8 livros para as crianças lerem antes do regresso às aulas

Agosto 31, 2018 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Texto da Evasões de 25 de agosto de 2018.

Cláudia Carvalho

As férias já vão longas e é preciso começar a preparar mais um ano. Porque não pô-los a ler banda desenhada e livros ilustrados? Dos grandes nomes da filosofia à história dramática de Anne Frank, do inventário ilustrado de aves a um guia para descobrir a natureza, as propostas são muitas e variadas.

Banda desenhada, rock, viagens, botânica, natureza ou História… São múltiplos os temas abordados nestes 8 livros ideais para pôr as crianças a ler (e a aprender) enquanto não chega o dia do regresso às aulas de mais um ano letivo. Tome nota das sugestões percorrendo a fotogaleria acima.

 

Portugal precisa de (mais) literatura para jovens

Agosto 29, 2018 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

Artigo de Rita Pimenta publicado na Revista Cátedra Digital

Livros para crianças e jovens há muitos. Literatura nem por isso. A atenção das editoras a este segmento de mercado tem sido constante, mesmo nos anos de crise. No entanto, o incremento maior de obras escritas por autores portugueses verifica-se no álbum ilustrado e para as idades mais baixas.

Para os adolescentes e jovens (dos 12 aos 18 anos), são as traduções que mais ocupam as prateleiras das livrarias e das casas. Poucos nomes se juntaram aos há muito reconhecidos autores que criaram histórias que os adultos de hoje não esquecem, como Alice Vieira, Álvaro Magalhães, Ana Maria Magalhães, Ana Saldanha, António Mota, António Torrado, Isabel Alçada, José Jorge Letria, João Pedro Mésseder, Manuel António Pina, Sophia de Mello Breyner Andresen ou Teresa Maia González. E muitas crianças e jovens continuam a gostar de ler estes autores.

“As crianças não mudaram nada. O que mudou foram os adereços. Tudo o mais, os ciúmes, as zangas, as tristezas e alegrias, está tudo tal e qual como naquele livro”, disse recentemente Alice Vieira ao jornalista Tiago Palma, a propósito do seu primeiro livro para a infância, Rosa, Minha Irmã Rosa (1979

Mas não se fique com a ideia de que o mercado português se limita a oferecer obras traduzidas para os leitores que estão a abandonar a infância. Certos autores portugueses de gerações mais recentes vêm dedicando também algum do seu talento à literatura para jovens, não sendo, no entanto, este o seu público-alvo preferencial. São eles Afonso Cruz (Vamos Comprar Um Poeta, O Pintor debaixo do Lava-Loiças), Cristina Carvalho (Rebeldia, O Gato de Uppsala), Richard Zimler (O Cão Que Comia a Chuva) ou Valter Hugo Mãe (O Paraíso São os Outros). Com sucesso.

Outros autores – na verdade, autoras – surgiram nos últimos anos em dedicação praticamente exclusiva à literatura juvenil: Ana Pessoa (Supergigante, Mary John) Ana Soares e Bárbara Wong (colecção Olimpvs), Carla Maia de Almeida (Irmão Lobo, Amores de Família), Margarida Fonseca Santos (colecções A Escolha É Minha, Desafios em 77 Palavras) e Maria Francisca Macedo (colecção O Clube dos Cientistas). Também com sucesso.

No domínio da poesia, continuam a impor-se os autores João Pedro Mésseder (Olhos Tropeçando em Nuvens e Outras Coisas: Haicais ou quase), José Fanha (Esdrúxulas, Graves e Agudas, Magrinhas e Barrigudas) e José Jorge Letria (O Livro das Rimas Traquinas, A Guerra), a quem se juntam agora João Manuel Ribeiro (Palavras-Chave, Notícias Fugazes do Amor) e Manuela Leitão (Poemas da Horta e Outras Verduras, Poemas para as Quatro Estações).

O inconfundível humor de Luísa Ducla Soares continua a dirigir-se sobretudo aos mais novos, tendo, no entanto, a escritora alguns títulos vocacionados para jovens, como Diário de Sofia & Cª. Aos 15 Anos e Atenção! Sou Um Adolescente (Editorial Presença) ou a biografia de Teixeira de Pascoaes (Porto Editora).

Álvaro Magalhães adaptou-se aos novos tempos sem perder identidade nem qualidade literária em títulos como Poesia-me (ilustração de Cristina Valadas) ou em colecções como O Estranhão ou As Novas Crónicas do Vampiro Valentim (bem acompanhado pelo ilustrador Carlos J. Campos). E ainda a série (de futebol) Os Indomáveis FC.

Nomes como Rosário Alçada Araújo (Num Tempo Que já lá Vai), ou Joana Bértholo (O Museu do Pensamento) ajudam a compor uma oferta que se vai diversificando, sem, no entanto, podermos prever se continuará a ser alimentada por estas autoras, já que se desdobram em diferentes géneros literários e em inúmeras actividades culturais.

Livros de pendor científico e cultural para jovens também não contam com muitas assinaturas portuguesas, mas queremos aqui assinalar o trabalho da editora Planeta Tangerina com os títulos Lá Fora – Guia para Descobrir a Natureza (Maria Ana Peixe Dias e Inês Teixeira do Rosário), Cá Dentro – Guia para Descobrir o Cérebro (Isabel Minhós Martins e Maria Manuel Pedrosa) e, mais recentemente, Atlas das Viagens e dos Exploradores: as Viagens de Monges, Naturalistas e Outros Viajantes de Todos os Tempos e Lugares (Isabel Minhós Martins, com ilustração de Bernardo P. Carvalho).

Ainda um reparo feliz para Sou o Lince-Ibérico: o Felino mais Ameaçado do Mundo (Maria João Freitas, com ilustração de Nádia e Tiago Albuquerque), editado pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda.

Também o físico Carlos Fiolhais e o divulgador de ciência David Marçal têm contribuído para que os jovens se deixem conquistar por temas científicos de uma forma acessível e bem-humorada, sem deixar de ser rigorosa. Aqui ficam dois títulos destes autores aconselhados pelo Plano Nacional de Leitura (PNL) relativamente ao primeiro trimestre de 2018: A Ciência e os Seus Inimigos (Gradiva) e Não se Deixe Enganar (Contraponto).

Plano Nacional de Leitura está diferente

Contabilizando as indicações do PNL para os primeiros seis meses deste ano, observámos que havia 79 resultados (títulos) para leitores dos 12 aos 14 anos. Já para quem tem entre 15 e 18 anos surgiam 116 sugestões de livros.

Assim sendo, os adolescentes e jovens entre os 12 e os 18 anos, se quiserem seguir os critérios do PNL para estes primeiros meses, podem escolher entre 195 títulos. Mas, destes, apenas 45 são de autores portugueses. Ou seja, somente 23% das propostas do Plano. Entre eles, encontram-se autores como Fernando Pessoa, Eugénio de Andrade, Júlio Dinis, Alexandre O’Neill, Mário Cesariny, José Pacheco Pereira ou António Damásio.

São pequenos indicadores que nos permitem inferir que neste segmento faltam novos autores ou mais produção de textos literários por parte dos que já se dedicaram à literatura juvenil.

“Os livros que constam das listas PNL 2027 resultaram de uma seleção prévia feita pelas editoras posteriormente apreciada por um conjunto de especialistas independentes, de reconhecido mérito e qualificação nas diferentes áreas do saber”, explica-se no site do Plano, que está diferente.

Desde o dia 16 de Julho que os livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura deixaram de ser organizados por níveis de escolaridade, passando a haver uma base de dados online de atualização semestral. A primeira já foi lançada e nela baseámos os dados acima referidos. Em Dezembro, haverá nova listagem de sugestões.

Os livros recomendados podem ser encontrados através de um motor de pesquisa por idade, nível de leitura (pré-leitura, inicial, mediana, fluente), tema (banda desenhada, ensaio, poesia ou biografia), língua ou formato (livro, livro com CD e/ou DVD, livro-álbum). O sistema resulta de uma parceria com A Rede de Bibliotecas de Lisboa.

Palavras para quê?

A qualidade de muitos ilustradores portugueses, com forte projecção internacional, vem motivando uma aposta em livros cujo texto muitas vezes se reduz a breves legendas ou a ideias muito simples. Algumas obras prescindem mesmo das palavras e são objectos artísticos que conquistam também os adultos.

Bons exemplos desta prática têm sido os de editoras independentes como a Bruaá, Kalandraka, Orfeu Negro, Pato Lógico ou Planeta Tangerina. Divulgam ilustradores, artistas plásticos e designers portugueses, frequentam feiras internacionais e conseguem dinamizar com competência e criatividade o mercado nacional do livro ilustrado. Ainda bem.

A presença de Portugal na Feira do Livro Infantil de Bolonha vai aumentando a sua pujança e visibilidade, mais pela força da imagem do que da palavra. Nada contra. Mas é de literatura que vamos sentindo falta. Sem drama.

Congratulamo-nos com o facto de em Junho deste ano Portugal ter sido país convidado nas semanas internacionais do livro infanto-juvenil em Colónia, Alemanha. Nelas participaram os escritores e ilustradores: Afonso Cruz, Alice Vieira, Carla Maia de Almeida, Catarina Sobral, Fatinha Ramos, Inês Teixeira do Rosário, Isabel Minhós Martins, Madalena Matoso e Maria Ana Peixe Dias.

Um programa que incluiu leituras dos autores portugueses em bibliotecas e escolas, numa iniciativa com o apoio de Camões — Instituto da Cooperação e da Língua, através da Embaixada de Portugal/Camões Berlim, do Leitorado de Colónia e da Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB).

Este último organismo, a par com a Rede de Bibliotecas Escolares, muito têm contribuído para a conquista de novos leitores e para a dinamização de actividades à volta do livro e da leitura. A DGLAB.

Em 2017, venderam-se 11,8 milhões de livros

Segundo a GfK Portugal, o negócio editorial fechou no ano passado com um valor total de 147 milhões de euros, revelando crescimento de 3% face ao ano anterior (142,4 milhões). Isto apesar de terem sido vendidos menos livros. Em 2017, foram comercializadas cerca de 11,8 milhões de unidades, mas em 2016 vendeu-se um pouco mais: 11,9 milhões de livros.

Não foi possível obter dados discriminados para os livros infanto-juvenis, mas é sabido que é um dos segmentos que mais vendem.

Importância maior que os lucros de curto prazo é a certeza de que a conquista precoce de leitores e a aposta na sua relação continuada com os livros permitirão não apenas a continuidade do negócio editorial, mas a formação de cidadãos cultos e com sentido crítico. Fazem falta.

 

 

III Seminário Internacional de literatura infantil e juvenil – 12 de julho, em Braga

Julho 10, 2018 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

 

O III Seminário Internacional de literatura infantil e juvenil e práticas de mediação literária (III SELIPRAM) reconhece a necessidade e propõe-se a abrir espaços de reflexão às linguagens literária para infância e juvenil contemporânea que circulam no mercado editorial brasileiro, português e demais países e as práticas de mediação da leitura literária com crianças e jovens.

Objetivo Geral
Congregar pesquisadores brasileiros, portugueses e de demais países em pesquisas sobre literatura infantil e juvenil, em particular aqueles cujas investigações relacionam-se à produção literária para crianças e jovens, às práticas educativas construídas em diálogo com essa produção em práticas de mediação da leitura literária.

Objetivos específicos
• propiciar a reflexão e a análise de questões teóricas e aplicadas relacionadas à pesquisa em literatura infantil e juvenil;
• possibilitar a divulgação de estudos teóricos e aplicados que possam contribuir para releituras de diferentes enfoques e abordagens postos sobre esse objeto de pesquisa: a literatura infantil e juvenil.

Será atribuído um certificado de presença a todos os participantes.
A entrada é livre e gratuita, condicionada à limitação do espaço do Auditório.

Organização: CIEC/Universidade do Minho e UFSC/Brasil

Data: De 7/12/2018 a 7/13/2018 (9:00 AM – 7:00 PM)
Local: Auditório
Destinatários: Profissionais da área e público em geral
CIEC – Centro de Investigação em Estudos da Criança
Universidade do Minho, Instituto de Educação
Campus de Gualtar
4710-057 BRAGA, Portugal
T: (00 351) 253.60.12.12

Fonte

 

Prémio de Literatura Infantojuvenil Inclusiva “Todos Podem Ler”

Maio 13, 2018 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

mais informações no link:

http://www.inr.pt/content/1/4754/premio-de-literatura-infantojuvenil-inclusiva-todos-podem-ler

8ª Encontro de Literatura Infanto-juvenil “Novas Leituras: abrindo caminhos na era digital” 20 e 21 abril em Estarreja

Abril 12, 2018 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

mais informações no link.

https://www.facebook.com/events/968111266687563/

 

A Casa do João – Revista de Literatura Infantil e Juvenil

Dezembro 10, 2017 às 1:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança, Site ou blogue recomendado | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

mais informações nos links:

http://projectoadamastor.org/a-casa-do-joao-revista-de-literatura-infantil-e-juvenil/

http://joaomanuelribeiro.pt/casa-do-joao-revista-literatura-infantil-juvenil/

“Alerta Premika! Risco online detetado” Já pode adquirir o primeiro livro da coleção!

Dezembro 4, 2017 às 3:42 pm | Publicado em Livros, Publicações IAC-CEDI | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

“Alerta Premika! Risco online detetado” Já pode adquirir o primeiro livro da coleção!

O Instituto de Apoio à Criança, em parceria com a editora Teodolito, acaba de lançar o livro-jogo “Ameaça nas redes sociais! E agora, Marta?”, o primeiro volume da coleção “Alerta Premika! Risco online detetado”, uma coleção para crianças do 1.º e 2.º ciclos no âmbito da segurança na Internet.

Para além da história, o livro possui um conjunto de “dicas” para navegar na Internet em segurança, que podem ser lidas e discutidas em família, e um glossário.

Existe também um blogue para seguir as aventuras da Marta, do Tiago, do Manel e da divertida Premika, a andróide do futuro https://alertapremika.blogspot.pt/

O livro está à venda nas livrarias habituais e pode ser, igualmente, adquirido através do IAC, enviando um pedido para o Centro de Estudos, Documentação e Informação sobre a Criança do IAC (CEDI) iac-cedi@iacrianca.pt

Na compra do livro, o IAC oferece um marcador com o calendário para 2018 e uma surpresa para as crianças navegarem na internet em segurança, neste Natal.

Até dia 21 de dezembro de 2017, o livro tem um desconto de 20% custando 9,60€.

AJUDE-NOS A AJUDAR! Sendo a missão do IAC a promoção e a defesa dos Direitos das Crianças, consideramos que devemos contribuir para que as crianças e os jovens conheçam os seus direitos digitais, visto que as Crianças têm o direito de fazer escolhas conscientes e informadas sobre a sua participação (ou não) online, têm o direito à literacia digital e a desenvolver capacidades para usar e lidar criticamente com as tecnologias.

 

 

Era uma vez… 12 novos livros infantis para comprar agora

Dezembro 1, 2017 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

Texto do http://observador.pt/ de 16 de novembro de 2017.

Ana Dias Ferreira

Para o Natal, para dias de chuva ou porque sim. As prateleiras de baixo estão cheias de novidades infantis e há livros com animais selvagens, pais fixes, desenhos e labirintos para explorar.

1. Animais Selvagens do Norte

De Dieter Braun. (Orfeu Negro). 25€

O lobo hipnotizante da capa é só um. Um dos 80 Animais Selvagens do Norte ilustrados por Dieter Braun neste álbum de capa dura que dá início a uma série dedicada ao mundo animal. Da América do Norte à Ásia, passando pela Europa — onde Portugal aparece representado com o “já raro” lince ibérico — são 144 páginas de grande formato que fazem uma viagem a alguns dos pontos mais recônditos do planeta, ao mesmo tempo que deixam um alerta pelo facto de um terço das espécies representadas terem a sua subsistência em risco. E o melhor é que não são só bonecos — metade dos animais representados vem acompanhada de pequenos textos recheados de curiosidades. Exemplos? Na Ásia há um veado que não tem hastes mas sim uns caninos vampirescos; o pica-pau de penacho vermelho “chega a dar 12 mil bicadas por dia sem ficar com dores de cabeça, pois tem um crânio especialmente desenvolvido para esse tipo de esforço extremo”; e os guaxinins ingerem tanta comida para resistirem aos invernos gelados que o seu peso chega a aumentar 50 por cento. BBC Vida Selvagem para os mais pequenos encherem a cabeça e os olhos.

2. O Meu Pai Era Tão Fixe

De Keith Negley (Rastilho de Letras). 14.90€

O que vemos é um pai “normal”, como o classifica o próprio filho. Mas este pai já foi fixe, uma verdadeira estrela rock, e os instrumentos musicais guardados numa sala, assim como as tatuagens nos braços, lá estão para o provar. A questão é que agora a guitarra foi substituída pelo aspirador, a mota por um carro familiar e o stage diving por idas ao parque infantil, como tão bem mostram as ilustrações do autor Keith Negley, numa espécie de correspondência visual entre o mundo passado e o presente. E se a expressão do título é dita pelo próprio filho no pretérito perfeito, será também ele a descobrir que afinal o pai continua a ser fixe por outros motivos, numa história ao mesmo tempo cool e ternurenta que marca a auspiciosa estreia da nova editora Rastilho de Letras.

3. Cem Sementes Que Voaram

De Isabel Minhós Martins e Yara Kono (Planeta Tangerina). 12,50€

Espetado com as suas raízes, um pinheiro está à espera, sem sair do sítio. À espera que tudo corra bem, à espera do dia certo para soltar as sementes. E esse dia lá chega. 100 sementes voam, mas nem todas caem em bom solo: 10 acabam numa estrada, 20 mergulham num rio, e as 70 que sobram vão também obedecendo a uma conta de diminuição — habilmente explorada por Isabel Minhós Martins — e enfrentando destinos inesperados e impróprios para jovens sementes. Ou então… como a própria árvore sabe desde o início e este livro ensina tão bem, “muitas vezes, para tudo correr bem, basta saber esperar”.

4. O Urso e o Piano

De David Litchfield (Booksmile). 13,99€

Tudo começa quando um ursinho encontra um objeto enorme e estranho na floresta. Mais estranho ainda: o objeto faz um som horrível — “PLONC!”. Nós sabemos, pelas belas ilustrações premiadas de David Litchfield, que se trata de um piano. O pequeno ursinho, que entretanto vai crescendo até ficar maior do que o monstro de madeira, vai aprendê-lo também, à medida que se vai apaixonando pelo instrumento e pelos sons que consegue arrancar das suas teclas. Mas serão os concertos na clareira da floresta suficientes? Um enredo a explorar, juntamente com noções como a aventura e a amizade, nesta bela estreia do autor britânico em Portugal, traduzido pela escritora Luísa Costa Gomes.

5. Perdi-me no Museu Porque…

De Davide Cali e Benjamin Chaud (Orfeu Negro). 12€

Voltaram as desculpas e aventuras mirabolantes. Depois dos divertidos Não Fiz os Trabalhos de Casa Porque e Cheguei Atrasado à Escola Porque…, Davide Cali traz de volta o pequeno herói Henrique e mostra o que pode acontecer numa visita de estudo a um museu, sobretudo quando esse museu inclui dinossauros, homens Neanderthais, búfalos, máscaras africanas e catapultas.

6. A escola da Haru

De Flavia Company e Luciano Lozano (Pequena Fragmenta). 14,50€

A escola da Haru é muito diferente das nossas. Para começar fica num dojo, no Japão, só tem quatro alunos e as disciplinas que ensina são coisas como concentração, paciência e compreensão. Ao longo de vários episódios numerados e ilustrados como autênticos quadros onde brilham tanto as personagens (e os seus quimonos) como as paisagens feitas de rios com carpas e cerejeiras em flor, vemos os alunos crescer e evoluir. Com eles, o leitor aprende também os dons da observação, a generosidade ou a competitividade saudável, em mais um lançamento da Pequena Fragmenta que se distingue da restante oferta infantil e que vem acompanhado por um cuidado e interessante guia de leitura no final.

7. Não é Nada Difícil — O Livro dos Labirintos

De Madalena Matoso (Planeta Tangerina). 14,90€

Parece uma grande embrulhada, mas é mais uma ideia original da Planeta Tangerina. Em Não é Nada Difícil o tradicional “era uma vez” dá lugar a uma história que só avança à medida que se atravessam labirintos. Há 14 ilustrados por Madalena Matoso em cores fortes que chegam a ser fluorescentes, e nos 14 exploram-se diferentes graus de dificuldade e encontram-se coisas como lupas, pulgas em elefantes, cavalos, ervilhas no meio de pratos de esparguete e maçãs. Tudo interligado, basta atravessar os 14 passos sempre pelas linhas brancas. E encontrar a agulha no palheiro.

8. Boa Noite!

De Pierre Pratt (Orfeu Negro). 9,90€

Depois de subir 96 andares, o Senhor Silva chega a casa ao final do dia e só pensa numa coisa: dormir. Um a um, vai tirando e dizendo boa noite ao chapéu, ao casaco, à gravata, aos sapatos, aos óculos e — parte engraçada e surreal deste pequeno livrinho, pintado a meia-luz por Pierre Pratt e capaz de transformar a hora de dormir numa gargalhada — aos olhos, às pernas e por aí fora.

9. A Estrela do Mar

De Fernanda Ferreira Velez e Joana Soares (Cultura Editora). 11€

Depois do mercadito que de pequeno só tem o nome, Fernanda Ferreira Velez dá mais um passo na expansão do Blog da Carlota com o lançamento do seu primeiro livro infantil. A Estrela do Mar coloca as duas filhas da empreendedora num cenário que os pais conhecem tão bem — o momento em que pedem para ler outra vez a mesma história antes de dormir ou para ouvir uma inteiramente nova — e apresenta um conto inédito (que dá nome ao livro), juntamente com versões alternativas dos clássicos “O Capuchinho Vermelho” e “A Branca de Neve” onde os miúdos podem ser os heróis. Tudo isto acompanhado pelas bonitas ilustrações em aguarela de Joana Soares, mais conhecida como Violeta Cor de Rosa.

10. Vamos Conhecer os Alimentos!

De Mariana Abecasis e Elsa Martins (Booksmile). 13,29€

Numa altura em que se fala tanto de alimentação saudável, o tema é explorado também neste livro para crianças, com textos da nutricionista Mariana Abecasis ilustrados de forma viva por Elsa Martins. A partir da roda dos alimentos, a obra faz uma viagem pelas frutas, os legumes, o cacau, as sementes, os frutos secos, os cereais, o peixe, os ovos, as especiarias e uma série de outros capítulos que têm em comum poderem acabar à mesa. Com várias caixas e pequenos títulos, Vamos Conhecer os Alimentos! inclui curiosidades, truques (como pôr um pêssego em água a ferver durante 10 segundos e depois em água gelada para tirar a casca mais facilmente), receitas, informações nutricionais escritas e atividades com o título “experimenta”. No final, a “digestão” faz-se com alguns desafios para testar os conhecimentos.

11. Desenho Livre

De Andrés Sandoval (Planeta Tangerina). 13,90€

Parece um simples livro de colorir, mas depressa se revela algo para além disso, quando uma personagem irrequieta — um menino-lápis de contornos pretos — começa a desenhar nas páginas brancas, sem cerimónias. Rapidamente, o leitor é convidado a descobrir cores — amarelo para o milho, laranja para o cobre, violeta para a beringela —, a completar palavras, a unir pontos, a fazer corresponder tons a números, a explorar sombras e até a fazer zoom em coisas habitualmente pequenas como teias de aranha. Ou seja, o melhor mesmo é seguir o convite da personagem (e do artista gráfico Andrés Sandoval, de regresso à Planeta Tangerina depois de Siga a Seta), e ter não um mas muitos lápis à mão.

12. A Minha Mãe

De Stéphane Servant e Emmanuelle Houdart (Orfeu Negro). 15€

Com ilustrações que se assemelham a tatuagens e num álbum de grande formato, A Minha Mãe fala de uma relação que também é para sempre e está marcada na pele: o amor entre mãe e filha, em frases curtas e poéticas que encontram eco na representação de uma mulher misteriosa e fascinante que aos olhos da filha é ao mesmo tempo uma mãe-guerreira, uma mãe-pássaro, uma mãe-loba e uma mãe-árvore.

 

 

Lançamento do livro Alerta Premika em Braga, em 6 de Dezembro

Novembro 28, 2017 às 2:00 pm | Publicado em Livros, Publicações IAC-CEDI | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

 

Apresentação do livro “A História do Rock” (para pais fanáticos e filhos com punkada) 1 dezembro em Alcobaça

Novembro 27, 2017 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

mais informações no link:

https://www.facebook.com/events/1608669955855999/

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.