Xilobaldes. O projeto que usa a música para integrar adolescentes e desenvolver competências

Fevereiro 23, 2019 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

thumbs.web.sapo.io

Notícia do Sapo Lifestyle de 24 de janeiro de 2019.

O foco do projeto são jovens entre os 18 e os 30 anos. Mas há jovens com 14 ou 15 e até 40 anos. Conheça este projeto.

O Xilobaldes, grupo formado por jovens inseridos num projeto que visa a sua integração profissional e onde a música é usada como ferramenta de desenvolvimento pessoal, apresenta-se ao vivo no domingo na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

O Xilobaldes é o “grupo performativo” do projeto Tum Tum Tum, do Centro Social de Soutelo, em Rio Tinto, no concelho de Gondomar, que tem como objetivo a integração profissional de jovens, “quer seja em emprego ou em formação”, e que “começou oficialmente em 2016 com o financiamento do programa PARTIS” [Práticas para a Inclusão Social, da Fundação Calouste Gulbenkian], explicou à Lusa uma das responsáveis pelo projeto, Susana Lage.

Entre 2016 e 2018 passaram pelo Tum Tum Tum cerca de 300 jovens, divididos em 23 grupos. Dos 300, “cerca de metade são jovens ainda em contexto escolar, não entram nas questões numéricas de empregabilidade”. Dos que sobram, cerca de 150, o projeto registou “30 integrações em emprego e 42 em formação profissional”.

O objetivo do projeto “é desenvolver competências pessoais e sociais” e a música surge como “uma ferramenta e um meio para trabalhar estas competências”.

As competências passam pela “concentração, trabalho em equipa, autonomia, responsabilidade, que quando trabalhadas, quando desenvolvidas, permitem a estes jovens estarem mais preparados para a integração profissional”.

Os grupos do Tum Tum Tum funcionam em horário laboral, à exceção do Xilobaldes, em horário pós-laboral.

Este grupo permite que os seus participantes, “além de trabalhar, continuem a manter algum contacto com o projeto”.

“São miúdos que já têm outro nível de responsabilidade, que se envolvem de outra forma, e também já têm um interesse pela música mais desenvolvido”, contou Susana Lage.

O espetáculo que vão apresentar na Gulbenkian, e já foi mostrado noutros locais, “é uma criação coletiva”.

Quer isto dizer que “toda a gente do grupo participa na criação das músicas e na encenação”.

O que é apresentado “pretende refletir um bocadinho o que são as experiências destes jovens no que é a procura de emprego, a integração profissional, as dificuldades com as quais eles se vão deparando neste processo”.

Em palco estarão 11 pessoas, a tocar “desde instrumentos formais – guitarra, baixo, bateria, teclado – até baldes, percussão com bidões e como baldes”.

Hélder Nogueira, coordenador do Tum Tum Tum, acrescenta que “a própria bateria é uma bateria adaptada, utilizando aqui um conjunto de reconstrução de objetos para a percussão”.

Os momentos de apresentação pública “fazem parte do projeto de intervenção, é a fase final”. “Anualmente temos dois momentos de apresentação, fixos e para todos os grupos. Nos três anos de projeto tivemos cerca de 50 apresentações públicas”, referiu.

Ao longo dos três anos, além de Gondomar, o Tum Tum Tum chegou também a Matosinhos e “as instituições foram reconhecendo este espaço como possível espaço de integração para muitos destes jovens”.

Com “uma rede de parceiros e integrado na rede social de Gondomar”, o Tum Tum Tum é um projeto “aberto à comunidade”.

Os jovens são para ali encaminhados por escolas ou instituições sociais. Além disso, a equipa do Rendimento Social de Inserção (RSI) do Centro Social de Soutelo “também vai identificando potenciais participantes que encaminha para o projeto”.

Ao longo do tempo, o Tum Tum Tum acabou também “por entrar no ciclo de possibilidade de respostas e de integração para jovens com deficiência”.

O foco do projeto são jovens entre os 18 e os 30 anos, mas Susana Lage explica que “há uma margem, tanto para baixo como para cima”. “Temos jovens a partir dos 14/15 e até aos 40 anos. Normalmente estes mais velhos têm algum problema mental ou de deficiência associado”, disse.

O concerto Xilobaldes decorre no âmbito da mostra “Isto é PARTIS”, com entrada gratuita, serão apresentados alguns dos 16 projetos de intervenção social pela arte, que foram apoiados pela Fundação na segunda edição (2016-2018) da iniciativa PARTIS.

Entre sexta-feira e domingo será mostrado “o resultado do trabalho desenvolvido junto de pessoas vulneráveis e em situações de exclusão”.

A programação completa pode ser consultada no ‘site’ da Fundação Calouste Gulbenkian.

 

 

Substitua os celulares e tablets de seus filhos por instrumentos musicais!

Agosto 2, 2018 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Photo by Laith Abuabdu on Unsplash

Texto do site O Segredo de 1 de março de 2018.

A forma como criamos nossas crianças mudou muito de uns tempos para cá. Agora, a estratégia adotada por muitos pais para acalmar seus filhos é dar-lhes um tablet ou um smartphone. Dentro desse contexto, as brincadeiras ao ar livre a atividades manuais ficam cada vez mais esquecidas.
Essa forma de criação é contestada pelo neuropsicólogo espanhol Álvaro Bilbao, que em seu livro “El cerebro del niño explicado a los padres” (O cérebro da criança explicado aos pais – em tradução livre), diz que, se queremos criar crianças mais inteligentes, devemos substituir seus tablets por instrumentos musicais.
Bilba acredita que as aulas de música estimulam a capacidade de raciocínio das crianças, mais do que a tecnologia. Além disso, os pais têm um papel importante na inteligência de seus filhos. Um estudo que foi publicado na revista Psiquiatría Molecular afirma que 50% da inteligência da criança é determinada pelos genes, mas os outros 50% dependem dos estímulos que elas recebem.
“A chave do desenvolvimento potencial do cérebro da criança está na sua relação com os pais. Ainda que a genética tenha um peso importante, sem essa presença não se materializa”, diz Bilba.
Abaixo estão listadas algumas estratégias defendidas por especialistas para desenvolver a inteligência das crianças:
Estudar música
Pesquisadores da Universidade de Toronto realizaram um estudo, publicado na revista Psychological Science, que relacionou o desenvolvimento cognitivo com o estudo e a aprendizagem de música. Para o estudo, três grupos de crianças de seis anos estudaram, separadamente, durante um ano, canto, piano e expressão dramática. As crianças que se dedicaram a estudar música foram as que mostraram maiores padrões de inteligência
Menor contato com a televisão
Anos atrás, filmes de desenhos animados que aliavam figuras desenhadas ao som da música clássica de compositores como Mozart e Beethoven eram muito populares. Diversos especialistas aprovavam esses filmes, afirmando que ajudavam a estimular a inteligência de bebês e crianças, mas essas teorias foram desmentidas por estudos internacionais. De acordo com a Associação Americana de Pediatria, crianças com menos de dois anos não devem ter contato com televisão.
Evitar jogos que afirmam ajudar no desenvolvimento cerebral
Recentemente vêm surgindo muitos jogos eletrônicos e aplicações móveis que afirmam ajudar no desenvolvimento do cérebro e da memória. No entanto, a maioria deles não são embasados cientificamente. Tenha cuidado.
Assistir a filmes/documentários em línguas estrangeiras
Crianças que são ensinadas a assistir filmes em línguas estrangeiras desde cedo tendem a adaptar-se mais facilmente a outros vocábulos e a outros sons.
Ler histórias com seus pais antes de irem para a cama
Quando os pais leem histórias para seus filhos antes de irem para a cama, é importante que convidem as crianças para participar. Por exemplo, o pai lê uma página e o filho outra, e assim sucessivamente. De acordo com um estudo canadense, este método ajuda as crianças a melhorarem sua capacidade de aprendizagem.

 

Férias com Música no Verão 2018 | Conservatório de Música de Sintra – 2 a 20 de julho

Junho 7, 2018 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

mais informações no link:

https://www.conservatoriodemusicadesintra.org/ferias_verao2018.html

 

A história do rock ilustrada para miúdos e graúdos

Maio 21, 2018 às 12:00 pm | Publicado em Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Chuck Berry ©Joana R.

Notícia do P3 de 8 de maio de 2018.

Estabelecer uma ponte entre a cultura dos pais e a linguagem dos filhos é o ponto de partida de A História do Rock (para pais fanáticos e filhos com punkada). O livro de Rita Nabais, com ilustrações de Joana Raimundo, dá a conhecer aos mais novos as principais figuras do rock através de pequenas biografias e curiosidades de artistas que fizeram parte da banda sonora da adolescência dos pais de hoje, outrora jovens amantes de música.

Para Nuno Valente, das Edições Escafandro, a publicação deste livro teve a intenção de criar um lugar na memória das crianças para os ícones da geração dos pais, “numa altura em que o rock está a ser ultrapassado por outros géneros junto das novas gerações” — como o rap e o pop. O editor conta que o feedback não podia ser mais positivo. “Há pais que todas as noites lêem um artista diferente aos filhos, enquanto os adormecem a mostrar as músicas e os vídeos”, exemplifica o editor ao P3.

Esta nova enciclopédia do rock tem 147 entradas com ilustração e texto, que vão desde Bill Haley & His Comets e Little Richard — pioneiros do estilo musical —, até a nomes mais recentes, como The National ou Vampire Weekend, passando por Elvis Presley e Nirvana. Para além dos desenhos dos músicos, o livro conta ainda com as sugestões musicais de várias pessoas da área, como Miguel Ângelo (Delfins) e Fernando Ribeiro (Moonspell), resultando numa playlist com mais de 500 artistas dos últimos 70 anos.

 

Troque o tablet do seu filho por um instrumento musical

Março 3, 2018 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Texto do http://kids.pplware.sapo.pt/ de 14 de fevereiro de 2018.

Criado por Célia Simões

A tecnologia foi encontrada pelos pais como uma forma de manter os filhos quietos, mas se o seu interesse é estimular a inteligência do seu filho tire-lhes o tablet e ofereça-lhe um instrumento musical.

Nos dias de hoje facilmente encontramos em restaurantes, consultórios e outros locais públicos, crianças agarradas aos tablets ou smartphones. Os pais ficam descansados pois os filhos estão quietos e não incomodam.

Apesar da tecnologia ser o futuro, de ser importante que as crianças aprendam a explorá-la, para o seu desenvolvimento intelectual não é o mais indicado.

Segundo estudos recentes, dar tablets ou smartphones às crianças não é a melhor forma de estimular o cérebro destas. Álvaro Bilbao, neuropsicólogo espanhol, autor do livro EL cérebro del ninõ explicados a los padres (O cérebro da criança explicado aos pais), explica que se quer estimular a inteligência dos seus filhos tire-lhe a tecnologia e ofereça-lhe um instrumento musical.

As aulas de música estimulam a capacidade de raciocínio das crianças, mais do que a tecnologia.

A genética tem um peso fundamental no desenvolvimento intelectual da criança, cerca de 50%, mas os restantes 50% dependem de outros estímulos que recebem. As aulas de música, por exemplo, estimulam a capacidade de raciocínio das crianças, mais do que a tecnologia.

É importante que os pais interajam com os filhos e lhes transmitam valores, que promovam a socialização em detrimento do isolamento, que incentivem os seus filhos a praticar desporto e a experimentar diversas atividades.

Um estudo publicado na revista Psychological Science, feito pela Universidade de Toronto, no Canadá, encontrou relação entre o desenvolvimento cognitivo e a aprendizagem de música.

Três grupos de crianças com 6 anos, estudaram durante um ano, separadamente, canto, piano e expressão dramática. Daí ficou concluído que, as crianças que estudaram música, desenvolveram padrões de inteligência superiores aos outros.

Há alguns anos, especialistas afirmaram que colocar bebés com menos de 2 anos a ver filmes de desenhos animados relacionados com música clássica era importante para estimular a inteligência das crianças.

Essa teoria foi desmentida por vários estudos internacionais. A Associação Americana de Pediatria alega mesmo que as crianças com menos de 2 anos não devem ver televisão.

Contudo, crianças com mais idade, que veem filmes numa língua estrangeira, conseguem mais facilmente adaptar-se a outros vocabulários e sons. Por exemplo, as crianças portuguesas conseguem compreender e falar algumas palavras em inglês com maior facilidade que as crianças espanholas porque estas veem tudo dobrado.

Outra forma de estimular o desenvolvimento cognitivo das crianças é ler a duas vozes a história da hora de ir para a cama. Um estudo feito no Canadá garante que este método melhora a capacidade de aprendizagem dos mais novos.

Se quer exercitar o cérebro do seu filho incentive-o a sair de casa, a conviver com outras pessoas e a aprender a tocar um instrumento.

 

 

Lisboa em Voo de peixe – Performance / Filme de animação e música ao vivo | Estreia 23-26 novembro no CCB

Novembro 14, 2017 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Fábrica das Artes | Para todas as infâncias

A cravista Joana Bagulho e a sua filha ilustradora, Beatriz, levam-nos numa viagem alucinante por uma Lisboa em grandes transformações.
Apagando fogos no mundo de Hyeronimous Bosch, perdemo-nos nos labirintos da calçada portuguesa, do azulejo barroco e dos turistas com as suas câmaras e diversões. Aproximando-nos desta cidade onde coabitam vizinhos e visitantes, descobrimos lugares e rotinas escondidos.

Criação Joana Bagulho, Beatriz Bagulho e Caroline Bergeron

Encenação Caroline Bergeron

Cravista e performance Joana Bagulho

Performance, ilustração, direção e produção do filme de animação Beatriz Bagulho 

Composição musical Daniel Schvetz 

Figurinos Ana Direito

Assistente de fotografia Pedro Tavares

Sonoplastia Rui Rebelo

Animação Laura Miranda Moreno, Naomi Tarassenko, Beatriz Bagulho, Marta Wesolowska e Beatrice Lorén

Uma encomenda CCB/Fábrica das Artes

mais informações no link:

https://www.ccb.pt/Default/pt/FabricaDasArtes/Programacao/Espetaculos?a=1178

Festival Big Bang 2017 – O festival de música para todas as infâncias está de volta – 20 e 21 de Outubro no CCB

Outubro 19, 2017 às 10:00 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

https://www.ccb.pt/Default/pt/FabricaDasArtes/Programacao/Espetaculos?A=1148

http://ccbfabricadasartes.blogspot.pt/2017/10/big-bang-lx-2017-o-festival-de-musica_18.html

 

 

Artemanhas de Criação Musical – Artes nas Férias do Verão no CCB

Junho 18, 2017 às 6:30 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Artes nas Férias do Verão ©Manuel Ruas Moreira

Fábrica das Artes | para todas as infâncias

«A música é o tipo de arte mais perfeita: nunca revela o seu último segredo.» Oscar Wilde

Ao longo da semana, vamos viajar pelos cinco continentes, explorando o universo musical das canções e dos instrumentos do mundo inteiro, para nos inspiramos para o processo de exploração, improvisação e criação musical. Sons, ritmos, melodias e harmonias ganham corpo a partir da formação de uma orquestra composta por instrumentos tradicionais e improváveis também.

Vamos entrar num pequeno estúdio para gravar um CD com as nossas criações musicais, tocadas em conjunto por mestres e aprendizes, e finalmente, no último dia, oferecer um concerto no Jardim das Oliveiras.

PS: Caso toques um instrumento musical não te esqueças de o trazer contigo.

Com Afonso Sousa, Cândida Rosa, Inês Pereira, Nuno Cintrão, Nuno Melo

3 a 7, 10 a 14 julho, 2017 | 10:00 às 17:00 (acolhimento a partir das 9:30)

Espaço Fábrica das Artes

6 aos 10 anos

mais informações:

https://www.ccb.pt/Default/pt/FabricaDasArtes/Programacao/Oficinas?a=776

Arte Acessível – 22 de abril na Fundação Calouste Gulbenkian – Venham descobrir a arte em família de forma inclusiva!

Abril 7, 2017 às 11:30 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Segunda edição do dia de Arte Acessivel!
Ativiades inclusivas para todos os tipos de famílias!
Venham passar o dia connosco.
Ficamos à vossa espera
https://gulbenkian.pt/descobrir/arte-acessivel/
(Inscrições para mcrodrigues@gulbenkian.pt e mmendes@gulbenkian.pt)

Entre Portugal e o Brasil há Músicas Mil – Oficina Musical na Biblioteca de Belém e na Biblioteca Orlando Ribeiro (17 e 21 de março)

Março 10, 2017 às 3:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Entre Portugal e o Brasil há Músicas Mil

Programa integrado na Lisboa Capital Ibero-americana da Cultura

PARA Escolas do 2.º e 3.º ciclo e secundário e grupos organizados de adultos e séniores

14 e 16 fev | 21 mar | 11H00 | 14H30 |Auditório da Biblioteca Orlando Ribeiro

17 mar | 11H00 |14H30 | Biblioteca de Belém

Oficina musical pelo Serviço Fonoteca das BLX

Em 1822 D. Pedro proclamava a independência do Brasil. Mas o riquíssimo intercâmbio musical estabelecido entre as comunidades brasileira e portuguesa há muito tinha começado e continuaria, de um lado e do outro, a desenvolver-se e diversificar-se em sonoridades, ritmos e danças que ainda hoje contagiam. Da modinha ao lundum, do fandango ao fado, do choro ao samba até à bossa nova, esta oficina aborda alguns dos aspetos mais importantes da música brasileira e das relações que estabeleceu com a música portuguesa. A apresentação é interativa e dinamizada com o recurso a músicas, instrumentos, a voz, o corpo, imagens e vídeos.

Nº. máximo de 40 participantes.

Entrada gratuita, mediante inscrição prévia numa das BLX.

mais informações:

http://lisboacapitaliberoamericana.pt/?pg=article&id=268&hb=1

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.