramos, adianta que este projeto vem no seguimento das «inúmeras iniciativas e recursos educativos» que a associação tem vindo a desenvolver com vista «ao combate ao bullying homofóbico e transfóbico». «Este projeto surge para aprofundar este trabalho e o objetivo é que possa vir a ser alargado a todo o país», avança Marta Ramos, salientando que a ILGA marcará hoje presença na manifestação Escola Sem Homofobia, em Lisboa, para «reforçar a importância destas ações».

A ILGA lança também hoje um «Estudo Nacional sobre o Ambiente Escolar», dirigido a jovens LGBTI com mais de 14 anos e que estejam a frequentar o ensino regular ou profissional. O estudo visa «aprofundar o conhecimento acerca das experiências de jovens LGBTI em contexto educativo, que em boa medida permanecem ‘invisibilizadas’ pelas práticas, currículos, manuais e regulamentos escolares, e cujas vivências de discriminação são em grande medida silenciadas e permanecem por denunciar», adianta.

O questionário, confidencial e anónimo, pode ser acedido em enea.ilga-portugal.pt. Os resultados serão divulgados no final do ano e pretendem contribuir para a «implementação de políticas educativas inclusivas mais eficazes».

O estudo tem o apoio técnico da organização norte-americana GLSEN e conta com a colaboração do Centro de Psicologia da Universidade do Porto e do Centro de Investigação e Intervenção Social do ISCTE-IUL.

 

 

Divulgação de Estudo sobre consultas de rotina das crianças – questionário online a pais/mães de crianças com 2-6 anos de idade

Maio 24, 2017 às 6:30 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

O Centro de Investigação e Intervenção Social do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa está a realizar um estudo sobre as consultas de rotina das crianças, que acontecem habitualmente nos Centros de Saúde/Unidades de Saúde Familiar (USF) ou em serviços de saúde privados (ex. pediatras particulares). Pretende conhecer a experiência dos cuidadores nessas consultas e sobretudo o seguimento dos conselhos que são dados nas mesmas.

Convidamos os pais ou mães de crianças com idades entre os 2 e os 6 anos, e que costumam ir com elas às consultas de rotina, a preencherem um breve questionário online (+/- 15 minutos). Caso tenha mais do que um filho com a idade indicada, considere o que for mais velho. Não existem respostas certas nem erradas, e a sua opinião pessoal e sincera é muito importante para nós.

A sua participação no estudo é livre e voluntária, podendo interrompê-la a qualquer momento, caso sinta vontade de o fazer. Os dados recolhidos são anónimos e confidenciais, e serão utilizados apenas para fins de investigação.

Ao completar todas (ou quase todas) as perguntas do questionário, habilita-se a ganhar um dos vouchers Sonae de 25 euros que serão sorteados.

Para aceder ao questionário, por favor clique AQUI 

(https://iscteiul.co1.qualtrics.com/SE/?SID=SV_5nArVjrfRRn0krb)

Porque necessitamos do maior número de participantes possível, pedimos-lhe ainda o favor de reencaminhar este email para a sua rede social.

Muito obrigada pela sua colaboração. Para mais informações sobre este estudo poderá contactar a investigadora Susana Mourão (email: Susana_Sofia_Mourao@iscte.pt).

 

 

Divulgação de estudo “Empoderar Famílias Adotivas” recrutamento de pais/mães adotivos para participar num estudo nacional online sobre parentalidade e desenvolvimento crianças e adolescentes adotados

Março 21, 2017 às 8:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Estamos a contactá-lo/a para pedir a sua colaboração na divulgação de um estudo e recrutamento de pais/mães adotivos.

Este estudo foca-se no bem-estar de crianças e adolescentes em famílias adotivas, com o principal objetivo de avaliar como a adoção, a história pré-adotiva da criança, o comportamento e as práticas parentais podem promover o desenvolvimento e o bem-estar da criança e do adolescente. Estamos interessados ​​em recrutar pais/mães de diferentes configurações e estruturas familiares adotivas (adotantes singulares, casais de sexo diferente, casais do mesmo sexo, entre outras)  para melhor compreender o que funciona para diferentes famílias, quais são os fatores de risco e dificuldades em diferentes famílias e quais são os principais fatores protetores para a família e o bem-estar da criança.

A participação neste estudo consiste no preenchimento de um questionário online por pais/mães de crianças / adolescentes em idade escolar (6-18 anos de idade), e que tenha sido adotada há pelo menos 1 ano. As crianças não serão convidadas a participar neste estudo.

Link para o questionário: bit.ly/2kjXzqB

 

Projeto Viver na Incerteza: pedido de colaboração

Outubro 28, 2016 às 10:18 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

O Instituto de Apoio à Criança está a colaborar com a Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa no âmbito do projeto de doutoramento da mestre Ana Tavares. O Projeto Viver na Incerteza pretende estudar como é que pais e  restantes familiares vivem após experienciarem o desaparecimento de uma criança ou jovem da sua família.

Neste sentido, solicitamos a colaboração de pais, irmãos ou outros familiares de crianças desaparecidas no preenchimento do questionário e /ou solicitação de entrevista, através do link  http://projetovivernaincerteza.psicologia.ulisboa.pt/

Obrigado

Quiz Dia da Criança – Teste os seus conhecimentos e ganhe prémios! Parceria da Representação da Comissão Europeia em Portugal com o IAC

Junho 1, 2015 às 1:20 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

O Quiz Dia da Criança é uma parceria da Representação da Comissão Europeia em Portugal com o Centro de Estudos, Documentação e Informação sobre a Criança (CEDI) do Instituto de Apoio à Criança, de modo a comemorar o Dia Mundial de Criança.

Representação da Comissão Europeia em Portugal

Celebre o Dia da Criança connosco

Teste os seus conhecimentos e ganhe prémios! Quiz ⇒ https://goo.gl/Vojlpa

quiz

Pedido de participação num estudo através de um questionário online sobre Famílias e Coparentalidade

Abril 3, 2015 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

porto

Famílias e Coparentalidade

Investigador Principal: Diogo Lamela

Esta página descreve uma investigação que está a ser coordenada pelo Doutor Diogo Lamela, Professor Auxiliar na Universidade Lusófona do Porto, Faculdade de Psicologia, Educação e Desporto.

Objectivo do estudo

O objectivo deste estudo é compreender como as famílias influenciam o funcionamento psicológico e social dos seres humanos.

Para participar, deverá:

– Ter pelo menos 18 anos

– Residir em Portugal

Ser pai/mãe de pelo menos um filho entre os 0 e os 18 anos

Em caso de ter mais do que um filho, refira-se sempre ao seu filho MAIS NOVO ao responder às questões.

Procedimentos do Estudo

Se decidir fazer parte deste estudo, ser-lhe-á pedido que complete um questionário online, que deverá demorar entre 15 a 20 minutos a responder. O questionário consiste em questões demográficas, sobre o seu bem-estar e as suas opiniões sobre as famílias bem como acerca da sua própria família. Nós gostaríamos que completasse todas as questões do questionário, no entanto, poderá não responder a qualquer questão que eventualmente possa ser um pouco desconfortável. Nós estimamos que farão parte deste estudo aproximadamente 700 pais e mães.

Confidencialidade

As suas respostas ao questionário são totalmente anónimas. Nenhuma informação que o possa identificar será questionada e/ou guardada. É totalmente livre de desistir a qualquer momento. Apenas os membros da equipa de investigação terão acesso às bases de dados do estudo.

mais informações no link:

http://www.familiasulp.com/

Faça o teste: Que trabalhos estão fazendo essas crianças trabalhadoras?

Janeiro 23, 2015 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

texto do site  http://www.aworldatschool.org  de 9 de janeiro de 2014.

Take The Test: What jobs are these child labourers doing?

Welcome to the second in our series called Take The Test – where you can learn about the barriers that prevent 58 million children around the world going to school.

Last month, we set the question: Where in the world are these schools?  In this test, we’re asking you identify what task each child is carrying out.

The sad reality is that child labour is a major reason why children don’t go to school in many countries. Child labour involves children who are either too young to work or involved in activities which compromise their mental, physical, social or educational development. According to the United Nations children’s agency UNICEF in November 2014, there are believed to be about 150 million child labourers. About 13% of children aged five to 14 in developing countries are involved in child labour – in sub-Saharan Africa that rises to 25%.

As you Take The Test, you can click on the links to learn more facts about child labour. The answers are at the end. And when you’ve finished, please sign the #UpForSchool Petition, which demands that world leaders keep to their promise to send all children to school without fear of danger, discrimination or obstacles such as child labour.

Welcome to the second in our series called Take The Test – where you can learn about the barriers that prevent 58 million children around the world going to school.

Last month, we set the question: Where in the world are these schools?  In this test, we’re asking you identify what task each child is carrying out.

The sad reality is that child labour is a major reason why children don’t go to school in many countries. Child labour involves children who are either too young to work or involved in activities which compromise their mental, physical, social or educational development. According to the United Nations children’s agency UNICEF in November 2014, there are believed to be about 150 million child labourers. About 13% of children aged five to 14 in developing countries are involved in child labour – in sub-Saharan Africa that rises to 25%.

As you Take The Test, you can click on the links to learn more facts about child labour. The answers are at the end. And when you’ve finished, please sign the #UpForSchool Petition, which demands that world leaders keep to their promise to send all children to school without fear of danger, discrimination or obstacles such as child labour.

QUESTION 1

© ILO Tran Quoc Dung

These indigenous children are working in the northern mountains of Vietnam, where just under one in 10 of youngsters aged five to 17 are child labourers, according to the International Labour Oganization in 2014. Most live in the countryside and do unpaid agricultural work for their families. But what are the children in this picture doing?

QUESTION 2

MUNIR UZ ZAMAN AFP

The minimum legal age for employment in Bagladesh is 14 – but UNICEF says 93% of child labourers work in small factories and workshops, on the street, in home-based businesses and domestic employment, where is it almost impossible to enforce the law. What are these children doing?

ver todas as perguntas e respostas aqui

Estudo de Adaptação Parental à Perda de um Filho: pedido de colaboração

Outubro 20, 2014 às 6:00 am | Publicado em Divulgação, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Interdependência diádica após a morte de um filho: Influência de fatores individuais e interpessoais no ajustamento individual e conjugal

PROJETO DE INVESTIGAÇÃO

No presente estudo estamos a recrutar homens e mulheres (com idade igual ou superior a 18 anos) que tenham perdido um filho

No contexto deste trabalho, será também possível e importante a recolha de informação sobre ambos os membros do casal, de forma emparelhada. Se ambos os membros do casal estiverem dispostos a participar devem, para o efeito, criar uma identificação para o casal, que permita o posterior emparelhamento da informação. Ou seja, se um dos elementos usar, por exemplo, o código “AJS9”, o outro deverá usar também este mesmo código. Por favor, utilize um código com pelo menos 3 letras e um número. A identificação do casal deverá ser inserida no campo “código de casal”.

Todo o estudo decorrerá segundo os princípios éticos internacionais aplicados à investigação em Psicologia, particularmente no que se refere à confidencialidade da informação recolhida.

 Quais são os objetivos deste estudo?

Este estudo procura conhecer os principais desafios e experiências, mas também os principais recursos, dos pais que perderam um filho.

 Como pode participar?

A sua participação no estudo consiste no preenchimento de um conjunto de questões simples, de resposta rápida, anónimas e confidenciais sobre si e a sua experiência de luto. Nos questionários que compõem a bateria de avaliação não existem respostas certas nem erradas. O importante é que responda a todas as questões com calma e sinceridade.

O preenchimento do presente questionário poderá constituir uma experiência difícil para os participantes, na medida em que poderão ser ativadas emoções e memórias dolorosas. Pode também constituir um momento de crescimento pessoal, pois promove a reflexão sobre a sua experiência e o modo como tem lidado com a sua perda.

 Instruções de utilização: Pode, em qualquer momento e por qualquer motivo, desistir de colaborar neste projeto (encerrando, para isso, a janela). Se começar a preencher o questionário e decidir retomá-lo numa outra altura, poderá clicar em “continuar mais tarde”.

 Confidencialidade

Todos os dados recolhidos são estritamente confidenciais. Em nenhuma circunstância serão divulgados dados pessoais ou as respostas aos questionários. O anonimato será sempre garantido. Os dados recolhidos serão utilizados apenas para fins de investigação, tendo apenas valor coletivo. 

 

A informação recolhida no estudo beneficiará, no futuro, pessoas com uma experiência semelhante à sua.

Só conhecendo de forma mais aprofundada a sua experiência poderemos desenvolver um acompanhamento psicológico mais direcionado para as suas principais necessidades.

 

Este estudo está a ser desenvolvido no âmbito da Linha de Investigação “Relações, Desenvolvimento & Saúde” da Faculdade de Psicologia e de Ciências das Educação da Universidade de Coimbra (FPCE-UC) e do Programa Inter-Universitário de Doutoramento em Psicologia Clínica – Psicologia da Família e Intervenção Familiar [Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa (FP-UL) e FPCE-UC], sob a orientação do Prof. Doutor Marco Daniel de Almeida Pereira (FPCE-UC) e da Prof. Doutora Isabel de Santa Bárbara Narciso Davide (FP-UL). O projeto é apoiado por uma bolsa de Doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) (SFRH/BD/86223/2012).

Demorará aproximadamente, 30 minutos a responder a este questionário.

através do endereço: http://www.fpce.uc.pt/limesurvey/index.php/survey/index/sid/485592/lang/PT

 

Muito obrigada pela sua colaboração!

 Assim que forem concluídos os estudos individuais será publicado um resumo dos resultados no seguinte website: http://www.fpce.uc.pt/saude/

Se tem questões adicionais acerca desta investigação, por favor, contacte a investigadora responsável:

Mestre Sara Albuquerque

Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra

Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa

Telefone: 239 851450 / Fax: 239 851465
Email: saramagalhaes9@msn.com

https://www.facebook.com/perdadeumfilho

 

 

 

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.