Proteja seu filho da principal causa de morte de crianças em Portugal

Dezembro 3, 2016 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Texto do site http://uptokids.pt/ de 21 de novembro de 2016.

up

As lesões e traumatismos na sequência de acidentes continuam a ser primeira causa de morte nas crianças e jovens em Portugal, o que preocupa a Sociedade Portuguesa de Pediatria.

Há pequenos pormenores que podem salvar a vida a uma criança. É estritamente necessário que todos estejamos atentos e  cientes dos perigos que nos rodeiam para que possamos proteger os nossos filhos, e ensiná-los a tornarem-se autosuficientes nos que se refere à sua segurança.

Ficam algumas dicas de como proteger o seu filho organizadas por faixas etárias.

Até 1 ano de idade

Os bebés com menos de uma ano, estão a aprender a controlar os seus movimentos e respiração, sendo que a principal causa de mortes nessa faixa etária por acidente é engasgamento, asfixia, aspiração de corpos estranhos, intoxicações e queimaduras.

Como evitar estes acidentes?

  • Os Bebés devem dormir em berços certificados e com colchão firme, virados de barriga para cima, tapados até a altura do peito e com os braços para fora.
  • Não deixe brinquedos dentro da cama
  • Corte e/ou esmague os alimentos em pedaços pequenos quando der refeições.
  • Mantenha fora do alcance das crianças objetos pequenos como botões, peças de brinquedos, berlindes, moedas, pilhas e pionaises. (Especialmente tudo o que é metálico, pilhas e baterias)
  • Retire todos os restos de plástico de balões rebentados do chão.
  • Use cancelas de proteção nas escadas e redes de proteção nas janelas.
  • Não deixe móveis perto de janelas – podem servir de apoio para a criança subir e ter acesso ao perigo.
  • Não deixe o bebé sozinho, em instante nenhum, em cima de um sofá, fraldário ou mesa.
  • Tranque todos os armários de acesso a detergentes e produtos químicos
  • Mantenha os sacos de plástico fora do alcance das crianças
  • Para se aperceber dos perigos mais eminentes na idade certa do seu filho, faça um tour pela sua casa colocando-se à altura dos seus olhos. Gatinhe, deite-se no chão, ande de joelhos e perceberá a quantidade de perigos apelativos que  tentam diariamente o seu filhos.

 

De 2 a 4 anos

A Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) lança anualmente uma campanha de prevenção contra a morte por afogamento – “A Morte por Afogamento é Rápida e Silenciosa”. Ao longo dos últimos quatro anos, o afogamento a par com as quedas, asfixia, engasgamento, afogamento, intoxicações, choques elétricos e traumatismos tem sido a principal causa de morte em acidentes doméstico, nas crianças entre 2 a 4 anos Nesta idade as crianças estão mais autónomas e aventuram-se a experimentar o espaço que as rodeia livremente. É obrigatório a supervisão de um adulto, pois as crianças ainda não têm consciência do perigo. Estas são as dicas para evitar acidentes nesta idade. Não devem ser descartadas ainda as soluções de segurança aplicadas até um ano de idade.

 

  • Nunca deixe crianças sozinhas quando estiverem dentro ou próximas da água. As crianças mais pequenas podem afogar-se tanto na praias, piscina, rios, lagos e barragens, como em qualquer recipiente com muito pouca água ou outros líquidos, quer seja uma banheira, pia, alguidar, balde, etc
  • Para evitar afogamentos, o colete salva-vidas adaptado à idade é o equipamento mais seguro. Braçadeiras e outros equipamentos insufláveis dão-nos uma falsa noção de segurança – se a criança ainda não souber dominá-las podem virar a qualquer momento, tornando o retorno à tona da água muito difícil.
  • Nunca guardar detergentes, lixívia, inseticidas, pesticidas ou desinfetantes dentro de garrafas de água ou refrigerantes de plástico já usadas.
  • Os brinquedos devem ser suficientemente grandes para que não caibam na boca, e suficientemente resistentes para que não possam ser mordidos (lascas)
  • Mantenha objetos afiados como facas, tesouras e chaves de fendas, entre outros, fora do alcance das crianças.
  • Proteja os cantos das mesas e arestas vivas, especialmente aquelas que vão estar exatamente ao nível dos olhos do seu filho quando começar a aquisição de marcha

 

 

Dos 5 aos 9 anos

Nesta idade, a criança ainda não têm suas competências motoras totalmente desenvolvidas e a principal causa de acidentes nesse caso são os atropelamentos de trânsito, quedas, queimaduras, afogamentos, choques elétricos, intoxicações, traumatismos.

Estas são as dicas para evitar acidentes nesta idade. Não devem ser descartadas todas as soluções de segurança aplicadas nas faixas etárias anteriores.

 

  • Dê o exemplo. Ensine as crianças a olhar para um lado e para o outro antes de atravessar a rua. Respeite os sinais de trânsito e passadeiras.
  • Crianças com menos de 10 anos não devem andar sozinhas na rua. A supervisão de um adulto é vital até que a criança demonstre habilidades e capacidade de julgamento do trânsito. Dê sempre a mão aos seus filhos quando estiverem a andar na rua
  • Crianças com menos de 8 anos não devem manusear, sem supervisão de um adulto brinquedos que requeiram carregamentos e que estejam sujeitos a atingir temperaturas elevadas. Os brinquedos elétricos podem causar queimaduras.
  • Crianças com menos de 10 anos não devem andar sozinhas de elevador.
  • Não deixe bebidas alcoólicas e medicamentos ao alcance das crianças.
  • Ensine a criança a não aceitar bebidas ou alimentos que lhe sejam oferecidas por estranhos.
  • Se se ausentar de uma tarefa que está a realizar, garanta que deixa tudo em segurança: bicos do fogão desligados e pegas das frigideiras viradas para dentro, ferro de engomar desligado, com o fio enrolado, não deixar facas afiadas em cima das bancadas, etc
  • Guardar isqueiros e fósforos fora do alcance das crianças.
  • Não tome medicamentos à frente das crianças para evitar comportamentos por imitação. Não administre medicamentos aos seus filhos se prescrição médica.
  • Ensine os seus filhos a verificarem os prazos de validade dos alimentos que ingerem
  • Ensine os seus filhos a usar o micro-ondas. Se a vêem a usar, rapidamente vão experimentar fazê-lo. Evite acidentes explicando que não podem colocar pratas, nem loucas com filamentos de prata dentro do mesmo.

 

 

Advertisements

TrackBack URI


Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: