6ª Edição do Prémio de Jornalismo Direitos da Criança em Notícia

Janeiro 3, 2020 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

6ª Edição do Prémio de Jornalismo Direitos da Criança em Notícia

O Fórum sobre os Direitos das Crianças e dos Jovens convida os/as profissionais dos meios de Comunicação Social portugueses a participar na Edição de 2019 do Prémio Os Direitos da Criança em Notícia.

Nesta 6ª Edição, o Prémio tem o apoio da SPA – Sociedade Portuguesa de Autores.

Podem concorrer os trabalhos que tenham sido publicados em Portugal, entre janeiro e dezembro de 2019.

A data limite de entrega é 17 de janeiro de 2020.

As candidaturas devem ser feitas através do preenchimento do formulário de candidatura.

Para mais informações consulte os seguintes documentos:

Convite

Contextualização

Regulamento

Orientações para uma Cobertura Jornalística Baseada nos Direitos das Crianças

Pode consultar aqui a lista de premiados da 5ª edição do Prémio de Jornalismo.

Madrid proíbe uso de telemóvel nas salas de aulas já no próximo ano letivo

Janeiro 3, 2020 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

Notícia do Diário de Notícias de 26 de dezembro de 2019.

A medida vai afetar cerca de 800 mil estudantes do ensino não universitário de 1700 escolas da Comunidade de Madrid, que segue o exemplo dos governos regionais de Galiza e Castela-Mancha.

A partir do próximo ano letivo é proibido o uso de telemóveis nas salas de aula de 1700 escolas públicas da Comunidade de Madrid. Cerca de 800 mil estudantes do ensino não universitário vão ser afetados, escreve o El Mundo. A medida vai ser obrigatória nos “períodos escolares”, exceto quando os telemóveis são utilizados com fins educativos ou em casos de alunos que precisam do aparelho “por razões de saúde ou incapacidade”.

“Esta é uma medida que visa melhorar os resultados académicos dos estudantes, especialmente aqueles que têm grandes problemas com o estudo, e está também focada no combate ao cyberbullying e bullying, justifica um porta-voz do Ministério da Educação, citado pelo jornal.Se os alunos não cumprirem com a medida estipulada pelo governo regional de Madrid, cabe ao professor ou à direção decidir qual a ação corretiva a aplicar, que pode contemplar a apreensão temporária do telemóvel.

Até agora, as escolas publicas em Madrid tinham autonomia para decidir sobre o uso de telemóveis nas salas de aula.

Depois de Galiza e Castela-Mancha, Madrid passa a ser o terceiro governo regional espanhol a proibir o uso de telemóvel nas salas de aulas.

As escolas, acrescenta o El Mundo, podem limitar adicionalmente o uso dos aparelhos em outros espaços da escola, como no recreio.

França já proíbe

Em França, a medida já está a ser colocada em prática desde o ano passado. A “interdição efetiva” foi aprovada a 7 de junho de 2018 na Assembleia Nacional e abrange o ensino básico e secundário. De acordo com o Ministério da Educação francês, trata-se de “medida de desintoxicação” para combater a distração nas salas de aulas e o bullying.

A lei que entrou em vigor no ano letivo 2018-2019 permite que as escolas públicas francesas tomem a decisão sobre como querem aplicar a proibição, podendo numa versão mais simples implicar que os telemóveis são colocados em bolsas específicas dentro das mochilas para permitir o acesso em caso de emergência ou para uso pedagógico, nas aulas. Mas há também a versão mais extrema, de os proibir totalmente na escola, sob pena de sanções.

E em Portugal? “A escola não o pode proibir”

E se as crianças portugueses fossem proibidas de levar telemóveis para as salas de aulas? Professores, pais e psicólogos, ouvidos pelo DN, consideram completamente desajustado proibir o uso dos aparelhos nas escolas.

“As escolas não podem viver de costas voltadas para a sociedade. Se a sociedade permite o uso do telemóvel, a escola não o pode proibir, pode, sim, limitá-lo”, afirma Filinto Lima, presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas. “Se os alunos usam o telemóvel na rua e a escola vai proibi-lo, a escola vai ser ainda mais desmotivadora ou então não tão motivadora.”

Eduarda Ferreira, investigadora da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas e psicóloga educacional também se mostrou contra a medida. “Temos de pôr a escola dentro do telemóvel e não tirar o telemóvel da escola”, afirmou. “Banir é que não. O uso do telemóvel na sala de aula, por exemplo, pode motivar os jovens para aprender”, defendeu.

Já Jorge Ascensão, presidente da Confederação de Pais (Confap) entende que há um trabalho a fazer, mas ao contrário: “É preciso trabalhar o sistema educativo e as relações sociais, incutir valores, ensinar os jovens que têm que respeitar os outros. E essa é uma responsabilidade partilhada dos pais e da escola.”

Como convencer as crianças a lavar as mãos? Basta uma fatia de pão

Janeiro 3, 2020 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do site Zap aeiou de 25 de dezembro de 2019.

Nem sempre é fácil convencer os mais novos do quão importante é lavar bem as mãos. Mas Dayna Robertson, professora da Discovery Elementary School, em Idaho Falls, nos Estados Unidos, acertou em cheio. E só foram precisas algumas fatias de pão.

Com a ajuda da colega de trabalho e especialista em comportamento, Jaralee Metcalf, a professora realizou uma simples atividade na sala de aula: os alunos tinham de tocar em várias fatias do mesmo pão de forma. De seguida, essas mesmas fatias foram colocadas individualmente dentro de sacos de plástico para ver o que aconteceria no mês seguinte.

“Uma fatia estava intacta. Uma foi tocada por mãos que não tinham sido lavadas. Uma por mãos lavadas com desinfetante. Uma por mãos lavadas com água e sabão. Depois, ainda decidimos passar uma fatia em todos os nossos Chromebooks”, conta Metcalf num post de Facebook que se tornou viral e que já foi partilhado quase 70 mil vezes.

Tal como se pode ver pelas fotografias, apenas duas fatias de pão passaram no teste: a que estava intacta e a que tinha sido tocada por mãos lavadas com água e sabão.

Jaralee Annice Metcalf / Facebook

“Todos os alunos acharam que era nojento. E, a partir daí, realmente mudaram o hábito de lavar as mãos. Perceberam que o desinfetante não funciona e que têm de lavar com água e sabão”, conta a professora ao site Today, citada pelo Science Alert.

“Devemos lavar as mãos antes, durante e depois de preparar a comida. E também devemos lavar as mãos antes de comer, depois de ir à casa-de-banho, de assoar o nariz, de tocar em animais e, claro, sempre que as mãos pareçam sujas”, explica a epidemiologista Terri Stillwell,

Esta é uma longa lista, sem dúvida, mas é também uma forma importante de impedir a propagação de patógenos e doenças infecciosas, tendo em conta todas as coisas sujas em que tocamos durante o nosso dia-a-dia (e isto serve para miúdos e graúdos).

ZAP //


Entries e comentários feeds.