Uma em cada mil crianças sofre de perda auditiva

Maio 30, 2014 às 8:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia do site rcmpharma.com de 21 de maio de 2014.

mais informações no documento da OMS:

Global estimates on prevalence of hearing loss

 

rcmpharma

De acordo com os últimos dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a prevalência da perda auditiva infantil é de 1,7%, existindo 32 milhões de crianças e adolescentes em todo o mundo, com idade igual ou inferior a 15 anos que sofrem de algum grau de perda auditiva.

São vários os factores que podem causar dificuldades auditivas nestas idades. Muitas vezes, as crianças adquirem este problema à nascença, sendo-lhes diagnosticado um grau de perda auditiva significativo devido a complicações genéticas, mas em muitos dos casos este problema surge após sofrerem de algumas doenças infantis, como é o caso das otites, papeira, rubéola, sarampo ou meningite.

“A perda auditiva infantil afecta não só a criança, mas também os pais que, por falta de informação, não sabem como agir quando confrontados com o problema. Para a criança, esta dificuldade interfere no desenvolvimento da fala, o que implica problemas futuros a nível social, emocional e cognitivo. Quanto mais cedo for detectada a surdez nas crianças, mais fácil será a avaliação das medidas adequadas para que se desenvolva com normalidade. Caso não seja diagnosticado atempadamente o problema de audição, devem ser encontradas soluções para que a criança tenha uma vida estável”, comenta Dulce Martins Paiva, directora geral da GAES – Centros Auditivos.

De forma a preservar a qualidade de vida das crianças, não tornando a perda auditiva um problema futuro, os médicos especialistas aconselham o uso de um aparelho auditivo a fim de melhorar a capacidade de audição. O uso deste dispositivo deverá ocorrer assim que a surdez for detectada, para evitar problemas de desenvolvimento e comunicação.

Fonte: comunicado de imprensa

 

Projecto “Som e Silêncio” pela inclusão e contra a discriminação de crianças com deficiência auditiva

Fevereiro 3, 2011 às 9:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Notícia do Site do Governo Civil de Lisboa de 18 de Janeiro de 2011.

António Galamba participou hoje, dia 18 de Janeiro, no Ateneu Artístico Vilafranquense, na apresentação de “Som e Silêncio”, que pretende incutir nas crianças do ensino regular o interesse pela língua gestual. O projecto acústico, da autoria da cantora Paula Teixeira, é uma iniciativa da Associação Nova Frente Juvenil e conta com o apoio do Governo Civil de Lisboa e da UNICEF.

“Som e Silêncio”, que se assume como uma comunhão entre a Música e a Língua Gestual Portuguesa, visa, de acordo com presidente da Associação Nova Frente Juvenil, do Sobralinho, João Pedro Baião “fomentar nas escolas e nos alunos o interesse pela aprendizagem da língua gestual”. Através de um pequeno concerto é ensinado às crianças “o básico da língua gestual”, numa primeira fase, que posteriormente incluirá aulas mais formais e grupos de trabalho.

O projecto é ainda apoiado pelas cãmaras municipais de Vila Franca de Xira, Loures, Odivelas, Azambuja, Mafra e Lisboa, que levarão cerca de 500 crianças, do 1.° ao 9.° ano de escolaridade.

“O Som e Silêncio” está a chegar também a escolas secundárias, muitas vezes por solicitação no âmbito de projectos desenvolvidos pelos alunos em Área de Projecto. O objectivo é chegar aos alunos que não têm necessidades educativas especiais para lhes despertar interesse em aprender a linguagem utilizada por outras crianças, com problemas de surdez. O projecto pode ser desenvolvido em escolas, auditórios, salões, bibliotecas, museus ou locais ao ar livre.


Entries e comentários feeds.