End Youth Homelessness – Campanha de alerta para os Jovens Sem-Abrigo no Reino Unido

Novembro 23, 2016 às 6:00 am | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

mais informações:

http://www.eyh.org.uk/en/

Vídeo. UNICEF revela como são tratadas as crianças sem abrigo

Julho 17, 2016 às 1:00 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Notícia do Observador de 28 de junho de 2016.

Uma menina vestiu-se como uma sem-abrigo e foi ignorada por todos. A mesma menina com roupas novas foi acudida por todos. O vídeo da UNICEF mostra como os preconceitos existem, até perante a infância.

A UNICEF publicou um vídeo onde mostra como o preconceito existe, mesmo quando se está perante crianças. Numa experiência social filmada na rua, o órgão de defesa de direitos humanos começou por vestir uma menina, Anna, como se fosse uma sem-abrigo. Com roupas sujas e velhas, cabelo desgrenhado e sapatos gastos, Anna foi completamente ignorada por todas as pessoas que passavam por ela. Mas quando voltou para a rua, desta vez com roupas bonitas e lavadas, os adultos pararam para lhe dar atenção e ajudar a encontrar os pais.

O vídeo foi publicado esta terça-feira na página de Facebook da UNICEF e conquistou a atenção dos internautas. A gravação já recebeu quase 23 milhões de visualizações e 297 mil reações dos facebookianos – entre os gostos, reações de tristeza e outras de ira. #FightUnfair é o nome da campanha da UNICEF e pretende mostrar como as crianças de rua são sempre desprezadas ou até mal tratadas, quando comparadas com as outras.

O vídeo prossegue e mostra a “Anna sem-abrigo” dentro de um restaurante a pedir comida. Toda a gente a enxuta da mesa ou manda sair do espaço. Um dos clientes do restaurante diz até: “Nós não te queremos aqui”, levando Anna a sair do espaço a correr enquanto chorava. Uma diferença alarmante, quando o comportamento dos adultos é comparado com o que tinham para com as crianças da mesma idade dentro do restaurante.

Anna admite que a experiência a deixou “triste”. De acordo com os números da UNICEF há 150 milhões de crianças sem-abrigo em todo o mundo.

http://www.unicef.org/fightunfair/

História. 24 fotos onde as crianças não deviam estar

Junho 11, 2016 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Texto do Observador de 30 de maio de 2016.

Um menino russo baloiça num canhão alemão abandonado, depois da Batalha de Estalinegrado.

Um menino russo baloiça num canhão alemão abandonado, depois da Batalha de Estalinegrado.

Marta Leite Ferreira

Elas choram nos escombros, defendem ideais que não entendem, fazem da guerra um parque. Conheça a história de 24 fotografias onde a infância se perdeu, porque as crianças nunca lá deviam ter entrado.

“A criança deverá crescer num ambiente de afecto e segurança moral e material”. Para as crianças retratadas nestas fotografias, o Princípio VI da Declaração Universal dos Direitos da Criança não foi respeitado. E a infância viu-se assim perdida entre guerras políticas, conflitos religiosos, pobreza extrema e a defesa de ideais que elas ainda não entendem.

Elas transformam tanques e canhões em baloiços, vestem princípios políticos que não têm idade para compreender, choram de fome e perante despedidas demasiado precoces. Nestas 24 fotografias históricas (e algumas delas icónicas), as crianças não deviam ser protagonistas. E o campo de guerras nunca se devia ter transformado num parque infantil.

visualizar as fotos no link:

http://observador.pt/2016/05/30/historia-24-fotos-onde-as-criancas-nao-deviam-estar/#

 

Criança à procura de comida no lixo é ignorada por centenas de pessoas

Abril 5, 2016 às 12:00 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

texto do Diário de Notícias de 22 de março de 2016.

Vídeo mostra como até houve quem metesse lixo no caixote enquanto o rapaz o remexia. Poucos ofereceram ajuda.

Uma criança, suja e de roupa rasgada, procura comida num caixote do lixo. Muitas pessoas vão passando, ignorando o rapaz. Até há quem meta o lixo no caixote enquanto a criança o remexe. Um homem tira uma fotografia. “Será que se preocupa o suficiente para ser polícia?” é o mote do vídeo de uma experiência social da polícia da Nova Zelândia, que revela como uma criança com fome é ignorada pela maioria das pessoas que passa por ela.

“Filmámos várias experiências sociais que exploram situações que os nossos agentes lidam diariamente e que envolvem a segurança das pessoas mais novas e mais vulneráveis da nossa comunidade. Queríamos ver como as pessoas ajudariam”, explicou a responsável pelo departamento de comunicação da polícia, Karen Jones, citada pelo The Guardian.

O vídeo foi realizado no centro de Auckland durante 35 minutos. O rapaz era um ator, mas as restantes pessoas não sabiam que estavam a ser filmadas. Cerca de 500 passaram naquela zona nesses minutos, segundo a polícia. Só dez pararam para falar com a criança.

 

 

 

Uma em 30 crianças nos EUA não tem abrigo

Novembro 19, 2014 às 1:30 pm | Publicado em Relatório | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Notícia do Jornal de Notícias de 18 de novembro de 2014.

O relatório citado na notícia é o seguinte:

America’s Youngest Outcasts

mais informações no site http://www.homelesschildrenamerica.org/

Robyn Beck  AFP

Uma em cada 30 crianças nos EUA não tem casa, um máximo histórico que é atribuído às altas taxas de pobreza no país, aos elevados custos das habitações e ao impacto da violência doméstica.

O relatório “Os marginais mais jovens dos EUA”, publicado pelo Centro Nacional de Famílias Desamparadas, indica que cerca de 2,5 milhões de crianças norte-americanas estiveram sem casa em algum momento no ano de 2013.

“A falta de habitação entre as crianças alcançou proporções epidémicas. Há crianças sem casa esta noite em cada cidade, em cada condado, em cada Estado, em cada canto do país”, assegurou Carmela DeCandia, coautora do estudo e diretora do centro encarregado da sua redação.

Apesar de DeCandia reconhecer que o governo federal conseguiu avanços na redução da falta de abrigo para veteranos de guerra e adultos, insistiu em que o número de crianças sem-abrigo aumentou 8% entre 2012 e 2013.

“Não se dirigiu o mesmo nível de atenção e recursos para ajudar as famílias e as crianças. Como sociedade, vamos pagar um preço alto, em termos humanos e económicos”, acrescentou.

No documento explica-se que esta situação afeta a saúde dos menores de maneira drástica, uma vez que mais de 25% das crianças em idade pré-escolar sem-abrigo sofrem problemas mentais e requerem atenção médica, percentagem que aumenta para 40% no caso dos menores em idade escolar.

Muitos, adverte-se no relatório, lutam por ir à escola, perdem muitas aulas, repetem anos e acabam por abandonar a escola.

“Viver em refúgios, sótãos de vizinhos, carros, tendas de campismo e locais piores faz com que as crianças sem habitação sejam as pessoas mais invisíveis e esquecidas da nossa sociedade”, disse Decandia, para quem, “sem uma ação decisiva imediata, o objetivo de acabar com a falta de habitação na infância até 2020 ficará fora de alcance”.

 


Entries e comentários feeds.