Revelar, enfrentar e combater problemas com a ajuda dos professores – reportagem do Euronews

Maio 14, 2015 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Reportagem do Euronews de 10 de abril de 2015.

Podem os professores ajudar a resolver o problema da obesidade infantil em Porto Rico? Podem eles ajudar os seus alunos a lidar com a violência doméstica? Vamos descobrir uma outra faceta da profissão de docente.

Porto Rico: Enfrentar um grande problema

Uma multa de 800 dólares pode ser o que pais de crianças obesas vão ter de pagar em Porto Rico. Num país onde quase 30% das crianças sofrem de obesidade infantil vai esta solução radical resolver os problemas?

Em Porto Rico, com cerca de 3 milhões e meio de habitantes, quase uma em cada três crianças é obesa, nos Estados Unidos, com quase 319 milhões de habitantes, uma em cada cinco crianças sofre deste mal. Os docentes porto-riquenhos procuram soluções.

Outras ligações:

http://www.municipiodebayamon.com/ultimas-noticias/a-caminar-contra-la-obesidad-infantil/

Albânia: Deixar de esconder os abusos domésticos

Em muitos países a violência doméstica é vista como uma preocupação, estritamente, familiar. A Organização Não Governamental Save the Children está a tentar ajudar a resolver o problema na Albânia.

Neste país, quase três em cada quatro crianças já sofreram de violência doméstica. Apenas uma pequena parte desses incidentes são reportados às autoridades porque, neste país dos Balcãs, estas questões são vistas como sendo problemas do foro familiar.

Outras ligações:

http://www.crca.al/news-child-protection-violence/albania-unprepared-handle-cases-violence-against-children

Bélgica: Combater o cyberbullying

Há várias formas de abuso e no caso do cyberbullying ele pode ser implacável e invisível. Há um ano e meio Sarah foi vítima de cyberbullying. Durante 6 meses, tinha 13 anos na altura, recebeu mensagens ofensivas nas redes sociais. Foi depois de falar com uma professora que decidiu deixar de se esconder.

O Infor Jeune, Centro de Informação da Juventude, em Bruxelas, tenta ensinar a evitar o cyberbullying através, por exemplo de vídeos, que apresenta nas salas de aulas, um deles, realizado pela organização Loupiote, fez parte de uma iniciativa do Conselho da Europa.

 

 

 

Centenas sem ir à escola devido a “vingança pelo sangue”

Setembro 30, 2013 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do Diário de Notícias de 16 de Setembro de 2013.

por Lusa, publicado por Ricardo Simões Ferreira

Quase 600 crianças na Albânia não irão à escola no início do ano letivo porque vivem trancados em casa para escapar à “vingança pelo sangue”, disse hoje à AFP Gjin Marku, responsável de uma ONG local.

Quinhentas e noventa crianças, de entre três e 15 anos, serão obrigadas a ficar fechadas em casa, na esperança de escapar aos efeitos de uma lei, criada no século XV, que permite a “vingança do sangue pelo sangue”, acrescentou a mesma fonte.

Segundo aquela lei, todos os membros masculinos de uma família, mesmo um bebé de meses, pode ser vítima de vingança, qualquer que seja o seu grau de parentesco com o assassino.

Esta tradição verifica-se sobretudo nas regiões montanhosas do norte da Albânia, mas acontece também nas cidades, no centro e sul do país.

Segundo um relatório da “Comissão de reconciliação”, divulgado no início de setembro em Tirana, 600 mulheres e 590 crianças vivem fechadas em casa com medo de serem mortas no quadro de uma vingança.

“A maioria destas crianças é privada de todo o meio de comunicação e não pode ir à escola por causa do seu isolamento”, explicou Marku.

As autoridades albanesas encarregadas da Educação criaram no ano passado projetos de educação individual em casa para cada uma destas crianças.

“Vamos continuar a assistir estas crianças, mas o nosso objetivo é fazê-las sair para que possam ir à escola como todas as outras”, disse hoje aos jornalistas a nova ministra da Educação, Lindita Nikolli.

Segundo a ministra, o novo Governo do primeiro-ministro Edi Rama, investido no domingo, quer implementar planos de ação orientados para pôr fim a esta situação.

 


Entries e comentários feeds.