Indisciplina na sala de aula aumenta no Ensino Básico

Abril 10, 2014 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia do Jornal de Notícias de 3 de abril de 2014.

JN

Os professores do ensino básico sentem que a indisciplina na sala está a aumentar, havendo situações em que perdem metade da aula a resolver estes problemas, revela um estudo nacional, que alerta para a falta de formação nesta área.

Em apenas dois meses, cerca de 1500 docentes do 1.º ao 9.º ano responderam aos questionários do estudo sobre “Indisciplina em sala de aula no ensino básico”, que está a ser desenvolvido pela Universidade do Minho (UM).

“O estudo ainda não terminou, até porque ainda se pode responder aos inquéritos, mas já é possível perceber tendências sobre a perceção que os professores têm sobre indisciplina”, contou à Lusa João Lopes, docente do Instituto de Educação e Psicologia da UM e responsável pelo trabalho.

Mais de oito em cada dez professores inquiridos (84%) consideram que a indisciplina aumentou nos últimos cinco anos. Apenas 2,5% entende que a situação dentro da sala de aula está melhor e 11% acha que a situação se mantem inalterada.

Os problemas apontados “não são os mais graves”, sublinha o investigador, dando como exemplos a utilização de aparelhos eletrónicos durante a aula, falar com o colega do lado, sair do lugar e comer dentro da sala, ou ter uma atitude passiva e estar desatento.

No entanto, as atitudes perturbadoras obrigam muitas vezes a interromper a aula: um em cada quatro docentes (23%) perde 10% do tempo com problemas de indisciplina; outros 314 professores disseram gastar entre 20 a 30% da aula e 6% fica com menos de metade do tempo para dar matéria. Sete professores admitiram mesmo que perdem entre 80 a 90% com o mau comportamento dos seus alunos.

“Cerca de 12% dos professores perdem mais de 40% do tempo com este problema”, disse o especialista, alertando para o facto de 60% dos professores não terem tido, até hoje, qualquer tipo de formação específica para lidar com este problema.

João Lopes sublinha que existem muitos docentes que dão aulas há décadas e nunca receberam qualquer formação e, depois, existem “casos de professores que tiveram uma formação de apenas cinco horas”.

Para os inquiridos, a culpa da indisciplina dentro da sala de aula é, essencialmente, dos pais (39%), das políticas educativas governamentais (37%) e dos alunos (34%).

Com menos responsabilidade na indisciplina surgem os próprios professores. No entanto, ressalva João Lopes, “os professores não se desresponsabilizam completamente” e 3% considerou mesmo que estes são os principais responsáveis pela situação dentro da sala.

Além da recolha de dados demográficos e sobre os problemas mais registados na sala de aula, o estudo tem também questionários para aferir a perceção que o professor tem sobre a sua capacidade de lidar com os problemas, assim como a capacidade dos seus colegas e da própria escola.

O estudo questionou ainda os docentes sobre a frequência com que reportam os problemas a terceiros e as consequências das situações reportadas. “Nós sabemos que os casos reportados são muito menos do que os que ocorrem na sala de aula e os punidos ainda são menos”, sublinhou o investigador.

João Lopes diz que o estudo deverá em breve ser alargado ao ensino secundário e até ao ensino superior, onde acredita que se registem também cada vez mais casos de indisciplina.

 

 

 

 

 

Biografias de “grandes vidas portuguesas” em colecção de livros para os mais novos

Abril 10, 2014 às 2:30 pm | Publicado em Livros | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Notícia do i de 8 de abril de 2014.

grandes

Por Agência Lusa

Os quatro primeiros volumes desta coleção serão apresentados no sábado, na livraria Ler Devagar, em Lisboa, por António Torrado, com a presença de José Jorge Letria

A vida de Salgueiro Maia, Aníbal Milhais, Fernando Pessoa e Almada Negreiros, quatro figuras da história e da cultura portuguesas, é recordada numa nova coleção de livros para jovens e crianças, intitulada “Grandes Vidas Portuguesas”, foi hoje anunciado.

A coleção, a apresentar no sábado, em Lisboa, resultou de uma parceria entre a Imprensa Nacional Casa da Moeda e a editora Pato Lógico, e as quatro primeiras biografias foram escritas por José Jorge Letria e ilustradas por João Fazenda, Tiago Albuquerque, Nuno Saraiva e António Jorge Gonçalves.

“Era uma vez um capitão que aprendeu a fazer a guerra, mas que preferia a paz para poder ler, viver e ser feliz”, assim começa “O homem do tanque da liberdade”, a biografia de Salgueiro Maia, capitão do Exército português e um dos protagonistas da Revolução de Abril.

Com ilustrações de António Jorge Gonçalves, a partir de fotografias de arquivo, José Jorge Letria traça, em cerca de 50 páginas, o percurso de um homem que perdeu a mãe ainda em criança, que queria ser militar, que fez a guerra na Guiné e que comandou os militares que, a 25 de abril de 1974, ajudaram a derrubar um regime.

Salgueiro Maia morreu em abril de 1992, em consequência de um cancro, mas no imaginário português, assim como nesta biografia, fica como um dos heróis da recente História do país, que “não quis distinções nem cargos, festejos nem ovações”.

A par da biografia de Salgueiro Maia – editada nos 40 anos da Revolução de Abril – a coleção “Grandes Vidas Portuguesas” apresenta ainda o retrato biográfico do poeta Fernando Pessoa (“O menino que era muitos poetas”, com ilustração de João Fazenda), e do escritor e artista plástico José de Almada Negreiros (“Viva o Almada, Pim!”, ilustrado por Tiago Albuquerque).

A eles junta-se ainda a biografia “Um herói chamado Milhões”, ilustrada por Nuno Saraiva, sobre Aníbal Augusto Milhais, um agricultor transmontano que combateu na primeira Guerra Mundial, recebeu várias condecorações e ficou conhecido como o “Soldado Milhões”.

Com a criação desta coleção, a Imprensa Nacional Casa da Moeda aposta, pela primeira vez, em obras direcionadas para os leitores mais novos, divulgando “figuras fundamentais da história e da cultura portuguesas”, numa lógica de serviço público.

Os quatro primeiros volumes desta coleção serão apresentados no sábado, na livraria Ler Devagar, em Lisboa, por António Torrado, com a presença de José Jorge Letria.

Fonte da editora explicou à agência Lusa que, para o natal, estão a ser preparadas novas biografias, assinadas, entre outros, por Carla Maia de Almeida e por José Fanha.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela agência Lusa

 

O Facebook (já) não vai à escola

Abril 10, 2014 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Artigo da Visão de 3 de abril de 2014.

clicar na imagem

visao___

Há menos pais a levar os filhos aos médicos

Abril 10, 2014 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia do Expresso de 29 de março de 2014.

clicar na imagem

expresso

Colóquio “Falta de Assiduidade e Abandono Escolar” com a participação de Melanie Tavares e Andreia Correia do IAC

Abril 10, 2014 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

A Dra. Melanie Tavares, Coordenadora da Mediação Escolar do Instituto de Apoio à Criança e Andreia Correia IAC/Mediação Escolar irão participar no Colóquio “Falta de Assiduidade e Abandono Escolar” no dia 23 de abril de 2014.

abandono

 

Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Figueira de Castelo Rodrigo

Avenida Heróis de Castelo Rodrigo
Edifício do Ninho de Empresas do Conhecimento
6440 -113 Figueira de Castelo Rodrigo
telefone: 271 319 019
e-mail:
cpcj.fcr@gmail.com


Entries e comentários feeds.