O universo explicado às crianças por um Astrogato

Janeiro 12, 2016 às 8:00 pm | Publicado em Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

texto do Observador de 5 de janeiro de 2016.

Ben newman

Da origem das estrelas ao funcionamento dos foguetões, um novo livro troca por miúdos uma questão tão complexa como o universo. Não estranhe se os seus filhos quiserem ser astronautas depois de o ler.

A lengalenga ficou dos tempos da escola: Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Úrano, Neptuno (e Plutão). Mesmo com a despromoção de planetas a quebrar o ritmo, a mnemónica para estudar o sistema solar manteve-se eficaz. O problema é o resto: o nome das constelações, a data do Big Bang, o tamanho da lua ou os tipos de estrelas que existem. Falar do universo — sobretudo para quem tem filhos e tem de lidar com perguntas como “para onde vai o sol à noite?” enquanto se tenta lembrar dos episódios da série Era uma vez o Espaço — pode ser complicado. A não ser que um felino astronauta apareça para ajudar.

capa-astrogato

O Professor Astrogato nas Fronteiras do Espaço é esse felino, e é também o título do mais recente livro da coleção Orfeu Mini, uma obra que aterrou nas livrarias pouco antes do Natal para garantir que nem só as guerras merecem que se olhe para as estrelas. Escrito por Dominic Walliman, um programador doutorado em Física Quântica que vive no Canadá, o livro apresenta aos mais novos um tema tão complexo como o universo recorrendo não só às ilustrações retro de Ben Newman — desenhos coloridos que chegam a animar os astros e garantem mais vivacidade do que a das velhinhas enciclopédias de Meio Físico — mas também a capítulos curtos, textos acessíveis e muitas comparações.

Ben Newman2

Se a Terra fosse um tomate-cereja, de que tamanho seriam os outros planetas é apenas uma das perguntas que dá origem a uma dessas analogias e apenas um dos mecanismos usados para simplificar o assunto. Em temas que vão da formação do universo aos planetas que constituem o sistema solar, passando pelos asteroides e cometas, o funcionamento dos foguetões e dos satélites ou uma pequena história das viagens espaciais, há uma dupla página só com factos curiosos sobre a lua (“o nosso vizinho mais próximo no espaço”) e pequenas caixas intituladas “sabias que…” a destacar factos impressionantes como o da luz solar — “a que sentimos agora mesmo na Terra demorou 30 mil anos a chegar aqui desde o centro do sol”.

ben Newman3

No meio da lição dada pelo professor Astrogato e os seus companheiros espaciais, o livro assume alguns mistérios da astronomia tais como o que terá despoletado o Big Bang há 13,7 milhões de anos ou a existência de vida desconhecida na nossa galáxia. No final, há espaço para resumir o espaço através de um glossário que reúne definições como “buraco negro supermaciço”, “espectro eletromagnético” ou “nébula”. Tudo palavras capazes de deixarem os miúdos a sonhar com um fato de astronauta ou a sonharem — helás! — com um telescópio em vez de uma Playstation.

ben newman4

Nome: O Professor Astrogato nas Fronteiras do Espaço

Autor: Dr. Dominic Walliman

Ilustrações: Ben Newman

Editora: Orfeu Negro

Preço: 21€

 

A Fada Oriana na Floresta da Menina do Mar: Sophia 2.0 – 23 de janeiro no Porto

Janeiro 12, 2016 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

fada

Sábado, 23 de Janeiro às 17:00 – 18:00

Gambiarra

com O Som do Algodão Um encontros inusitado entre histórias, partindo das personagens do universo de Sophia de Mello Breyner Andresen (Fada Oriana, Menina do Mar, Cavaleiro da Dinamarca, Isabel e a sua casa de anões, entre outros).

Público 2 aos 10 anos

Duração 50 minutos

Entrada 3,5€

Contactos gambiarra.livraria@gmail.com . 934593386

Local Rua de Gondarém, 782 D, Porto

https://www.facebook.com/events/103086446736631/

 

Justiça investiga marcas que usam crianças em anúncios

Janeiro 12, 2016 às 9:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

Notícia do Diário de Notícias de 11 de janeiro de 2016.

Global Imagens

Anúncios com crianças só são permitidos em artigos infantis | Global Imagens

Filipa Ambrósio de Sousa

A Associação Portuguesa de Direito do Consumo apresentou uma queixa na Direção-Geral do Consumidor e no Ministério Público contra uma marca de automóveis e outra de detergentes

Em causa o uso ilegal de crianças em anúncios televisivos. “O uso de crianças em publicidade que não lhes é especificamente dirigida é ilegal e imoral”, frisou Mário Frota, presidente da associação, citado num comunicado da APDC.

De acordo com a mesma nota, desde o início do ano que as duas marcas recorrem “ilegalmente ao uso de crianças na sua publicidade sem que os produtos publicitados lhes sejam destinado”.

Apesar de não especificar quais as marcas, a queixa explica que no caso da marca automóvel o anúncio televisivo usa imagens de um carro futurista ‘conduzido’ por um bebé, enquanto a marca de detergentes apresenta “um bebé a sujar-se com comida e a olhar para um pai enternecido” para atestar a eficácia do produto.

Segundo Mário Frota, “é vergonhosa a forma como as marcas abusam das crianças para passar mensagens que nem sequer lhes dizem respeito, apelando ao lado emotivo e carinhoso para colarem essas emoções aos produtos”.

O presidente da APDC salienta que o Código da Publicidade refere expressamente que “os menores só podem ser intervenientes principais nas mensagens publicitárias em que se verifique existir uma relação direta entre eles e o produto ou serviço veiculado, como no caso de fraldas, brinquedos ou jogos, por exemplo”.

“A publicidade, mesmo se for dirigida a crianças – o que aqui não se verifica -, deve abster-se, como diz a lei, de conter elementos suscetíveis de fazerem perigar a sua integridade física ou moral, bem como a sua saúde ou segurança, o que nem sequer é tido em consideração” pela marca automóvel naquele anúncio, “em que até dá ideia de que o bebé pode ir no lugar do conduto”.

com Lusa

 

 

 

 

 

Prémio Bissaya Barreto de Literatura Para a Infância

Janeiro 12, 2016 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas:

Entidade Instituidora

Este Prémio foi instituída pela Fundação Bissaya Barreto, em 2008, por ocasião das comemorações do cinquentenário desta Fundação privada com reconhecida intervenção e experiência no campo da educação de infância.

 
Objetivos

Lançado a concurso bienalmente, este Prémio cumpre o duplo objetivo de contribuir para a valorização e promoção da literatura de qualidade destinada à infância e para a valorização da dimensão estética do livro.

 
O prémio

O prémio, no valor pecuniário global de 5.000,00€ (cinco mil euros) é atribuído, em conjunto, aos autores da obra selecionada (escritor e ilustrador), destinando-se a cada um metade do valor.

 
Candidatura

Podem concorrer ao Prémio obras que tenham sido publicadas nos dois anos imediatamente precedentes ao ano de edição do concurso, por entidades nacionais com atividade editorial e sede no território nacional, ou pelos próprios autores, portugueses ou residentes em Portugal.

Saiba mais AQUI.


Entries e comentários feeds.