Brinquedos de plástico podem “esconder” produtos perigosos

Novembro 9, 2018 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia do Jornal de Notícias

Reciclar é fácil e faz bem ao ambiente, para diminuir o lixo que produzimos. Mas há plástico reciclado, proveniente de equipamentos elétricos e eletrónicos, que contém materiais tóxicos e está a ser usado no fabrico de brinquedos!

O alerta foi feito pela associação ambientalista Zero, depois de um estudo ter analisado 430 artigos em 18 países europeus.

Esta associação portuguesa enviou para análise dois brinquedos (uma guitarra e um tabuleiro de xadrez) e três acessórios de cabelo (pentes e bandolete) e todos continham substâncias químicas perigosas e foi uma guitarra de brincar de Portugal que apresentou o valor mais alto de éteres difenílicos polibromados, que são usados como retardadores de chamas. Estas substâncias são perigosas porque “causam problemas neurológicos e défice de atenção em crianças”.

Do total dos 430 artigos analisados, 109 continham químicos perigosos, por isso, a associação Zero pede à União Europeia que altere a lei que permite que os plásticos reciclados tenham concentrações mais elevadas de substâncias tóxicas do que os plásticos originais. “É urgente que a UE legisle no sentido de proteger os cidadãos e promover uma economia circular não-tóxica”, defende a associação Zero.

Texto: Sandra Alves

Mais informações no comunicado de imprensa da ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável

Brinquedos de plástico reciclado contaminados com substâncias tóxicas. Portugal apresenta dos piores resultados ao nível da UE

 

Brinquedos de banho usados por crianças são paraíso para bactérias

Abril 26, 2018 às 8:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Notícia do https://www.noticiasaominuto.com/ de 28 de março de 2018.

POR LILIANA LOPES MONTEIRO

Segundo um estudo do Instituto Federal Suíço de Ciência e Tecnologia Aquática, a Universidade ETH de Zurique e a Universidade do Illinois, nos EUA, podem ser encontrados bactérias potencialmente patogénicas, como a legionela e a pseudomonas aeruginosa, em alguns destes brinquedos. Micróbios esses que estão muitas vezes relacionados com infeções hospitalares.

“Detetamos grandes diferenças entre vários brinquedos. Uma das razões é o material, que pode libertar carbono, e que serve de alimento para as bactérias”, explica a coordenadora da investigação Lisa Neu.

No estudo publicado no periódico Biofilms and Microbiomes, os cientistas indicam que detetaram 75 milhões de células por centímetro quadrado, incluindo bactérias e fungos, em alguns dos brinquedos.

A má qualidade dos plásticos propencia o crescimento das bactérias. Durante o banho, elementos como o nitrogénio e bactérias provenientes do suor e da urina acumulam-se ainda no interior dos brinquedos. O que faz com que a água que sai desses objetos se torne tóxica e provoque infeções.

“Por um lado pode fortalecer o sistema imunitário, o que é positivo, mas também pode resultar em infeções nos olhos, ouvidos ou até no sistema gastrointestinal”, alerta o investigador Frederik Hammes.

O estudo mencionado na notícia é o seguinte:

Ugly ducklings—the dark side of plastic materials in contact with potable water


Entries e comentários feeds.