5 051 ocorrências criminais nas escolas no ano letivo de 2015/2016

Novembro 29, 2016 às 12:43 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Notícia do http://www.cmjornal.pt/ de 26 de novembro de 2016.

bruno-colaco

As forças de segurança registaram, em média, 500 ocorrências criminais por mês nas escolas durante o ano letivo 2015/2016, totalizando 5.051, números que registaram um ligeiro aumento nos estabelecimentos de ensino da área da PSP.

Dados enviados à agência Lusa pelo Ministério da Administração Interna (MAI), fornecidos pelas forças de segurança, indicam que a PSP registou 4.102 ocorrências criminais nas escolas durante o ano letivo 2015/2016, mais 172 do que no ano escolar anterior, quando se verificaram 3.930 participações.

Já no ano letivo 2014/2015 se tinha verificado um ligeiro aumento das ocorrências criminais, mais 42 do que no ano escolar 2013/2014.

Das 4.102 ocorrências registadas no último ano letivo, 2.849 ocorreram no interior das escolas e 1.253 no exterior dos estabelecimentos de ensino, segundo a PSP, que tem como área de atuação os grandes centros urbanos.

No último ano letivo, a PSP registou igualmente 1.350 denúncias por ofensas à integridade física e 1.045 por roubo, números semelhantes ao ano escolar 2014/2015.

Já o número de detenções feitas pela PSP nas escolas aumentaram 55 por cento no ano letivo que terminou em junho, tendo sido feitas um total de 90 detenções, enquanto no ano letivo 2014/2015 foram 58.

Das 90 detenções, 74 foram no interior dos estabelecimentos de ensino e 16 no exterior, num ano em que a PSP identificou ainda 4.751 pessoas nas escolas e registou 2.001 ocorrências não criminais, mais 183 do que no ano letivo de 2014/2015.

No âmbito da atividade da Polícia de Segurança Pública junto das escolas, foram ainda levadas ao hospital 277 pessoas no ano letivo 2015/2016, mais 35 do que no ano escolar anterior.

Já a Guarda Nacional Republicana registou 949 ocorrências criminais no ano letivo 2015/2016, tendo a maioria ocorrido no interior das escolas (796), enquanto no exterior dos estabelecimentos de ensino ou a caminho para casa verificaram-se 153 denúncias, segundo os dado enviados à Lusa.

A GNR destaca igualmente as 349 ocorrências por ofensas à integridade física, 167 por furtos e 141 por injúrias ocorridos nas escolas no último ano letivo, quando também se registaram 1.099 participações não criminais.

A GNR refere que tem registado, na sua área de intervenção, “uma diminuição das ocorrências criminais” em ambiente escolar entre 2010 e 2015, tendo as ofensas à integridade física passado das 332 denúncias para as 254, em cinco anos.

O mesmo acontece com o recurso a armas brancas e de fogo, tendo a GNR registado 38 ocorrências, em 2010, que diminuíram para 10, em 2015.

Aumento dos registos criminais nas escolas relacionado com violência no namoro

A PSP considera que o aumento dos registos criminais nas escolas está relacionado com a violência no namoro, que em 2015 aumentou quase oito por cento em relação ao ano anterior, registando um total de 1.680 participações.

Dados enviados à agência Lusa indicam que a PSP recebeu 1.680 queixas por violência no namoro em 2015, mais 130 do que em 2014, quando chegaram a esta força de segurança 1.550.

A PSP refere que a violência no namoro é a categoria criminal “responsável pelo aumento do total de registos criminais nos estabelecimentos de ensino”.

A violência no namoro acontece mais entre ex-namorados. Das 1.680 queixas que chegaram à PSP no ano passado, 963 foram feitas por ex-namorados e 717 por namorados.

Os casos de violência no namoro aumentam, ao mesmo tempo que a PSP realiza um maior número de ações de sensibilização nas escolas.

No último ano letivo, a Polícia de Segurança Pública realizou 447 ações de sensibilização sobre violência no namoro e doméstica junto dos alunos, mais 145 do que no ano letivo 2014/2015, número que também tinham aumentado mais do dobro no ano escolar anterior.

 

 

Aluno terá que indenizar professor por ofensas publicadas no Facebook (Brasil)

Março 17, 2016 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia da http://www.gazetadopovo.com.br de 19 de fevereiro de 2016.

A notícia do TJSP pode ser consultada no link:

http://www.tjsp.jus.br/Institucional/CanaisComunicacao/Noticias/Noticia.aspx?Id=30426

gazeta do povo

Da redação

Um estudante de São Paulo terá de indenizar um professor por danos morais devido a postagens ofensivas no Facebook. A decisão da 5ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo determina que o professor receba R$ 10 mil por danos morais.

De acordo com as informações divulgadas no site do TJ-SP, um ex-aluno de Escola Técnica Estadual teria postado no Facebook imagens manipuladas do professor, que o associavam ao consumo de álcool e drogas e insinuavam que ele teria recebido vantagens com a venda de uniforme escolar.

O jovem terá de arcar pessoalmente com ônus pois já era maior de idade quando a sentença foi proferida. Em sua defesa, ele alegou que tratavam apenas de brincadeiras típicas de adolescente e que foram publicadas em um grupo fechado. Mas, segundo testemunhas, as imagens foram impressas e tiveram uma repercussão negativa no ambiente escolar.

O desembargador James Siano, que relatou o caso, declarou que a sentença tem por objetivo coibir a repetição desse tipo de conduta.

“A profissão de professor, atualmente tão desvalorizada, não deve, pela exposição àqueles que educa, tornar natural e contextualizadas imputações infundadas, jocosas ou não, suscetíveis até mesmo de colocar em xeque sua idoneidade, justamente em seu ambiente de trabalho”, afirmou Siano, segundo o site do Tribunal.

 

 

 

Ofensas e vida íntima sem filtro em rede social

Abril 30, 2013 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Notícia do Diário de Notícias de 20 de Abril de 2013.

O Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do  Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança) comentou a notícia.

Ofensas e vida íntima sem filtro em rede social

 

 


Entries e comentários feeds.