Formação A Metafísica na Infância no CCB

Janeiro 1, 2014 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

ccb

Formação em continuidade sobre filosofia para crianças
Rita Pedro

10, 17, 24 e 31 Jan 2014 – 18:30 às 21:30
7, 21 e 28 Fev 2014 – 18:30 às 21:30
14 Mar 2014 – 18:30 às 21:30

Espaço Fábrica das Artes
Duração
24 horas (8 sessões de 3 horas)
Público-alvo Artistas, mediadores culturais, professores, animadores socioculturais, bibliotecários e curiosos

Preço 25€

Mais info Assinaturas CCB

Precisamos de construir novos cérebros, cérebros metafísicos, para saber, hoje, escutar as crianças. Uma pergunta leva a outra e… vamos partir das interrogações filosóficas das crianças para nos surpreendermos e para exercitar as nossas mentes. Necessitamos encontrar novas pistas e mecanismos para a experiência do diálogo filosófico na infância. Esta formação pretende preparar o adulto para o encontro entre a Filosofia, a Pedagogia e a Infância, visando a qualidade relacional.

INSCRIÇÕES
As inscrições devem ser feitas pelos telefones +351 213 612 899/ 898 ou pelo fax +351 213 612 859.
fabricadasartes@ccb.pt
Contactos > Maria José Solla | Manuel Moreira | Tânia Guerreiro
Todos os dias úteis das 11:00 às 13:00 e das 15:00 às 18:00.

 

Apenas 5% das crianças em idade pré-escolar está correctamente diagnosticada com asma

Janeiro 1, 2014 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Notícia do site RCM pharma de 5 de Dezembro de 2013.

Estima-se que mais de 300 mil portugueses tiveram um ataque de falta de ar no último ano, incluindo uma em cada quatro crianças com idade entre os 3 e os 5 anos. Dados nacionais sobre a prevalência da asma revelam que apenas cerca de 5 por cento das crianças em idade pré-escolar está correctamente diagnosticada com a doença quando se demonstrou que cerca de 10 por cento tiveram 4 ou mais ataques de falta de ar no último ano. O estudo adianta ainda que a taxa de internamento pediátrico continua muito elevada, avança comunicado de imprensa.

“A asma está ainda pouco diagnosticada e continua incorrectamente tratada. Não existe também uma perspectiva preventiva instituída em todo o sistema de saúde. É inexplicável, e injustificável, por exemplo, que continue sem comparticipação a vacinação anti-alérgica, a qual criteriosamente prescrita por especialistas permite interferir significativamente na evolução desta doença, ou seja, na sua história natural”, explica o médico Mário Morais de Almeida.

A investigação sobre asma revela ainda que mais de 700 mil pessoas com asma tiveram queixas no último ano e que mais de 500 mil doentes fazem regularmente medicação para esta doença inflamatória crónica. A asma afecta 1 milhão de pessoas e mais de 10 por cento dos idosos em Portugal.

“Actualmente é indiscutível que esta doença crónica, muito frequente, transversal a todos os grupos etários, deve merecer uma atenção particular, quer nos aspectos de diagnóstico, quer nas acções que podem permitir melhorar o seu controlo. Mais de 40 por cento das pessoas com asma continuam mal controladas e a maioria delas não tem consciência em quanto a sua qualidade de vida está afectada”, explica Mário Morais de Almeida.

Por este conjunto de razões, para possibilitar um aumento da notoriedade desta doença ainda associada a muitos mitos e crenças, a SPAIC, por decisão dos seus sócios e à semelhança de sociedades científicas internacionais similares, adoptou um novo nome, passando a incluir ASMA na sua designação: Sociedade Portuguesa de Alergologia, Asma e Imunologia Clínica – SPA2IC.

Nos últimos anos foi esta a sociedade científica que no nosso país mais contribuiu para a investigação e conhecimento sobre a asma. Para além de vários estudos publicados e de múltiplas iniciativas de educação médica e sensibilização para o público em geral, a SPA2IC esteve sempre empenhada com o objectivo de promover a saúde dos portugueses, ao melhor custo possível, sem desperdícios, defendendo a causa e os interesses das pessoas com asma e outras manifestações de alergia.

A asma é uma doença inflamatória crónica dos brônquios que se inicia, habitualmente, na infância, mas que pode surgir em qualquer idade. Os sintomas típicos desta doença são a tosse, chiadeira no peito ou pieira, falta de ar, aperto no peito, que se podem agravar com o esforço físico, e cansaço ao fazer as actividades do dia-a-dia.

Os doentes com asma, se estiverem controlados, podem fazer as suas actividades, quer profissionais ou escolares, quer desportivas, sem qualquer limitação da vida diária. O tratamento adequado é fundamental para uma melhoria da qualidade de vida.

1/3 dos adolescentes infectado por bactéria da gastrite e úlcera duodenal

Janeiro 1, 2014 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Notícia do i de 17 de Dezembro de 2013.

Por Agência Lusa
publicado em 17 Dez 2013 – 15:02

Ao todo, foram realizados testes em 447 adolescentes dos concelhos de Viseu e Sátão, com idades entre os 12 e os 18 anos

Um estudo desenvolvido pelo Instituto Politécnico de Viseu revela que cerca de 36 por cento dos adolescentes portugueses estão infetados por Helicobacter Pylori, a bactéria responsável pela gastrite e úlcera duodenal.

Em declarações à agência Lusa, Carlos Pereira, coordenador do projeto de investigação HELICOVISEU, informou que o estudo levado a cabo ao longo de um ano conclui que um terço dos adolescentes portugueses deu positivo para a infeção por Helicobacter Pylori (HP).

O estudo – desenvolvido por uma equipa de 10 investigadores da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viseu, coordenados por Carlos Pereira e Manuela Ferreira – teve por objetivo quantificar a prevalência da infeção por HP em adolescentes.

Ao todo, foram realizados testes em 447 adolescentes dos concelhos de Viseu e Sátão, com idades entre os 12 e os 18 anos.

“Como era expectável, a infeção por HP é associada à idade, ou seja, quanto mais perto o adolescente estiver dos 18 anos, mais probabilidades existem de estar infetado”, revelou.

De acordo com o investigador, também os adolescentes das zonas rurais têm mais 50 por cento de probabilidades de ter este tipo de infeção.

“O mesmo se aplica aos adolescentes que consomem regularmente bebidas alcoólicas, ou seja, há mais 34 por cento de probabilidades de estarem infetados”, acrescentou.

Carlos Pereira não se mostrou surpreendido com os resultados do projeto, já que diversos estudos sobre a matéria informam que mais de metade da população mundial está infetada por Helicobacter Pylori.

“A prevalência desta bactéria é superior nos países subdesenvolvidos, sendo a principal causa da gastrite e úlcera duodenal. É também uma das principais causas para o cancro de estômago”, acrescentou.

O investigador revelou ainda que a Helicobacter Pylori “é uma bactéria relativamente jovem, que foi descoberta há cerca de 30 anos por Marshall & Warren”, “não existindo consenso sobre a sua forma de transmissão”.

Apesar de mais de metade da população mundial estar infetada por HP, “entre 80 a 90 por cento dos infetados nunca chega a ter sintomas associados à bactéria”.

O projeto de investigação HELICOVISEU conta com o financiamento do Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu, CI&DETS (Centro de Investigação do IPV) e Fundação para a Ciência e a Tecnologia, e o apoio do Agrupamento de Escolas do Sátão e do IPATIMUP – Universidade do Porto.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico


Entries e comentários feeds.