Bullying: e se o tiro sair pela culatra? Vídeo

Julho 2, 2014 às 8:00 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

texto publicado no P3 do Público de 30 de junho de 2014.

Texto de Bárbara Soares

Lembram-se do caso dramático do miúdo de Mirandela que se suicidou? Antes de se atirar ao rio, disse ao irmão que não aguentava mais. O vídeo do VH1 talvez não lhe tivesse servido de muito

 O canal VH1 lançou uma campanha contra o “bullying” que me deixou a pensar — e não pelas melhores razões. Adaptando a letra da conhecida música “I Will Survive”, o vídeo passa a mensagem de que os “nerds” (as vítimas de hoje) serão os vencedores e os chefes de amanhã. O problema é que contém implícita a ideia de que também poderão vir a ser futuros agressores, ressentidos e ressabiados. Sempre achei o “bullying” um dos principais problemas da actualidade, em qualquer contexto — profissional, familiar ou escolar. Mas se a causa é mais do que pertinente, porque me soou mal o vídeo?

Primeiro, por adiar o agora. Jovens vítimas de violência física e psicológica não precisam de uma música que lhes diga: aguentem porque, no futuro, a situação irá mudar. O que precisam é de medidas que os defendam na hora e que contribuam para que, no dia seguinte, o regresso à escola não seja outra tortura. Os mais novos têm uma percepção do tempo bem mais reduzida do que a nossa e, por isso, o que interessa é o alívio da dor no presente e não promessas de um futuro que pode nem vir a ser um terço da maravilha que o vídeo promete, principalmente quando as perspectivas profissionais das gerações futuras são cada vez mais negativas perante a prolongada crise internacional.

Em segundo lugar, alimenta sentimentos de ressentimento e vingança. Mensagens como “serei o teu chefe e tu o meu escravo”, “abusarei de todo o meu poder” ou “serás o meu animal de estimação” são mensagens tristes. E nem adianta contra-argumentar com o sentido figurado ou simbólico do vídeo. Não há lugar a sentidos figurados ou mensagens distorcidas quando falamos de pressão psicológica. Violência é violência, seja de ténis aos 15 ou de gravata prepotente aos 30 — é importante que a situação mude, mas não que se reverta.

Por último, se é para vingar na vida, que seja por mérito próprio, sem ferir ninguém. As pessoas mais amargas que conheço estão obcecadas com o controlo e a aprovação dos outros, em vez de se focarem nas suas próprias vontades ou interesses. Muitos transformaram-se em chefes arrogantes, esposas controladoras ou amigos vampíricos. Por sua vez, as mais interessantes têm mais que fazer do que focarem-se nos outros. Algumas foram, de facto, vítimas de “bullying” e na sua maioria são hoje pessoas bem resolvidas. Mas não o são pelo simples facto de terem sido vítimas, são-no exactamente porque nunca foram agressores. Porque sempre pautaram a sua vida por princípios de respeito, esforço, coragem e confiança. Porque não se colocam no centro do poder e das atenções de uma forma narcisista. Porque aprenderam.

Lembram-se do caso dramático do miúdo de Mirandela que se suicidou? Antes de se atirar ao rio, disse ao irmão que não aguentava mais. O vídeo do VH1 talvez não lhe tivesse servido de muito. Mas talvez tivesse ajudado uma comunidade mais atenta e interventiva, na escola e fora dela. Talvez uma sociedade que não confunda escolarização com educação. Uma sociedade que assuma que diariamente passa ao lado de casos de violência sem voz denunciante — porque é dentro da escola, porque é entre marido e mulher, porque é com os filhos dos outros ou porque há que conservar a submissão e o emprego. Talvez uma sociedade menos narcisista e de pessoas mais humanas. Se querem passar uma mensagem positiva, procurem exemplos construtivos de intervenção social e não de contra-ataque individual.

 

Workshop de Ilustração Infantil com João Jorge no CCC das Caldas da Rainha

Julho 2, 2014 às 1:30 pm | Publicado em Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

jorgemais informações aqui

Cada menor detido pratica em média nove crimes

Julho 2, 2014 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Relatório | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , ,

Notícia do Diário de Notícias de 25 de junho de 2014.

O relatório mencionado na notícia é o seguinte:

Relatório Estatístico DGRSP 2013

clicar na imagem

dn(3)-1

 

20 brincadeiras que precisam apenas de lápis e papel

Julho 2, 2014 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

texto do site educarparacrescer.abril.com.br de 5 de junho de 2014.

visualizar as brincadeiras aqui

Nesta seleção de brincadeiras, os pais podem se divertir com as crianças. Navegue pelas setas laterais para descobri-las.

Texto Isadora Bertolini Labrada

Papel, lápis e diversão

Com apenas um pedaço de papel e um lápis ou caneta, é possível entreter as crianças nas férias. Com a ajuda da professora Maria Ângela Barbato Carneiro, da faculdade de Educação da PUC, que lidera o Núcleo de Cultura e Pesquisas do Brincar, reunimos alguns clássicos das brincadeiras que utilizam apenas papel e tinta. Uma lista de brincadeiras dá pra brincar dentro de casa, no apartamento, ou até mesmo no carro. A especialista lembra: “Brincar é um momento de interação essencial para a formação da criança. É quando ela desenvolve o processo de sociabilização e se apresenta ao mundo. A participação dos pais ou responsáveis nesse momento é, portanto, muito positiva”. Chame a família, os amigos e toda a criançada para brincar junto!

Crédito: Bruno Lanza

educar para cresecer

Direito de ser Criança – Celebrar a obra da Rainha D. Estefânia

Julho 2, 2014 às 11:13 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

neya

A administração do NEYA Lisboa Hotel irá dinamizar o evento “Direito de ser Criança – Celebrar a obra da Rainha D. Estefânia”, cuja inauguração terá lugar no dia 7 de julho, às 18h30, no Neya Lisboa Hotel.

Esta sessão de inauguração terá a participação da escritora Sara Rodi, autora do livro “D. Estefânia, um Trágico Amor”, bem como a exposição “Crianças no Mundo com Direitos” disponibilizada pelo Instituto de Apoio à Criança, que estará patente ao público em geral até dia 25 de Julho.

O caminho da educação sexual – crónica de Daniel Sampaio

Julho 2, 2014 às 10:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Crónica de Daniel Sampaio publicado no Público de 29 de junho de 2014.

Ainda hoje se discute, em Portugal, a educação sexual em meio escolar (ES). Noutros países europeus, entrou na rotina das escolas. Integrada nas áreas de Educação para a Saúde, faz parte do quotidiano dos estabelecimentos do ensino básico e secundário, mobilizando alunos, professores e pais, com o apoio e formação das estruturas de saúde. Estes dados objetivos podem verificar-se em vários relatórios e estudos internacionais.

Em Portugal, embora desde 1984 se considere que a ES deve fazer parte do currículo escolar, a prática tem revelado flutuações, muitas vezes por motivos de opção política. Como alguns se lembrarão, coordenei um Grupo de Trabalho sobre o tema, de que fizeram parte Margarida Gaspar de Matos, Isabel Baptista e Miguel Oliveira da Silva (2005/2007). Tomando como ponto de partida muito do que já tinha sido feito — sobretudo por associações, como a Associação para o Planeamento da Família —, pudemos definir métodos e processos para a implementação da ES em todas as escolas: destaco o envolvimento das estruturas da saúde, das associações de pais e de alunos, bem como a existência, em todas as escolas, de um professor coordenador de saúde, que passou a dispor de alguma diminuição da componente lectiva, de modo a ter mais tempo para se dedicar a esta tarefa.

Os resultados foram positivos e culminaram na Lei n.º 60, aprovada pela Assembleia da República em 2009. Nos últimos três anos, todavia, pareceu assistir-se a um menor investimento nesta área, visível nalguns comentários mais descrentes de professores e alunos. Era por isso importante proceder à avaliação do impacto da referida lei, o que ocorreu muito recentemente.

A avaliação demonstrou que a maioria das escolas (83, 2%) está a cumprir a carga horária prevista para a ES; e, em geral, os estabelecimentos de ensino têm gabinetes de apoio aos alunos, que em 71% dos casos funcionam até seis horas por semana. Continuam a ser as Ciências Sociais e a Biologia as disciplinas mais utilizadas para a ES, embora a grande maioria das escolas (93%) contrate agentes externos para completar o horário previsto.

Sem dúvida que o caminho percorrido é positivo, mas ainda há muito a fazer. Impõe-se continuar a formação sistemática dos professores, envolver os pais em acções conjuntas, tornar a ES parte da cultura da escola. Os gabinetes de apoio aos alunos, essenciais como locais privilegiados de reflexão e ensino para os estudantes, necessitam de revitalização porque, nalguns casos, estão transformados em locais para onde são enviados jovens com mau comportamento. E os professores entrevistados na avaliação lamentaram a perda da redução da componente lectiva, o que se traduz por sobrecarga no trabalho quotidiano, nem sempre bem compreendido pelas Direcções escolares.

No rescaldo desta avaliação, alguns jornais falaram de “cansaço dos alunos”. Não sei onde foram buscar esse dado. A grande maioria dos estudantes com quem falo acha, pelo contrário, que se pode fazer muito mais; mas reconhecem o progresso, em conhecimentos e comportamentos face à sexualidade, já visível em jovens universitários de hoje.
Persiste, nos conservadores habituais, a crítica de que só se fala “do preservativo e da pílula” e nunca dos afectos. Trata-se de uma crítica preconceituosa: basta lerem o Art. 2.º da Lei da ES para verem como não é assim. 

ri(Age) 2014 – Concurso de Vídeo – inclusão social de pessoas com experiência de doença mental

Julho 2, 2014 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

video

mais informações aqui

O presente Concurso é aberto a pessoas singulares ou coletivas, de qualquer nacionalidade e de todas as idades;

Todos os vídeos candidatos deverão ser enviados para o endereço eletrónico geral@fnerdm.pt até ás 24 horas do dia 23 de Julho de 2014


Entries e comentários feeds.