Contar histórias nas paredes da escola

Fevereiro 24, 2020 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Notícia da Visão de 18 de fevereiro de 2020.

Na Escola Básica Padre Doutor Joaquim Santos, em Cabeceiras de Baixo, as histórias saíram da biblioteca para dar cor às paredes do recreio

É a primeira vez que esta escola em Cabeceiras de Basto, no distrito de Braga, participa na campanha eleitoral pelos livros mais fixes. E como quem quer alcançar o nível dos mais experientes, começaram em grande.

No primeiro dia de campanha, 3 de fevereiro, marcaram uma sessão para toda a comunidade escolar. Pais, professores e colegas: todos ficaram a saber o que é o projeto «Miúdos a Votos», o que se vai passar até maio, e ainda se debateram os livros em campanha. Os miúdos vão andar em alvoroço e, além da campanha eleitoral, que já se mostra pelos corredores, têm um objetivo maior: «fizemos um debate, não só para nos divertirmos mas também para nos tornarmos melhores pessoas e aprendermos a discutir ideias. O mais giro é que são os livros que ganham, não as pessoas». Quem o diz é Inês Rodrigues, 9 anos, que faz campanha pelo livro «O Principezinho», de Antoine de Saint-Exupéry.

Para chamar à atenção de todos, resolveram pintar um grande mural no exterior da escola, com muitos desenhos coloridos que remetem para os livros. Convidaram o artista Mário Teixeira (e assim já envolveram mais uma pessoa de fora) e combinaram que desenhos eram precisos para passar a mensagem. Foi ele que desenhou uma menina com cabelos de mar – que faz uma referência ao livro «A Menina do Mar», de Sophia de Mello Breyner Andressen – uma galinha que põe ovos de todas as cores – apelando ao voto no livro «Os Ovos Misteriosos», de Luísa Ducla Soares – uma enorme flor, que lembra o livro «A maior flor do mundo», de José Saramago e claro, um Principezinho; depois dos contornos, todos os miúdos e miúdas que fazem campanha agarraram no pincel e coloriram as paredes.

Paredes cheias de cor

«O mural vai ajudar a chamar à atenção porque todos vão perguntar o que é – durante os intervalos vai ser uma loucura. Queremos muito que todos leiam mais e larguem os telemóveis», confessa Inês. Ao seu lado está Matilde Gonçalves, também com 9 anos, que faz campanha pelo livro «Gravity Falls», de Alex Hirsch. Escolheu-o porque «é um livro divertido que fala sobre o poder da amizade. Nesta história os monstros são amigos e lutam, juntos, pelo bem». Já Beatriz Barroso, que faz campanha pelo livro «A maior flor do mundo», de José Saramago – e que só o leu por causa da iniciativa – parece não pensar de forma diferente: «gostei deste livro porque a história conta-nos como é possível, ao salvar uma planta, salvar a natureza toda».

TrackBack URI


Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: