Conferência ”O Direito das Crianças: da prática ao superior interesse” 29 março em Vila verde

Março 15, 2019 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Mais informações no link:

https://www.eas.pt/conferencia-o-direito-das-criancas-da-pratica-ao-superior-interesse/

Por que as crianças precisam conhecer bruxas, duendes e fadas? 10 livros infantis para entender a importância dos contos de fadas

Março 15, 2019 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Texto e imagem do blog Clube Quindim de 27 de fevereiro de 2019.

Os seres mágicos acompanham a humanidade muito antes da escrita. Mas, para a infância, eles ganharam mais relevância no formato que chamamos de contos de fadas ou contos maravilhosos. Os contos de fadas possuem raízes históricas e são narrativas estruturadas como um sonho: uma linguagem condensada e carregada de simbolismos. Nem todo conto de fada tem a presença da fada, mas todos têm um ser ou elemento mágico. Portanto, é importante que o adulto compreenda que personagens como bruxas, duendes, fadas, unicórnios e sereias representam muito mais que uma leitura simplista ou um olhar ligado à figura estereotipada e difundida no popular.

A psicanalista e escritora Ninfa Parreiras, curadora do Clube Quindim, em seu livro Confusão de línguas na Literatura: o que o adulto escreve, a criança lê (editora RHJ), traz diversos exemplos:

“A casa de doces da bruxa da história de João e Maria, dos irmãos Grimm, pode representar o mundo novo, a voracidade, a fome, a saciação da fome. Pode ser ainda o encantamento, a falsidade, a beleza, a sedução, a aparência, a oralidade da criança, a ganâcia, o excesso.”

Ou seja, João e Maria é uma história que aborda temas fundamentais para o desenvolvimento infantil e humano, tanto na época em que foi escrita como nos dias de hoje.

Os contos de fadas e os seres que nele habitam sobreviveram ao longo dos séculos porque estão ligados à essência do ser humano. Trazem sentimentos que pertencem às crianças desde os seus primeiros dias de vida, como amor, ciúme, medo, abandono, perda. A força do conto de fadas está nesse encontro entre o real e o imaginário.

Contos de fadas seriam histórias muito assustadoras para crianças?

O adulto se equivoca ao evitar que a criança tenha contato com histórias de bruxas e monstros para que ela não vivencie o medo. Para o psiquiatra e escritor Celso Gutfreind, “o medo tem uma função importante nos contos, representando uma emoção fundamental para toda a vida do ser humano e constituindo-se em um fator de proteção durante a infância. Aprender a lidar com ele é um desafio para a criança. Entretanto, as possibilidades de representação de situações assustadoras parecem ser um dos atrativos em um conto infantil” (Contos e desenvolvimento psíquico, Editora Viver, Mente & Cérebro).

A presença de “seres mágicos” pode despertar uma porção de sentimentos, tornando-se tanto um modelo de coragem como de medo. Ao contrário do que acontece em muitas (más) adaptações, um personagem pode representar coisas boas e ruins ao mesmo tempo, não precisando seguir o caminho dos maniqueísmos, do bem contra o mal.

Um ser mágico pode fazer maldades para proporcionar o crescimento pessoal do herói, dando-lhe a possibilidade de reflexão e superação, como no conto “A Bela e a Fera”, em que uma fada malvada condenou o príncipe a viver sob forma animal até que a moça tivesse coragem e consentisse em se casar com ele, redimindo-o do feitiço. Um outro exemplo é na própria história de João e Maria em que o encontro com a bruxa contribui para evidenciar a esperteza e a inteligência dos personagens.

Encontramos na literatura infantil e juvenil histórias com seres mágicos escritas por importantes autores do mundo e do Brasil. Autores que se dedicaram e se preocuparam com o desenvolvimento da criança e da construção do seu imaginário. Provavelmente a atual geração de pais, tios e avós ouviram ou leram histórias com bruxas, duendes, fadas, ogros, centauros desses escritores. Então, antes de descartar dar acesso a esses livros pergunte a sua memória afetiva o quanto você se divertiu e o quão foi importante conhecer algumas dessas histórias.

No livro A psicanálise dos contos de fadas (Editora Paz e Terra), o psicólogo Brunno Bettelheim afirma que “dentro da literatura infantil, nada pode ser tão enriquecedor e satisfatório, tanto para crianças como para adultos, do que os contos de fadas folclóricos. Eles ensinam pouco sobre condições específicas da vida contemporânea, mas através deles pode-se aprender muito sobre os problemas interiores dos seres humanos.”

A seguir, o Clube de Leitura Quindim selecionou 10 contos de fadas que já foram entregues aos nossos assinantes e ajudam a entender a importância desses seres mágicos para a infância.

Continuar a ler no link:

https://blog.clubequindim.com.br/por-que-criancas-precisam-conhecer-bruxas-e-contos-de-fadas/?fbclid=IwAR3G71UpUpGzPilcKatBjCMAv7gg1O_xG9tyM37mucXxAUr1TlOvJ8lTl48

 

 

Incentivo ao suicídio infantil no YouTube chega à “Porquinha Peppa” e “Fortnite”

Março 15, 2019 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia e imagem do MAGG de 27 de fevereiro de 2019.

por Rita Espassandim

O desafio Momo incentiva os jovens a magoarem-se e está presente em séries ou jogos infantis bem conhecidos. Alerta foi dado pelas escolas.

O desafio Momo chegou no ano passado e foi rapidamente associado à Baleia Azul. Tal como o jogo que escondia uma série de desafios de auto-mutilição, e terminava com o suicídio dos participantes, o Momo desafiava os jovens a acabarem com a própria vida. Agora, parece que estes conteúdos estão a ser incluídos discretamente em vídeos infantis do YouTube, como a “Porquinha Peppa” e “Fortnite”.

Depois de uma mãe ter alertado para a presença de incitações ao suicídio em conteúdos infantis no YouTube e YouTube Kids, as escolas de toda a Grã-Bretanha dizem que as crianças estão a ser alvo de imagens assustadoras e clipes da personagem perturbadora Momo. De acordo com o “Daily Mail“, já foram contactadas por centenas de pais assustados. Os educadores dizem que os clipes aparecem no meio de vídeos aparentemente inocentes de desenhos animados, como a “Porquinha Peppa”, ou sobre jogos de computador como o “Fortnite”.

A Escola Primária de Haslingden, em Rossendale, disse em comunicado: “Estamos cada vez mais conscientes de vídeos altamente inapropriados que circulam online e que estão a ser vistos por crianças em toda a escola. Esses estão a aparecer em muitos sites e no YouTube (incluindo o YouTube Kids).”

Um dos vídeos começa de forma inocente com um episódio da “Porquinha Peppa”, por exemplo, mas rapidamente se transforma numa versão alterada, com violência e linguagem ofensiva. Outro vídeo conta com a presença de Momo e mostra uma máscara branca distorcidaa incentivar as crianças a realizar tarefas perigosas, sem contar aos pais.

No comunicado da escola, pode ler-se ainda: “Como podem imaginar, isto é muito angustiante para as crianças verem. Encorajamos todos os pais a ficarem atentos quando o filho estiver a ver qualquer vídeo.” Outros avisos foram emitidos pela Newbridge Junior School, em Portsmouth, e pela escola primária Offley Endowed, perto de Luton, Bedfordshire.

Momo consiste numa mulher assustadora com cabelos escuros, um sorriso diabólico e olhos salientes, que até agora atraia crianças através de uma conta WhatsApp — agora já está no YouTube. Através da plataforma de troca de mensagens, enviava para o telemóvel imagens e instruções sobre como a pessoa se poderia magoar, a si e aos outros. Momo ameaça que, se as crianças não fizerem o que ela diz, ela as “amaldiçoará”.

Esta semana, uma mãe preocupada de Manchester, que pediu para permanecer anónima, disse que ficou “profundamente alarmada” quando a professora do filho de 7 anos lhe disse que a criança estava a fazer ameaças a outros alunos na escola.

Depois de discutir com o filho, acabou por descobrir que ele tinha sido influenciado pelo desafio Momo e revelou as coisas horríveis que a personagem lhe disse para fazer.

Num comunicado publicado na CNN, o YouTube agradeceu a atenção dada a este problema e garantiu que os vídeos reportados são analisados diariamente e são imediatamente removidos caso não estejam de acordo com as regras da plataforma.

 

 


Entries e comentários feeds.