Assédio sexual: adolescentes vítimas de amigos

Janeiro 27, 2016 às 8:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Notícia da Pais & Filhos  de 14 de janeiro de 2016.

O estudo mencionado na notícia é o seguinte:

Identifying Predictors of Unwanted Online Sexual Conversations Among Youth Using a Low Self-Control and Routine Activity Framework

pais filhos

Escrito por Pais&filhos

Um em cada quatro adolescentes entre os 12 e os 16 anos admite já ter sido vítima de assédio sexual online por parte de conhecidos que partilham as mesmas redes sociais. Os números, preocupantes, fazem parte de uma investigação levada a cabo por especialistas norte-americanos em cibercrime da Universidade Estatal do Michigan.

A pesquisa revelou que 25 por cento dos 439 jovens inquiridos revelou pressões para falar de sexo nas redes sociais quando não o desejava e por pedido – mais ou menos insistente – de pessoas que alegadamente conhecem. “Não queremos com isto menorizar o perigo colocado por pedófilos e predadores online anónimos. Mas queremos focar atenção na ameaça potencial de vitimização sexual por pessoas de que os nossos filhos são próximos, pessoas com quem contactam muito tempo todos os dias”, refere Thomas J. Holt, catedrático de Justiça Criminal daquela instituição de ensino superior.

Este trabalho, publicado na versão digital do “Journal of Contemporary Criminal Justice” é o primeiro a examinar os fatores de proximidade da vitimização sexual online. As raparigas e os adolescentes com menor capacidade de autocontrolo estão especialmente em risco, de acordo com os especialistas, para quem as tecnologias de vigilância parental ou a localização do computador no espaço partilhado pela família parece não ajudar a reduzir o problema.

 

Ensaio Geral Solidário a favor do IAC

Janeiro 27, 2016 às 3:15 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

ensaio1

O Instituto de Apoio à Criança convida-o a assistir ao Ensaio Geral Solidário do Programa Reportório / SERENADE / GROSSE FUGE / HERMAN SCHMERMAN / 5 TANGOS, pela Companhia Nacional de Bailado, no próximo dia 04 de Fevereiro, pelas 21H00, no Teatro Camões – Parque da Nações, Lisboa (junto ao Oceanário).

Ao contribuir com um donativo a partir de 12 euros, o Instituto de Apoio à Criança oferece-lhe um convite para assistir ao Programa de Reportório que reúne alguns dos coreógrafos que mais marcaram a História da Dança.

Até ao próximo dia 29 de Janeiro poderá fazer o donativo através de:

  • Transferência bancária – NIB: 0035 0150 00050589030 90, envio do comprovativo para iac-sede@iacrianca.pt indicando os dados para emissão do respetivo recibo (nome, morada e NIF)
  • Através de cheque à ordem de Instituto de Apoio à Criança
  • Presencialmente, na sede do Instituto de Apoio à Criança – Largo da Memória, nº 14, 1349-045 Lisboa (perto da Igreja da Memória)

Os convites podem ser levantados na sede do Instituto, (Largo da Memória, nº 14, 1349-045 Lisboa, perto da Igreja da Memória), ou enviados por email, sendo imprescindível a sua apresentação no dia do Bailado.

O Instituto de Apoio à Criança é uma Instituição de Solidariedade Social, sem fins lucrativos, com o NIF 501 377 662, a quem foi reconhecido o estatuto de superior interesse social (Despacho conjunto nº823/98, de 9 de Novembro, publicado no Diário da República, II Série, de 27 de Novembro. Os donativos concedidos ao IAC enquadram-se nos Artigos 62º e 63º do Estatuto dos Benefícios Fiscais.

Para mais informações contacte o IAC através de Tel: 21 361 7880 / 913 247 970 ou iac-sede@iacrianca.pt.

Pela Defesa dos Direitos da Criança

Informação

Cartaz

Conferência Processo Tutelar Educativo – Aveiro – 28 de Janeiro

Janeiro 27, 2016 às 1:30 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

12644647_1011574675566686_8305379784570103187_n

mais informações:

https://www.oa.pt/Conteudos/Artigos/detalhe_artigo.aspx?idc=31632&ida=146392

Arte & Comunidade: A Síndrome de Asperger (PEA) no Contexto das Artes – 2 fevereiro na ESEL Lisboa

Janeiro 27, 2016 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

asperger

https://www.facebook.com/events/1164941223518151/

 

Seminário “Dia da Internet Mais Segura” 4 fevereiro no Fórum Picoas

Janeiro 27, 2016 às 9:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

dia

No âmbito das celebrações do Dia da Internet mais Segura, o Consórcio do Centro Internet Segura organiza o seminário que assinala esta iniciativa. Com o objetivo de discutir o tema deste ano “Faz a Tua Parte, por uma Internet Melhor”, o Centro convidou vários especialistas que irão contribuir com a sua perspetiva em diversas áreas de atuação na sociedade Portuguesa.

Assim, o Centro Internet Segura, convida-o a participar no Seminário que decorrerá em Lisboa, no Fórum Picoas, no dia 4 de Fevereiro de 2016, às 9H30m.

A participação no Seminário do Dia da Internet mais Segura é gratuita e aberta ao público, mas a inscrição é necessária. Poderá fazer a sua inscrição em http://sid2016pt.eventbrite.pt

http://www.internetsegura.pt/

Rede Media e Literacia

Janeiro 27, 2016 às 8:00 am | Publicado em Site ou blogue recomendado | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

8014ed_d92b5bcdbaec4b589dd412b4ca6c4d19.jpg_srb_700_2000_75_22_0.50_0.20_0.00_jpg_srb

A Rede Media e Literacia está a crescer e por isso transformamos o nosso Blog em um Site com o blog dentro. Agora temos muito mais informações, projetos parceiros a nível internacional e nacional, propostas de formações, palestras, consultoria, artigos, notícias do blog e muito mais. Convidamos a explorar  as páginas do novo SITE Rede Media e Literacia.

https://www.facebook.com/redemediaeliteracia/?fref=ts

 

UE quer limitar acesso de menores de 16 anos às redes sociais. LOL

Janeiro 27, 2016 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário

Notícia do http://economico.sapo.pt de 14 de janeiro de 2016.

card_crianca_telemovel_140116

Jovens podem vir a precisar da permissão dos pais para estar no Facebook. Especialistas dizem que proposta não torna internet mais segura.

Uma proposta “inútil” que não vai tornar a internet mais segura e impossível de verificar. É assim que os especialistas olham para a proposta de proibição do acesso às redes sociais por menores de 16 anos, sem a autorização dos pais ou responsáveis legais, que está a ser preparada pela Comissão Europeia (CE).

Oregulamento, que deverá ser adoptado ao longo deste ano, prevê que as redes sociais sejam impedidas de manterem informações pessoais sobre crianças menores de 16 anos, sem o consentimento explícito dos seus pais. Mas acrescenta que o limite mínimo de idade poderá ser inferior até aos 13 anos, se tal estiver previsto na lei do Estado-membro.

A medida tem sido mal recebida, tanto pelas tecnológicas norte-americanas, que são directamente afectadas, como pelos especialistas que consideram que a alteração da idade de 13 (limite legislado nos EUA, que as empresas têm como referência) para 16 anos é o menos importante, no que toca à segurança de crianças e jovens na internet.

É a opinião de Clara Guerra, porta-voz da Comissão Nacional para a Protecção de Dados (CNPD), para quem o regulamento padece de dois problemas: “Ao remeter para a legislação de cada país, vai contra o espírito dos regulamentos que pressupõem uma harmonização ao nível europeu”, por outro lado, “não é possível, através da internet, verificar se se trata de uma criança ou de um adulto”, conclui.

Tito de Morais, responsável pelo projecto MiudosSegurosNa.Net acredita que esta medida vai agravar uma situação já existente. “Temos muitas crianças com menos de 13 anos que mentem para poderem aceder a essas plataformas, muitas vezes até com autorização dos pais. Ao subir a idade para 16, esse número vai ser maior”, garante.

O especialista alerta também para a confusão que se vai gerar com a falta de harmonização entre os países da UE e fala num “pesadelo para as escolas” que passam a ter de controlar os acessos dos adolescentes, por exemplo, a uma conta de email ou plataforma de ‘e-learning’.

“Este regulamento vem proibir em vez de ensinar, quando a investigação financiada pela EU diz que a imposição de limites etários não é eficaz na protecção de crianças e jovens”, aponta Tito de Morais, defendendo que as questões de segurança e privacidade deveriam ser obrigatórias no currículo escolar.

Clara Guerra também coloca a tónica na educação, lembrando que o projecto que a CNPD está a desenvolver para produzir conteúdos que possam ser leccionados no âmbito das disciplinas de Novas Tecnologias de Informação. Ainda assim, acrescenta, “é preciso mais dos Estados”.

 

 


Entries e comentários feeds.