Costurar cantigas e histórias da nossa memória -Taleguinho em Pombal

Outubro 22, 2015 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

12106940_959785250751041_7496480079755305543_n

 Reservas: 236210521 | email: biblioteca@cm-pombal.pt

 

Esta agenda conta histórias às crianças. Contribua para a nossa ação de crowdfunding e tenha uma.

Outubro 22, 2015 às 1:33 pm | Publicado em Campanhas em Defesa dos Direitos da Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

capa_agenda_dt_brincar_006

A Agenda IAC 2016 proporciona agradáveis momentos de leitura através de  maravilhosos poemas e contos da autoria de conceituados escritores portugueses como Alice Cardoso, António Torrado, José Fanha, Fernando Cardoso, Luísa Ducla Soares, Margarida Fonseca Santos, Raquel Palermo, Sara Rodi e Sílvia Alves. Cada mês apresenta um poema ou um conto alusivo à Criança. As ilustrações são criadas a partir dos desenhos das crianças apoiadas pelo IAC.

O nosso projecto de crowdfunding “Agenda 2016 do Instituto de Apoio à Criança”, cujo objetivo inicial é angariar verba para a produção da agenda e a motivação final é o desenvolvimento de novos projetos ligados à prevenção de situações de violência entre os jovens, necessita do seu apoio. Se o seu donativo for superior a 10€, além das recompensas enumeradas no PPL, vai receber também um exemplar da agenda. Mas 1€ já é uma ajuda. Euro a euro…

Para apoiar a Campanha de Crowdfunding do CEDI Instituto de Apoio à Criança, aceda ao link

http://ppl.com.pt/pt/causas/agenda-iac-2016

Na causa “Agenda IAC 2016 Pela Defesa e Promoção dos Direitos da Criança” introduza o valor do seu contributo, clicando posteriormente em CONTRIBUIR. Continue o processo seguindo os passos que constam do formulário. Aconselhamos a selecionar a opção” Desejo doar o valor a este promotor, mesmo que a campanha não angarie a totalidade dos fundos“ para que possamos dispor de qualquer verba angariada e, desta forma, concretizar o nosso objetivo. A plataforma do PPL irá gerar uma Referência Multibanco para que possa fazer o seu contributo à campanha.

Agradecemos que divulgue a nossa iniciativa.

Os nosso agradecimentos

O Centro de Documentação do Instituto de Apoio à Criança

Programas, metas e provas sobrecarregam alunos com trabalhos para casa

Outubro 22, 2015 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Notícia do Diário de Notícias de 4 de outubro de 2015.

clicar na imagem

dn2

 

Seminários : “Na biblioteca da escola os livros têm de ser livres”, “Uma história, dezenas de cabeças, milhares de sentidos” na Biblioteca Municipal José Saramago (Loures)

Outubro 22, 2015 às 9:13 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

loures

A participação é gratuita, limitada à capacidade da sala.

Biblioteca Municipal José Saramago

211 151 262/64 | bmjs@cm-loures.pt

 

mais informações:

http://www.cm-loures.pt/Conteudo.aspx?DisplayId=1281

A casa que devolve a autoestima às “crianças perdidas” faz hoje 40 anos

Outubro 22, 2015 às 9:03 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do http://lifestyle.sapo.pt/ de 21 de outubro de 2015.

AFP JOSEPH EID

 Nuno Noronha // Notícias // Lusa

“Sou feio, sou mau, eu não presto”, é desta forma que alguns meninos se descrevem quando chegam à Casa da Praia, uma instituição que apoia maioritariamente crianças com experiências de vida traumáticas que as impedem de comunicar, imaginar e aprender.

A Casa da Praia abriu as suas portas numa pequena vivenda de dois andares na Travessa da Praia, em Lisboa, em outubro de 1975 por iniciativa do psicanalista, pedagogo e pioneiro da saúde mental infantil em Portugal, João dos Santos.

A pretensão de João dos Santos não foi de sobrepor a Casa da Praia à escola ou de a substituir, mas proporcionar um espaço acolhedor a estes meninos com problemas de ordem emocional para que reconstruam a sua autoimagem, ganhem confiança e despertem a sua curiosidade para novas aprendizagens.

João dos Santos explicava também que a Casa da Praia “não é um hospital de dia porque não se destina a crianças com alterações graves de comportamento resultantes de perturbações mentais do ‘foro psiquiátrico’”.

Naquele espaço decorado com desenhos e trabalhos feitos por meninos que ali passaram, os professores, educadores e psicólogos trabalham com as crianças os seus interesses e capacidades na tentativa de compreender o que está na origem das suas dificuldades, como o caso de Ana, uma menina de oito anos que se via como uma aranha.

A psicóloga e vice-presidente da Casa da Praia, Clara Castilho, explicou à agência Lusa que estas crianças são oriundas de famílias de todos os estratos sociais e todas “têm uma história” de vida que se reflete nos seus comportamentos.

Apesar de terem capacidade para aprender, muitas não conseguem ler, escrever e têm problemas de comportamento na escola. “Há meninos que não falam com ninguém” e há outros “muito impulsivos, que não respeitam nada, não sabem conviver”, adiantou a psicóloga.

“São meninos com uma autoestima muito baixa, muito desconfiados, muito centrados em si próprios e com dificuldade em estabelecer relações”, acrescentou a professora do primeiro ciclo Sara Almeida.

Pegando nas palavras de Sara Almeida, a educadora Cristina Cunha contou que há meninos que têm muita dificuldade em fazer o autorretrato.

“Alguns dizem logo, eu sou feio, eu sou mau e não presto”, enquanto outros dizem apenas o nome e a idade, não conseguindo descrever a cor dos olhos e dos cabelos, disse a educadora.

Na Casa da Praia, onde leciona há 10 anos, Sara Almeida descobriu uma nova forma de olhar para a Educação: “Aqui dá-se importância ao que a criança sente e trabalhamos as suas dificuldades”, a maior parte das vezes em grupos, onde trabalham a escrita, a leitura, a expressão corporal, realizam teatros e constroem os cenários para a peça.

Mas muitas vezes as dificuldades não estão nas crianças, mas nas famílias, disse.

Clara Castilho observou, a este propósito, que há casos em que os pais destas crianças também frequentaram a instituição, um ciclo difícil de quebrar.

O apoio na Casa da Praia implica um trabalho com a escola e com as famílias no sentido de as mobilizar para colaborarem no “projeto de ajuda” à criança, que passa por alguma mudança na própria família.

Este trabalho nem sempre é fácil: Há casos em que nem chegam a inscrever os filhos e outros em que, ao fim de um mês ou dois, começam a dar desculpas por não quererem mudar nada ou por sentirem que os técnicos estão a ir “um bocadinho mais longe”, apesar de “serem sempre muito cautelosos na abordagem”, disse Clara Castilho.

Mas também há muitas famílias que tomam consciência da importância de mudar, de olhar de outra forma para os seus filhos e para si próprias, sem ficarem presas a vivências anteriores traumatizantes.

As cerca de 40 crianças, entre os 5 e os 12 anos, que frequentam a Casa da Praia a par da escola regular foram encaminhadas pelas escolas, centros de saúde, famílias e outras instituições da comunidade.

Os 40 anos da instituição são assinalados na quinta-feira com a realização da conferência “Casa da Praia – 40 anos de Pedagogia Terapêutica” na Fundação Calouste Gulbenkian.

 

 

Congresso Internacional CountDown – Contem Comigo – Trissomia 21: Novos conhecimentos

Outubro 22, 2015 às 8:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

trissomiomais informações:

http://www.appt21.org.pt/?p=1375

 

V Encontro de jovens “Agora Falamos Nós”

Outubro 22, 2015 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

jovens

A CPCJ de Oeiras encontra-se a organizar o V Encontro de jovens “Agora Falamos Nós”, em parceria com a Câmara Municipal de Oeiras, o Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental da Infância e da Adolescência do H. São Francisco Xavier e com a colaboração das entidades da comunidade.

A V edição do Encontro de Jovens “Agora Falamos Nós” irá realizar-se no dia 28 de outubro de 2015, no Espaço AERLIS, das 9h 30m às 13h e das 14h 30m às 17h.

CPCJ Oeiras

tel. 214416404

cpcjo@cm-oeiras.pt


Entries e comentários feeds.