Campanha de Crowdfunding para a criação do livro “Talibes – Modern Day Slaves” de Mário Cruz

Maio 28, 2016 às 7:13 pm | Publicado em Divulgação, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Vencedor do World Press Photo 2016 – 1º Prémio – Assuntos Contemporâneos.

Vencedor do Picture of The Year International (POYi) 2016 – Issue Reporting Picture Story

Vencedor do Prémio Estação Imagem 2016.

Juntamente com a editora FotoEvidence foi lançada a campanha de crowdfunding para a criação do livro “Talibes – Modern Day Slaves” que documenta a sobrevivência de mais de 50 mil crianças escravizadas por falsos professores corânicos, muitas delas traficadas a partir de países limítrofes ao Senegal. Será feita uma edição de 1000 exemplares que contribuirão para a criação de diálogo em torno desta realidade e estarão presentes em escolas e bibliotecas no Senegal e Guiné-Bissau como prova física e informativa de uma tradição subvertida. A campanha tem a duração de 30 dias e termina no próximo dia 9 de junho. O objetivo é angariar 24 mil euros através de contribuições individuais mas também através do apoio de organizações, fundações e associações.

Fica aqui o link para a campanha:  https://www.kickstarter.com/projects/2066133663/talibes-modern-day-slaves-a-photo-book-by-mario-cr

Fotojornalista português quer publicar livro que alerta para crianças escravizadas

Maio 22, 2016 às 1:01 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia da http://rr.sapo.pt/ de 11 de maio de 2016.

Mário Cruz

Mário Cruz foi distinguido pelo World Press Photo com uma reportagem sobre tráfico e exploração de trabalho infantil no Senegal: “Talibés, os escravos diários modernos”.

O fotojornalista Mário Cruz lançou uma campanha de angariação de fundos para o projecto “Talibes, Modern Day Slaves” (Talibés, os escravos diários modernos), um livro com a reportagem que fez sobre crianças escravizadas. O objectivo é publicar um documento que sirva de alerta mundial sobre as falsas escolas corânicas no Senegal, onde milhares de crianças são escravizadas.

“A campanha vai durar um mês. O livro será um documento do que vi, para ser distribuído às autoridades internacionais competentes e também nas escolas e bibliotecas do Senegal e da Guiné-Bissau”, explicou o repórter, 28 anos, premiado pelo World Press Photo e pela Estação Imagem, à agência Lusa.

Para apoiar esta campanha de angariação de fundos online há várias modalidades de contribuição, com valores diferentes, a partir de 25 dólares (cerca de 22 euros). Mário Cruz tomou conhecimento das falsas escolas corânicas em 2009, durante uma reportagem na Guiné-Bissau, onde ouviu casos de crianças que estavam a ser levadas para o Senegal para serem escravizadas por líderes religiosos. Fez uma pesquisa durante seis meses e tirou uma licença sem vencimento para, durante cerca de dois meses, investigar o que estava a acontecer a estas crianças, no Senegal e na Guiné-Bissau.

“Consegui ter o raro acesso ao mundo criminoso das falsas escolas corânicas, onde mais de 50.000 crianças são escravizadas. Talibé significa estudante, em árabe, mas estas crianças, com idades entre os cinco e os 15 anos, são forçadas a mendigar oito horas por dia para os seus supostos professores corânicos”, relatou.

As fotografias captadas por Mário Cruz valeram-lhe o primeiro prémio do World Press Photo, na categoria Assuntos Contemporâneos e o Prémio Estação Imagem 2016, mas, antes disso, a Newsweek publicou 20 das suas fotografias da reportagem.

Aceitou o desafio da FotoEvidence – organização internacional que premeia e cria publicações de reportagens sobre injustiças sociais e violações dos direitos humanos – e espera que a concretização do projecto “Talibes Modern Day Slaves” seja “a prova documental que condena o presente destas crianças e defende o seu futuro”.

Mário Cruz disse que serão necessários 28 mil dólares (cerca de 25 mil euros), para uma tiragem de mil exemplares do livro, cujo principal objectivo é “criar um documento que alerte para o problema e pressione as autoridades locais e internacionais, a tomar medidas” contra esta escravização das crianças.

 

 

The Truth About Child Trafficking in Senegal – Fotorreportagem premiada de Mário Cruz no World Press Photo

Março 3, 2016 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

texto publicado na http://europe.newsweek.com de 17 de fevereiro de 2016.

550438

Talibés, Modern-day Slaves 1.º Prémio na Categoria de Temas Contemporâneos World Press Photo 2016

By Mario Cruz

In July 2009, I was in Guinea-Bissau covering the presidential elections after the murder of president Nino Vieira when I first heard stories about Guinean children who were taken to Senegal to work and beg for Koranic teachers. Many of them disappeared while playing in remote areas; others were given by their parents after false promises made by the local marabouts—religious teachers or guardians.

These stories stayed with me. In early 2015, I started planning an in-depth project about what was happening in Senegal, and made contact with Human Rights Watch and Senegal’s Ministry of Justice. Across the country, there is a tradition of sending boys ages 5 to 15 to Koranic boarding schools known as daaras. In reality, the boys—known as talibés—are forced to spend more than eight hours a day begging in the streets for money, rice and sugar for their marabouts. The rest of the time, they are locked inside squalid buildings learning the Koran, while the marabout collects their daily earnings with no fear of being investigated or prosecuted.

Parents often send their children to daaras to study the Koran simply because they can’t afford education. But what is presented as a form of education is often a cover for the exploitation of these children. In addition to being forced to beg, the talibés are beaten, raped by their marabouts or older talibés, chained to the ground so they can’t run away, and live in overcrowded and unsanitary conditions. Malaria, skin diseases, breathing problems and stomach parasites are common.

From May 16, 2015 until June 4, I visited daaras around Senegal: in Dakar, Medine, Rufisque, Keuer Massar, Diamaguene, Saint Louis and Touba. After that, I spent nearly two weeks in Guinea Bissau, visiting shelters, families and border points to track the phenomenon of child trafficking. I was based in Bissau but traveled to different regions; I had permission to follow the Guinean army, who are also making efforts to clamp down on child trafficking.

According to a Human Rights Watch report, the number of talibés is increasing; more than 30,000 boys are forced to beg in the Dakar region alone. Most of them are Senegalese, but the number of children from neighboring countries like Guinea-Bissau has increased.

Though Senegal adopted a law in 2005 prohibiting forced begging and trafficking, only a handful of cases have been prosecuted. In July 2015, the government anti-trafficking unit took its first census of over 1,000 Koranic schools, but the unit lacks the means to check every daara, and the police do not know exactly how many of them exist. The daaras are highly unregulated—set up in abandoned buildings and unfinished construction projects. The Senegalese parliament has yet to pass a draft of the law regulating these schools, and does not have a scheduled date for discussion. Every year on April 20, the country observes National Talibé Day and the government discusses the situation, but progress has been slow. I hope that by publishing my pictures, we can bring attention to what is happening. After all, the abuse is in plain sight.

Visualizar todas as fotografias da reportagem no link:

http://europe.newsweek.com/senegal-child-trafficking-koranic-boarding-school-daaras-427621?rm=eu

World Press Photo 2016

Talibes, Modern-day Slaves

Contemporary Issues, first prize stories

http://www.worldpressphoto.org/collection/photo/2016/contemporary-issues/m%C3%A1rio-cruz

 

mais informações na notícia do Público

http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/uma-fotografia-assombrosa-e-mais-um-portugues-premiado-no-world-press-photo-2015-1723691


Entries e comentários feeds.