Uma criança que não dorme é uma família que não funciona

Fevereiro 11, 2015 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Entrevista da Visão a Helena Loureiro no dia 6 de fevereiro de 2015.

José Carlos Carvalho

Helena Loureiro, médica no Centro do Sono – CENC, de Lisboa, e pediatra responsável pela consulta do sono nos Hospitais Fernando Fonseca e da Luz explica a necessidade das rotinas para o bem-estar familiar

SAIBA MAIS

Regras para uma noite bem dormida

Reportagem: Quando o sono fica à porta

 

Onde começam as complicações de sono das crianças?

Nos maus hábitos que se incutem aos bebés. Cerca de 30% das crianças tem insónia comportamental. Nas mais pequenas, deve-se aos rituais para adormecer: o colo, a festinha, a cama dos pais. Nas mais crescidas, à incapacidade dos pais em impor limites, sobretudo na fase dos medos, até aos três anos. Devem fomentar a autonomia, com calma e paciência. As crianças gostam de regras e quando percebem que é assim que vai ser, respeitam.

Dormir na cama dos pais pode funcionar para uns e não para outros?

É das coisas mais perturbadoras da vida conjugal. Não recomendo mas respeito as opções familiares e tento adaptar–me às circunstâncias da família. Por exemplo, uma criança pode beneficiar em dormir sozinha, mas dizem-me “não pode, vivemos os quatro num quarto”.

O que revelou o estudo feito com famílias monoparentais, no concelho da Amadora?

As crianças têm rotinas menos estáveis. A irregularidade de horários em casa do pai e da mãe causa sonos de menor duração e maior número de distúrbios de sono, como terrores noturnos, por exemplo.

Idealmente, quanto tempo se deve dormir?

Há uma regra básica: 10 anos, 10 horas. Os adolescentes não devem dormir menos. Os mais pequenos dormem mais: aos três 3 anos, serão 13 ou 14 horas, sesta incluída.

A maioria não dorme esse tempo.

O ambiente não ajuda, com os estímulos luminosos dos equipamentos eletrónicos. As nossas crianças dormem uma hora a menos do que há um século. Estamos a privá-las de sono e vamos pagar caro no futuro.

Refere-se às crianças em idade escolar?

Quem não dorme tudo tem mais dificuldade em aprender, não repõe o equilíbrio nem consolida a memória. Os pais podem dizer, “ele até tem boas notas”, mas vai para o secundário, estuda até tarde na véspera do teste e tem uma branca.

Existem dados sobre os hábitos de sono dos adolescentes?

Com as mudanças hormonais, tornam-se mais vespertinos e também têm mais solicitações sociais. Um estudo que fizemos com 300 jovens (idades entre os 15 e os 17 anos) mostrou que dormem muito menos do que precisam, com danos na saúde: hipertensão, aumento da obesidade e da incidência de diabetes mellitus tipo 2.

O que pode dizer aos pais que estão na fase das noites em claro? 

Ter um filho não significa que tenham de dormir mal. Uma criança que não dorme é uma família que não funciona e uma família que não funciona também pode dar lugar a uma criança que não dorme. Isso pode e deve ser abordado com o pediatra.

 

 

TrackBack URI


Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: