Como explicar a tragédia às crianças: “é preciso transmitir-lhes segurança”

Junho 20, 2017 às 11:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do http://www.dn.pt/de 18 de junho de 2017.

Rui Marques Simões

No rescaldo do incêndio de Pedrógão Grande, é importante dosear a informação transmitida a crianças e adolescentes, explica o psiquiatra Pedro Pires

Ninguém está preparado para lidar com uma tragédia brutal, num contexto e com uma dimensão completamente inesperadas, como o grave incêndio que espalhou a morte em redor de Pedrógão Grande (norte do distrito de Leiria). E mais complicado parece explicá-lo a crianças e adolescente. A prioridade deve ser transmitir-lhes segurança, explica, ao DN, o psiquiatra da infância e adolescência Pedro Pires, colaborador do Programa Nacional para a Saúde Mental nessas áreas.

“O importante é transmitir segurança. O principal medo da criança é pensar que isso lhe pode acontecer. É preciso tranquilizá-la, explicando que é uma experiência isolada e que a criança, no mundo onde vive, está em segurança”, aponta o psiquiatra.

Depois, o grau de profundidade da explicação de uma tragédia como o incêndio de Pedrógão Grande deve variar consoante a idade. “Numa criança pequena, em idades mais precoces, antes da adolescência, é evitável dar explicações detalhadas: até pode ser negativo dar detalhes e mostrar a crueza da realidade, porque a criança não tem – de modo geral – capacidade psíquica e cognitiva de compreensão da totalidade da situação. Já num adolescente é importante abordar este assunto. A conversa deve ser mais detalhada e é importante falar e esclarecer as dúvidas”, descreve Pedro Pires.

De resto, a exposição aos conteúdos mediáticos, como imagens televisivas e partilhas de redes sociais, também deve doseada e intermediada, para não afetar espetadores com idades mais sensíveis. “Não é demais repetir o controlo que deve existir nos media, principalmente quanto à imagem. É um conteúdo traumático sobre o qual criança não tem capacidade de elaborar [raciocínios]. Pela idade, não tem capacidade para aguentar a exposição ao sofrimento. E os pais devem procurar, no que for possível, que crianças pequenas não visualizem essas imagens”, conclui o colaborador para a infância e adolescência do Programa Nacional para a Saúde Mental.

 

 

Programa Voluntariado Jovem para as Florestas

Maio 26, 2011 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

O Programa Voluntariado Jovem para as Florestas

O Programa Voluntariado Jovem para as Florestas tem como objectivos:

  •  incentivar a tua participação no grande desafio que é a preservação da natureza e da floresta em particular;
  • reduzir, assim, o flagelo dos incêndios, através de acções de prevenção.

Áreas de Actividade

São as seguintes:

  • a sensibilização das populações para o risco de incêndio;
  • a vigilância;
  • a limpeza do lixo das áreas florestais e dos perímetros urbanos, garantindo assim uma menor probabilidade de ocorrência de incêndios florestais;
  • a participação nos trabalhos de inventariação de necessidades de intervenção em termos de limpeza e registo de ocorrências, de modo a que em colaboração com a Direcção-Geral dos Recursos Florestais consigamos reunir dados, também para programação de acções futuras.

Duração dos Projectos

Em 2011, os projectos decorrem de 15 de Maio a 31 de Outubro.

Quem pode inscrever-se

Todos os jovens  entre 18 e 30 anos de idade.

Onde podes inscrever-te

Junto da Loja Ponto JA do IPJ da tua área de residência.

Neste portal, vê “Mais Informação” no final desta página.

Prazos de inscrição

As candidaturas decorrem de 1 de Maio a 30 de Setembro, inclusivé.

O que é necessário para te inscreveres

Preenchimento de formulário específico e entrega de uma Declaração de Honra em como não cometeste nenhum crime contra a natureza.

Ambos os modelos são disponibilizados pelas Lojas Ponto JA do IPJ e estão disponíveis neste Portal, na área formulários.

Custos de inscrição

Não há custos de inscrição neste Programa.

Apoios

O IPJ garante aos jovens participantes nos projectos:

  • uma bolsa diária no montante de de 10€;
  • um seguro de acidentes pessoais;
  • equipamento;
  • um certificado de participação a emitir pela Direcção Regional do IPJ.

Mais informações Aqui


Entries e comentários feeds.