Dia Mundial da Criança com a PSP

Maio 29, 2015 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

psp

A Polícia de Segurança Pública vai, nos dias 31 de maio entre as 11H00 e as 19H00 e 01 de junho entre as 14H30 e as 17H00, no Rossio dos Olivais e MEO Arena, fazer uma festa incrível, carregada de surpresas, música e muita diversão!

Partilha com os teus amigos e vem brincar com o Falco!

 

mais informações:

https://www.facebook.com/PSPCOMETLIS/timeline

Dia Mundial da Criança 2015 – atividades em Portugal

Maio 29, 2015 às 11:41 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Paulo Pimenta

texto do http://lazer.publico.pt

Por Mariana Mata

Corria o ano de 1959 quando a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu os princípios da Declaração Universal dos Direitos da Criança. Em 10 fundamentos proclamava-se o direito à protecção, à segurança social, à educação gratuita ou à não discriminação das crianças. Trinta anos depois, faziam parte integrante de um tratado que os entregou à Lei Internacional, com a adopção da Convenção dos Direitos da Criança. Tal como em muitos outros países, em Portugal, instituiu-se o dia 1 de Junho para recordá-los. Relembrando apenas um deles – o direito ao lazer infantil –, fomos em busca de meios para fazer crianças felizes. E lançámo-nos numa viagem imperdível pelas brincadeiras.

Pela zona Norte, em Braga, há uma corrida com explosões de cor. Em Vila Real e Vila Nova de Famalicão vai andar tudo “Pelos Cabelos“, nem que seja por se saber que, não muito longe, no Porto, as actividades se multiplicam: Serralves está em festa, os jardins do Palácio de Cristal deixam-se invadir pela pequenada, soa por ali  “O Grande Enormo” e há uma “Lixolândia” para descobrir. Ainda por perto, em Vila do Conde, há jogos e um concerto com membros dos Clã a encerrar a Animar10 (30/5, às 18h).

Ao Centro, a Festinfância toma conta de Ovar. Coimbra tem mais encanto no Portugal dos Pequenitos, com “slide” e uma parede de escalada (de 29/5 a 31/5), enquanto a Figueira da Foz se diverte na comemoração Meo Kids, onde há actividades de desporto, “show cooking”, insufláveis, pinturas faciais e largada de balões. Em Torres Vedras, vislumbra-se o XXVI Oeste Infantil e, já descendo em direcção ao Tejo, cantam-se as Canções da Maria antes de se partir para o festival de papagaios de papel no Castelo de Abrantes (31/5, das 10h30 às 19h30).

Na capital deste pequeno Portugal, há um “Projecto Secreto“. E é também em Lisboa que se pode perceber bem o que é isso dos direitos, na “Oficina de Democracia“. Quem não estiver para aí virado pode ir rimar em “Conversas com Versos” ou simplesmente procurar a sombra do jardim onde se esconde a Pomarte, ao sabor da fruta. No museu lisboeta mais exótico, “Crianças de Todo o Mundo” entram num “peddy-paper”. Não muito longe dali, faz-se “Uma viagem a África“. Em Belém, soa a música do cinema. Por falar nele, quem é que ainda não viu o “Aniki Bobó“? Noutro ponto da cidade, até os bichos festejam, num fim-de-semana inteiro repleto de actividades e experiências, no mínimo, selvagens. Para acalmar, a leitura pode ser posta em dia na Feira do Livro. “Antes de Começar” o sono, ainda se levanta a “Poeira de Estrelas“…

Seguindo pela Linha junto ao Tejo, descobre-se a Pólvora festiva em Oeiras. Depois de se experimentarem os seus “ateliers” e brincadeiras, basta continuar até à baía de Cascais para a segunda dose, onde as actividades da Festa da Criança & Somos Família se estendem até praias e jardins. Para os lados da serra, em Mafra, Há Festa no Parque (31/5, das 10h às 19h) com actividades radicais, insufláveis e muitos jogos. À noite, é possível descobrir a Floresta Encantada por pirilampos na Tapada Nacional.

De um salto à margem Sul, começa a festa com a “Rapsódia das Carochas” ou “Histórias através da Luz“, no Centro de Interpretação de Almada Velha. Também por lá se espalham Sementes vindas de vários países. No Barreiro, há qualquer coisa que “Parece um Pássaro“, que pode de seguida voar até à Feira Pedagógica em busca de diversão, no Parque da Cidade. No Seixal, depois de Uma Noite na Biblioteca, alguém juntou o útil ao agradável e decidiu comemorar o Dia Mundial do Brincar.

Em direcção ao Sul, a paragem faz-se em Grândola, onde o Jardim 1.º de Maio se enche de brincadeiras, “ateliers” e até palhaços, para comemorar o dia (a 31/5, a partir das 15h). Rumo à costa algarvia, Lagoa oferece um programa de três dias de diversão, com circo, jogos e concursos. E por fim, a principal alameda de Portimão insufla-se por um dia para proporcionar grandes saltos à pequenada (1/6, das 9h às 18h).

 

Congresso Nacional “Uma Educação a pensar no futuro!”

Maio 29, 2015 às 9:27 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

drem

mais informações:

http://dream-aepas.wix.com/http

Museu de São Roque celebra o Dia da Criança

Maio 29, 2015 às 7:26 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

roque

http://www.museudesaoroque.com/pt/home/dia-mundial-da-criança.aspx

 

Música que causa avalanches e faz revoluções – Orquestra Geração

Maio 29, 2015 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Reportagem do Expresso de 18 de maio de 2015.

2015-05-18-masterclass-Orquestra-Geracao

Nos últimos oito anos a Orquestra Geração conquistou mais de 900 alunos de escolas problemáticas Expresso

Ana Soromenho

A Orquestra Geração anda a tocar desde 2007 para combater o abandono escolar e já conquistou 900 alunos das escolas mais problemáticas da área metropolitana de Lisboa. Esta terça-feira, pela primeira vez, juntam-se no palco do Teatro São Luiz, num concerto único com músicos consagrados como Mário Laginha, Adriano Jordão, Camané, Rodrigo Leão, Carlos Martins ou Celina Pereira.

Qualquer criança pode tocar um instrumento” ou “a música salva”. Concentremo-nos nestas duas máximas. Quando aplicadas à realidade podem-se tornar poderosas. É o caso da Orquestra Geração/Sistema Portugal, criada em 2007 por António Wagner Diniz, diretor adjunto da Escola de Música do Conservatório Nacional, e Jorge Miranda, na época diretor de Educação Cultural na Câmara Municipal da Amadora. A ideia era construir uma rede de orquestras juvenis composta por alunos de escolas problemáticas na área metropolitana de Lisboa para que no final todos pudessem tocar juntos. Partiu de um objetivo simples: “Promover o sucesso escolar em zonas problemáticas através do ensino da música.” Nesse sentido a Orquestra Geração  não é um projeto musical. É  um projeto social. “O propósito não é criar músicos, se acontecer melhor. O propósito é combater o abandono escolar, através da prática da orquestra”, sublinha Wagner Diniz.

Promover a concentração e a aquisição do trabalho em grupo através da aprendizagem de um instrumento e transformar a escola num lugar que se quer frequentar pode parecer uma tarefa difícil. Mas o crescimento da Orquestra neste últimos oito anos, prova o contrário e diz-nos que é possível acreditar no sucesso do ensino por via da arte.

Há oito anos, quando o projetou arrancou, participavam 15 crianças. Neste momento, integra mais de 900 alunos e abranje 18 escolas da zona metropolitana de Lisboa, mais quatro em Coimbra e outra em Gondomar. A ideia é conseguir contaminar o país e incluir todas as escolas assinaladas como problemáticas e de maior abandono escolar.

São as autarquias ou as juntas de freguesia que se inscrevem para que cada escola forme a sua própria orquestra e para que depois todos se encontrem na Orquestra Geração. Este modelo foi inspirado no El Sistema venezuelano, criado em 1975 pelo maestro economista José António Abreu, com o intuito de tirar crianças da pobreza com a ajuda de Mozart ou Vivaldi. O sucesso de El Sistema foi de tal ordem que neste momento conta com mais de 250 mil alunos e já pôs alguns dos alunos das escolas mais carenciadas da Venezuela a integrar grandes orquestras mundiais. Na prática, o sistema do ensino da música deste projeto baseia-se num método de aprendizagem muito simples de um instrumento, vendo o que o professor faz, copiando-lhe os gestos e confiando no ouvido sem ter de recorrer ao solfejo ou ao ensino da música tradicional, que rapidamente faria os alunos desistir.

Entre os países europeus, Portugal foi pioneiro a seguir o modelo do El Sistema, que entretanto tem-se vindo a espalhar e já conquistou 42 países da Europa: “Fazemos parte de uma rede de orquestras europeias de professores e alunos e muitas vezes somos consultados pelo sucesso que temos”, diz-nos Wagner Diniz.

A Orquestra Geração conta com as câmaras municipais e vive fundamentalmente de mecenas: “Neste momento, o orçamento que temos não chega para renovar os instrumentos, pagar a logística envolvida nos concertos ou o ordenado dos maestros”, enumera o mentor do projeto.

Pela primeira vez organizaram um concerto no qual se juntam ao empenho dos quase mil alunos do 1º e do 2º ciclo que formam a Geração, as sonoridades de consagrados como Mário Laginha, Rodrigo Leão, Camané, Celina Pereira ou Adriano Jordão que aderiram ao projeto, em nome da música que causa avalanches e faz revoluções.

vídeo da reportagem aqui

 

 

 


Entries e comentários feeds.