“Regresso às aulas em segurança”: Direção-Geral do Consumidor lança brochura informativa

Setembro 15, 2015 às 9:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Capturar

A Direção-Geral do Consumidor renovou a brochura informativa “Regresso às aulas em segurança” que visa alertar para a promoção da saúde e da segurança dos mais novos no seu regresso às aulas 2015-2016.

Para além das recomendações sobre as compras dos materiais escolares, no transporte para a escola e na alimentação, a brochura remete para as mais recentes publicações da Direção-Geral do Consumidor sobre o “Consumo Sustentável – 2015” e sobre “Vestuário e calçado”, acessíveis no Portal do Consumidor.

Para mais informações consulte o Portal do Consumidor, onde a Direção-Geral do Consumidor disponibiliza informação sobre os direitos dos consumidores, os consumos juvenis e outras matérias relacionadas com o tema.

Para saber mais sobre o Regresso às Aulas em segurança consulte AQUI a brochura informativa.

Anúncios

I WANT MY iPAD! Are our kids getting addicted to technology?

Setembro 15, 2015 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

image-20150819-12414-1l0a0o3

 

“Are toddlers really becoming addicted to technology? There’s certainly a lot of media hype to suggest that they are. And there’s no question the footage of small children breaking down when their tablet is taken away is unsettling:

 

 

Footage such as this is often aimed at showing the evils of technology and the myriad ways digital devices engender bad behaviour among children.

Viewers are often put in a position where they naturally try to apportion blame for such behaviour. In this case, the apparent targets are the technology and even the parents.
Scare tactics

As an expert in children, technology and learning, I question the purpose and proper interpretation of content such as this, regardless of whether it’s presented on prime time TV, headlining a newspaper or a new addition to a parenting blog.

In recent years society has been inundated with scare tactics around children’s increasing use of technology. To date, media articles have blamed technology for various ills in society such as obesity, insomnia, violence, aggression and language development issues.

Unfortunately, these scare tactics often succeed because they cause a sense of guilt among adults and perpetuate a sense of loss of control.

But this type of thinking doesn’t make sense. It suggests that by removing technology from their lives, children will be fitter rather than overweight, and mental health problems such as aggression and depression will diminish. Children’s health and happiness are essential goals, but magic wand thinking is not going to get us there.

The other obvious target of blame when watching the above footage are the parents themselves, and their seeming lack of ability to control their children’s use of technology.

But, as any parent knows, young children can have tantrums over many things. At this age they’re often not psychologically equipped to delay gratification, so we shouldn’t be surprised at their response to technology. In addition, just because they can’t delay gratification now doesn’t mean they won’t develop the capacity later in life.
Embracing technology

Blaming parents for indulging their children is easy, yet many parents correctly recognise that technology is an essential part of modern life. Many professions now require the use of multiple devices over the course of a working day.

In addition, much of our social lives have migrated online, requiring us to make use of technology to stay in touch with our friends and colleagues. Even government support agencies require individuals go online to make a claim or submit an enquiry.

Forbidding children to use electronic devices hampers their ability to engage with the modern world. Research shows that technology offers many educational benefits for children.

These include encouraging them to work with more complex ideas from an earlier age, promoting skills in collaboration and problem solving, accelerating learning in the first year of school, helping children with learning challenges and enhancing mathematics learning. School curricula around the word rely on technology for this very reason”.

Fonte: http://theconversation.com

Acha que o seu filho tem férias a mais?

Setembro 15, 2015 às 12:06 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

O ano letivo arranca, oficialmente, hoje. Mas a maioria das escolas só deve começar as aulas no dia 21. Se acha que em Portugal as férias são em demasia, compare com o que se passa lá fora. CONSULTE AS INFOGRAFIAS

info-1-ferias-a43 1

info-2-ferias-e692 2

 

info-3-ferias-6607 3

O Ministério da Educação definiu o calendário escolar, dando liberdade para escolher o início das aulas entre os dias 15 e 21. Mas a maior parte das escolas começa as aulas mais perto do final da semana ou na próxima, para garantir que os alunos têm todos os professores.

O arranque do ano letivo está marcado oficialmente a partir desta terça-feira, embora a maior parte das escolas opte por abrir portas mais tarde, tendo até segunda-feira da próxima semana para o fazer.

O Ministério da Educação definiu o calendário escolar, dando liberdade para escolher o início das aulas entre os dias 15 e 21. No entanto, de acordo Filinto Lima, vice-presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), a maior parte das escolas começa as aulas mais perto do final da semana ou na próxima, para garantir que os alunos têm todos os professores.

Depois de no ano passado o ano letivo ter sido marcado por atrasos na colocação de docentes, com milhares de alunos mais de um mês sem professores, este ano, segundo os diretores escolares, a colocação decorreu “anormalmente bem”.

“Os professores estão a chegar a tempo e horas às escolas. O único problema são as substituições”, uma pequena fração do total de colocações, diz à Lusa Filinto Lima.

Também Manuel Pereira, presidente da Associação Nacional de Diretores Escolares (ANDE), diz que o processo de colocação de professores este ano está a correr “bastante bem”, acreditando que no dia 21 a grande maioria dos professores estará nas escolas.

A partir desse dia, serão mais de 1,2 milhões de alunos no novo ano letivo, em quase seis mil escolas da rede de ensino público. Um ano em que pela primeira vez os mais novos terão todos de aprender Inglês, e que poderão também ter aulas de Latim e Grego, graças a um novo projeto de Introdução à Cultura e Línguas Clássicas.

Já no ensino secundário, cerca de 400 alunos do 10.º ano dos cursos Científico-Humanísticos de 21 escolas vão poder aprender Mandarim, que até agora existia pontualmente numa ou em outra escola.

Revista Visão em 15 de Setembro de 2015

Apresentação da revista Rediteia é amanhã

Setembro 15, 2015 às 7:54 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas:

Convite Palácio da Bolsa-02

Do que se lembra um bebé?

Setembro 15, 2015 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

534548

 

O desenvolvimento do cérebro começa antes do nascimento. É afectado pelo estado emocional e físico da mãe, desde a sua nutrição, nível de stress, consumo de drogas e até o ar que ela respira. Durante os primeiros quatro anos de vida, a estrutura física do cérebro reflecte a forma como a criança foi criada pela família. Um scan ao cérebro pode mostrar se uma criança foi tratada com carinho ou rejeitada e negligenciada. Lynn Johnson é o autor do projecto Baby Brains, um ensaio fotográgico que regista vários momentos na vida de bebés e crianças, tanto “passageiros como inesquecíveis”.

534574

Veja mais fotos AQUI.


Entries e comentários feeds.