36º Congresso do Movimento da Escola Moderna

Julho 10, 2014 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

movimento

mais informações:

https://www.facebook.com/events/721850357836567/?source=1

http://movimentoescolamoderna.pt/home/36congressomem/36congressomemlisboa/

 

Nove casos de mutilação genital feminina em Portugal desde Março

Julho 10, 2014 às 3:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Notícia do i de 3 de julho de 2014.

Mário Cruz Lusa

Por Agência Lusa

Estima-se que 140 milhões de mulheres tenham sido submetidas à MGF em todo o mundo e que três milhões de meninas estejam em risco anualmente. A prática, que causa lesões físicas e psíquicas graves e permanentes, é mantida em cerca de 30 países africanos

A Plataforma de Dados da Saúde registou nove casos de mutilação genital feminina (MGF) em Portugal desde março, adiantou hoje a secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade.

Em declarações à Lusa, Teresa Morais considerou de “uma importância muito grande” o registo de “casos concretos” na plataforma, que, depois de ter experimentado alguns problemas técnicos, está em funcionamento desde março.

Estima-se que 140 milhões de mulheres tenham sido submetidas à MGF em todo o mundo e que três milhões de meninas estejam em risco anualmente. A prática, que causa lesões físicas e psíquicas graves e permanentes, é mantida em cerca de 30 países africanos, entre os quais a lusófona Guiné-Bissau.

A MGF migrou para a Europa, onde se estima que vivam 500 mil mulheres afetadas por uma mutilação genital e 180 mil meninas estejam em risco, anualmente.

A referenciação dos casos representa “um passo decisivo em matéria de conhecimento sobre a realidade da mutilação genital feminina em Portugal, de que, durante muitos anos, se falou apenas em termos teóricos, (…) de sensibilização, sem que o país soubesse, verdadeiramente alguma coisa de concreto sobre o que se passava”, afirmou Teresa Morais.

“É o início de uma nova fase na abordagem da mutilação genital feminina em Portugal”, frisou, sublinhando que permite “passar das meras suspeitas” a “casos concretos”.

Juntando o registo ao estudo de prevalência em curso, Portugal poderá passar de “estimativas feitas em cima do joelho para um conhecimento mais detalhado”, que permita “intervir junto das comunidades de risco”, destacou.

Realçando que apenas foi informada do número de casos e da tipologia da mutilação genital em causa, Teresa Morais reconheceu que será relevante conhecer outros detalhes, como a idade das vítimas e o local e a data da prática da MGF. Essa informação, disse, deverá constar do relatório que a Direção Geral da Saúde divulgará no final do ano.

Teresa Morais adiantou ainda que foi aprovada pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco “uma circular, sob a forma de manual de procedimentos, com orientações técnicas sobre como os técnicos e as técnicas das CCPJ devem atuar para prevenir e sinalizar os casos de MGF”.

A secretária de Estado informou também que a pós-graduação sobre MGF na Escola Superior de Enfermagem de Lisboa “vai ser repetida em outubro”. Com propina gratuita, a primeira edição foi frequentado por mais de 30 profissionais de saúde, que depois deram formação aos colegas.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela Agência Lusa

 

 

 

Oficina de Animação Ritmo e Cor

Julho 10, 2014 às 2:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

animação

mais informações:

https://www.facebook.com/centromariodionisio

 

 

Lembra-se da sua infância? Cientistas acreditam ter descoberto porquê

Julho 10, 2014 às 12:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

Notícia do Observador de 28 de junho de 2014.

o estudo citado na notícia é o seguinte:

Hippocampal Neurogenesis Regulates Forgetting During Adulthood and Infancy

Getty Images

Investigadores da Universidade de Toronto perceberam que a “amnésia infantil” se deve à neurogénese, ou à renovação de neurónios. O que no cérebro de um bebé se faz mais rapidamente.

Os cientistas acreditam ter descoberto porque é que não temos memórias de infância. A maior parte das pessoas lembra-se apenas da infância a partir dos três anos. Até agora, ainda não se tinha percebido porquê.

Uma equipa liderada por Katherine Akers, da Universidade de  Toronto, descobriu que o que o cérebro de um bebé desenvolve-se tão rapidamente que as novas memórias apagam as antigas, revela o The Telegraph. O trabalho de investigação, publicado no jornal “Science”, sugere que a neurogénese, ou a renovação de neurónios, pode justificar a “amnésia infantil” – que ocorre em várias espécies, entre elas a humana.

Os investigadores recorreram a choques eléctricos em dois grupos de animais para induzi-los a ter medo num determinado ambiente. Um dos grupos foi sujeito a exercício físico intenso, que aumenta a neurogénese – ou seja, a renovação dos neurónios. O outro grupo não teve estímulos adicionais.

No final, o primeiro grupo teve um resultado curioso: perdeu o medo rapidamente – leia-se, a memória do que aconteceu. Os especialistas acreditam que isso compara com o comportamento do cérebro da criança: como o seu desenvolvimento é mais acelerado, a memória perde-se também de forma mais acelerada.

 

 

 

 

Biblioteca de Praia na Foz do Arelho

Julho 10, 2014 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

arelho

clicar na imagem

Horário: 10h30 às 13h00 | 14h00 às 17h30 (todos os dias)

https://www.facebook.com/pages/Biblioteca-Municipal-das-Caldas-da-Rainha/430660953648028?ref=profile


Entries e comentários feeds.