Sincronizar ondas cerebrais entre pais e bebé é possível

Dezembro 15, 2017 às 8:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Notícia do http://kids.pplware.sapo.pt/ de 4 de dezembro de 2017.

Criado por Célia Simões

Comunicar com um bebé não é tarefa fácil. Até que comece a falar, a forma mais usada para se expressar é chorar e decifrar os vários tipos de choro é um desafio para os pais. Mas já nessa fase existe comunicação entre eles.

Atividade cerebral entre pais e bebé

Uma pesquisa efetuada pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido, mostra que, através da sincronização das ondas cerebrais, ao existir contacto visual entre o adulto e a criança, é possível melhorar a comunicação entre eles e até, acelerar a aprendizagem.

A comunicação entre pais e bebé é uma fase muito importante. Embora possa parecer que o bebé não entende nada do que os pais lhe dizem, a verdade é que durante esse tempo está a haver interação entre eles.

O olhar, as emoções e os batimentos cardíacos são comportamentos que se sincronizam no decorrer dessa interação. Quando os pais falam para o bebé este fica extremamente atento e parece até que também quer falar.

Investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura e da Universidade de East London, no Reino Unido, fizeram uma pesquisa mais aprofundada sobre a sincronização das ondas cerebrais na interação de pais e bebé.

Ondas cerebrais em sintonia

A atividade cerebral entre adultos já foi estudada, e esses estudos demonstraram que, quando dois adultos estão a conversar, a comunicação entre eles é mais eficaz se as suas ondas cerebrais estiverem em sintonia.

As ondas cerebrais refletem a atividade de diversos grupos de milhões de neurónios que estão envolvidos na transferência de informações entre as várias regiões do cérebro.

Neste novo estudo, os investigadores realizaram um teste com a finalidade de descobrir se os bebés conseguem sincronizar as suas ondas cerebrais com as dos adultos. E de que forma o contacto visual pode ou não influenciar essa sincronização.

Os padrões de ondas cerebrais de 36 crianças foram examinados, 17 numa primeira fase e as restantes 19 numa segunda. Para isso foi usada a eletroencefalografia. O estudo foi feito com o adulto a cantar canções infantis para o bebé.

Estudo comprovado

Na primeira fase, os adultos cantaram para os bebés, mas não ao vivo (o padrão das ondas cerebrais dos adultos foi gravado). Através de um vídeo, a criança estabeleceu contacto visual com a imagem, mas nem sempre. Por vezes o adulto desviava o olhar.

Tal como previsto, neste registo, ficou provado que as ondas cerebrais dos bebés estavam mais sincronizadas com as do adulto quando o olhar dos dois se encontrava.

Na segunda fase, o adulto cantou presencialmente para o bebé, olhando diretamente para ele, mesmo que, evitando por vezes o olhar. Desta vez as ondas cerebrais de ambos foram monitorizadas ao vivo de forma a entender-se se os padrões eram influenciados pelo olhar um do outro.

Aqui, tanto o bebé como o adulto, ficaram mais sincronizados com a atividade cerebral um do outro, quando foi estabelecido contacto visual mútuo. Isso aconteceu mesmo quando os adultos, embora tendo oportunidade de estabelecer contacto visual com os bebés, não o fizessem. Os bebés mostraram interesse pelo adulto mesmo quando o adulto evitava o olhar.

No final ficou concluído que a sincronização de ondas cerebrais não se deve apenas ao contacto visual, mas que o facto, de estar presente, da intenção compartilhada de comunicar é um fator de enorme peso.

mais informações na notícia da University of Cambridge:

Eye contact with your baby helps synchronise your brainwaves

 

 

Estudo conclui que os bebés têm, aos 5 meses, consciência do ambiente que os rodeia igual à dos adultos

Abril 30, 2013 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Notícia da SIC Notícias de 18 de Abril de 2013.

O estudo mencionado na notícia é o seguinte:

A Neural Marker of Perceptual Consciousness in Infants

Comunicado de Imprensa do Centre National de la Recherche Scientifique

Les bébés doués de conscience ?

Estudo conclui que os bebés têm, aos 5 meses, consciência do ambiente que os rodeia igual à dos adultos

Os bebés têm, aos 5 meses, uma consciência  do ambiente que os rodeia semelhante à dos adultos, conclui uma investigação,  que será publicada na sexta-feira na revista Science.

Para detetar este estado de consciência, cientistas europeus observaram  a atividade neural de 80 bebés, de 5, 12 e 15 meses, com a ajuda de um eletroencefalograma  que media o tempo de respostas elétricas do seu cérebro, no momento em que  lhes eram mostradas imagens de rostos, mais ou menos demoradamente.

Para os três grupos etários de bebés estudados, os investigadores observaram  a mesma resposta tardia verificada em adultos, confirmando “a marca neural  do estado de consciência”.

Os resultados do trabalho, citados pela agência AFP, revelam que os  mecanismos cerebrais da consciência da perceção estão presentes, bem cedo,  nos bebés, embora de forma mais lenta. A sua reação consciente acelera progressivamente,  à medida que vão crescendo.

Para os investigadores, o estudo poderá ajudar os médicos a compreenderem  melhor a perceção da dor e os efeitos da anestesia nos bebés, bem como avaliarem  a capacidade de perceção em doentes ou vítimas de acidentes de viação incapazes  de comunicarem verbalmente.

O estudo foi conduzido por vários cientistas europeus, nomeadamente do Centro Nacional de Investigação Científica do Laboratório de Ciências  Cognitivas e Psicolinguísticas de Paris.


Entries e comentários feeds.