Inauguração da Exposição Itinerante “Crianças no Mundo com Direitos” dia 17 de junho no Parque da Senhora dos Verdes (ABPG) – Aljão, em Cativelos (Gouveia)

Junho 9, 2015 às 8:00 pm | Publicado em CEDI, Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

De 17 de junho a 14 de julho a Exposição Itinerante “Crianças no Mundo com Direitos” está patente ao público no Parque da Senhora dos Verdes (ABPG) – Aljão, em Cativelos, e os visitantes serão acompanhados por Colaboradores da Associação de Beneficência Popular de Gouveia e parceiros do Núcleo Local de Inserção de Gouveia.

gouveia

Exposição itinerante CRIANÇAS NO MUNDO – COM DIREITOS

 

 

Associação Cultural Recreativa e Social de Samuel ficou em 1º lugar no concurso “Conta-nos uma história!”

Junho 9, 2015 às 5:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

É com muito orgulho que partilhamos a vitória da Associação Cultural Recreativa e Social de Samuel que ficou em 1º lugar no concurso “Conta-nos uma história!” na categoria de histórias em formato áudio, pré escolar, com a história “A que sabe a Lua”.

As crianças do jardim de infância da Instituição, com a equipa denominada “Os Diabinhos”- estão de parabéns por esta vitória.

A iniciativa “Conta-nos uma história!” é promovida pelo Ministério da Educação e Ciência, através da Direção-Geral da Educação, do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares e do Plano Nacional de Leitura em parceria com a Microsoft.

Pode ouvir a nossa história aqui:http://erte.dge.mec.pt/index.php?section=469

 

unnamed

Conferência sobre Alterações Recentes do Processo Tutelar Educativo e os Maus Tratos e Violência sobre as Crianças com a participação de Dulce Rocha

Junho 9, 2015 às 2:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

A Drª Dulce Rocha, Vice-Presidente do Instituto de Apoio à Criança, irá participar na Conferência sobre Alterações Recentes do Processo Tutelar Educativo e os Maus Tratos e Violência sobre as Crianças no dia 17 de junho pelas 17h30, no Salão Nobre da Ordem dos Advogados.

mais informações sobre a conferência:

http://www.oa.pt/

 

conferencia

 

Direitos das Crianças em debate na Atmosfera M com a presença de Dulce Rocha

Junho 9, 2015 às 12:30 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

1

Por iniciativa da Fundação Montepio realizou-se ontem, dia 8 de Junho, na Atmosfera M de Lisboa, uma conversa com a Drª Dulce Rocha sobre os Direitos das Crianças e dos Jovens.

Durante duas horas, técnicos e dirigentes de instituições parceiras que atuam na área da infância e da juventude refletiram sobre o enquadramento jurídico vigente, fragilidades e desafios do futuro.

A partir da intervenção de enquadramento da Presidente executiva do IAC, foi sublinhada a necessidade de apostas na investigação, na intervenção precoce e no trabalho em rede, como forma de prevenir e combater a violência exercida contra os mais jovens.

Foi salientado o papel da Fundação como entidade agregadora e financiadora deste setor e ficou o repto de organizar mais momentos de conversa e de encontro entre os diversos parceiros.

Atmosfera M

2

 

Missing Children Europe: Here to help – vídeo

Junho 9, 2015 às 12:00 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

Publicado a 24/05/2015

A child is reported missing every 2 minutes in the EU.

But who are these missing children? Over 50% of missing children cases reported to the 116 000 missing children hotline network are those of children running away from home or care institutions, another 37% are of children abducted by a parent while 1% of missing children cases are those of unaccompanied migrant children and criminal abductions respectively. 25% of these cases involve a cross-border element and therefore require coordinated cross border cooperation and support. This is the role played by Missing Children Europe. Missing Children Europe and its members ensure that support is available to missing children and their families across borders 24/7.

Missing Children Europe is the European federation for missing and sexually exploited children representing 30 grassroots NGOs in 24 countries in Europe who work directly with missing children and their families. This International Missing Children’s day, help protect missing children by saving the European missing children hotline number- 116 000 – in your phone. This hotline provides free, professional support to children and families facing child disappearances 24/7.

Together, we can create a safer Europe for children.

Workshop, Nem Birras, Nem Berros, Há outros caminhos….

Junho 9, 2015 às 10:13 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

work

Inscrições:

metamorfosedoeu@metamorfosedoeu.pt

 

https://www.facebook.com/pages/Metamorfose-do-EU/478310345571587

A importância da leitura de Histórias no pré-escolar

Junho 9, 2015 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

texto do site http://uptolisbonkids.com  de 11 de maio de 2015.

A leitura de histórias não só apoia a construção de sentido em torno da escrita, como também enriquece a interacção da criança com a leitura” (Mata, 2008, p.80)

Sabia que nas crianças a aprendizagem sobre a escrita começa precocemente antes de qualquer ensino formal? Em idade pré-escolar? A criança a partir do momento em que adquire a linguagem assume um papel central no seu próprio desenvolvimento, pois ela é activa e participativa no mundo que a rodeia. Ela vai assim construindo o seu próprio conhecimento à medida que explora o meio em que vive. Tendo isto em conta, as actividades de leitura e escrita contextualizadas na realidade da criança constituem-se como actividades de extrema importância, pois permitem uma fonte de exploração e de tomada de consciência sobre as características do código escrito. Esta tomada de consciência surge assim que a criança inicia o contacto com a linguagem escrita.

Diversos trabalhos de investigação sobre a leitura de histórias têm sido realizados. Estes trabalhos têm vindo a demonstrar que esta prática assume uma importância central, não só antes da entrada para o 1ºano – início do ensino formal da aprendizagem da escrita – como também ao longo da escolarização da criança. É indiscutível e de largo consenso a importância que a leitura de histórias assume quando se constitui como uma actividade regular, sendo uma actividade agradável e que proporciona interacções, vivências, partilha de ideias e de concepções. Ouvir e contar/ler histórias permite que as crianças interajam enquanto ouvintes e enquanto contadores de histórias, promovendo em ambos os casos capacidades de ouvinte, de leitura e de compreensão. É por isso considerada uma actividade rica e completa. Eis alguns aspectos que a vivência da leitura de histórias promove, segundo Mata (2008):

  • Oportunidade para ouvir leitura fluente
  • Alargamento de experiências
  • Desenvolve a curiosidade pelos livros
  • Aprendizagem de comportamentos de leitor
  • Apoia o desenvolvimento de conceitos sobre a escrita

Ainda que fora do contexto escolar, as crianças aprendem muito sobre a escrita através da leitura de histórias. Aprendem que o mesmo texto aparece associado à mesma mensagem independentemente de quem o lê – a mensagem é sempre a mesma e aparece sempre na mesma ordem. A leitura de histórias permite, ainda, que as crianças se apercebam da orientação da escrita (da esquerda para a direita, e de cima para baixo) e das relações entre o oral e o escrito (quando o leitor aponta para o que está a ler), e ainda que as palavras se escrevem sempre da mesma maneira ao longo do texto, podendo a mesma palavra aparecer várias vezes sempre escrita da mesma maneira. Por fim, a leitura de histórias facilita o reconhecimento das letras e dos sinais de pontuação, de uma forma integrada e contextualizada, e que faz sentido.

Wells (1988, 1991), um dos primeiros autores nas investigações sobre a leitura de histórias, debruçando-se na frequência de leitura de histórias, identificou uma associação positiva entre a frequência e os conhecimentos sobre literacia das crianças aos 5 anos de idade. E identificou igualmente uma maior compreensão na leitura nestas mesmas crianças aos 7 anos. Nesta mesma linha de investigação, também Sénéchal e LeFévre (2002) identificaram associações positivas entre os hábitos de leitura de histórias em crianças de idade pré-escolar com o seu vocabulário nessas idades, tendo mais tarde avaliado os níveis de leitura dessas mesmas crianças no 3ºano de escolaridade. Concluiu-se assim que as crianças cujos hábitos de leitura de histórias eram mais frequentes apresentavam maiores níveis de leitura no 3ºano.

Os estudos descritos vieram assim enfatizar a importância da leitura de histórias em idades pré-escolares, sendo esta actividade considerada como importante e significativa, uma vez que permite e facilita não só o desenvolvimento precoce de algumas competências de literacia, como também se constitui uma base de motivação para a aprendizagem da leitura e da escrita, pelo seu carácter lúdico. Isto porque a partilha precoce com a linguagem escrita cria oportunidades às crianças de questionarem, de contactarem, de reflectirem, e obterem respostas e informações sobre a linguagem escrita, que vão permitir uma maior e melhor compreensão sobre as particularidades, potencialidades, e funcionalidades do escrito (Mata, 2004). Ler para as crianças é uma das melhores formas de encorajar a emergência e o desenvolvimento das capacidades literárias. Estas experiências de leitura têm vindo a mostrar que providenciam múltiplos benefícios (Zeece, 2007).

A escolha do livro também é algo a ter em conta e que carece de algum cuidado. Acima de tudo, o livro deverá tratar de um tema que seja do agrado da criança e que seja igualmente adequado ao seu contexto. Deve conter imagens coloridas e variadas, e inicialmente devem escolher-se livros com pouco texto. Mas à medida que a criança progride na leitura, devem escolher-se livros com texto mais longo, para ouvir, ler e para descobrir sílabas, palavras e frases (Mata, 2008).

Foi assim exposta a importância da leitura de histórias, sendo esta uma actividade extremamente rica, pois permite a relação do oral com o escrito, promovendo nas crianças capacidades na leitura, de compreensão do escrito e um desenvolvimento ao nível do vocabulário.

Madalena Ferreira de Lima | Psicóloga Educacional, para Up To Lisbon Kids®

Todos os direitos reservados

 

 


Entries e comentários feeds.