Apps para mejorar la gramática en inglés

Janeiro 26, 2017 às 6:00 am | Publicado em Recursos educativos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

texto do site http://www.educaciontrespuntocero.com/ de 8 de dezembro de 2015.

por Educación 3.0

Con estas aplicaciones podrás practicar con ejercicios de gramática inglesa. Hay para todos los niveles.

Ejercicios de inglés

Compatible con Android, tiene gran variedad de ejercicios para trabajar pronombres, artículos, condicionales, tiempos verbales… Vienen con solución, para que sepas si lo haces correctamente. Es gratuita.

ejercicios-de-ingles-183x300

LearnEnglish Grammar

Gratuita (aunque con paquetes de descarga de pago) y compatible con Android e iOS, ha sido pensada para ayudar a mejorar la precisión gramatical inglesa. Es ideal para estudiantes de todos los niveles y ofrece actividades de gramática a nivel Principiante (CEFR nivel A1), Elemental, Intermedio y Avanzado (CEFR nivel C2).

learnenglish-grammar-169x300

Gramática de Inglés

Destinada a los usuarios con niveles más básicos, muestra los conceptos de forma clara y comprensible. Tiene 44 lecciones y ejercicios que, además de gramática, también trabajan el vocabulario esencial. No necesita conexión a Internet para funcionar, es gratuita (para quitar los anuncios se puede optar por la versión Premium) y es compatible con Android.

gramaticadeingles-187x300

Inglés para todos

Ha sido pensada como una guía de consulta en la que encontrar respuesta a dudas sobre pronunciación, sustantivos, artículos, adjetivos, adverbios, verbos… Todas las explicaciones se complementan con ejemplos. Su precio es de 3,99 euros y es compatible con iOS.

ingles-para-todos-169x300

Inglés Gramática

A modo de concurso, esta app gratuita para Android realiza pruebas con las que repasar todos los aspectos de la gramática inglesa. Se adapta a tres niveles: básico, intermedio y avanzado.

inglesgramatica-199x300

 

 

Londres tem um infantário onde as crianças aprendem português e inglês

Janeiro 5, 2017 às 6:00 am | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Reportagem da http://sicnoticias.sapo.pt/ de 27 de dezembro de 2016.

sic

visualizar a reportagem no link:

http://sicnoticias.sapo.pt/mundo/2016-12-27-Londres-tem-um-infantario-onde-as-criancas-aprendem-portugues-e-ingles

Em Londres há um infantário bilingue onde crianças entre os seis meses e os quatro anos aprendem a falar em português e em inglês. Abriu em 2012 e cantigas, histórias e actividades são sempre ensinadas em português e inglês, sendo que para os pais é a melhor forma de garantir que os filhos nunca esquecerão as suas origens. Até as refeições são feitas de acordo com receitas portuguesas adaptadas para crianças.

Negativa a inglês pode valer chumbo no 4.º ano

Setembro 30, 2015 às 8:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia do Observador de 23 de setembro de 2015.

Os alunos do 1.º ciclo que não obtenham aprovação a inglês podem ficar retidos na 4.ª classe, de acordo com um despacho publicado esta terça-feira. Exame de Cambridge do 9.º ano pesará 20 a 30%.

Os alunos que obtiverem uma nota inferior a três valores a inglês, português ou matemática no 4.º ano de escolaridade e simultaneamente uma menção insuficiente a pelo menos outra disciplina (como estudo do meio) chumbam e não transitam para o 2.º ciclo de ensino. O Despacho de Avaliação do Ensino Básico foi publicado na terça-feira, em Diário da República, e introduz ajustamentos na avaliação dos alunos no Ensino Básico, desde logo em função da introdução do Inglês como disciplina obrigatória a partir do 3.º ano de escolaridade.

No entanto, o inglês só este ano letivo começa a ser lecionado nas escolas no 3.º ano de escolaridade, o que determina que não haja ainda no final do ano alunos em condições de reprovar. A acontecer só acontecerá no final do ano letivo 2016/2017.

O presente despacho incorpora ainda as alterações decorrentes da introdução da prova de inglês da Universidade de Cambridge como elemento de avaliação obrigatória no 9.º ano, definindo o peso deste exame na nota dos alunos que poderá variar entre 20% e 30% da nota, “admitindo-se que a escola escolha outro peso que considere mais adequado, registando a sua fundamentação”, lê-se no diploma.

A obrigatoriedade deste exame internacional “traduz o reforço da importância curricular do Inglês, que passou de opcional a obrigatório durante sete anos de escolaridade ao longo desta legislatura”, referiu o Ministério da Educação e Ciência, em comunicado de imprensa, ao final da tarde de terça-feira.

Já em julho, quando foram divulgados os resultados dos alunos no PET deste ano, o ministro tinha adiantado esta alteração. “Apontarei para que as escolas progressivamente passem a ter uma ponderação da classificação externa perto, ou mesmo idêntica, à ponderação que existe para as outras provas, de Português e Matemática, que é de 30%”, disse Nuno Crato aos jornalistas, na altura.

Mais autonomia para as escolas

Ainda no Ensino Básico, é consagrada a já legislada autonomia na avaliação dos alunos nos Estabelecimentos de Ensino com Contrato de Autonomia e dos Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo.

Ao nível do ensino secundário, foi também ontem publicada a atualização da Portaria de Avaliação do Secundário, para se dar mais autonomia às escolas. Na avaliação de Português, “a oralidade, que tinha um peso fixo de 25% na nota dos alunos, passa a ter um peso mínimo de 20%”, explicou o ministério.

 

 

 

Porquê as crianças menores de 12 anos aprendem mais rápido

Julho 14, 2014 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

reportagem vídeo do site http://www.swissinfo.ch de 12 de junho de 2014.

swiss

ver o a reportagem aqui

Em vários cantões de língua alemã há campanhas para parar o ensino de duas línguas estrangeiras no ensino fundamental.

O argumento é que ele é muito exigente para as crianças e que seria melhor ensinar uma segunda língua estrangeira só no ensino médio. O professor Martin Meyer do Departamento de Psicologia da Universidade de Zurique, especialista em mapear os mecanismos neuronais da percepção e da produção da fala, insiste que as crianças mais novas têm mais facilidade em aprender novos idiomas. Segundo Meyer, o cérebro seria menos hábil a aprender novas línguas entre as idades de 12 e 20 anos, por isso seria um erro atrasar o ensino de uma segunda língua até o ensino médio. Na maioria dos cantões de língua alemã, as crianças aprendem inglês a partir do terceiro ano fundamental e francês a partir do quinto. A decisão de introduzir o inglês antes do francês é mal vista pelos cantões de língua francesa, que consideram isso uma ameaça à unidade nacional. Nos cantões de língua francesa, as crianças começam a aprender o alemão antes do inglês.

 

 

Bruxelas premeia dois projectos online portugueses com conteúdos para crianças

Fevereiro 24, 2014 às 6:00 am | Publicado em Site ou blogue recomendado | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia do i de 11 de fevereiro de 2014.

Por Agência Lusa

Dia da Internet Mais Segura tem como objetivo encorajar pessoas de todas as idades a criarem conteúdos online para os mais jovens e assinala-se hoje em mais de 100 países

A Comissão Europeia vai premiar dois projetos portugueses, entre outros, com conteúdos online especialmente destinado para crianças e jovens, no âmbito do Dia da Internet Mais Segura, que hoje se assinala.

Em Bruxelas, a comissária europeia para a Agenda Digital, Neelie Kroes, vai premiar os vencedores do concurso de melhores conteúdos online para crianças, incluindo os projeto portugueses “Escola de magia” ( http://pt.schoolofmagic.net/), um site destinado a utilizadores entre os sete e os 12 anos, “Learn English” ( http://learnenglishkid.blogspot.pt/) para um público dos seis aos oito anos.

“Há crianças e jovens que fazem coisas impressionantes com as ferramentas digitais. Temos que os encoraja, ajudá-los a estar em segurança e dar-lhes meios para criarem eles mesmos uma melhor internet”, disse Nellie Kroes.

O Dia da Internet Mais Segura tem como objetivo encorajar pessoas de todas as idades a criarem conteúdos online para os mais jovens e assinala-se hoje em mais de 100 países, incluindo – pela primeira vez – nos Estados Unidos, com milhares de ações de sensibilização previstas nomeadamente para crianças e jovens.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela Agência Lusa

 

 


Entries e comentários feeds.