Estudo revela que mais de um terço dos jovens não usou preservativo na última relação sexual

Abril 22, 2019 às 12:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Mais de um terço dos jovens inquiridos num estudo nacional relatou não ter usado preservativo na última relação sexual e 14,5% disse ter tido relações sexuais associadas ao consumo de álcool ou drogas.

“Uma minoria significativa” reportou não ter usado preservativo na última relação sexual (34,1%), sublinha o estudo “Comportamentos sexuais de risco nos adolescentes”, divulgado a propósito do 10.º Congresso Internacional de Psicologia da Criança e do Adolescente, que vai decorrer na quarta e na quinta-feira em Lisboa.

A investigação, a que a agência Lusa teve acesso, concluiu que são os rapazes que mais frequentemente usam preservativo, que têm relações sexuais associadas ao consumo de álcool ou drogas e que não têm a vacina contra o vírus do papiloma humano (HPV).

O estudo realizado em Portugal faz parte do Health Behaviour in School Aged Children (HBSC) 2018, um inquérito realizado de quatro em quatro anos em 48 países, em colaboração com a Organização Mundial de Saúde, que pretende estudar os comportamentos dos adolescentes nos seus contextos de vida e a sua influência na sua saúde/bem-estar.

Segundo os dados recolhidos em Portugal, os jovens mais novos, do 8º ano, são os que mais frequentemente têm relações sexuais associadas ao consumo de álcool ou drogas, realça o estudo, advertindo que estes resultados “podem ter implicações significativas na alteração das políticas de educação e de saúde, direcionando-as para o desenvolvimento de competências pessoais e sociais nas várias estruturas que servem de apoio aos adolescentes portugueses”.

Os autores do estudo apontam como justificações possíveis para estes resultados “o desinvestimento na educação sexual”, a redução do número de campanhas de prevenção e o facto de a infeção se ter passado a considerar uma doença crónica e não uma “sentença de morte”, o que “poderá estar a desvalorizar a importância da proteção.

O estudo “Comportamentos sexuais de risco nos adolescentes” abrangeu 5.695 adolescentes, 53,9% dos quais raparigas, com uma média de idades de 15,46 anos, a frequentarem o 8º ano, o 10º ano ou o 12º ano.

A maioria dos adolescentes inquiridos mencionou já ter tido um relacionamento amoroso, apesar de não ter no momento (48,4%), sobretudo os rapazes (51,8%) e os adolescentes do 8.º ano (50,9%).

Segundo o estudo, a maior parte disse não ter tido relações sexuais (77%). Dos que referiram já ter tido, contaram que a primeira relação sexual foi aos 15 anos.

Os dados indicam também que 85,6% dos inquiridos não realizaram o teste de VIH e 84,7% não têm a vacina contra o HPV.

Segundo os últimos dados estatísticos da UNICEF, cerca de 30 jovens entre os 15 e os 19 anos foram infetados com o VIH/sida, por hora no mundo em 2017, números “particularmente alarmantes se se considerar que nos restantes grupos etários a epidemia estará a diminuir”.

Em Portugal, a situação é também preocupante pois cerca de um terço dos infetados com o VIH/sida tem menos de 30 anos e cerca de 16% tem entre 15 e 24 anos.

O estudo lembra que o melhor meio de evitar a infeção VIH/sida e outras infeções sexualmente transmissíveis continua a ser o preservativo.

HN // JMR

Lusa/fim

 

Pedro Strecht:“Já tenho pais que marcam consultas para os filhos e eles chegam sozinhos de Uber”

Novembro 14, 2018 às 10:15 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,
Pedro Strecht

Pedro Strecht

 

“Quem diria que a vida privada do craque português Cristiano Ronaldo poderia mexer tanto com o lado profissional de um pedopsiquiatra que acaba de lançar um livro no qual pede aos pais mais tempo para os seus filhos, mas também para eles próprios.

Pois bem, Pedro Strecht reconhece, em entrevista ao Delas.pt, que tem tido “trabalho extra” a explicar a miúdos e a ajudar graúdos – aos pais que pedem conselhos – como explicar o que é o consentimento ou o sexo anal. E o que tem visto é o mesmo problema: falta de integração entre sexo e sentimento.

Mas este não é apenas o único drama. Há mais, muitos mais. Numa conversa que não é curta (fica o aviso desde já), o especialista em psiquiatria infantil fala da parentalidade a dois níveis: das famílias sem recursos e das que são financeiramente mais abonadas, revelando que recebe crianças que chegam de Uber, a sós e enviadas por pais que até marcaram as consultas por estarem preocupados com os seus comportamentos e atitudes.

Do beijo aos avós, à ritalina, das propostas de lei da conciliação trabalho-família “a brincar”, Strecht não poupa nas palavras para explicar uma realidade que se dilui a olhos vistos e que já empurra crianças com oito e nove anos para as consultas clínicas por vida a mais nas redes e likes a menos na autoestima”.

 

Pode ler na íntegra esta entrevista a Pedro Strecht, realizada por Carla Bernadino, ao site Delas.pt.

 

Adolescentes europeus estão a fumar e a beber menos. E a iniciar-se sexualmente mais tarde

Março 15, 2016 às 9:42 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Notícia do Observador de 15 de março de 2016.

Consultar o relatório citado na notícia em baixo:

Growing up unequal: gender and socioeconomic differences in young people’s health and well-being. Health Behaviour in School-aged Children (HBSC) study: international report from the 2013/2014 survey

Hugo Amaral

Os adolescentes europeus estão a fumar e a beber menos e a começar mais tarde a sua vida sexual, mas o uso do preservativo está a diminuir, conclui um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Realizado entre 2013 e 2014 junto de 220 mil adolescentes de 11, 13 e 15 anos em 42 países da Europa e América do Norte, o inquérito “Health Behaviour in School-aged Children” (HBSC) conclui que os comportamentos de risco estão a diminuir nos adolescentes.

Relativamente ao último estudo do género, realizado em 2009/10, a proporção de jovens de 15 anos que fumaram o seu primeiro cigarro antes dos 13 anos desceu de 24 para 17 por cento, enquanto a percentagem de adolescentes que dizem fumar pelo menos uma vez por semana diminuiu de 18 para 12 por cento.

Também no consumo de álcool, o relatório detetou “declínios consideráveis” face ao último relatório, com a percentagem de jovens de 15 anos que dizem consumir álcool semanalmente a cair de 21 para 13 por cento e a proporção de adolescentes que diz ter ficado bêbedo pelo menos duas vezes a cair de 32 para 22 por cento.

“Este relatório tem uma série de muito boas notícias. A redução do álcool e do tabaco significa que as políticas que os países têm estado a implementar estão a tocar nos riscos do tabaco e do álcool nos jovens. Mas os países precisam de se manter vigilantes com as raparigas, mais do que com os rapazes”, disse à Lusa Gauden Galea, diretor da divisão de doenças não comunicáveis e promoção da Saúde do escritório da OMS para a Europa.

Com efeito, segundo o relatório, os rapazes têm maiores probabilidades de fumarem e de beberem, mas a diferença tende a esbater-se nos últimos anos.

“Temo que, embora haja um declínio em ambos, que o declínio nas raparigas não seja tão grande como nos rapazes”, disse Galea.

No que diz respeito ao comportamento sexual, questão que só foi colocada aos jovens de 15 anos, o relatório conclui que a percentagem de adolescentes que diz já ter tido relações sexuais baixou de 29 para 24 por cento no caso dos rapazes e de 23 para 17 por cento no caso das raparigas.

No entanto, diminuiu a percentagem de jovens que usam preservativo, de 78 para 65 por cento.

“É uma área que estamos a tentar abordar com os países na Europa e (…) pediremos aos 53 estados membros que considerem formas de melhorar o acesso aos contracetivos, mesmo entre adolescentes”, disse Gauden Galea, numa entrevista telefónica à Lusa.

Para o responsável, “é importante que os jovens tenham um entendimento dos riscos, tanto em termos do impacto da gravidez nas suas vidas futuras (…) como num aumento do VIH e de outras doenças sexualmente transmitidas”.

Galea defendeu que “é preciso fazer mais” e explicou que a abordagem passa por “educação sexual positiva e proativa”, mas também por permitir que os jovens tenham acesso aos “instrumentos que lhes permitam proteger-se e às competências para exigi-lo aos seus companheiros”.

Os investigadores detetaram ainda uma pequena redução na proporção de adolescentes que dizem ter-se envolvido em lutas pelo menos três vezes nos últimos 12 meses. As lutas são mais frequentes nos rapazes e diminuem com a idade.

O bullying é outra questão analisada no relatório da OMS e, embora não haja grandes mudanças na probabilidade de se sofrer de bullying na adolescência, há uma ligeira redução na percentagem de jovens que admite ter feito bulliyng sobre outros aos 13 e 15 anos.

O relatório HBSC é realizado de quatro em quatro anos desde há 33 anos e tem influenciado as políticas e a legislação em vários países europeus, diz a OMS.

Texto de Agência Lusa.

 

 

Sessão clínica Os adolescentes e o aconselhamento contraceptivo

Março 26, 2013 às 11:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

sessao

Os adolescentes em Portugal iniciam a vida sexual muito cedo? As adolescentes podem ou não tomar a pílula? Como acompanhar uma adolescente em consulta? Qual o melhor momento para falar de contracepção e DTS?

No dia 6 de Abril, sábado, no Auditório do Hospital Pediátrico de Coimbra, a Sociedade Portuguesa da Contracepção (SPDC) e a Secção de Medicina do Adolescente da Sociedade Portuguesa de Pediatria (SMA-SPP) organizam uma reunião clínica com o objectivo de orientar os profissionais na área da saúde sexual do adolescente.

A reunião destina-se a médicos internos e especialistas em Ginecologia/Obstetrícia, Pediatria, Medicina Geral e Familiar, enfermeiros da área de Saúde Materna e Infantil. Tem entrada gratuita mas requer inscrição obrigatória, através do email spdcontracepcao@gmail.com

Para consultar o programa da sessão clique aqui.

Health Behaviour in School-aged Children: international report from the 2009/2010 survey

Maio 7, 2012 às 6:00 am | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Descarregar o estudo Aqui

Jovens europeus assumem relações sexuais desprotegidas

Setembro 26, 2011 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Notícia da TSF de 26 de Setembro de 2011.

O estudo mencionado na notícia é o seguinte:

Clueless or Clued Up: Your Right to be informed about contraception

Um estudo internacional, divulgado hoje, mostra que quase metade dos jovens europeus já teve relações sexuais desprotegidas com novos parceiros.

Quase 42 por cento dos jovens europeus, com idades entre os 14 e os 24 anos, não usam qualquer tipo de contraceptivo com novos parceiros.

Em Portugal, os últimos dados indicam que um terço dos jovens tem relações sexuais desprotegidas. De uma forma global, entre 2009 e 2011 esta tendência agravou-se.

O estudo internacional “Informado ou a leste” realizado pela Bayer Heaklth Care questionou seis mil jovens de 29 países de todo o mundo e concluiu que o Reino Unido e a França são os países europeus que registaram a maior subida no número de jovens que não usa qualquer tipo de contraceptivo.

Onze por cento dos jovens justificam o comportamento por estarem alcoolizados ou por esquecimento.

O facto de o parceiro não gostar de usar métodos contraceptivos é referido por 14 por cento. Dez por cento acreditam que ter relações durante o período menstrual da mulher é uma forma eficaz de contracepção.

Um comportamento que se reflecte na saúde. Uma em cada 20 adolescentes tem uma doença sexualmente transmissível e em idades cada vez mais baixas.

No estudo internacional, quase quatro em cada dez jovens confirmam não ter educação sexual nas escolas. No entanto 45 por cento das raparigas e 46 por cento dos rapazes dizem estar muito bem informados.

(o site do Dia Mundial da Contracepção, que hoje se assinala)

Rute Fonseca

 

Apresentação de Estudos sobre Crianças e Estudantes Universitários

Dezembro 12, 2010 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

Curso Dinâmicas de grupo para prevenir comportamentos de risco em crianças e adolescentes

Julho 1, 2010 às 9:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

A Red Apple vai dar o “Curso Dinâmicas de grupo para prevenir comportamentos de risco em crianças e adolescentes” durante o mês de Julho de 2010 em Lisboa e no Porto. Mais Informações Aqui

Fundamento

“Perante a panorâmica actual de sucessivos comportamentos de risco na adolescência, pensamos ser de extrema importância dedicar mais tempo à prevenção desses comportamento. Esta formação pretende abranger  diferentes temáticas, como o bulliyng, as toxicodependências, os comportamentos sexuais de risco, etc… numa perspectiva de prevenção. Através da construção de programas de Intervenção em grupo chegamos mais perto dos jovens alertando-os para determinados riscos, sempre de um ponto de vista divertido e Dinâmico. Estes programas podem ser aplicados desde o primeiro ciclo do ensino básico, alguns desde o Jardim de Infância, com adaptações adequadas a cada faixa etária.

Objectivos

É muito mais fácil intervir com o adolescente no seio do grupo, trabalhando questões que individualmente não teriam o mesmo impacto. As Dinâmicas de grupo serão aplicadas consoante a idade dos participantes.  Com esta formação pretende-se que os formandos consigam dinamizar grupos, das mais diversas formas e faixas etárias, sempre no sentido da prevenção. No final da acção os formandos devem ser capazes de dinamizar sessões de intervenção em grupo segundo determinados objectivos para o grupo.”

Seminário APAV 4d – prevenção integrada em contexto escolar

Junho 26, 2010 às 10:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima promove, no dia 1 de Julho, o Seminário APAV 4d – prevenção integrada em contexto escolar, no auditório do Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto.

Esta iniciativa tem como objectivo reflectir acerca da prevenção de comportamentos de risco na adolescência, sobretudo ao nível das quatro dimensões identificadas no Programa 4d – currículo de prevenção para o 9º ano de escolaridade: violência nas relações de namoro e entre pares, comportamentos sexuais de risco, consumo e abuso de substâncias e desigualdades de género. O 4d é um programa de prevenção universal, implementando em contexto escolar, e que resultou da tradução e adaptação do The Fourth R, um projecto desenvolvido e testado no Canadá, pela equipa coordenada pelo investigador David Wolfe.

As comunicações de especialistas nacionais e internacionais permitirão discutir e reflectir acerca dos desafios da prevenção nestes domínios.


Informações:

rosasaavedra@apav.pt / 22 834 68 40 / 96 103 91 62

Mais AQUI.

13.as Jornadas Nacionais da APF – Faro 2010

Maio 18, 2010 às 6:09 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

“A Associação Para o Planeamento da Família vai realizar as suas 13.as Jornadas Nacionais, nos dias 27/28/29 de Maio 2010, na Escola Superior de Saúde de Faro, no Algarve, destinadas a profissionais com intervenção na área da Saúde Sexual e Reprodutiva.”  Mais informações Aqui

Clique na imagem para aumentar

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.