II Colóquio Brincar e modos de ser Criança – 25 maio, Coimbra

Abril 4, 2019 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

O Instituto de Apoio à Criança (IAC) tem por objetivo principal contribuir para o desenvolvimento integral da Criança, na Defesa e Promoção dos seus Direitos, sendo a criança encarada na sua globalidade como sujeito de direitos na família, na escola, na saúde, na segurança social e justiça.

É convicção do IAC que a promoção do “Direito de Brincar” consagrado no artigo 31º da Convenção sobre os Direitos da Criança, conduz a um crescimento equilibrado e feliz, já que através do Brincar a Criança atribui significados, comunica, compreende os outros, aprende a respeitar regras, inventa, constrói vezes sem fim, numa reconstrução permanente.

Neste sentido, o IAC-FCJ divulga o II Colóquio Brincar e os modos de ser Criança, a decorrer no dia 25 de maio, na Escola Superior de Educação, em Coimbra.

Este evento tem como principal objetivo refletir sobre o BRINCAR como direito das crianças, como expressão do seu modo de ser e estar, e como estratégia cientificamente fundamentada de educação e de integração social. Iremos procurar despertar o interesse de todos os participantes para a importância da atividade lúdica, dando ao mesmo tempo a conhecer investigações e iniciativas já realizadas, na medida em que elas possam ser inspiradoras para novas ações, por ventura da iniciativa dos próprios formandos.

Programa II Colóquio Brincar e modos de ser Criança 2019

Inscrições através do link: https://goo.gl/forms/mBXIo0X5bCkgVnGv1

Exposição dá a conhecer os direitos das crianças… a brincar

Abril 4, 2019 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia do Diário de Aveiro de 29 de março de 2019.

Presidente da República elogia trabalho pioneiro do Instituto de Apoio à Criança

Abril 4, 2019 às 9:00 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do Público de 2 de abril de 2019.

Nova sede do IAC foi inaugurada esta terça-feira, na Avenida da República. O edifício da sede foi cedido pela autarquia lisboeta por um período de 50 anos renováveis.

Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, saudou esta terça-feira o trabalho feito ao longo de 36 anos pelo Instituto de Apoio à Criança (IAC), destacando ter sido pioneiro “numa causa que não existia”.

Em declarações aos jornalistas, no final da inauguração da nova sede do IAC, na Avenida da República, em Lisboa, o chefe de Estado começou por felicitar a sua agora presidente honorária, Manuela Eanes, que lançou o instituto em 1983.

“Durante estes 36 anos, o Instituto apoiou crianças, sobretudo em bairros problemáticos, na Área Metropolitana de Lisboa e fora dela, em condições muito difíceis e com poucos meios e hoje finalmente tem uma sede à altura das necessidades”, salientou.

O Presidente da República destacou o mérito do IAC “em ter percebido primeiro o que hoje toda a gente admite”, que é a necessidade de protecção da criança e dos seus direitos, sobretudo das mais desfavorecidas. “Bem hajam por terem sido pioneiras numa causa que não existia e terem mantido essa luta com determinação, coragem, lucidez e determinação”, enfatizou.

Além de Manuela Eanes, marcou também presença na inauguração o antigo Presidente da República Ramalho Eanes, o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e, em representação do Governo, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e as secretárias de Estado da Educação e da Inclusão.

A presença do primeiro-ministro estava também prevista, mas uma reunião que se estendeu para lá do previsto na Polícia Judiciária impediu António Costa de comparecer.

A actual presidente do IAC, Dulce Rocha, o provedor da Santana Casa da Misericórdia de Lisboa, Edmundo Martinho, a Procuradora Geral da República, Lucília Gago, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, foram outras figuras presentes na inauguração da nova sede. O edifício da sede, em pleno coração lisboeta, foi cedido pela autarquia lisboeta por um período de 50 anos, renováveis.

A mudança para a nova sede, na Avenida da República, permitirá uma “maior concentração de serviços”, para dar uma “resposta mais pronta” aos casos de crianças em risco de que o IAC se ocupa, disse na segunda-feira à Lusa a presidente executiva da instituição sem fins lucrativos, Dulce Rocha.

A nova sede vai albergar os serviços jurídico, de relações externas e de actividade lúdica do IAC, o sector de humanização dos serviços de atendimento à criança, o fórum Construir Juntos, o Centro de Estudos, Documentação e Informação sobre a Criança e o Projecto Rua – Em Família para Crescer, embora a intervenção deste último decorra em contexto comunitário. Nas novas instalações vão trabalhar cerca de 40 funcionários.

Fora da nova sede fica o serviço SOS Criança, que vai manter-se nas antigas instalações, na Avenida da Igreja. Dulce Rocha justificou a “impossibilidade de mudar este sector” pelas “limitações de espaço” da nova sede, que funcionará num edifício cedido pela Câmara Municipal de Lisboa.

 

 

Instituto de Apoio à Criança tem nova sede

Abril 3, 2019 às 8:00 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia e fotografias do site da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de abril de 2019.

Localizado na Avenida da República, o edifício foi cedido pela Câmara Municipal de Lisboa por um período inicial de 25 anos.

Permite, a partir de agora, uma concentração dos serviços da instituição, de forma a dar uma “resposta mais pronta” aos casos de crianças em risco de que o IAC se ocupa.

A nova sede vai acolher, entre outros, a atividade lúdica do Instituto, o setor de humanização dos serviços atendimento à criança, o fórum Construir Juntos, o Centro de Estudos, Documentação e Informação sobre a Criança e o Projeto Rua – Em Família para Crescer.

Manuela Eanes, presidente honorária da instituição, foi a anfitriã da visita ao espaço que contou, entre outros, com a presença do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina e do presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Marcelo elogia papel pioneiro do instituto

Abril 3, 2019 às 12:00 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Notícia do Correio da Manhã de 3 de abril de 2019.

Instituto de Apoio à Criança inaugura nova sede com Marcelo Rebelo de Sousa a elogiar trabalho pioneiro

Abril 3, 2019 às 9:48 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do Sapo24 de 2 de abril de 2019.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, saudou hoje o trabalho feito ao longo de 36 anos pelo Instituto de Apoio à Criança (IAC), destacando ter sido pioneiro “numa causa que não existia”.

Em declarações aos jornalistas, no final da inauguração da nova sede do IAC, na Avenida da República, em Lisboa, o chefe de Estado começou por felicitar a sua agora presidente honorária, Manuela Eanes, que lançou o instituto em 1983.

“Durante estes 36 anos, o Instituto apoiou crianças, sobretudo em bairros problemáticos, na Área Metropolitana de Lisboa e fora dela, em condições muito difíceis e com poucos meios e hoje finalmente tem uma sede à altura das necessidades”, salientou.

O Presidente da República destacou o mérito do IAC “em ter percebido primeiro o que hoje toda a gente admite”, que é a necessidade de proteção da criança e dos seus direitos, sobretudo das mais desfavorecidas.

“Bem hajam por terem sido pioneiras numa causa que não existia e terem mantido essa luta com determinação, coragem, lucidez e determinação”, enfatizou.

Além de Manuela Eanes, marcou também presença na inauguração o antigo Presidente da República Ramalho Eanes, o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e, em representação do Governo, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e as secretárias de Estado da Educação e da Inclusão.

 

 

Instituto de Apoio à Criança quer otimizar serviços em nova sede

Abril 2, 2019 às 4:10 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do Diário de Notícias de 1 de abril de 2019.

O Instituto de Apoio à Criança (IAC) vai inaugurar em 2 de abril a sua nova sede na Avenida da República, numa mudança que visa a otimização dos serviços.

mudança para a nova sede, na avenida da República, permitirá uma “maior concentração de serviços”, para dar uma “resposta mais pronta” aos casos de crianças em risco de que o IAC se ocupa, disse à Lusa a presidente executiva da instituição sem fins lucrativos, Dulce Rocha.

A nova sede vai albergar os serviços jurídico, de relações externas e de atividade lúdica do IAC, o setor de humanização dos serviços de atendimento à criança, o fórum Construir Juntos, o Centro de Estudos, Documentação e Informação sobre a Criança e o Projeto Rua — Em Família para Crescer, embora a intervenção deste último decorra em contexto comunitário. Nas novas instalações vão trabalhar cerca de 40 funcionários.

Fora da nova sede fica o serviço SOS Criança, que vai manter-se nas antigas instalações, na Avenida da Igreja. Dulce Rocha justifica a “impossibilidade de mudar este setor” pelas “limitações de espaço” da nova sede, que funcionará num edifício cedido pela Câmara Municipal de Lisboa.

Olhando ao panorama atual português, no que respeita à proteção de crianças e jovens, Dulce Rocha considera que “a evolução é boa”, mas “ainda há muito por fazer”.

O IAC propõe a definição de “um plano estratégico que inclua mais as crianças” e que, desde o início, lhes atribua o estatuto de vítima, bem como a criação de “uma norma de prevalência que possa garantir a segurança das crianças”.

Para o efeito, a presidente executiva defende a importância de “evitar decisões contraditórias nos tribunais” e de definir “molduras penais mais graves” em casos de violência doméstica, numa conjuntura em que “crimes graves de violência” chegam a ser punidos “com apenas cinco anos”.

“A situação de stress destas crianças é tão prolongada que, mesmo quando não são as vítimas diretas da violência doméstica, esta provoca danos psicológicos, mas também físicos” explica Dulce Rocha, acrescentando que “estes danos não permitem à criança recompor-se e recuperar do sofrimento”, o que pode afetar “o próprio cérebro”.

Entre os casos mais frequentemente tratados pelo IAC, a presidente executiva destaca “situações de fuga de casa” causadas por ocorrências de violência doméstica, bem como situações de necessidade de “atendimento psicológico no serviço SOS Criança”.

Dulce Rocha afirma ainda que “o Estado deve dar mais espaço às organizações não-governamentais, como o IAC e a APAV, por estas estarem mais próximas das vítimas, sem, no entanto, se eximir do seu papel”.

No campo mediático, quando se coloca a hipótese de um eventual efeito de mimetismo decorrente da divulgação destes casos, Dulce Rocha considera que, mesmo havendo a possibilidade de “algum efeito desse tipo, não há outra via que não a denúncia e a reflexão”.

A inauguração da nova sede do IAC vai contar com a presença do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, do primeiro-ministro António Costa e do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.

 

Desde 1989, mil crianças por ano ligaram para a Linha SOS Criança

Abril 2, 2019 às 2:10 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Notícia do Público de 1 de abril de 2019.

A Linha SOS Criança foi criada pelo Instituto de Apoio à Criança que inaugura esta terça-feira uma nova sede em Lisboa.

Ana Dias Cordeiro

Nos seus 30 anos de existência, a Linha SOS Criança recebeu mais de 91 mil chamadas, das quais cerca de um terço feitas por crianças que ligaram directamente a reportar uma situação de abuso ou de maus tratos na família – ou fora dela. Foram 30 mil crianças desde 1989.

Também ligam por algo que corre mal na escola – quando não estão a aprender ou porque vivem uma situação de bullying. Há ainda os casos de crianças e jovens que telefonam para partilhar com um adulto a sua tristeza ou angústia, diz o psicólogo Manuel Coutinho, coordenador da linha de emergência para crianças e secretário-geral do Instituto de Apoio à Criança (IAC), no âmbito do qual foi lançada a linha de emergência.

O IAC, que completa este ano 36 anos, inaugura nesta terça-feira a sua nova sede em Lisboa, na presença do Presidente da República, do Presidente da Assembleia da República, do primeiro-ministro e do presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Foi fundado em 1983 por um grupo de profissionais de várias áreas – médicos, magistrados, professores, psicólogos técnicos de serviço social ou educadores. Existe como instituição particular de solidariedade social (IPSS) e “a sua grande aposta é a prevenção das situações de perigo”, mas também a intervenção directa, diz ainda Manuel Coutinho.

Em 1989, a SOS Criança “foi inovadora por dar, pela primeira vez, a voz à criança” sem necessidade da intermediação de um adulto, salienta Manuel Coutinho. E isso fez toda a diferença: “Antes disso, se os pais não fossem apresentar a situação, não haveria conhecimento da situação de mau trato. A partir daí, aparece um serviço anónimo e confidencial para onde as crianças podem ligar” por sua própria iniciativa, realça o psicólogo clínico.Nessa altura, os serviços – de saúde, de ensino, ou outras entidades – não estavam ainda sensibilizados para a existência de situações de perigo que não estivessem nos registos. “Quando encaminhávamos a situação, diziam-nos que não havia registo de maus tratos dessa criança. Nós pedíamos que a situação fosse averiguada e comprovava-se que a criança estava em risco ou em perigo”, recorda.

Ajuda ou reencaminhamento

Muita coisa mudou desde então e hoje com a frequência das situações de violência doméstica a que estão expostas, muitas crianças ligam por esse motivo, e alguns casos “não se agravam ainda mais porque as crianças pedem ajuda ao IAC”.

Das 91.038 chamadas recebidas desde 1989 (feitas essencialmente por familiares que têm problemas a reportar relacionados com as suas crianças, vizinhos, professores e educadores), houve reencaminhamento de 13.300 situações para escolas, hospitais, tribunais ou comissões de protecção de crianças e jovens (CPCJ).

As CPCJ foram criadas a partir de 1999, com a entrada em vigor da Lei de Protecção de Crianças e Jovens em Perigo. Como refere a presidente honorária do IAC, Manuela Ramalho Eanes, num texto escrito em 2017, o IAC é anterior à assinatura em 1989 da Convenção da ONU para os Direitos da Criança.

A SOS Criança iniciou consultas de atendimento psicológico gratuito nas instalações do IAC em 2001. Nestes 17 anos, os psicólogos da linha realizaram 1680 atendimentos – cerca de 100 por ano.

A Escola Alfaiate, o mais recente projecto em estabelecimentos de ensino do IAC, nasceu da constatação de que era preciso pensar a escola “à medida de cada aluno”, explica Manuel Coutinho. O projecto-piloto, lançado em 2017 em cinco estabelecimentos de Lisboa, consiste em apoiar os alunos e a comunidade escolar, para a escola se adaptar à especificidade de cada aluno, e não o contrário, e pretende alargar-se a todo o país.

“Quando se avalia o sucesso ou insucesso escolar, esquecemo-nos muitas vezes que aquela criança pode estar a viver numa situação muito adversa”, diz ainda Manuel Coutinho. “Basta ter uma carência alimentar ou um ambiente hostil na família.”

 

Seminário “Olhares com sentido : As mãos não são para bater” com a participação de Cláudia Manata do Outeiro do IAC,12 abril em Coimbra

Março 28, 2019 às 3:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

No âmbito da 9ª Campanha Regional de Prevenção de Maus Tratos a Crianças e Jovens: SILÊNCIO??? Não!!!, promovida pela Rede de Parceiros da ARS Centro, à qual pertence o Instituto de Apoio à Criança, irá decorrer o Seminário do Mês da Prevenção dos Maus Tratos na Infância, a realizar no Hospital Pediátrico de Coimbra, no dia 12 de abril de 2019 e que irá contar com a presença da Profª Claudia Manata do Outeiro IAC-CEDI (Centro de Documentação e Informação sobre a Criança).

Mais informações no link:

https://caritascoimbra.pt/2019/noticias/caritas-coimbra-promove-9a-campanha-de-prevencao-de-maus-tratos-a-criancas-e-jovens/

 

IV Seminário: Os Direitos da Criança, 5 abril em Vila do Bispo, com a participação de Melanie Tavares do IAC

Março 27, 2019 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

A Dra. Melanie Tavares, Coordenadora dos Sectores da Actividade Lúdica e da Humanização dos Serviços de Atendimento à Criança do Instituto de Apoio à Criança,irá participar no encontro com a comunicação “Mediação Escolar na Promoção dos Direitos da Criança”.

A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição, até dia 1 de Abril, podendo ser feita aqui ou enviando um e-mail para seminario.cpcj.vb@gmail.com.

mais informações no link:

https://www.facebook.com/events/2156059081115717/

« Página anteriorPágina seguinte »


Entries e comentários feeds.