#DemocraciaEmCasa- Actividades para crianças e jovens com 8+ anos

Abril 25, 2020 às 7:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Questionário no link:

https://docs.google.com/document/d/1EC72YZxze_uvnfpHHsrSjAL5raOQsu1SH8on6qKCfzY/edit?fbclid=IwAR2mpzEfLPakKdwsEf38mMvusU4lK5am9O7VzyeLMERckYhKOAKv8RCHMvc

Nova disciplina de História para ajudar alunos do 12.º ano a interpretar o presente

Outubro 28, 2019 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Notícia do Observador de 7 de outubro de 2019.

Disciplina de “História, Culturas e Democracia” destina-se a todos os cursos do secundário. Objetivo é o aluno compreender o mundo atual e ter pensamento crítico sobre temas da História recente.

Os alunos do 12.º ano poderão ter uma nova disciplina no próximo ano letivo que aborda a história contemporânea e pretende que os estudantes consigam interpretar o presente e agir de forma critica e reflexiva.

Chama-se “História, Culturas e Democracia” e destina-se aos alunos de todos os cursos do ensino secundário, segundo informação disponibilizada no site da Direção-Geral de Educação (DGE).

A nova disciplina quer que o aluno compreenda o mundo atual e problematize temas da História recente, refere o documento que define as aprendizagens essenciais da cadeira anual.

“Esta oferta, que partiu do diálogo que temos mantido com os professores de História, é uma resposta à necessidade de valorização do conhecimento histórico e do património enquanto alicerces da identidade e da democracia. Além disto, estrutura-se de uma forma coerente com as finalidades previstas no Perfil dos Alunos: o desenvolvimento de espírito crítico e capacidade de interpretação da realidade sustentado em conhecimento”, sublinhou o secretário de Estado da Educação, João Costa, em declarações à agência Lusa.”

A disciplina pretende dar ferramentas aos alunos que lhes permita compreender o mundo em que vivem e ter uma consciência histórica para poderem assumir “uma posição informada, crítica e participativa na construção da sua identidade individual e coletiva, num quadro de referência humanista e democrática”, refere o documento disponível na DGE.

As aprendizagens essenciais estruturam-se em torno de quatro grandes temas: “A História faz-se com critério”; “Global e Local (“Glocal”) e Consciência Patrimonial”; “Passados Dolorosos na História” e, finalmente, “História e tempo Presente”.

O tema “Passados Dolorosos na História”, por exemplo, assenta no pressuposto de que o desconhecimento da realidade histórica pode conduzir à instrumentalização do passado.

“As memórias individuais e coletivas devem ser valorizadas por constituírem contributos importantes para a compreensão de questões socialmente vivas. Assumir as heranças dolorosas pode e deve contribuir para o apaziguamento das relações sociais inerentes a uma cultura democrática”, refere as aprendizagens essenciais.”

A importância da “História e do Tempo Presente” vem reforçar a ideia de que os conteúdos da História estão associados a situações e problemas presentes no quotidiano da vida do aluno ou presentes no meio sociocultural e geográfico em que se insere, criando-se na escola espaços e tempos onde possa intervir livre e responsavelmente.

As aprendizagens essenciais desta nova disciplina foram desenvolvidas entre a Associação de Professores de História e a DGE

Mais  informações no link da DGE sobre a nova disciplina:

Click to access ae_hcd_12.o.pdf

Na notícia da Associação de Professores de História

Parlamento dos Jovens 2017-18

Setembro 8, 2017 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

Inscrições até 20 de outubro

mais informações no link:

http://www.jovens.parlamento.pt/

 

Download do material pedagógico do projeto “Respeitar é Preciso!” – Educação para os Direitos Humanos

Junho 8, 2016 às 6:00 am | Publicado em Recursos educativos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

escola

descarregar os materiais no link:

http://oincrivelze.com.br/2016/04/download-do-material-pedagogico-do-projeto-respeitar-e-preciso/

texto do site http://oincrivelze.com.br/

Com o objetivo de construir uma cultura de Educação em Direitos Humanos nas escolas da Rede Municipal de Ensino da cidade de São Paulo, o projeto “Respeitar é Preciso!” foi criado em 2014 pela parceria entre a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo, a Secretaria Municipal de Educação e  o Instituto de Vladimir Herzog.

 O material pedagógico é formado por cinco livros que debatem as principais violações de direitos humanos ocorridas no ambiente escolar. Os temas escolhidos foram: democracia na escola, respeito e humilhação, sujeitos de direito, igualdade e discriminação.

O programa se baseia na construção de uma cultura de educação em direitos humanos, que trata do ensino de valores, que são necessariamente aprendidos nas experiências de vida, nas relações que ocorrem em todas as instituições e espaços sociais: na família, nos grupos religiosos, por meio daquilo que é valorizado pela mídia etc.

 

Livros infantis discutem política, gênero e regimes totalitários

Março 10, 2016 às 8:00 pm | Publicado em Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

texto do site http://www1.folha.uol.com.br de 27 de fevereiro de 2016.

 

CRISTINA PAIVA DE SÃO PAULO

Você vai com seu filho à livraria e deixa-o escolher os livros que deseja levar pra casa, e, obviamente, as crianças adoram aqueles coloridos e belamente ilustrados. Ele (ou ela) surge então, na hora do jantar, com perguntas do tipo: por que (no caso do garoto) eu não posso usar vestido se homens e mulheres são iguais? O que o seu partido político defende? Nós somos ricos de verdade ou da classe média que inveja os ricos?

Está preparado? Bem, se você é pai ou mãe engajado numa educação crítica e progressista, vai se divertir com a coleção “Livros para o Amanhã”, que a Boitatá (selo da editora Boitempo voltado para crianças) acaba de lançar. São quatro livros que versam sobre o regime democrático (“A Democracia Pode Ser Assim”), o autoritarismo (“A Ditadura É Assim”), as desigualdades entre as classes (“O que São Classes Sociais?”) e entre os sexos (“As Mulheres e os Homens”). Os dois primeiros já foram lançados; os outros sairão em março

Mikel Casal/Reprodução

ditadores1

ditadores

Galeria de ditadores para “A Ditadura é Assim”

Os textos foram resgatados de edições espanholas publicadas entre 1977 e 1978 (já as belas ilustrações foram feitas especialmente para as reedições), informação que se encontra na introdução dos volumes e é indispensável na contextualização da leitura.

capaIsso porque o tom afirmativo e um tanto esquemático adotado na apresentação de assuntos complexos causa surpresa, mas torna-se compreensível diante de um pano de fundo no qual valores como o direito à liberdade e à vida se encontram suspensos ou gravemente ameaçados, como no caso dos longos anos (1939-1975) da ditadura do general Francisco Franco.

O problema é que, por trás, há a ideia de que as desigualdades (entre classes econômicas e políticas e entre sexos) são invariavelmente consequência de abusos de poder, da imposição à força. Só que nem sempre é assim, e nem sempre o mundo se divide em apenas dois lados. Nos anos 1970, ainda havia a ideia de oposições distintas mais claras, entre direita e esquerda, conservadores e progressistas ou liberais, golpistas e democratas e até (por que não?) homens e mulheres. Sabemos que, hoje em dia, essas oposições não são tão nítidas: a agenda de partidos mais à direita e ou à esquerda nem sempre segue polarizada, assim como o feminismo não é apenas um e assume nuances e reivindicações que ultrapassam o direito de mulheres ocuparem lugares iguais aos tradicionalmente reservados aos homens (sem tocar no assunto de outros tipos de sexualidade…).

De qualquer modo, não é um discurso que tenha perdido sua validade,capa2 pois há casos e casos de exploração e desigualdade “”e, para romper hábitos culturais e históricos naturalizados, é preciso, pelo menos num primeiro momento, apontar o dedo em riste, denunciar o absurdo, ser curto e grosso. Nem sempre há espaço para relativizações.

Cada um dos volumes é ilustrado por um artista contemporâneo espanhol, trazendo diferentes linguagens estéticas e relações com os textos. Nos volumes já publicados, por exemplo, Marta Pina produz colagens a partir de fotografias e gravuras de revistas antigas, que lembram muito as animações com um pé no surrealismo do grupo britânico Monty Python, emprestando um caráter mais aberto e lúdico ao texto. Já o traço do chargista político Mikel Casal cria uma atmosfera ao mesmo tempo refinada e cômica em “A Ditadura É Assim”, com referências que parecem ir das caricaturas do expressionista George Grosz (implacável satirista da República de Weimar) aos alucinados desenhos da Pantera Cor-de-rosa.

Ao final, são livros que servem bem aocapa3 propósito de instigar o debate e, quando lidos pelas crianças, demandam o acompanhamento de adultos interessados em orientar a reflexão com explicações e novas perguntas. Ou corre-se o risco de ser pego de surpresa e engasgar com a sopa.

A DEMOCRACIA PODE SER ASSIM

QUANTO: R$ 39 (52 págs.)

AUTOR: Equipo Plantel

ILUSTRAÇÕES: Marta Pina

EDITORA: Boitatá

A DITADURA É ASSIM capa4

AUTOR: Equipo Plantel

ILUSTRAÇÕES: Mikel Casal

TRADUÇÃO: Thaisa Burani

EDITORA: Boitatá

QUANTO: R$ 39 (52 págs.)

O QUE SÃO CLASSES SOCIAIS?

QUANTO: R$ 39 (52 págs.)

AUTOR: Equipo Plantel

ILUSTRAÇÕES: Joan Negrescolor

TRADUÇÃO: Thaisa Burani

EDITORA: Boitatá

AS MULHERES E OS HOMENS

QUANTO: R$ 39 (52 págs.)

AUTOR: Equipo Plantel

ILUSTRAÇÕES: Luci Gutiérrez

TRADUÇÃO: Thaisa Burani

EDITORA: Boitatá

 

 

 

 

 

Biblioteca Digital – Livros digitais e recursos pedagógicos sobre o valor da democracia e da participação cívica dirigidos a crianças e jovens

Dezembro 4, 2015 às 6:00 am | Publicado em Recursos educativos, Site ou blogue recomendado | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

biblio

menino

Aceder aos recursos digitais no link:

http://bibliotecalivrosdigitais.observalinguaportuguesa.org/

Livros digitais e recursos pedagógicos sobre o valor da democracia e da participação cívica dirigidos a crianças e jovens. Visam suscitar o conhecimento de realidades culturais diferentes, a interiorização de valores de tolerância e respeito mútuo, a compreensão intercultural e comportamentos relacionais positivos. A Biblioteca Digital foi desenvolvida graças a recursos públicos provenientes da Noruega, da Islândia e do Liechtenstein, no âmbito dos EEA Grants, através do Programa Cidadania Ativa, gerido pela Fundação Calouste Gulbenkian.

 

 

Oficina de Democracia – Fábrica das Artes | para todas as infâncias

Maio 28, 2015 às 6:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

phpThumb_generated_thumbnailjpg

José Mateus ⁄ Maria Gil

Imaginemos um mundo, mas não um mundo qualquer! Queremos o melhor dos mundos, com uma sociedade perfeita.

Parece-te impossível? Utópico? Nesta oficina, a expressão dramática e as inquietações do ser humano juntam-se para pensar, jogando com temas universais tao incríveis como a justiça, a igualdade, a liberdade, o grupo, o individuo. Partindo da obra de Thomas More, Utopia, e dos seus mapas, vamos imaginar “não-lugares” (utopia quer dizer isso mesmo!), sociedades imaginadas, e torná-los “lugares” cheios de significados. Vamos formar uma Assembleia (igual a da Republica), onde podemos participar num diálogo aberto, livre e cooperativo.

Uma encomenda da Fábrica das Artes, apresentada originalmente na Fábrica das Artes em abril de 2014.

Ideia original e curadoria Madalena Wallenstein

Conceção José Mateus, Maria Gil e João Concha

Monitores José Mateus, Maria Gil

CONTACTOS FÁBRICA DAS ARTESMaria José Solla | Manuel Moreira | Tânia Guerreiro

Todos os dias úteis das 11:00 às 13:00 e das 15:00 às 18:00

Telefones (+351) 213 612 899 e (+351) 213 612 898 ou do fax (+351) 213 612 859.

fabricadasartes@ccb.pt

mais informações:

https://www.ccb.pt/Default/pt/FabricaDasArtes/Programacao/Oficinas?A=46

Vivre en dignité au XXIe siècle : Pauvreté et inégalité dans les sociétés de droits humains : le paradoxe des démocraties

Fevereiro 23, 2015 às 2:58 pm | Publicado em Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

vivre

descarregar o guia aqui

Ce guide est le fruit de deux années de travail collectif mené dans le cadre du projet « Les droits humains des personnes en situation de pauvreté ». Il a été préparé avec le concours de nombreuses personnes et organisations, dont des personnes en situation de pauvreté, des chercheurs, des associations et des représentants des autorités politiques. Outre qu’il offre une étude critique de la situation actuelle, en analysant les inégalités et la pauvreté par le prisme des droits humains, de la démocratie et des politiques de redistribution, ce guide invite également le lecteur à explorer les pistes d’une stratégie renouvelée de lutte contre la pauvreté permettant de rétablir les sens de la justice sociale. Il avance des propositions qui visent à dépasser la stigmatisation et la catégorisation, en ouvrant des voies d’apprentissage pour bâtir des biens communs par le partage, en évitant le gaspillage et en renforçant dans la conscience publique le principe de respect de la dignité humaine en tant que droit de tous.

 

 

 

Seminário Final CSI – Conhecer, Socializar e Integrar

Novembro 14, 2014 às 2:23 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

seminario

fichainscricaoonline_CSI26nov2014

ProgramaSeminario CSI-26nov

A Cruz Vermelha Portuguesa candidatou-se ao Programa Cidadania Ativa (EEAGrants – Fundação Calouste Gulbenkian), no domínio de actuação B “Promoção dos Valores Democráticos, incluindo a Defesa dos Direitos Humanos, dos Direitos das Minorias e da Luta Contra as Discriminações“, enquanto entidade promotora.

 O projecto C.S.I. – Conhecer, Socializar e Integrar tem como principal objectivo a capacitação dos colaboradores das nossas Delegações para estas temáticas, deixando em cada uma delas um kit de informação/sensibilização que sirva para multiplicar os conhecimentos adquiridos; informar os migrantes e eventuais vítimas de TSH sobre os seus direitos e obrigações, bem como serviços relevantes.

 O Projecto irá terminar com um seminário de apresentação das conclusões e exposição dos desenhos que foram a concurso para o logo oficial do Projecto, junto das escolas, no início do CSI.

 É neste sentido que vimos convidar V. Ex.as a participarem no Seminário a realizar no dia 26 de Novembro do presente ano, com início às 14 horas na Sala Henry Dunant, na Sede Nacional da CVP.

Junto enviamos o programa provisório e a ficha de inscrição que deve ser devolvida e devidamente preenchida até ao dia 21 do presente mês.

 

Oficina de Democracia – Jogos entre Corpo, Pensamento, Utopias e Liberdades no CCB

Abril 8, 2014 às 2:30 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

oficinas

CCB

1, 2, 4 e 24 Abr 2014 – 10:00

5 e 26 Abr 2014 – 15:30

6, 25 e 27 Abr 2014 – 11:30

23 Abr 2014 – 10:00 e 14:30

Espaço Fábrica das Artes Duração 2h Público-alvo 1º e 2º Ciclos / 3º Ciclo e Secundário

Preços  Semana 3,2€ Fim de semana 5,35€ Mais info Assinaturas CCB

Imaginemos um mundo, mas não um mundo qualquer! Queremos o melhor dos mundos, com uma sociedade perfeita. Parece impossível? Utópico?  Nesta oficina, a expressão dramática e a filosofia juntam-se para pensar, jogando com temas filosóficos tão incríveis como a justiça, a igualdade, a liberdade, o grupo, o indivíduo. Vamos formar uma Assembleia (igual à da República), onde podemos participar num diálogo aberto, livre e cooperativo. Partindo da obra de Thomas More, Utopia, e dos seus mapas, vamos imaginar “não-lugares” (utopia quer dizer isso mesmo!) e torná-los “lugares” cheios de significados.

Concepção José Mateus e Maria Gil  Monitores José Mateus e Maria Gil INSCRIÇÕES As inscrições devem ser feitas pelos telefones +351 213 612 899/ 898 ou pelo fax +351 213 612 859. fabricadasartes@ccb.pt Contactos > Maria José Solla | Manuel Moreira | Tânia Guerreiro Todos os dias úteis das 11:00 às 13:00 e das 15:00 às 18:00.

 

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.