Seminário “Crescer: primeiros anos, primeiros despertares” 2 de fevereiro em Cascais

Janeiro 9, 2019 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

mais informações no link:

https://cadin.net/noticias/355-crescer-primeiros-anos-primeiros-despertares

 

 

Atividades Promotoras do Desenvolvimento Psicomotor até aos 5 anos

Outubro 2, 2018 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

Texto do site Educare de 27 de abril de 2018.

Não deve comparar o seu filho com as restantes crianças quanto às “habilidades” que faz, mas é importante que fale com o seu médico caso o processo de desenvolvimento do seu filho lhe cause preocupação ou ansiedade. Caso seja identificado algum atraso de desenvolvimento, o que deve acontecer o mais precocemente possível, o seu médico irá acompanhar e orientar adequadamente.

No seguimento do artigo anterior, Atividades promotoras do desenvolvimento psicomotor no primeiro ano do bebé, e de forma a elucidar o processo de desenvolvimento após o primeiro ano de vida, em linhas gerais, segue um esquema-tipo dirigido a cada idade, assim como algumas dicas para promover o progresso do seu filho.

18.º mês
Com 18 meses a criança anda bem. Gosta de ver livros embora folheie varias páginas de cada vez e risca papéis pegando nos lápis preferencialmente com uma mão. Diz 6 a 26 palavras e conhece as partes do corpo.
Nesta fase, ensine-a a arrumar os brinquedos e a evitar expor-se a perigos, como não se aproximar do fogão. Deixe-a rabiscar no papel. Repita com ela as partes do corpo, como por exemplo quando a está a vestir… cante e dance.

2.º ano
Aos 2 anos é vê-lo correr! Gosta de livros, já consegue folheá-los página por página, mas por vezes vai preferir rabiscá-los em círculos. O discurso do tagarela é maioritariamente incompreensível, mas diz claramente o seu nome e o de alguns objetos, assim como frases simples. Põe e tira um chapéu. Bebe pelo copo sem entornar e come sozinho com colher.
Com tanta energia é ainda trapalhão, pelo que deve incentivá-lo a correr ou a pular num pé. Permita-lhe pintar com tintas adequadas, fazer puzzles simples, e no fim ensine-a a arrumar os brinquedos. Conte-lhe histórias e estimule-a a pronunciar palavras corretamente e a emitir a sua opinião. Inicie o desfralde de acordo com a sua capacidade de fala/compreensão. Peça-lhe para ajudar nas tarefas diárias, como se de um jogo se tratasse.

3.º ano
A criança já sabe subir escadas facilmente. Sabe dizer o seu nome completo, o seu sexo e identifica duas cores. O seu discurso ainda é pouco compreensível por estranhos. Já vai à casa de banho sozinho e despe-se se não tiver botões. Já come com garfo.
A criança com 3 anos precisa de se mexer muito, de correr, saltar ou andar de triciclo. A sua imaginação é fértil e facilmente mistura a realidade com a fantasia. Este pensamento mágico deve ser respeitado e não ridicularizado. Nos tempos de convívio assistam juntos, por tempo limitado, a programas televisivos adequados, conversem muito e estimule a criança a contar o que fez durante o dia. Tenha paciência porque esta é a fase dos “porquês” e a criança vai esperar que responda às mais mirabolantes dúvidas! Ensine-a a partilhar brinquedos e mantenha regras, apesar de poder haver birras.

4.º ano
A criança sobe e desce escadas fluentemente e salta num pé. Conhece as quatro cores básicas, e por vezes muitas mais, a sua idade e a sua morada. Fala fluentemente. Consegue vestir e despir-se com exceção dos laços e respeita regras como a de esperar pela sua vez.
Habitualmente a criança com 4 anos gosta de construções de puzzles, de desenhar o corpo humano e de cantar. Estimule-a a distinguir as cores. Ajude-a a controlar os impulsos mas incentive-a a verbalizar os seus pensamentos e vontades. Valorize a sua participação nas tarefas domésticas e encarregue-a de transmitir uma mensagem sua a outra pessoa.

A partir do 5.º ano a criança é cada vez mais autónoma mas nem por isso necessita de menos atenção. Acompanhe o desenvolvimento da sua personalidade e da criação de valores.
Promova atividades de movimento, assim como recortes e colagens. Converse com a criança de modo a aumentar o seu vocabulário, questione sobre o significado das palavras e ensine-o caso seja oportuno. Compreenda que a criança possa ter medos e fobias, apoie-a sem a ridicularizar. Incremente a sua noção de responsabilidade e autoestima (por exemplo dando-lhe tarefas complexas e elogiando-a no seu sucesso), mas sem resvalar para a vaidade e sem ser condescendente com a quebra de limites. Consolide regras, sobretudo no que diz respeito ao tempo passado frente a écrãs.

Não deve comparar o seu filho com as restantes crianças quanto às “habilidades” que faz, mas é importante que fale com o seu médico, caso o processo de desenvolvimento do seu filho lhe cause preocupação ou ansiedade. Caso seja identificado algum atraso de desenvolvimento, o que deve acontecer o mais precocemente possível, o seu médico irá acompanhar e orientar adequadamente.

Em suma, este processo exige muita dedicação, carinho, apoio, conversas e brincadeiras com a criança, assim como a imposição de regras de segurança… é parte do educar! O tempo que dedicar a este projeto trará fortes e boas consequências na vida da criança.

Maria do Carmo Ferreira, com a colaboração de Sandra Costa, Pediatra do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga.

Serviço de Pediatria do Hospital de BragaEste espaço é da responsabilidade da equipa médica do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga, instituição certificada pelo Health Quality Service (HQS).

 

 

1ªs Jornadas do Centro de Estudos do Bebé e da Criança “Olhar a Primeira Infância” 4 de Junho na FCG

Maio 30, 2018 às 9:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

A inscrição nas Jornadas tem o valor de 30€ e deverá ser feita através do link:

https://goo.gl/forms/7TM6ClDloIoGSbMG2

e o comprovativo de pagamento enviado para o e-mail:

jornadascebchde@gmail.com

mais informações no link:

http://www.spp.pt/eventos/default.asp?ida=1776

 

Smartphones e tablets prejudicam desenvolvimento intelectual e físico das crianças

Junho 10, 2017 às 1:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Notícia do http://lifestyle.sapo.pt/ de 30 de maio de 2017.

A utilização diária de aparelhos digitais aumenta o risco de distúrbios de concentração e hiperatividade, conclui um novo estudo realizado na Alemanha.

O uso excessivo de smartphones, computadores e tablets eleva o risco de hiperatividade e distúrbios de concentração em crianças e adolescentes, podendo afetar o desenvolvimento físico e intelectual dos menores, aponta uma investigação científica divulgada esta semana em Berlim.

No estudo “BLIKK”, 80 médicos entrevistaram 5.600 pais e filhos e concluíram que 70% das crianças alemãs com menos de seis anos usam smartphone ou tablet mais de meia hora por dia. Segundo a investigação, o risco de desenvolver distúrbios de concentração é seis vezes maior em crianças dos oito aos 13 anos que usam estes aparelhos mais de meia hora por dia, escreve a radiotelevisão alemã Deutsche Welle.

 

Psicologia da Criança para Educadores e Professores

Agosto 6, 2012 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Local: Lisboa
Data: Início 21 Setembro 2012

DESTINATÁRIOS

  • Educadores de infância
  • Professores
  • Psicólogos
  • Agentes educativos

OBJECTIVOS

  • Apresentar algumas das teorias explicativas fundamentais do      desenvolvimento psicológico da criança
  • Conhecer as principais áreas do desenvolvimento abordadas no estudo      psicológico da criança
  • Abordar os aspectos psicológicos no desenvolvimento afectivo, físico, social e cognitivo da criança

PROGRAMA

  • Aspectos teóricos do estudo psicológico da criança (3 h)
    Como estudar a criança? Modelos teóricos: Piaget      e Vygotsky. Princípios e sua fundamentação. Aspectos gerais e áreas      fundamentais do desenvolvimento
  • Desenvolvimento afectivo (6h)
    A construção do Self. Desenvolvimento da      personalidade. Desenvolvimento psicossexual
  • Desenvolvimento físico (3h)
    Desenvolvimento sensorial, motor e psicomotor
  • Desenvolvimento social (6h)
    Interacções. Relações de amizade, cooperação e      competição. Desenvolvimento sociomoral. Autonomia e dependência.      Competências sociais e comunicativas. A escola como contexto de      desenvolvimento
  • Desenvolvimento cognitivo (12h)
    Linguagem. Memória. Funções executivas.      Atenção/concentração. Capacidades visuo-construtivas/perceptivas. Noções      temporo-espaciais. Leitura e escrita. Matemática. Desenho

METODOLOGIA

Exposição teórico-prática. Discussão em grupo sobre as temáticas apresentadas. Discussão em grupo sobre práticas pedagógicas na creche, jardim de infância e 1º ciclo de escolaridade

DURAÇÃO

30 horas

Mais informações Aqui

III Curso Psicomotricidade na Deficiência Visual (0-6 anos)

Novembro 18, 2010 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,


Entries e comentários feeds.