Criança ocupada demais sofre como se fosse submetida a trabalho infantil

Dezembro 17, 2015 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

texto do site http://mulher.uol.com.br de 11 de novembro de 2015.

Do UOL, em São Paulo

Tensão, ansiedade e a necessidade de ter êxito na vida pessoal e profissional faz com que 35,9% dos adolescentes e 37,1% dos jovens adultos apresentem altos níveis de estresse. O resultado, obtido no 5º Estudo Saúde Ativa, apresentado na quarta-feira (11) e encomendado pela SulAmérica, vai de encontro com os dados da Associação Americana de Psicologia (APA, na sigla em inglês) que também destaca a geração Y (nascidos a partir de 1980) como a mais estressada e ansiosa.

Para Rosely Sayão, psicóloga e colunista da “Folha de S. Paulo”, o estresse e a ansiedade desses jovens são resultado de uma infância muito “atarefada”. “Eles são frutos de uma geração em que os responsáveis quiseram se tornar superpais, matriculando a criança em diversos cursos extracurriculares. Isso fez com que perdessem a infância. Não há diferença alguma entre a criança muito pobre que é obrigada a trabalhar com sete anos da rica matriculada em um monte de cursos, nessa mesma idade”, afirma Rosely.

De acordo com Gentil Alves, médico pós-graduado em terapia intensiva pediátrica, o estresse é um fenômeno comum e consiste na resposta do organismo quando precisa se adaptar a uma situação de pressão. “O estresse pode ser positivo, pois o corpo libera uma série de hormônios para se adequar a aquele momento, mas ele precisa ser transitório. Quando permanece por tempo prolongado no organismo, é que começam a surgir doenças”, diz Alves.

Para o médico, grande parte dos jovens fica estressada por ter de lidar com muitas situações ao mesmo tempo –atividades escolares, provas, trabalho e cursos extracurriculares. Já Rosely, não credita a ansiedade às tarefas diárias, mas, sim, a necessidade de ser bem-sucedido. “É a expectativa de ter sucesso que faz com que a geração Y seja estressada”, afirma a psicóloga.

 

 

 

TrackBack URI


Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: