5 truques para facilitar a chegada do seu bebé

Junho 9, 2016 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

pai-e-bebe

 

“A vida não começa com o nascimento do bebé, apenas continua” e, por conseguinte, o bebé dentro do útero materno já desenvolveu costumes e hábitos próprios. Quando chegado o momento em que se deparam com uma nova realidade, muitos desses hábitos continuarão a fazer parte do dia-a-dia do seu bebé, tornando a sua vida no exterior muito mais confortável.

Com estes 5 truques conseguiremos que os bebés se sintam mais familiarizados e à vontade com o seu envolvimento, encarando esta mudança com tranquilidade:

  1. Alguns especialistas recomendam que não utilize luvas para as mãos do seu bebé. A explicação é simples: durante a gestação o bebé esteve em contínuo contacto com elas, ajudando-o a situar-se e na auto-exploração. Após o nascimento os bebés continuam a reproduzir este comportamento e, com luvas, sentir-se-ão estranhos ao ter algo nas suas mãos que os impede de sentir o que existe no mundo que os rodeia.
  2. Uma das posições preferidas de alguns bebés é colocar-se encostado à parte superior da sua cama, com a cabeça em contacto com a mesma. Tal acontece pois os bebés, no final da gestação, adquirem uma posição cefálica e pressionam constantemente, com a sua cabeça, a pélvis da mamã. Deste modo, após o nascimento, procuram a parte superior do berço de modo a sentirem-se mais seguros.
  3. O olfato é um dos sentidos que se desenvolve no decorrer da gestação. É graças a este sentido que o bebé, acabado de nascer, consegue encontrar o peito da mãe, guiando-se pelo olfato. Assim, o período da amamentação é um momento que tranquiliza o bebé, permitindo-lhe cheirar a mamã e fazendo-o sentir que não está sozinho.
  4. Pensemos que o bebé, enquanto está dentro a barriga da mãe, viaja sempre acompanhado. Deste modo é normal que após o nascimento, quando se encontrem sozinhos no berço, com cheiros, sons e luzes diferentes dos que conhece, se assustem e chorem. Um som familiar pode ajudar o bebé a acalmar-se: uma música que tenha colocado para ele ouvir durante a gestação ou um batimento do coração, som este que é bastante familiar por ser parecido ao que ouvia dentro da barriga da mamã.
  5. É certo que, no interior do ventre materno, o bebé é capaz de abrir os olhos e inclusive de poder distinguir algumas mudanças de luminosidade, quando esta é mais intensa. Contudo, durante a maior parte da sua vida intrauterina, encontra-se totalmente na escuridão. No momento do seu nascimento a luz intensa incomoda e assusta o bebé. Deste modo, um ambiente com uma luz ténue e suave tranquilizará e irá relaxar o seu bebé.

Certamente que com estes conselhos o seu bebé sentir-se-á mais cómodo e familiarizado com o seu envolvimento. Contudo, sempre que o seu bebé chorar, não hesite em pegá-lo ao colo e colocá-lo junto ao peito, falando com ele num tom meigo e suave, pois este muitas vezes precisa de se sentir protegido, não gostando de estar sozinho.

 

Up To Kids, em 4 de maio de 2016

399 crianças não têm família que as adote

Junho 9, 2016 às 5:42 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Notícia do Jornal de Notícias de 5 de junho de 2016.

clicar na imagem

jn(5)-1

 

Manual de legislação europeia sobre os Direitos da Criança

Junho 9, 2016 às 12:00 pm | Publicado em Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

manual

descarregar o manual no link:

http://echr.coe.int/Documents/Handbook_rights_child_POR.PDF

“Cacá quer cucu” Animação para bebés e acompanhantes na Biblioteca José Saramago (Loures) 11 de junho

Junho 9, 2016 às 9:23 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

cucu

mais informações:

http://www.cm-loures.pt/Conteudo.aspx?DisplayId=1996

Barlavento – Cantigas portuguesas ao relento – Espetáculo de música para crianças no CCB, 16-19 junho

Junho 9, 2016 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

fernando mota

Fábrica das Artes | para todas as infâncias

BARLAVENTO é um espetáculo com canções tradicionais portuguesas que continua o percurso em conjunto de Carla Galvão, Fernando Mota e Rui Rebelo no desenvolvimento de uma linguagem cénica multidisciplinar e universal, criada em projetos anteriores como CANÇÕES NÓMADAS, NANA NANA e PEIXE LUA.

BARLAVENTO recorre a canções tradicionais portuguesas, a lengalengas e a trava-línguas, para a criação de uma dramaturgia musical, sonora e visual.

BARLAVENTO desenrola-se à volta de uma máquina de cena, uma carroça-barco-habitação ao mesmo tempo cenário, tela e instrumento musical. Dela saem estruturas e objetos sonoros, na sua vela são projetadas imagens e espaços, nela habitam os três cantores-contadores.

Criação e interpretação Carla Galvão, Fernando Mota e Rui Rebelo / Conceção do barco-instrumento Elenco com Marco Fonseca / Realização Plástica Marco Fonseca / Desenho e Operação de Luz Nuno Figueira / Produção Stage One / Foto Susana Paiva / Coprodução CCB/Fábrica das Artes, Teatro Municipal São Luiz

Uma encomenda CCB/Fábrica das Artes

mais informações:

https://www.ccb.pt/Default/pt/FabricaDasArtes/Programacao/Espetaculos?a=398

 

 

 


Entries e comentários feeds.