“Sexting” cresce entre os adolescentes

Março 4, 2018 às 6:24 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia do https://www.dn.pt/ de 27 de fevereiro de 2018.

Nos últimos dez anos, cresceu o número de crianças e jovens que enviam e recebem mensagens sexuais explícitas

A troca de mensagens sexuais – “sexting” – entre adolescentes e crianças mais novas aumentou ao longo da última década, indica um novo estudo publicado esta segunda-feira na revista JAMA Pediatrics. De acordo com a investigação, um em cada quatro jovens disse ter recebido mensagens de cariz sexual e um em cada sete revelou ter enviado.

O estudo, que pode ser consultado aqui, foi divulgado pela CNN e revela que a pesquisa incluiu dados de 39 projetos de inquéritos realizados entre janeiro de 1990 e junho de 2016, com um total de 110.380 participantes, todos com menos de 18 anos – incluindo alguns jovens de 11 anos.

Os investigadores concentraram-se nos dados desde 2008 e encontraram um aumento no “sexting” – (contração de sex e texting), um anglicismo que se refere à divulgação de conteúdos eróticos e sensuais através de telemóveis.

O aumento do número de jovens envolvidos no envio ou receção de fotografias ou mensagens sexualmente explícitas correspondeu ao acesso em cada vez maior a telemóveis. Conscientes dessa tendência, os autores do estudo sugerem que “informações específicas sobre o sexo e suas possíveis consequências devem ser regularmente fornecidas como uma componente da educação sexual”.

Na verdade, não está a acontecer nada de novo, a não ser a introdução da tecnologia na equação. Os investigadores descobriram que os adolescentes que se envolvem em “sexting” fazem-no como uma maneira de começar a explorar a atração que sentem por outras pessoas.

“À medida que os adolescentes envelhecem vamos ver estes números a crescer… Tal como acontece no comportamento sexual real”, disse o co-autor do estudo, Jeff Temple, professor de psiquiatria na Universidade do Texas.

 

 

 

 

Os sinais de alarme da gripe nas crianças

Março 4, 2018 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

Dormir demasiado pode ser um sinal de alerta para uma complicação da gripe DR

Texto da http://visao.sapo.pt/ de 14 de fevereiro de 2018.

Quando a gripe, nas crianças, se torna numa doença mais séria. Saiba como reconhecer os sinais

Para a maioria das crianças uma gripe cura-se em três ou quatro dias e os sintomas são um pico abrupto de febre, tosse, dores de garganta e dores musculares. Mas há casos em que a gripe pode evoluir para uma doença mais grave e a prescrição normal, como beber muitos líquidos, ficar em casa a descansar e controlar a febre não chegam.

Os pais devem estar atentos, principalmente aos bebés e às crianças com menos de cinco anos, já que a sua capacidade de explicação do que sentem é menor.

Há “sinais de alarme”, explica o pediatra Hugo Rodrigues, que os pais devem ter em atenção: dificuldades respiratórias (nota-se, por exemplo, no esforço em abrir e fechar as narinas), respiração mais rápida e monitorização do estado geral. Se a criança continuar prostrada, se não quiser brincar, nem se rir é sinal de é preciso uma ida ao médico. No caso dos bebés, diz o pediatra, “se houver interferência na alimentação e o bebé não conseguir mamar porque tem vómitos” também deve procurar o médico.

Na maioria dos casos mais graves, a gripe evolui para a pneumonia e, menos frequentemente, para uma condição “semelhante à sepsis”, de acordo com Hugo Rodrigues, em que a resposta do organismo à infeção é exagerada e causa extrema dor e desconforto, desorientação, falta de ar e coração acelerado.

SINAIS A QUE OS PAIS DEVEM ESTAR ATENTOS PARA QUE A GRIPE NÃO SE TORNE PERIGOSA

– Febre persistente

– Respiração diferente

– Dor ou pressão no peito

– Lábios azuis ou roxos

– Se se recusa a comer ou a beber

– Se está prostrada

– Quando está muito irritável

– Dorme demais

– Está confusa

 

 


Entries e comentários feeds.