Workshop Hipnose Pediátrica para controlo da dor e ansiedade 2018 – 17 e 18 setembro Coimbra, 21 e 22 setembro Lisboa

Agosto 21, 2018 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

mais informações no link:

https://workshophipnosepediatrica.weebly.com/

 

53% dos bebés em Portugal nascem fora do casamento

Agosto 21, 2018 às 12:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia do Expresso de 9 de agosto de 2018.

Margarida Cardoso

Portugal é dos países europeus onde a percentagem de bebés que nascem fora do casamento é mais alta, diz o Eurostat

Em Portugal, 53 em cada 100 bebés nascem fora do casamento. Os números do Eurostat, relativos a 2016, colocam o país entre os Estados-membros da União Europeia que têm a percentagem mais alta neste indicador.

A mudança no equilíbrio entre os bebés que têm pais casados e os que nascem foram do casamento já vinha a fazer sentir-se nos últimos anos. Há duas décadas, menos de 20% dos bebés nascia fora do casamento. Em 2016 esta percentagem sobe para os 53%, acima da média de 43% registada na União Europeia.

De acordo com o gabinete de estatísticas da UE, entre 2000 e 2016, a proporção de bebés filhos de pais que não são casados subiu 15% na UE, ao ritmo de um ponto percentual por ano, refletindo “uma mudança nos padrões de formação dos núcleos familiares”, o que significa nascimentos em relações não conjugais, uniões de facto e, também, o aumento do número de pais a viver sozinhos, destaca o Eurostat.

Em 2016, o número de bebés registados fora do casamento foi superior aos registos de filhos de casais unidos pelo vínculo do matrimónio em oito dos Estados-membros: França (60%), Bulgária e Eslovénia (59%), Estónia (56%), Suécia (55%), Dinamarca (54%), Portugal (53%) e Holanda (50%)

Com mais de 80% dos bebés a nascerem no casamento, estão a Grécia, Croácia e Chipre.

O Eurostat refere, ainda, que os nascimentos fora do casamento aumentaram em quase todos os países europeus em 2016. As exceções foram a Estónia, Itália, Letónia, Lituânia e Hungria.

 

Mais de 900 crianças-soldado já foram libertadas no Sudão do Sul este ano

Agosto 21, 2018 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Notícia da ONU News de 8 de agosto de 2018.

Novo grupo de meninos e meninas entregaram suas armas esta semana; cerca de 19 mil continuam em fileiras de grupos armados; Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, precisa de US$ 45 milhões para reintegrar estas crianças nos próximos três anos.

Mais de 100 crianças foram libertadas na terça-feira por grupos armados no Sudão do Sul elevando o total de crianças soldado que conseguiram liberdade para mais de 900 este ano.

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, este foi o quarto grupo libertado este ano. Mais meninos e meninas devem ser libertados nos próximos meses.

Progresso

O representante do Unicef no país, Mahimbo Mdoe, disse que “o progresso feito este ano dá esperança de que, um dia, todas as 19 mil crianças que ainda servem nos grupos armados e forças armadas possam ser devolvidos às suas famílias.”

Segundo ele, “até esse objetivo ser atingido, o trabalho para acabar com o recrutamento e uso de crianças tem de continuar.”

O grupo libertado esta semana incluía 90 meninos e 38 meninas. As crianças estavam associadas ao Movimento Nacional de Libertação do Sudão do Sul, que em 2016 assinou um acordo de paz com o governo.

Reintegração

O Unicef organizou uma cerimônia na cidade de Yambio, no sul do país, para marcar o momento. As crianças entregaram as suas armas e receberam roupas de civis. Todas vão fazer exames médicos e receber apoio psicossocial, como parte de um plano de reintegração.

Quando as crianças voltarem a casa, as famílias vão receber três meses de ajuda alimentar do Programa Mundial de Alimentos, PMA. Também receberão treinamento vocacional, porque capacidade de se sustentar é um fator importante na associação a grupos armados.

Além dos serviços relacionados com os meios de subsistência, o Unicef e os parceiros vão assegurar serviços de educação específicos e centros de aprendizagem acelerada.

Parceria

Este esforço é uma parceria entre o Unicef, a Missão da ONU no país, Unmiss, e parceiros do governo. O representante da agência das Nações Unidas explica que “negociações com as partes em conflito exigem energia e compromissos consideráveis ​​de todos os envolvidos.”

O Unicef diz que são precisos US$ 45 milhões para apoiar a desmobilização e reintegração de 19 mil crianças nos próximos três anos.

 

 


Entries e comentários feeds.