Que têm de aprender os nossos filhos para serem leitores competentes na Web?

Setembro 3, 2016 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

texto do blog https://jfborges.wordpress.com/ de 25 de junho de 2015.

Há muitas aprendizagens que os nossos filhos devem realizar desde pequenos para se irem formando como leitores dos textos digitais. Algumas delas podem começar logo, outras estão relacionados com atividades que realizarão mais tarde (por exemplo, pesquisa de documentação, trabalhos de investigação…).

Qualquer leitor competente na Web tem que poder mover-se em situações muito diversas, como as que se descrevem:

  • Aprender a marcar objetivos de leitura concretos e ter a curiosidade para explorar caminhos diversos que permitam resolvê-los.
  • Estar consciente da natureza fragmentária e desestruturada da informação.
  • Eleger a estratégia de leitura mais conveniente para cada situação (leitura profunda e completa do texto; leitura rápida e superficial…).
  • Saber interpretar os formatos e os códigos próprios dos textos digitais (as opções dos menus, o distinto valor das ligações…).
  • Fazer um uso apropriado das ferramentas para explorar os textos (por exemplo, as pesquisas dentro do texto, os mapas ou os índices…).
  • Estar familiarizado com os textos multimédia que integram distintas linguagens (texto escrito, vídeo, áudio…), com os seus códigos e as suas características.
  • Ser capaz de manejar textos formados por combinações de distintos textos (por exemplo, um texto de informação, uma entrevista a um especialista, um glossário de termos…).
  • Poder avaliar a fiabilidade da informação; perguntar-se pela origem do conteúdo e saber como localizá-lo.
  • Realizar com facilidade as operações implicadas na navegação.
  • Ter consciência do processo que cada um segue, ou pode seguir, nos distintos passos de acesso à informação (pesquisar, selecionar, avaliar, processar, reelaborar…) e ser capaz de aplicá-lo e melhorá-lo em outras situações.
  • Ter uma disposição favorável para participar e cooperar em projetos colaborativos.
  • Seguir as normas habituais de “boa educação” na Internet (a que se chama netiqueta).

Parte destas aprendizagens começam muito cedo, mas muitas delas prolongam-se ao longo de toda a escolaridade dos nossos filhos. Porque só se forem capazes de aplicar com segurança este conjunto de competências, a leitura será um processo ativo, crítico e controlado por eles.

Fonte.

TrackBack URI

site na WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: