Troque o tablet do seu filho por um instrumento musical

Março 3, 2018 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Texto do http://kids.pplware.sapo.pt/ de 14 de fevereiro de 2018.

Criado por Célia Simões

A tecnologia foi encontrada pelos pais como uma forma de manter os filhos quietos, mas se o seu interesse é estimular a inteligência do seu filho tire-lhes o tablet e ofereça-lhe um instrumento musical.

Nos dias de hoje facilmente encontramos em restaurantes, consultórios e outros locais públicos, crianças agarradas aos tablets ou smartphones. Os pais ficam descansados pois os filhos estão quietos e não incomodam.

Apesar da tecnologia ser o futuro, de ser importante que as crianças aprendam a explorá-la, para o seu desenvolvimento intelectual não é o mais indicado.

Segundo estudos recentes, dar tablets ou smartphones às crianças não é a melhor forma de estimular o cérebro destas. Álvaro Bilbao, neuropsicólogo espanhol, autor do livro EL cérebro del ninõ explicados a los padres (O cérebro da criança explicado aos pais), explica que se quer estimular a inteligência dos seus filhos tire-lhe a tecnologia e ofereça-lhe um instrumento musical.

As aulas de música estimulam a capacidade de raciocínio das crianças, mais do que a tecnologia.

A genética tem um peso fundamental no desenvolvimento intelectual da criança, cerca de 50%, mas os restantes 50% dependem de outros estímulos que recebem. As aulas de música, por exemplo, estimulam a capacidade de raciocínio das crianças, mais do que a tecnologia.

É importante que os pais interajam com os filhos e lhes transmitam valores, que promovam a socialização em detrimento do isolamento, que incentivem os seus filhos a praticar desporto e a experimentar diversas atividades.

Um estudo publicado na revista Psychological Science, feito pela Universidade de Toronto, no Canadá, encontrou relação entre o desenvolvimento cognitivo e a aprendizagem de música.

Três grupos de crianças com 6 anos, estudaram durante um ano, separadamente, canto, piano e expressão dramática. Daí ficou concluído que, as crianças que estudaram música, desenvolveram padrões de inteligência superiores aos outros.

Há alguns anos, especialistas afirmaram que colocar bebés com menos de 2 anos a ver filmes de desenhos animados relacionados com música clássica era importante para estimular a inteligência das crianças.

Essa teoria foi desmentida por vários estudos internacionais. A Associação Americana de Pediatria alega mesmo que as crianças com menos de 2 anos não devem ver televisão.

Contudo, crianças com mais idade, que veem filmes numa língua estrangeira, conseguem mais facilmente adaptar-se a outros vocabulários e sons. Por exemplo, as crianças portuguesas conseguem compreender e falar algumas palavras em inglês com maior facilidade que as crianças espanholas porque estas veem tudo dobrado.

Outra forma de estimular o desenvolvimento cognitivo das crianças é ler a duas vozes a história da hora de ir para a cama. Um estudo feito no Canadá garante que este método melhora a capacidade de aprendizagem dos mais novos.

Se quer exercitar o cérebro do seu filho incentive-o a sair de casa, a conviver com outras pessoas e a aprender a tocar um instrumento.

 

 

Artemanhas de Criação Musical – Artes nas Férias do Verão no CCB

Junho 18, 2017 às 6:30 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Artes nas Férias do Verão ©Manuel Ruas Moreira

Fábrica das Artes | para todas as infâncias

«A música é o tipo de arte mais perfeita: nunca revela o seu último segredo.» Oscar Wilde

Ao longo da semana, vamos viajar pelos cinco continentes, explorando o universo musical das canções e dos instrumentos do mundo inteiro, para nos inspiramos para o processo de exploração, improvisação e criação musical. Sons, ritmos, melodias e harmonias ganham corpo a partir da formação de uma orquestra composta por instrumentos tradicionais e improváveis também.

Vamos entrar num pequeno estúdio para gravar um CD com as nossas criações musicais, tocadas em conjunto por mestres e aprendizes, e finalmente, no último dia, oferecer um concerto no Jardim das Oliveiras.

PS: Caso toques um instrumento musical não te esqueças de o trazer contigo.

Com Afonso Sousa, Cândida Rosa, Inês Pereira, Nuno Cintrão, Nuno Melo

3 a 7, 10 a 14 julho, 2017 | 10:00 às 17:00 (acolhimento a partir das 9:30)

Espaço Fábrica das Artes

6 aos 10 anos

mais informações:

https://www.ccb.pt/Default/pt/FabricaDasArtes/Programacao/Oficinas?a=776

Estudar música deixa as crianças mais atentas e menos ansiosas

Fevereiro 4, 2015 às 12:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , , , ,

notícia do site  http://revistacrescer.globo.com de 8 de janeiro de 2015.

o estudo citado na notícia é o seguinte:

Cortical Thickness Maturation and Duration of Music Training: Health-Promoting Activities Shape Brain Development

160620481

Pesquisa mostra que aprender a tocar um instrumento na infância melhora funções cerebrais ligadas a habilidades como memória, organização e controle das emoções

Por Fernanda Carpegiani

Dar um instrumento musical na mão do seu filho ajuda a estimular o desenvolvimento neurológico dele. A constatação é de um grupo de pesquisadores da Universidade de Vermont, nos Estados Unidos. Depois de analisar tomografias de 232 crianças entre seis e 18 anos, eles perceberam que estudar música melhora as funções executivas do cérebro, responsáveis por habilidades como memória, controle da atenção, organização e planejamento do futuro.

Os especialistas constataram que o treinamento musical aumenta a espessura de uma área nobre do cérebro, o córtex, responsável também pelo controle das emoções. “O estudo dos instrumentos leva o ser humano ao nível mais complexo de concentração do cérebro, que é a atenção executiva. É preciso ter foco e disciplina para aprender a ler partituras e marcar o tempo”, explica a pesquisadora Elvira Souza Lima, especialista em neurociência e música.

A atividade pode começar a partir dos quatro anos, quando a criança já é capaz de fazer movimentos mais sutis com as mãos. “Esse aprendizado modifica fisicamente o cérebro, principalmente quando ocorre antes dos sete anos, e os ganhos se mantêm por toda a vida, mesmo que a criança pare de tocar o instrumento depois”, diz Elvira, frisando que o contato com a música, ainda que apenas como ouvinte, tem um grande impacto no desenvolvimento humano e prepara o cérebro para executar diferentes tipos de funções.

Então que tal estimular a iniciação musical em casa? Enquanto ajuda seu filho e se diverte com ele, você também absorve os benefícios do contato com a música, que vale para todas as idades. Veja como fazer isso no dia a dia:

– Coloque diferentes tipos de música para seu filho ouvir para aumentar o repertório dele logo cedo. Arrisque mesmo: clássica, africana, indígena, jazz, samba. – Faça brincadeiras com sons usando objetos da casa, como panelas e baldes. Não deixa de ser um jeito de produzir música. – Sempre que possível, separe 10 minutos do dia só para ouvir música com seu filho, sem realizar nenhuma outra atividade ao mesmo tempo. Todo mundo vai ficar mais relaxado. – Estimule as crianças a ouvir e identificar os sons da natureza, desde os passarinhos até o barulho das folhas ao vento. Isso também vale como experiência e memória musical. – Cantem juntos, com e sem música de fundo. O efeito de cantar é o mesmo de tocar um instrumento.

 

 


Entries e comentários feeds.