Perturbações mentais e comportamentais são doenças com mais impacto entre 5-19 anos

Maio 2, 2014 às 10:00 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Notícia do i de 23 de abril de 2014.

O documento citado na notícia ó seguinte:

Programa Nacional de Saúde Escolar 2014

i

Por Agência Lusa

“No grupo etário alvo da saúde escolar, o peso dos acidentes na mortalidade prematura e incapacidade é relevante, em especial dos acidentes de viação”, lê-se na proposta de Programa Nacional

As perturbações mentais e de comportamento são as doenças com mais impacto na vida das crianças entre os 5 e os 19 anos, segundo dados de um documento da Direção-Geral da Saúde (DGS) hoje divulgado.

“Entre os 5 e os 14 anos, o maior peso da doença na qualidade de vida deve-se às perturbações mentais e comportamentais (22%), especialmente por depressão e ansiedade”, de acordo com estimativas do Programa Nacional de Saúde Escolar – 2014, que foi hoje colocado em discussão pública.

Seguem-se as doenças respiratórias crónicas, representando 15% no peso total das doenças com impacto na vida das crianças, e depois as músculo-esqueléticas (13,5%).

No grupo etário dos 5 aos 14 anos, as doenças endócrinas e metabólicas representam 6% do total e as neurológicas 4%.

A partir dos 15 anos e até aos 19, o peso das perturbações mentais e comportamentais mantém-se em primeiro lugar, tendo até um ligeiro aumento percentual.

Também as doenças músculo-esqueléticas registam um aumento entre os dois grupos etários, de quase sete pontos percentuais, surgindo em segundo lugar.

Já o peso das doenças respiratórias diminui, caindo para a terceira posição.

No que respeita aos acidentes, o documento da DGS conclui que “tiveram um peso crescente e um impacto relevante nos anos de vida saudáveis perdidos das crianças e jovens entre os 5 e os 19 anos”.

Os acidentes de viação são os mais prevalentes quer no grupo etário entre os 5 e os 14 anos quer a partir dos 15 anos. Seguem-se os acidentes domésticos e de lazer.

“No grupo etário alvo da saúde escolar, o peso dos acidentes na mortalidade prematura e incapacidade é relevante, em especial dos acidentes de viação”, lê-se na proposta de Programa Nacional.

No grupo dos 15 aos 19 anos, as lesões autoinfligidas surgem com um valor considerado significativo para os autores do documento, tendo um peso de 4% na incapacidade ou mortalidade prematura dos jovens.

Como objetivo geral, este programa visa melhorar o nível de conhecimento em saúde, promover a adoção de estilos de vida saudáveis e a inclusão de crianças com necessidades educativas especiais e contribuir para um ambiente escolar seguro.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico

 

 

Acção de Saúde para Crianças e Jovens em Risco : Relatório 2012

Outubro 29, 2013 às 12:00 pm | Publicado em Relatório | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

dgs

Descarregar o relatório Aqui

De uma forma genérica, poder-se-á afirmar que, em 2012, a Ação de Saúde para Crianças e Jovens em Risco (ASCJR), criada pelo Despacho da Ministra da Saúde n.º 31292/2008, de 5 de Dezembro, desenvolveu-se na continuidade do que acontecera em anos anteriores.

Tal significa que, de um modo gradual, a nível das Administrações Regionais de Saúde, dos Agrupamentos de Centros de Saúde, dos Hospitais e das Unidades Locais de Saúde, a intervenção junto das crianças e dos jovens em risco foi objeto de atenção crescente por parte dos profissionais de saúde.

Essa evolução encontra-se expressa não apenas no aumento da casuística registada, mas também do número de iniciativas tomadas pelas equipas a nível regional e local, quer sob o ponto de vista da sensibilização, tanto dos profissionais como da população utente, quer ainda do da organização e da participação em iniciativas de caráter formativo, técnico e científico que foram realizadas a propósito do tema.

No que se refere à dinâmica da Rede de Núcleos da ASCJR, é de assinalar a existência de avanços e de recuos no processo, de acordo com as informações fornecidas pelas Coordenações Regionais da ASCJR.

Por um lado, resultado da continuada evolução da orgânica e do modo de intervenção do Serviço Nacional de Saúde (SNS), face à necessidade sentida  pelas equipas de melhor rentabilizarem as potencialidades deste modelo de intervenção, assistiu-se, em 2012, à constituição de novos Núcleos, nomeadamente, em diversos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES).

Por outro lado, em alguns casos, fruto de contingências já amplamente referidas em relatórios anteriores (ver, a este propósito, o relatório referente a 2011), o processo da gestão de recursos humanos veio condicionar a desafetação de profissionais das equipas constituintes dos Núcleos, com a consequente limitação da ação das mesmas.

Acresce, também, como forma de ultrapassar os constrangimentos causados pela exígua disponibilidade dos profissionais, o facto de ter sido reformulado o modelo de funcionamento dos Núcleos em alguns ACES, verificando-se fusões, partilha de recursos e outras formas de colaboração alternativas entre estes e as diferentes unidades do Agrupamento.

Saliente-se também que, no decurso do ano de 2012, não só a Comissão de Acompanhamento como as Coordenações Regionais da Ação passaram a estar envolvidas no processo de revisão do Programa-tipo em Saúde Infantil e Juvenil, permitindo uma ampla base de reflexão e de elaboração de contributos sobre a matéria “crianças e jovens em risco”, a qual veio a ganhar um assinalável destaque no novo Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil (PNSIJ), em vigor desde Junho de 2013.

A par deste contributo para o PNSIJ, através da Equipa de Análise da Ação, foi possível, também, atuar no processo de adaptação dos principais programas informáticos em uso no SNS – SAM e SAPE – ao novo PNSIJ e, por via disso, assegurar recursos de suporte informático à intervenção na área das crianças e jovens em risco. Tal facto veio permitir, se bem que através de um mecanismo alternativo à inicialmente prevista ferramenta informática de apoio à ASCJR, criar as condições para assegurar um suporte de informação útil na matéria, quer sob o ponto de vista da gestão dos casos, quer na perspetiva da informação casuística e epidemiológica.

Portugal – Alimentação Saudável em números – 2013

Outubro 25, 2013 às 1:30 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

dgs

Descarregar o documento Aqui

O documento contém dados sobre crianças e adolescentes:

2.3. Hábitos alimentares em crianças até aos 36 meses na região Norte pág. 17

2.4. Hábitos alimentares em adolescentes pág. 21

DGS recomenda que grávidas tomem iodo

Setembro 6, 2013 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Notícia do Diário de Notícias de 27 de Agosto de 2013.

O documento citado na notícia é o seguinte:

Aporte de iodo em mulheres na preconceção, gravidez e amamentação Orientação n.º 011/2013 de 26/08/2013

Clicar na imagem

iodo

 

Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil 2013

Junho 11, 2013 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

dgs

Descarregar o programa Aqui

Relatório de Registos de Interrupção da Gravidez 2012 – janeiro a dezembro de 2012

Maio 23, 2013 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação, Relatório | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

ivg

Descarregar o relatório Aqui

quadro

Estudo comparativo do número de óbitos e causas de morte da mortalidade infantil e suas componentes (2009-2011)

Janeiro 30, 2013 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Divulgação, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

estudo

Descarregar o relatório Aqui

Comunicado – PDF – 389 Kb

Estudo comparativo do número de óbitos da mortalidade infantil e suas componentes (2009-2011) – PDF – 2.468 Kb

Direção-Geral da Saúde – http://www.dgs.pt/

 

APSI – Plano de Ação para a Segurança Infantil em consulta pública‏

Junho 23, 2012 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

PASI – Plano de Ação para a Segurança Infantil está em consulta pública.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) colocou em consulta pública o PASI – Plano de Ação para a Segurança Infantil. O PASI insere-se no Programa Nacional de Prevenção de Acidentes e pretende definir uma estratégia integrada para a prevenção dos acidentes nas crianças e adolescentes.

No texto divulgado no site da DGS pode ler-se que “a adoção de uma estratégia nacional para a prevenção dos acidentes, com metas, objetivos e ações específicas para as crianças e adolescentes, representa uma medida decisiva para a redução da mortalidade, incapacidade e doença nestas faixas etárias, para a qual a participação e envolvimento de todos é essencial”.

Consulte o documento aqui e dê sua opinião até dia 12 de julho de 2012 através do envio de e-mail para pasi@dgs.pt.

Relatório sobre as Interrupções da Gravidez em 2011

Maio 9, 2012 às 6:00 am | Publicado em Divulgação, Relatório | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

No ano de 2011, em Portugal, cerca de 11,7% dos casos de interrupção de gravidez foram em mulheres com menos de 19 anos (0,41% em adolescentes <15 anos e 11,28% em jovens dos 15 aos 19 anos). Mantem-se uma tendência decrescente em relação a 2010 (12,1%), à custa da diminuição dos casos observados no grupo das menores de 15 anos.

Texto publicado no site da Sociedade Portuguesa de Pediatria     

Descarregar o relatório Aqui ou Aqui

 

Orientação da DGS sobre Mutilação Genital Feminina

Fevereiro 17, 2012 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Orientação nº 005/2012 de 06/02/2012

Pode descarregar a orientação no site da DGS seguindo estes passos:

Normas e Orientações + Orientações e Circulares Informativas

 


Entries e comentários feeds.