Education and Training : Monitor 2015

Março 14, 2016 às 8:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

edu

descarregar o documento no link:

http://bookshop.europa.eu/is-bin/INTERSHOP.enfinity/WFS/EU-Bookshop-Site/pt_PT/-/EUR/ViewPublication-Start?PublicationKey=NCAJ15001

This first edition of the Education and Training Monitor developed under the Juncker Commission is published when Europe’s need for long-term solutions to a growing social crisis has once more been thrown into sharp relief. Education is the foundation of Europe’s future economic vitality, driving the employability, productivity, innovativeness and entrepreneurial spirit of tomorrow’s working population. But equipping people for employment is only part of the picture. Education has an equally important role in creating a better society. Well-educated people are less at risk of marginalisation and social exclusion. Effective education is about inclusiveness, ensuring every citizen has an opportunity to develop their talents and to feel part of a shared future. Building effective education and training systems requires a focus on inclusion as part and parcel of the broader quest for excellence, quality and relevance. These objectives are well reflected in the Europe 2020 education headline target. Yet the latest available data shows a worrying decrease in education investment for the third consecutive year, jeopardising the EU’s progress towards these objectives. Member States that have seen a spending cut for at least three years in a row are NL, FI, PT, IT, ES, IE and UK – the latter four proving the most problematic from a demographic perspective. The Education and Training Monitor 2015 shows that, in view of improving spending effectiveness and efficiency, mutual learning and evidence-based policy making are of vital importance

 

Aniversário do IAC: há 33 anos ao serviço da Criança

Março 14, 2016 às 3:55 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

33_anos_iac

No dia 14 de março assinala-se o 33º aniversário da criação do INSTITUTO DE APOIO À CRIANÇA presidido pela Drª. Manuela Eanes. O IAC é uma instituição Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos, criada em 1983 por um grupo de pessoas de diferentes áreas profissionais – médicos, magistrados, professores, psicólogos, juristas, sociólogos, técnicos de serviço social e educadores.

Desde 1983 que o Instituto de Apoio à Criança tem sido uma importante realidade ao serviço da criança, da família e da comunidade, especialmente para muitas crianças o suporte que lhes falta, o garante dos seus direitos, interesses e necessidades. Sabemos que não vamos resolver todos os problemas das crianças em perigo, mal-amadas, desaparecidas e exploradas sexualmente e que sofrem tão dolorosamente as consequências de uma sociedade tantas vezes desumanizada e injusta socialmente.

Como dizia o Dr. João dos Santos, sócio-fundador do Instituto de Apoio à Criança “o destino do homem determina-se na forma como é gerado, no calor dos braços que se lhe estendem, na ideologia que o envolve e na liberdade que lhe é proporcionada para imaginar, experimentar e pensar.

“Pressão para perfeição e sucesso causa sempre infelicidade na criança”

Março 14, 2016 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Texto do site http://www.noticiasaominuto.com/lifestyle/ de 16 de fevereiro de 2016.

naom_56be1e2ec67bf

iStock

Atitudes, silêncio, tristeza, teimosia, afeto. Afinal, ‘o que se passa na cabeça do meu filho?’. O Lifestyle ao Minuto falou com a autora do livro, Cristina Valente.

POR Daniela Costa Teixeira

Compreender os comportamentos, as oposições, os silêncios e os pensamentos dos filhos não é uma tarefa fácil, mas também não é impossível. No livro ‘O que se passa na cabeça do meu filho’ [Manuscrito], a mentora de famílias Cristina Valente explica as melhores formas de conseguir entender as crianças.

E um dos primeiros passos é “escolhermos o amor em vez do medo”. Em resposta por e-mail ao Lifestyle ao Minuto, Cristina Valente revela que o nascimento da sua filha Constança – que nasceu com líquido cefalorraquidiano) trouxe a vontade de “aproveitar ao máximo o que cada momento presente tem para nos dar”.

“No fundo, é a forma ideal para vivermos todos os dias. De facto, o que fiz foi distinguir entre o que estava dentro do meu controlo e o que não estava. Com aquilo que eu poderia controlar, eu dava o meu máximo. Com o que não podia controlar, largava: Let go and let God. É muito importante sabermos separar as coisas. E escolhermos o amor em vez do medo”, diz.

Ao longo do seu livro, e tentando explicar de forma clara algumas evidências científicas, a psicóloga aborda a importância da aceitação total de uma criança, algo que se torna essencial no caso da mãe.

“A ressonância límbica é o ‘mecanismo do amor’ e é o que promove a ligação entre mãe e filho. Um recém-nascido pode morrer por falta dessa ligação fundamental com a mãe. Ele consegue viver sem o cuidado do pai ou de outros cuidadores. Mas com a falta do olhar, do toque e do cheiro da mãe…as feridas são infinitamente maiores”, explica.

Compreender a criança

Mas além da aceitação, a maternidade e a paternidade têm também muito de compreensão e é aqui que entra a leitura dos pensamentos das crianças. “As birras, a teimosia e o temperamento têm características e objetivos distintos. O que temos que fazer é identificar as diferenças e sabermos o que fazer em cada situação. Ceder em alguns casos, optar por alternativas noutras e procurar o equilíbrio noutras. Mas sempre com amor e respeito”, afirma, garantindo que é possível ler a mente das crianças “pelos comportamentos e conhecendo as leis que regem esses comportamentos”.

E dentro do leque de comportamentos, “existem maus comportamentos e silêncios normais”. Segundo a mentora de famílias, “há comportamentos e silêncios preocupantes” e cabe aos pais estarem “sempre muito atentos e saberem distinguir uns de outros. Para isso não basta a intuição e o instinto. Os pais têm que se ‘formar’em parentalidade”.

Contudo, e no que toca ao silêncio das crianças, este “pode ser sintoma de tristeza, mas não só: uma criança com medo pode calar-se e ter medo de falar. Nunca se devem ensinar as crianças a evitar a tristeza ou o medo – quatro das nossas emoções básicas. Temos é que ensinar a crianças a enfrentá-las, a aceitá-las e a resolvê-las”.  

E podem os pais ser, em parte, ser os culpados pela tristeza dos filhos? Sim: “a pressão para a perfeição e o sucesso causa sempre infelicidade nas crianças, pois elas percebem que não estão a ser ‘suficientemente boas para serem amadas’ e que não estão a cumprir as expectativas”.

Castigar ou não castigar, eis a questão (que se pode responder com comunicação)

Ao Lifestyle ao Minuto, Cristina Valente defende que “castigar uma criança quando se porta mal ou premiá-la quando se porta bem é uma técnica que é usada para treinar animais”.

Para a autora, “as crianças conseguem fazer melhor e crescer sem utilizarmos estes métodos básicos. Estes métodos dão menos trabalho, mas obrigam os pais a estarem sempre a policiar os seus filhos e não treina as crianças para a autonomia nem para a autoestima”.

“Um dos problemas do castigo, para além da dor que sente, é que as faz sentir mais fracas, impotentes e incapazes” lê-se no livro. E a comunicação pode ser a solução.

Mas como deve ser a comunicação com os filhos? Deve ser feita “com amor”. “Significa pararmos tudo, olharmos para os seus olhos e estarmos verdadeiramente interessados naquilo que têm para nos dizer. Falar menos e ouvir mais”, conclui.

Saber falar com uma criança “significa termos uma ideia bem clara daquilo que queremos realmente dizer; e, depois, enviar a nossa mensagem de uma forma carinhosa e assertiva” que, como se lê no livro, implica dar um feedback positivo e encorajar e colocar perguntas abertas.

 

 

 

Concerto solidário da Casa de Acolhimento Mão Amiga

Março 14, 2016 às 11:35 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

gospel

Contactos:
Casa de Acolhimento Mão Amiga
Rua Cidade de Benguela, Nº30 ( Lote 555)
1800-073 Lisboa

Tel: 218473334 Fax: 218463598
Email: geral@casamaoamiga.pt
Web: http://www.casamaoamiga.pt
Facebook: http://www.facebook.com/Casamaoamiga

Folheto Mão Amiga

Em animação, Unicef conta história de menina síria em barco de refugiados – Malak and the boat

Março 14, 2016 às 6:00 am | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

com legendas em português no link:

https://www.youtube.com/watch?v=0wXDmJu840I

texto do site http://www.contioutra.com de 27 de fevereiro de 2016.

Malak é uma menina síria de sete anos e é uma das 8 milhões de crianças de seu país que tiveram suas vidas arruinadas pela guerra civil que acontece desde 2011. Ela contou sua história de terror ao Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) durante a travessia do mar Mediterrâneo, que a transformou em uma animação. Quase 60% dos refugiados e imigrantes que chegam à Macedônia desde a Grécia após atravessar o Mediterrâneo são crianças e mulheres, segundo alertou o Unicef. A agência estima que 36% dos que fazem a travessia entre Turquia e Grécia são menores de idade.

 


Entries e comentários feeds.