Prioridade da infância é BRINCAR, e não criar currículo!

Março 14, 2018 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

 

Photo by Lotte Meijer on Unsplash

 

No mundo competitivo que a gente vive, é natural ver muitos pais e mães preocupados em oferecer uma infinidade de cursos para a criançada já na primeira infância. É inglês, música, robótica, reforço escolar, enfim, tudo para capacitá-los a encarar os desafios profissionais que aparecerão lá na frente. No entanto, especialistas são cada vez mais taxativos: brincar ainda é o maior catalisador das competências humanas. É nas pequenas distrações cotidianas que os pequenos aprendem habilidades importantíssimas para a carreira que vem anos mais tarde.

O pediatra Daniel Becker, pesquisador do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro e um dos criadores do programa Saúde da Família, defende que essa visão curricular sobre as atividades nas quais a criança precisa se envolver pode acabar fazendo com que ela desenvolva comportamentos de competitividade e individualismo.

O especialista defende que, na infância, a prioridade deve ser o livre brincar, atividade que não pode ser repetida em outra etapa da vida e que é capaz de estimular uma série de competências humanas que nenhuma sala de aula poderá ensinar.

“Nós vivemos uma cultura de excesso de valorização da aprendizagem com adultos, é um paradigma da escola do desenvolvimento. Como se o desenvolvimento de uma criança só se desse na sua interação com adultos, em aulas, supervisões, atividades programadas e estruturadas. Quando, na verdade, isso só provê essa criança de um tipo de ganho, um tipo de inteligência”, diz ele.

Segundo o pediatra, uma criança que brinca no parque com amigos vai aprender a negociar, interagir, ter empatia, ouvir o outro, se fazer ouvir, avaliar riscos, resolver problemas, desenvolver coragem, autorregulação, auto estímulo, criatividade, imaginação… Uma série de habilidades que nenhuma aula vai oferecer para ela.

“E elas são muito mais importantes para um adulto bem-sucedido do que uma aula de Kumon ou violino. Não que precisemos desvalorizar a importância de matricular nossos filhos em algumas atividades, mas é importante nunca esquecer que brincando livremente na natureza a criança está aprendendo.”

Becker ainda aponta que esse “excesso curricular” pode acarretar até prejuízos:

“Há algumas pesquisas que já estão avaliando que as crianças da geração Y, os millennials, que foram superprotegidas e foram vítimas desse excesso de escolarização, estão se tornando adultos narcisistas, incapazes de lidar com a frustração e com o conflito, tendem a fugir das intempéries… A criança tem que cair e ralar o joelho. Porque a vida dói, a realidade dói. Mas passa. E, no dia seguinte, o machucado ganhou uma casquinha, o corpo está reagindo e fazendo alguma coisa. Daqui a pouco, aquela marquinha sumiu e o joelho voltou ao normal. Olha tudo o que ela aprendeu ali sobre enfrentar a dor, sobre saber que essa dor passa e que o corpo funciona e se regenera. Que aula vai oferecer a ela essa experiência?”

Fonte: http://marcoleaoto.pt

Brincar no Hospital – Hospital D. Estefânia

Julho 11, 2013 às 12:00 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

As crianças que estão doentes têm problemas, sofrem, mas têm também necessidade de rir, de sonhar, improvisar, imaginar, esquecer o tempo e o espaço brincando e jogando e utilizando a sua criatividade! No Dia Internacional do Brincar/Jogar estivemos no Hospital D. Estefânia!

A ida ao hospital é vivida pela criança como uma experiência impressionante durante a qual vai aprender a conhecer o meio hospitalar: os lugares, os cheiros, os sabores, o ritmo de vida, as pessoas desconhecidas, os objetos desconhecidos, as máquinas,…
A atividade lúdica é fundamental para o desenvolvimento equilibrado da criança pois permite-lhe restaurar a sua segurança.

Adaptar o hospital às necessidades das crianças traduz a vontade dos adultos em encontrá-las no seu espaço. É importante desenvolver um espírito de brincar no seio da instituição hospitalar de forma global. Por espírito de brincar, entende-se que toda a equipa do hospital considere o brincar como uma necessidade vital da criança, uma fonte de prazer que favorece a expressão pessoal. Na instituição, é necessário que o brincar faça parte integrante da terapêutica e do ambiente geral. Abrir a porta do hospital à atividade lúdica permite que a criança compreenda quase instantaneamente, o esforço feito pelo serviço para a acolher. É como se fosse um sinal intermitente “Aqui as crianças são bem-vindas!”.

Brincar “aos médicos”, aos ”doentes”, com as bonecas, os ursos, os companheiros de quarto, com batas, máscaras, estetoscópios, seringas, etc., a criança brinca e representa a sua própria condição de criança hospitalizada. Por este meio ela encontra mecanismos para enfrentar os seus medos e angústias. Estimular tais brincadeiras é auxiliá-la na sua recuperação.

No Dia Internacional do Brincar/Jogar estivemos no Hospital D. Estefânia! Veja o nosso vídeo em baixo!

Leonor Santos

 

 

Dia Internacional do Brincar/Jogar

Maio 27, 2013 às 12:00 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

O Dia Internacional do Brincar/Jogar celebra o artigo 31º da Convenção sobre os Direitos da Criança das Nações Unidas, reforçando que Brincar é um direito. Relembra que o Brincar é uma fonte inesgotável de alegria, uma atividade fundamental para o desenvolvimento do ser humano, essencial para a saúde física e mental.

Com o objetivo de ampliar esta comemoração no nosso país, o Sector da Actividade Lúdica iniciou em 2012 o movimento: “A Brincar e a Jogar, ao Dia da Criança eu vou Chegar!”.

Este ano, lançámos o desafio a todos os espaços lúdicos do país, para se juntarem a nós numa iniciativa inovadora, a nível nacional, participando na realização do Flash Mob “Dia Internacional do Brincar/Jogar” nas suas localidades e que tem como objetivo sensibilizar a comunidade em geral para a importância do brincar e do jogar.

Divulgamos hoje o primeiro de uma série de vídeos que recebemos: o nosso agradecimento à Associação Gerações pela participação na nossa ação!

 

El derecho de los niños y las niñas a jugar Análisis de la importancia del juego en las vidas de niños y niñas de todo el mundo

Julho 6, 2012 às 12:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Descarregar o documento Aqui

El presente cuaderno se centra en el derecho  de los niños a jugar como elemento diferenciador del artículo 31 de la Convención sobre los Derechos del Niño de las Naciones Unidas, 1989 (CDN). Su objetivo es proporcionar una base a partir de la cual explorar lo que significa “el derecho del niño al juego” en las diferentes partes del mundo, así como en la CDN, y explica por qué es necesario reconocer, respetar y promover el juego como un derecho, lo cual no es tarea fácil. Las posturas con respecto al juego de los niños son muy variadas, pasando por aquellos que lo rechazan por considerarlo una pérdida de tiempo o algo trivial, aquello que lo prohíben como si fuera algo peligroso o subversivo y aquellos que lo adoptan como un mecanismo de aprendizaje o socialización.

Portugal, 30 anos de ludotecas

Fevereiro 20, 2012 às 1:00 pm | Publicado em Actividade Lúdica | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

Com o objectivo de divulgar o trabalho do movimento ludotecário em Portugal, tencionamos regularmente dar notícias sobre o que vai acontecendo, divulgando artigos, trabalhos, projectos e actividades na área da ludicidade. Dentro deste princípio, divulgamos o artigo publicado no livro “Brinquedoteca – Uma Visão Internacional” sobre o movimento ludotecário em Portugal.

Consulte o artigo completo aqui.

Jornadas – À Roda da Brincadeira

Dezembro 12, 2011 às 9:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Mais informações Aqui

Calendário de Mesa 2012 – “Direito de Brincar”

Dezembro 7, 2011 às 9:00 pm | Publicado em Actividade Lúdica | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Como vem sendo habitual na época natalícia, criámos um presentinho simbólico inspirado no Direito 31º da Convenção sobre os Direitos da Criança que reconhece “o direito ao repouso e aos tempos livres, o direito de participar em jogos e atividades recreativas próprias da sua idade e de participar livremente na vida cultural e artística”.

Quem adquirir o calendário está a fazer um donativo de 5 euros  para o Sector da Actividade Lúdica do Instituto de Apoio à Criança.

Os calendários estão disponíveis no Sector e podem ser requisitados através do e-mail iac-ludica@iacrianca.pt


Entries e comentários feeds.