Labirinto de Soraia Grande Reportagem SIC sobre as perturbações de saúde mental na infância e na adolescência

Novembro 7, 2014 às 2:48 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Grande Reportagem SIC de 6 de novembro de 2014.

ver a reportagem aqui

sic

As perturbações de saúde mental são as doenças com mais impacto na qualidade de vida de crianças e adolescentes, mas é o problema de saúde com menor resposta no país. A Grande Reportagem SIC acompanha o percurso de uma família em busca de soluções. De Miriam Alves, José Silva e Marco Carrasqueira, com grafismo de Marta Coelho e produção de Diana Matias. eis o “Labirinto de Soraia”.

 

 

Perturbações mentais e comportamentais são doenças com mais impacto entre 5-19 anos

Maio 2, 2014 às 10:00 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Notícia do i de 23 de abril de 2014.

O documento citado na notícia ó seguinte:

Programa Nacional de Saúde Escolar 2014

i

Por Agência Lusa

“No grupo etário alvo da saúde escolar, o peso dos acidentes na mortalidade prematura e incapacidade é relevante, em especial dos acidentes de viação”, lê-se na proposta de Programa Nacional

As perturbações mentais e de comportamento são as doenças com mais impacto na vida das crianças entre os 5 e os 19 anos, segundo dados de um documento da Direção-Geral da Saúde (DGS) hoje divulgado.

“Entre os 5 e os 14 anos, o maior peso da doença na qualidade de vida deve-se às perturbações mentais e comportamentais (22%), especialmente por depressão e ansiedade”, de acordo com estimativas do Programa Nacional de Saúde Escolar – 2014, que foi hoje colocado em discussão pública.

Seguem-se as doenças respiratórias crónicas, representando 15% no peso total das doenças com impacto na vida das crianças, e depois as músculo-esqueléticas (13,5%).

No grupo etário dos 5 aos 14 anos, as doenças endócrinas e metabólicas representam 6% do total e as neurológicas 4%.

A partir dos 15 anos e até aos 19, o peso das perturbações mentais e comportamentais mantém-se em primeiro lugar, tendo até um ligeiro aumento percentual.

Também as doenças músculo-esqueléticas registam um aumento entre os dois grupos etários, de quase sete pontos percentuais, surgindo em segundo lugar.

Já o peso das doenças respiratórias diminui, caindo para a terceira posição.

No que respeita aos acidentes, o documento da DGS conclui que “tiveram um peso crescente e um impacto relevante nos anos de vida saudáveis perdidos das crianças e jovens entre os 5 e os 19 anos”.

Os acidentes de viação são os mais prevalentes quer no grupo etário entre os 5 e os 14 anos quer a partir dos 15 anos. Seguem-se os acidentes domésticos e de lazer.

“No grupo etário alvo da saúde escolar, o peso dos acidentes na mortalidade prematura e incapacidade é relevante, em especial dos acidentes de viação”, lê-se na proposta de Programa Nacional.

No grupo dos 15 aos 19 anos, as lesões autoinfligidas surgem com um valor considerado significativo para os autores do documento, tendo um peso de 4% na incapacidade ou mortalidade prematura dos jovens.

Como objetivo geral, este programa visa melhorar o nível de conhecimento em saúde, promover a adoção de estilos de vida saudáveis e a inclusão de crianças com necessidades educativas especiais e contribuir para um ambiente escolar seguro.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico

 

 

Conduct disorders in children and young people: NICE guideline

Abril 24, 2013 às 6:00 am | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

anti

Descarregar o Guia Aqui

Guia para distinguir crianças traquinas das que precisam de ajuda profissional

Abril 23, 2013 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia da Visão de 16 de Abril de 2013.

Especialistas britânicos da saúde publicaram recentemente um guia de auxílio aos pais para distinguir crianças que são traquinas das que realmente precisam de atenção profissional.

Um guia foi levado a cabo pelo Nation Institute for Health and Clinical Excellence (NICE na sigla inglesa), o órgão britânico que orienta os médicos britânicos para ensinar os pais a identificar problemas psicológicos graves nas crianças que podem vir a determinar sérios problemas mentais em adultos.

À BBC um dos autores do guia, Peter Fonogy, explicou que um comportamento que se pode revelar bastante grave é despistado através da frequência e consistência com que os acontecimentos ocorrem, ou seja, todas as crianças podem ser traquinas mas uma criança com um transtorno de conduta tem um comportamento bem mais persistente.

Atos como roubar, bater, destruir propriedade, ser cruel com animais, faltar à escola, desrespeitar normas sociais, mas principalmente a frequência com que estes acontecimentos ocorrem, podem revelar uma criança mais do que problemática, mas potencialmente perigosa em adulta.

Tomando o exemplo da crueldade para com os animais, Peter Fonagy professor de psicanálise na Universidade College London, explica: “Digamos que a criança deu um pontapé num cão e este ficou magoado. Se a criança já tem idade suficiente para perceber o que aconteceu e continua a repetir o comportamento isso chama-me a atenção”, ainda assim explica que isso não é razão suficiente, por si só, para diagnosticar uma criança com transtorno de conduta.

O comportamento poderá revelar-se grave se, por exemplo, o progenitor verificar que os incidentes de crueldade para com animais acontecem em vários contextos, com muitos animais, e que a criança não tem consideração com as outras pessoas.

Posto isto, o NICE explica que este é um diagnóstico sério e por isso só é confirmado quando uma criança tem comportamentos que afetam seriamente os direitos humanos de outra pessoa ou os direitos de um animal com muita frequência.

Quando é feito o reconhecimento do problema, a forma de o ultrapassar difere consoante a idade da criança. Se for nova, muitas vezes, o acompanhamento é direcionado para os pais, para que estes saibam lidar com as situações.

Para o psicanalista, um passo importante é o convívio entre pais e filhos. Os progenitores não devem ignorem os filhos quando estes fazem uma boa ação, ou seja, não basta apenas dizer não, é preciso reforçar um bom comportamento.

Em Inglaterra foi revelado que uma em cada 20 crianças sofre do que os especialistas qualificam de transtornos de conduta, comportamento persistente e extremo.

Peter Fonagy revelou ainda que em casos mais difíceis, ou quando a criança é mais velha, é necessário um acompanhamento da criança sozinha para se identificar a origem do problema. Ainda assim o processo envolve normalmente a crianças e os progenitores e por vezes até um profissional que vai morar em casa da família.

Para o NICE, o mais importante é mesmo identificar a origem do problema o mais cedo possível para que os pais e crianças possam ser encaminhados e recebam o apoio a tempo.

Physical Punishment in Childhood Tied to Mental Disorders

Agosto 2, 2012 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , ,

Notícia da PsychCentral de 5 de Julho de 2012.

O artigo mencionado na notícia é o seguinte:

Physical Punishment and Mental Disorders: Results From a Nationally Representative US Sample

Foto da PsychCentral

Foto da PsychCentral

By Traci PedersenAssociate News Editor
Reviewed by John M. Grohol, Psy.D. on July 5, 2012

Individuals who are physically punished are at greater risk of developing a mental disorder, such as anxiety, depression or another personality disorder, according to researchers at the University of Manitoba in Canada.

Approximately two to seven percent of mental disorders in the study were tied to physical punishment.

Lead study author Tracie Afifi, Ph.D., evaluated data from a government survey of 35,000 non-institutionalized adults in the United States, taken between 2004 and 2005. Almost 1,300 of the participants (all over the age of 20) had experienced some form of physical punishment throughout their childhood.

Many of these reported they had been pushed, slapped, grabbed, shoved or hit by their parents or adult living in the house. Six percent of these respondents said their punishment may have been more than just spanking either “sometimes,” “fairly often” or “very often.”

Individuals who suffered a harsh physical punishment were more likely to have a range of mood and personality disorders or abuse to drug and alcohol.

Almost 20 percent of those who remembered being physically punished had suffered depression, and 43 percent had abused alcohol at some point in their life. This is compared to 16 percent of people who were not hit or slapped who complained of having suffered depressed and 30 percent who abused alcohol.

Afifi and her team were sure to not include those who have reported being physically, sexually or emotionally abused. Afifi also took into consideration those parents or legal guardians who had been treated for mental illness, race, income and level of education.

Although some experts are against physical punishment, others believe it is fine in certain circumstances. Dr. Robert Larzelere, a psychologist from Oklahoma State University thinks that severe punishment is not appropriate, but for younger children spanking may be suitable as long as the child views the spanking as a motivational tool for their behavior and overall good.

Although the results cannot prove a direct correlation, the physical punishment may lead to chronic stress, which in turn could increase a child’s chance of developing depression or anxiety.

Knox suggests that parents choose other ways of punishment such as “time out” or using positive reinforcements as a reward for good behavior.

The study was published in the journal of Pediatrics.

Source: Journal of Pediatrics

Man abusing child photo by shutterstock.

Maus tratos fazem diminuir massa cinzenta

Dezembro 13, 2011 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Notícia do Diário de Notícias de 6 de Dezembro de 2011.

Os estudos mencionados na notícia são os seguintes:

Corticostriatal-Limbic Gray Matter Morphology in Adolescents With Self-reported Exposure to Childhood Maltreatment

Heightened neural reactivity to threat in child victims of family violence

Seminário Internacional do Projeto “Kids Strenghts” : “Crianças que Vivem em Contexto de Perturbações de Saúde Mental”

Setembro 29, 2011 às 9:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Convidamos todos os interessados, profissionais das Áreas da Educação, Saúde, Psicologia e de Serviço Social e famílias, a estarem presentes no Seminário Internacional do Projeto “Kids Strenghts: “CRIANÇAS QUE VIVEM EM CONTEXTO DE PERTURBAÇÕES DE SAÚDE MENTAL” que decorrerá no dia 3 de outubro, entre as 18h e as 20h, no Anfiteatro do Instituto de Educação, da Universidade do Minho.

PROGRAMA

Novas Tendências na Intervenção Precoce em Espanha
Pilar Gutiez Cuevas

– Doctora  En Filosofía Y Ciencias De La  Educación
– Profesora Titular De La Facultad De Educación De La Universidad Complutense de Madrid (desde1990).
– Diretora del Programa de Doctorado: La Atención Temprana y su conexión con la Educación Infantil (desde 1990).
– Diretora del Master en Atención Temprana (desde 1994).
– Presidenta De La Asociacion Madrileña De Profesionales De Atencion Temprana.
– Miembro Comitee International Society on Early Intervention (ISEI)

ANÁLISE DAS COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS EM CONTEXTOS VULNERÁVEIS
Cristina Sánchez Romero

– Doctora por la UNED.
– Licenciada en Filosofía y Ciencias de la Educación.
– Master en Informática Educativa.
– Profesor Contratado Doctor. Departamento de Didática, Org.Esc y DD.EE. (UNED)
– Profesora del Máster Oficial Interuniversitario Conjunto sobre Tratamiento Educativo de la Diversidad.
– Diretora de Trabajos de Investigación y Tesis Doctorales.
– Ha participado en congresos Nacionales e Internacionales. 
– Líneas de investigación: Diversidad Educativa, Competencias formativas, Estrategias de Enseñanza, Educación Intercultural.

A entrada é livre, limitada a 60 participantes. Não há inscrições prévias.

Contactos:
serrano@ie.uminho.pt
appereira@ie.uminho.pt

Centro de Investigação em Educação (CIEd)

4º SEMINÁRIO SOBRE SAÚDE MENTAL INFANTIL E JUVENIL

Junho 25, 2011 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação, Uncategorized | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

4º SEMINÁRIO SOBRE SAÚDE MENTAL INFANTIL E JUVENIL

De Setembro de 2011 a Junho de 2012

Por Pedro Strecht

Médico de Psiquiatria da Infância e Adolescência

Local:

Gabinete de Atendimento Médico e Psicológico

Rua António Enes, nº18-R/C esqº

1050-025 Lisboa

(ao Saldanha, junto ao Instituto Franco-Português e Hospital Particular)

Duração:

18 Sessões, de periodicidade quinzenal (terças-feiras) entre Setembro de 2011 e Junho de 2012, com 1h30 cada, entre as 21h30 e as 23horas; sessões para grupo entre 5 a 7 pessoas.

Público-Alvo:

Médicos, Licenciados ou Estudantes de Psicologia Clínica ou Educacional, Professores, Educadores, Assistentes Sociais, Técnicos de Psicomotricidade, Terapeutas da Fala, ou outros profissionais interessados que lidem com crianças e/ou adolescentes.

Temas a Abordar:

Os primeiros anos de vida

Entre os 6 e os 12 anos

Especificidades da Adolescência

Observação de Crianças e Adolescentes

Bases da Psicopatologia

Problemas de Comportamento

Dificuldades de Aprendizagem

Perturbações Psicóticas

Depressão Infantil e Juvenil

Abuso, Negligência e Maus-Tratos

Evoluções Marginais e Delinquentes

Tentativas de Suicídio e Suicídio

Consumos de Álcool e Drogas

Crianças e Adolescentes Perante a Morte

Separação de Pais e Impacto na Vida Psíquica dos Filhos

Trabalho Terapêutico com Crianças e Adolescentes Institucionalizados

Abordagens Terapêuticas

Preço:

100 euros por mês (emissão de recibo)

Certificação:

Certificado Final de Frequência se cumpridas 2/3 das sessões

Datas de Formação:

Setembro, 13 e 27

Outubro, 11 e 25

Novembro, 8 e 22

Dezembro, 6 e 20

Janeiro, 10 e 24

Fevereiro, 7 e 21

Março, 13 e 27

Abril, 10 e 24

Maio, 8 e 22

Junho12 e 26

 Inscrições: por sms para 964084823 ou por mail para plstrecht@gmail.com

2º Congresso Internacional da Infância à Idade Adulta Neurodesenvolvimento “As Peças do Puzzle”

Fevereiro 23, 2011 às 9:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , ,

Mais informações Aqui

Seminário “Encontro(s) e Desencontros da Deficiência Intelectual”

Setembro 9, 2010 às 9:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

A CERCIOEIRAS vai organizar nos dias 7 e 8 de Outubro de 2010 o Seminário “Encontro(s) e Desencontros da Deficiência Intelectual” no Auditório Tagus Park (Porto Salvo).

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.